House – 6ª temporada, episódio 2

Pessoal,

Parece que a coisa só vai esquentar após esse episódio. Depois de sair da clínica (não, não vou contar toda a história), House decide mudar sua vida e, entre outras coisas, exercitar seu lado chef de cozinha.

Ainda continuo com a impressão de que os dois episódios desta sexta temporada foram menos inspirados do que os das anteriores, mas as possibilidades para voas histórias se abriram após a segunda semana.

Enquanto o Universal Channel só inicia a nova temporada no fim de outubro, a Record faz o sucesso do médico louco na TV aberta. No último dia 23 a série ficou em 1º lugar (Rio) no seu horário com 12 pontos de audiência e pico de 15.

Dá-lhe House.

PS: House está sendo transmitido toda segunda nos EUA.

Anúncios

House estréia a 6ª temporada

Acabou a ansiedade e o mistério. O episódio especial (quase 2h) que marcou a estréia da 6ª temporada de House foi ao ar, nos EUA. O médico genial e louco (desta vez mais louco que genial) terminou a 5ª temporada indo para uma clínica psiquiátrica. O início da nova série de aventuras foi baseada no período no qual Gregory House passou na clínica e sua consequente transformação.

A expectativa pela estréia era grande, mas diferente do último episódio, o resultado não foi dos melhores (e nem poderia). O show pecou por não apresentar alguns dos elementos que mais fazem o sucesso da série. O sarcasmo estava lá, mas nada de mistérios médicos. Tudo girou em torno de House, sua doença e sua total falta de poder em um ambiente bem diferente do que está acostumado.

Com outros personagens e conflitos muito mais pessoais, a estréia de House serviu apenas para confirmar mais uma vez o ótimo ator que é Hugh Laurie. Mas faltou algo no molho.

Talvez por nunca querer repetir uma fórmula, os produtores de House tenham exagerado nas mudanças. Não que tenha sido um mau episódio, mas aproveitou pouco as melhores características da série. Foram muitos conflitos interiores, lições de moral, psicologia rasteira, algum sexo, mas muito pouco brilhantismo por parte do protagonista (culpa dos roteiristas).

Estou começando a ver o segundo episódio. Vamos ver como House se comporta de volta ao seu habitat natural.

Erasmo Carlos homenageia Roberto e o rock’n’roll

Erasmo CarlosA noite de 25 de setembro vai entrar para a história do rock e da música brasileira. Erasmo Carlos, uma das metades da dupla de compositores mais famosa e bem sucedida do Brasil, estreou seu novo show, baseado no recém lançado CD Rock’n’Roll, no palco do Vivo Rio.

Diante de uma platéia composta por muitos famosos, jornalistas e pessoas menos conhecidas, fazendo de tudo para aparecer, o Tremendão apresentou um espetáculo recheado de guitarras e misturando na dose certa novas cancões e antigos sucessos. Foram seis músicas do novo disco e várias da carreira solo e da fase da jovem guarda.

Produção elaborada e bem humorada

Malu Mader no show de Erasmo CarlosDesde antes de subir ao palco – quando é apresentado um vídeo no qual Erasmo, com voz distorcida, típica dos depoimentos de bandidos para canais de TV, confessa seu vício em rock’n’roll de maneira muito engraçada – é fácil perceber a preocupação com detalhes, seja a luz, os efeitos, o roteiro e os diálogos, sempre divertidos.

A banda, formada por Dadi Carvalho (guitarra), Billy Brandão (guitarra solo), Pedro Loppez (baixo), Luiz Loppez (guitarra) e Alan Fontenele (bateria), os últimos três membros do grupo Filhos de Judith, colocaram peso em todos os números e ainda receberam a preciosa companhia da guitarra de Liminha, no bis.

Repertório para todos os gostos

As canções do disco novo saíram-se bem – talvez com exceção de Jogo Sujo, que pareceu meio deslocada no set list – e os antigos sucessos ganharam vida nova com os arranjos mais roqueiros. Clássicos da jovem guarda como Negro Gato e Lobo Mau ressurgiram cheios de gás.

