Arquivo da tag: Cinema

Yesterday, uma fantasia Beatle

Filme do diretor Danny Boyle leva o espectador para um mundo sem a música do Fab Four

Quem nunca imaginou ser rico e famoso? Quem nunca pensou em ser um artista de fama internacional? Agora, quem já imaginou fazer sucesso criando e cantando as músicas dos Beatles?

Filme ainda não tem data para estrear no Brasil

Bem, essa é a premissa de Yesterday — novo filme do diretor vencedor do Oscar, Danny Boyle (Quem Quer Ser um Milionário? e Steve Jobs) — que chega aos cinemas americanos em junho.

Na trama, Jack Malik (interpretado por Himesh Patel) é um músico fracassado que um dia sofre um acidente de bicicleta e acorda em uma dimensão onde só ele conhece as canções dos Beatles. O resultado é fama, fortuna e reputação de gênio.

Longa é cheio de participações

Os trailers são ótimos (especialmente o internacional) e deixa a impressão de que vai ser uma ótima diversão, até por conta do roteiro de Richard Curtis, responsável por Simplesmente Amor e Um Lugar Chamado Notting Hill.

Veja e divirta-se!

 

Anúncios

Erasmo Carlos bem longe da fama de mau

Cinebiografia do Tremendão retrata um gigante roqueiro gentil

Minha Fama de Mau, cinebiografia baseada no livro escrito por Erasmo Carlos e o jornalista Leonardo Lichote, e que chega aos cinemas nesta quinta-feira (14) bebe na fonte dos recentes Bohemian Rhapsody, que conta a história de Freddie Mercury, Nasce uma Estrela e do vindouro Rocket Man, que vai contar a história de Elton John.

Com estreia marcada para esta quinta-feira