Erasmo Carlos no Vivo RioErasmo aproveitou para cantar algumas músicas que sempre são relacionadas mais ao parceiro. Como Roberto e Erasmo são uma espécie de Lennon e McCartney e, assim como a dupla inglesa, os dois são os únicos com moral para fazer o que quiserem com as músicas que qualquer brasileiro sabe assobiar. Portanto, a homenagem ao parceiro, acaba sendo uma homenagem a si mesmo, pois quando canta Quero Que Vá Tudo Pro Inferno ou o emocionante medley onde mistura Desabafo / Olha / Proposta / Os seus Botões / Detalhes / Café da Manhã / Cavalgada / Eu te Amo, te Amo, te Amo e Como é Grande o Meu Amor Por Você, o Tremendão acaba fazendo com que muitos lembrem que ele é um compositor que ultrapassa ritmos e tendências.

Cover termina a Festa de Arromba

Passeando por temas como ecologia e as mulheres (claro) Erasmo termina o show de maneira muito engraçada e bem produzida, lembrando alguns dos melhores momentos de shows da também roqueira Rita Lee. As canções do bis – Cover e Festa de Arromba – ganharam a presença do produtor e parceiro Liminha, que protagonizou um ótimo duelo de guitarras.

Roberto Carlos CoverMas, sem dúvida, foi na apresentação de Cover que ficou óbvio o capricho com o espetáculo, que deve (tomara) correr o país. O palco foi invadido por sósias de figuras como Elvis Presley, Charles Chaplin, Marylin Monroe e, claro, Roberto Carlos, que distribuiu várias rosas para a platéia, já em êxtase pelas quase duas horas de prazer ininterrupto.

Erasmo Carlos é responsável por grande parte da trilha sonora musical da vida dos brasileiros e, aos 68 anos, mostra energia de garoto. A voz continua a mesma (com suas qualidades e defeitos) e a figura meio desajeitada no palco também. Mas Rock’n’Roll é, muito provavelmente, um dos melhores (senão o melhor) show do artista em toda a sua carreira.

Nota: 10


As canções:

1. Jogo Sujo
2. Sou uma Criança, Não Entendo Nada
3. Mesmo que Seja Eu
4. Mulher / Minha Superstar
5. Chuva Ácida
6. Negro Gato
7. Noturno Carioca
8. Gatinha Manhosa
9. Sentado à Beira do Caminho
10. Panorama Ecológico
11. É Preciso Saber Viver
12. Desabafo / Olha / Proposta / Os seus Botões / Detalhes / Café da Manhã / Cavalgada / Eu te Amo, te Amo, te Amo/ Como é Grande o Meu Amor Por Você
13. Olhar de Mangá
14. A Guitarra É uma Mulher
15. Quero que Vá Tudo pro Inferno
16. Lobo Mau (The Wanderer)
17. Minha Fama de Mau
18. Vem Quente que Eu Estou Fervendo
19. É Proibido Fumar

Bis:
20. Cover
21. Festa de Arromba

Fotos: Ag. News

Radiação, passado e futuro da tecnologia

Domingo de sol, saladas e estréias. Dia também para roubar de duas grandes amigas e jornalistas informações que merecem chegar ao conhecimento do maior número possível de pessoas.

Primeiro, a guru Cristina de Luca que descobriu e colocou em seu Circuito, uma tabela com a emissão de radiação dos celulares e smartphones que povoam nossas vidas. Depois, a querida coleguinha Debinha Thomé, que descolou uma série de anúncios da AT&T de 1993, que mostravam onde poderíamos chegar no futuro. Parece brincadeira, mas era tudo sonho mesmo, coisas mais que corriqueiras em 2009.

Easy Now -Eric Clapton

Ter calma é sempre bom. Ter a chance de dar valor aos sentimentos alheios é um dom que poucos têm.

Easy Now
Eric Clapton

Holding you, you holding me,
Everyone could see we were in ecstasy.
Making love against the wall,
Feeling very small when we didn’t need to be.

Easy now; don’t let my love flow out of you.
Please remember that I want you to come too.

Oh my darling, help me please.
When I’m without you I fall down and graze my knees.
I look so funny and I feel sad,
Your love is all I’ve ever had, so please don’t tease.

Chorus

Yesterday, you know tomorrow,
Could it be I’ll have to borrow someone new?
I know that I’m the one to blame,
But all the same, there must be something you can do.

Sinergia: fuja dela

Em um momento de mudanças lembro de uma das palabras que mais odeio e que espero não precisar usar tão cedo. O significado original era bom, o uso dado pelos brasileiros é péssimo.

SINERGIA

Substantivo feminino que designa uma ação conjunta de vários agentes com o objetivo de se ter um resultado melhor que ações isoladas. A palavra tem origem no termo grego ‘synergia’, que significa “cooperação”, “ajuda”.

(si.ner.gi.a)

sf.

1. Fisl. Associação de vários órgãos para a realização de determinada função orgânica.

2. Econ. Ação conjunta de vários agentes visando a um resultado melhor que o de ações isoladas: É preciso promover a sinergia entre empresários, trabalhadores, empregados e consumidores para ampliar a competitividade da indústria nacional.

3. Coesão e solidariedade de um grupo, sociedade etc. em torno de objetivos comuns: “Se não há sinergia entre líderes e seus subordinados (…) o clima de trabalho será sempre ruim.” (, O Globo, 10.07.2005)).

Quanto tempo você precisa para se apaixonar?

Para não dizerem que o único ponto de vista feminino do F(r)ases vem de Nicole Assustadora, reprodzo o ótimo texto de Jacke para o blog Consultório do Don Octávio.

Quanto tempo você precisa para se apaixonar?

Dizem que só podemos amar uma pessoa quando de fato a conhecemos. Mas eu te pergunto: quanto tempo levamos para conhecer uma pessoa?

Será que todos os dias somos sinceros ou simplesmente desempenhamos papéis?

Dia desses conversando com um dos muitos caras que tenho no meu msn, fui questionada sobre minha preferência por escrever sobre sexo. Tentei argumentar que não escrevo somente sobre sexo, mas sim sobre relacionamentos e que não são relatos pessoais. Não adiantou nada. Ele acha que sou um furacão sexual e nada posso fazer a respeito. Muitas vezes julgamentos conhecer as pessoas e somos surpreendidos das formas mas bizarras. Como explicar aquele marido certinho, que era alvo da inveja das amigas de sua mulher, que de repente é flagrado aos beijos com a vizinha?

Provavelmente você achava que conhecia aquela garota quietinha da sua sala, que falava tão baixo que mal podia ouvir sua voz, mas que é expulsa de casa porque engravidou do primo. Chega de exemplos?

Bem, todos os dias ficamos presos a padrões pouco inteligentes e, desconfio de que é por causa deles que deixamos de viver ótimos momentos.

Hoje está frio, eu estava á toa e procurando algo para assistir entre a bagunça dos dvd´s do meu irmão, achei “Entre lençóis” de Gustavo Nieto Roa. Eu já tinha visto o trailer e fiquei completamente apaixonada, mas confesso que me deu preguiça só de pensar em assistir um filme com dois protagonistas que ficam no motel o tempo todo. Fui obrigada a dar o braço a torcer depois que assistia a película com os olhos brilhando e torcendo para que nunca chegasse ao fim.

Se você é fascinado pelas nuances do relacionamento entre homem e mulher, deve assistir.

Caso típico. Os dois se conhecem em uma balada, se beijam, e acabam num motel. Transam e…descobrem que justamente quando não esperamos nada do outro é que nos permitimos conhece-lo de verdade. Faz sentido? Sim, todo sentido.

Me diz. Quantas vezes você não bancou a perfeitinha no primeiro encontro porque queria agradar e garantir o segundo? Quantas vezes você  disse não achando que seria garantia de um selo de qualidade?

No filme, ela está noiva e ele é casado. Ou seja, ambos queriam uma noite, nada mais que isso e  se mostraram ao outro de uma forma que talvez jamais fizeram. Talvez nosso erro esteja justamente em esperar demais, em criar expectativas altas para algo que deveria ser muito simples.

Daí você pode me dizer que é fácil demais falar e que na vida real estas coisas não acontecem, uma vez que quando estamos apaixonados, sempre criamos expectativas. Sim eu sei, mas porque será que tantas pessoas se apaixonam por seus melhores amigos? Não seria porque ambos estão aparentemente focados em outro lugar, se abrindo de forma sincera pois não esperam nada um do outro e de repente percebem-se apaixonados?

Vai dizer que você nunca foi pra balada desprevenida porque suas amigas passaram na sua casa em cima da hora, bebeu todas pra esquecer a roupa horrível que estava usando e acabou beijando o cara mais gato do local? Ou vai me dizer que nunca se perguntou como uma certa pessoa ficou completamente apaixonado por você depois de ter te visto indo comprar pão com seu vestido mais rasgado e seu cabelo preso daquele jeito? Provavelmente porque você não esperava se apaixonar indo a padaria.

Certa vez li uma matéria na Nova onde um homem dizia que o segredo deles era nunca se preocupar com o fato de estarem solteiros, já a mulher anda por aí como se fosse um crime estar sozinha. Depois de uma certa idade então, cada homem que beija passa a possível futuro namorado, e aí a coisa desanda de vez.

Nenhum homem vai pra balada pensando que pode encontrar o amor da sua vida, já as mulheres normalmente guardam na cabeça histórias fantásticas de amigas que conheceram o amor de sua vida de forma extraordinária e aí até o caminho para o trabalho passa a ser possibilidade.

No filme é possível ver o homem e a mulher da forma como são, o que nos faz pensar que somos nós que complicamos tudo quando decidimos seguir um protocolo completamente inútil.

E mesmo que nada dê certo, vale só pela mágica. Quem nunca viveu um amor de balada, não sabe o que está perdendo. Enfim, o filme vale por tudo, masssss mulheres, é impossível não se apaixonar pelo Giane. Ele tem o sorriso e a bunda mais linda que eu já vi, seu fosse corria até a locadora mais próxima e colocava este filme na agenda já. OK homens, a Paola Oliveira fica de calcinha praticamente o filme todo.

Espanhóis são mais civilizados que nós

filho da puta taradoOs italianos são famosos pelo seu jeito espalhafatoso de conversar, cheio de dramaticidade e gestos largos. Os ingleses são famosos pela discrição e elegância. Os espanhóis são conhecidos por serem apaixonados, provocativos, sensuais, como vários povos latinos. Portanto, nada de surpresa quando vemos um espanhol mais exaltado. Assim como brasileiros e italianos, não é difícil se deparar com uma situação onde há uma discussão mais quente.

Agora os espanhóis mostraram que realmente estão um passo à frente da maioria dos países ao decidirem que insultar o chefe não é motivo para demissão. Agora todos os filhos da puta incompetentes que ocupam cargos de chefia (de menor importância, quase sempre) poderão ser tratados de maneira condizente com suas qualidades profissionais. Para tanto, precisamos, no Brasil, usar mais esta expressão: FILHO DA PUTA.

filhos da putaTorná-la corriqueira é o objetivo. Só assim poderemos ter uma decisão judicial que impeça uma demissão só porque o empregado disse a verdade. Mais ainda, que faça a empresa indenizar o funcionário que havia sido dispensado.

Agora, assim que chegar em um emprego novo (ou velho) comece logo chamando quem de direito de filho da puta. Sua alma vai fica mais leve, os companheiros de trabalho vão admirar sua sinceridade e seu cargo fica garantido.

Lembre-se: chamar de incompetente  dá demissão, de filho da puta dá indenização!

Elegância serve só para os olhos

prada1O ano é 2002, lembro de um ex-companheiro de trabalho que estava sempre impecável, sempre vestindo roupas quentes para o verão carioca (e para o inverno, primavera e outono também). Era ele sempre o escolhido para receber as pautas e fazer as entrevistas. Era o escolhido da primeira vez. Depois, queriam distância dele.

Era muito visual para pouco conteúdo. Muitos sorrisos para muito pouco conhecimento e inspiração. A emboscada só era descoberta depois, quando a besteira já estava feita e era preciso recorrer aos menos vaidosos.

Ainda em 2002, um pretenso coleguinha vira e diz: “Acho que sempre que formos para um evento devemos usar terno e gravata”. Lembro que comecei a desenhar coisas sem nexo em uma folha de papel e a pensar no que fazer no fim de semana (era uma segunda-feira).

prada em quedaPulamos para 2007 e a cena praticamente se repete. Pessoa arrumadinha, sorridente, burra de doer, mas socialmente agradável. Muita pose, muita logorréia e nada de pensamento lógico.

Mulheres são lindas, não importa se usando uma roupa de marca ou um par de Havaianas. Tudo depende. Sempre! Deveria ser assim para todos, mas não é do ser humano médio procurar o que se quer por trás da casca. Tá elegante, tá sorridente, tá confiante, compra-se. Depois o sofrimento para admitir o erro.

Sol forte, avenida larga, carros em alta velocidade. Suor, roupa pré-barbeiro (daquelas que podem encher de cabelos sem deixar culpa). Reunião, meias-idades bem vividas e bem aparentadas em rostos marcados. Novamente o conteúdo fica escondido entre olhares, sobrancelhas e pernas cruzadas em uma sala agradavelmente refrescada.

Será que Prada vencerá sempre?

Definitivamente precisamos mudar nossos conceitos.

Dia 21 é dia de House

House sexta temporadaTudo bem que 22 de setembro é o dia mais importante do ano, mas a véspera também será de arrasar, pois nesta data querida começa a sexta temporada de House. Fã como sou do sarcástico doutor, tenho expectativas altas sobre a série em 2009/2010 e espero poder baixar e ver o primeiro episódio (com duas horas de duração) ainda no dia 21.

Para matar a minha curiosidade (e a de muitos fãs..meus, claro) coloco abaixo uma coleção de clipes e teasers do episódio de estréia.

Espero que gostem dos aperitivos e torço para que o Universal Channel não demore muito para trazer os episódios para o Brasil.

Para ler mais sobre a série clique na tag House , no fim do post.

Esses ingleses maravilhosos e suas pesquisas voadoras IX

O enigma dos ovos

Após rever uma sensacional cena de Friends, onde Joe e Chandler, onde os dois discutem a saída dos ovos e a procura por novos – na verdade, Chandler e Joe discutem sobre a mudança do último – lembrei de um dos grandes enigmas do mundo: Ovos fazem bem ou mal?

Eles já foram vilões por conta do colesterol, de enzimas e várias outras razões. Também já foram exaltados por suas propriedades proteínicas (existe isso, gente?). A última novidade é que Dois ovos por dia podem ajudar a emagrecer.

Sei lá se isso é verdade, mas acho sempre engraçado quererem ir até marte se não sabem nem ao menos se ovos são bandidos ou mocinhos. Talvez por isso os bifes a cavalo continuem cavalgando nos menus nossos de cada dia.

O fim do folk de Peter, Paul and Mary

Os anos 60, digo mais uma vez, foram uma década abençoada com talentos na música. Bob Dylan, Joan Baez e outros grandes nomes surgiram na folk music. O trio Peter, Paul and Mary – formado por Peter Yarrow, Noel “Paul” Stookey, e Mary Travers – também marcou época no início da década.

Logo no primeiro Lp os sucessos 500 Miles, Lemon Tree, If I Had a Hammer (The Hammer Song) e Where Have All the Flowers Gone?, canções que são consideradas clássicos até hoje e que renderam uma série de prêmios aos componentes do grupo.

Infelizmente, na última quarta-feira (16/9) Mary morreu após uma longa luta contra uma leucemia. Como são poucos os vídeos com concertos do trio, coloco o da canção que volta e meia aparece na trilha sonora da minha vida: 500 miles.


R.I.P.

Mais loucuras sobre as Redes Sociais

facebook
Redes Sociais
são as jóias da coroa do momento. Todo mundo quer meter a colher e vir com teorias sobre o seu futuro e utilização, como é comum e óbvio com qualquer tecnologia nova. Mas tem gente que exagera.

Quando era criança havia o temor de que a televisão (e depois os videogames) emburrecessem as crianças fazendo com que o percentual de leitura caísse. Esse temor continua até hoje, acrescido do problema da Internet.

Nas últimas semanas vêm pipocando na Internet vários textos de médicos e psicólogos com avaliações sobre Twitter, Facebook e outros. Todos tentando classificar e mostrar os efeitos de cada uma das redes. O que mais tem sido divulgado são opiniões do tipo Facebook faz as pessoas mais inteligentes e Twitter emburrece.

Sinceramente não acho que existe uma característica própria tão destacada para cada uma dessas ferramentas. Acho até que o Twitter é mais benéfico (ou menos prejudicial) ao intelecto dos jovens do que a maneira desleixada que os programas de mensagens são usados, em relação ao assassinato cometido com a língua portuguesa.

Tenho minhas convicções, sem nenhuma certeza do que irá acontecer com essas ferramentas e sem saber quais outras aparecerão para se unir ou substituí-las. Mas, tenho certeza absoluta de que conheço muito poucos que deveriam se achar em condições de fazerem qualquer previsão sobre o assunto. Melhor aprenderem a fazer seus trabalhos direito antes de opinar.

Porcão Rio’s vai acabar. Menos um lugar para comemorar aniversários

porcao rio's 1O que era uma ameaça se transformou em realidade: O Porcão Rio’s vai acabar. O lugar vai virar um empreendimento do grupo Garcia & Rodrigues. Deve ganhar café-da-manhã, shows e mudança no cardápio de carnes :(. Pode ser que melhore, mas vai deixar saudades.

O lugar, para quem não conhece (corra que ainda dá tempo), é gigantesco, lindo, com uma vista exuberante e com ótimo atendimento e carnes, claro. Ótimo para comemorar um aniversário ou passar um dia tranquilo lendo jornais, bebericando, petiscando, comendo e falando besteiras com amigos.

porcao rio's 2São muitas as lembranças e espero ter chance de visitar o local mais uma vez para a ú~toma ceia no local.

O adeus ao Porcão Rio’s vem não só de nós, cariocas, mas de todos os turistas que aprenderam a amar a churrascaria. Tomara que as mudanças não acabem com o charme do local e nem o transformem em local non grato para os mortais não-milionários.

Duran Duran e Scorpions juntos contra o aquecimento global

Parece que o Duran Duran quer mesmo voltar aos holofotes, para a alegria daquele grupo de fãs do grupo que é burro o suficiente para confundir elogio com crítica, opinião com reprodução de opinião de outros. O grupo é bom, já os fãs…umas bestas quadradas.

O DD e o Scopions regravaram, junto com um outro aglomerado de artistas famosos, a canção Beds’r Burning, originalmente registrada pelo Midnight Oil.

Junto do pop inglês e do heavy-farofa alemão (pelo menos se lembrarmos da última turnê do grupo no Brasil), estão: Marion Cotillard, Youssou N’dour, Bob Geldorf, Khalil Fong e o reverendo Desmond Tutu.

Vamos esperar para ouvir o resultado.

PS: Pareve que a regravação ficou bem boa. Ponto para Simon & Cia, que como já tinha dito em outros textos, ainda tem lenha para queimar.

Receitas: Molho Barbecue caseiro

molho barbecueFaz um tempinho que não posto nenhuma receita. Mas, depois de várias experiências no Laceno (Laboratório Caseiro de Experiências Eno-gastrômicas) de Claudia Holanda e seu O Jantar Está Servido, resolvi colocar uma receitinha singela, mas que combinada com outras faz um grande sucesso.

Fácil e com grande poder de harmonização (de hambúrgueres até costelas de porco). Experimente.

Molho Barbecue

Esta receita rende duas porções e pode ser dobrada sem sustos.

Ingredientes

1 colher de chá de azeite
1 cebola
1 dente de alho
300g de tomate (com ou sem pele)
2 colheres de sopa de catchup de boa qualidade
1 colher de sopa de açúcar mascavo
2 colheres de chá de molho inglês
1 colher de chá de páprica doce
sal
pimenta-do-reino (de preferência branca)

Modo de preparo

Passe no processador (ou liquidificador) a cebola com o tomate.Numa panela, esquente o azeite e depois junte o alho e o resto dos ingredientes, mexendo sempre. Tempere com sal e pimenta e coloque um pouco de água e tampe para engrossar, mexendo de tempos em tempos. Depois, passe tudo em um coador bem fino.

Agora é só escolher o prato preferido e jogar o molho por cima.

Velhinhos dominam parada de sucessos inglesa

Além de Dame Vera Lynn, de 92 anos liderar a parada com seu We’ll Meet Again – The Very Best of Vera Lynn, os Beatles dominam a lista dos mais vendidos. Após o relançamento de toda a coleção no último dia 9, o grupo conseguiu colocar Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band em número 5, Abbey Road na 6ª colocação, Revolver em nono e Rubber Soul como número 10.

Entre os 50 mais vendidos ainda há mais sete discos. Nada mal para velhinhos caretas.

A Billboard não mente.

Rio perde mais um show internacional – The Killers

Para quem já deixou de assistir Buddy Guy e Jerry Lee Lewis, ourtra má notícia: o grupo The Killers cancelou sua apresentação no Rio, oficialmente por conta de problemas na agenda.

Quem viu a última apresentação do grupo na cidade (2007), fica triste.

Twitter ajudando contra a industria das multas

Pardais, IPVA, Lei Seca. Essas são as principais engrenagens da verdadeira indústria de multas criadas pelos governos municipal e estadual do Rio de Janeiro. Agora parece que a mídia e as utoridadis descobriram que os cidadãos não gostam desses excessos regulatórios e sempre arrumam um jeito de burlar as decisões questionáveis.

Já faz tempo, mas desde a semana passada que o Twitter que avisa aos motoristas onde está acontecendo alguma blitz da Lei Seca (e outras) é um sucesso e uma poderosa arma. Até hoje são 6,965 seguidores, formando uma rede praticamente imbatível. O Twitter serve para livrar os bebuns de multas e serve para que os cidadãos sóbrios evitem engarrafamentos em horários inconvenientes.

Pior é saber que algumas blitze nem precisam ser informadas pela Internet. Há uma (na verdade duas) perto da minha casa (Encantado), nas proximidades do viaduto da Linha Amarela que são DIÁRIAS! Será que os responsáveis acham mesmo que fazendo blitze todos os dias no mesmo ponto eles vão pegar alguém de valos? Parece que apenas querem manter as gorjetas dadas por motoristas desavisados, pobres e que tenham algo irregular (sempre haverá) em seus veículos.

O @LeiSecaRJ já é uma realidade e rendeu algumas declarações patéticas. Uma delas clamava que os cidadãos conscientes não postassem mais onde as blitze estão acontecendo.

Parece que a cruzada anti-bebum ganha uma força que a anti-fumo ainda não tem.

Agora é monitorar as ruas da cidade e beber com moderação.

E a segurança no Rio vai mal (comandada)

Que o Rio é uma cidade violenta todos sabem. Que há problemas estruturais, logísticos e de comando também não é segredo. Mas as notícias que o bravo Marcelo Bastos colocou em seu blog (Temos Isso?) beiram o inacreditável. Por exemplo, saber que o comandante-geral da PM restringiu de vez acesso ao boletim interno da corporação e que os sites da polícia não funcionam aos fins de semana é coisa de louco.

Vale também o protesto pelo marketing exagerado que a Cedae faz sempre que multa algum estabelecimento conhecido na Zona Sul. Por que não fazem uma operação Gato Favelado?

Marcelo tem mesmo razão em reclamar.

Mais uma dos Beatles – For No One

Para não deixar morrer o assunto da semana, aqui vai a letra de uma das canções do início da fase adulta da dupla John  Lennon e Paul McCartney. For No One é uma das belas melodias criadas pela dupla (McCartney na maior parte) e uma das letras mais adultas e tristes de todo o catálogo dos Beatles.

Sem dúvida, os caras sabiam o que faziam.

For No One
Lennon/McCartney

Your day breaks, your mind aches,
You find that all her words of kindness linger on,
When she no longer needs you.

She wakes up, she makes up,
She takes her time and doesn’t feel she has to hurry,
She no longer needs you.

And in her eyes you see nothing,
No sign of love behind the tears cried for no one,
A love that should have lasted years.

You want her, you need her,
And yet you don’t believe her,
When she says her love is dead,
You think she needs you.

And in her eyes you see nothing,
No sign of love behind the tears cried for no one,
A love that should have lasted years.

You stay home, she goes out,
She says that long ago she knew someone but now,
He’s gone, she doesn’t need him.

Your day breaks, your mind aches,
There will be times when all the things she said will fill your head,
You won’t forget her.

And in her eyes you see nothing,
No sign of love behind the tears cried for no one,
A love that should have lasted years.

Rolling Stones leva nº3

A Universal lança o último pacote de quatro CDs remasterizados dos Rolling Stones. Um tanto ofuscados pelos Beatles e pela própria qualidade (irregular) dos lançamentos. Dirty Work (1986), Steel Wheels (1991), Voodoo Lounge (1994) e Bridges to Babylon (1997) são uma prova de que a banda se transformou em uma grande fazedora de shows (sempre em clima greatest hits live).

Foi nessa época que Keith e Mick passaram por uma época de turbulência no relacionamento entre os Glimmer Twins, o que pode explicar não só a má qualidade de muitas faixas como o fato de uma da canção de trabalho de Dirty Work ser uma regravação do clássico soul Harlem Shuffle.

Stones parte 3Steel Wheels foi da fase onde um rompimento entre Mick e Keith parecia iminente. Apesar da série de singles lançados e da grande turnê, há pouco para se lembrar desde disco.

Voodoo Lounge também seria outro disco menor da banda e sem grande importância se não fosse o primeiro lançado após a saída do baixista Bill Wyman. A saída de Wyman, que acabava com uma das cozinhas mais competentes do rock, parece ter feito com que a banda tivesse a obrigação de que continuaria em frente. Solução: mais uma grande turnê.

O último lançamento do pacote, Bridges to Babylon, trouxe Don Was na produção para tentar levar o grupo para o topo do Olimpo do rock (a esta altura já ocupado pelo U2). Não deu.

Pode ser que alguns destes álbuns tenham um significado especial para os fãs brasileiros (que lembram das passagens do grupo por essas bandas), mas, deixando de lado o excelente trabalho técnico feito nas remasterizações, há muito pouco para ser guardado, comparando com os discos lançados nos pacotes anteriores. Mas, como disse, vale para quem quer lembrar dos shows da banda no Brasil. O som está realmente sensacional.

Mais sobre o Twitter

Ultimamente tenho notado que os amigos estão ficando menos pacientes com pequenas questões tecnológicas. Os adeptos do Twitter reclamam de problemas de conexão e lentidão, os não adeptos reclamam da febre do microblog e sua linguagem simplória/simplista.

Lembrei de dois vídeos sensacionais que encontrei no YouTube há algum tempo: Jerry Seinfield sacaneando os usuários do Blackberry e este, onde o ótimo Kevin Spacey tuíta com David Letterman.

Se não fosse um excelente ator, somente o fato de passar o Carnaval no Rio com mulher e filhos em um total low profile já seria o suficiente para admirá-lo. Nada de escândalos, exigências ou frescuras. Eram apenas ele e seu inseparável boné.

Mas…divirta-se com a aula de Twitter (vídeo em inglês).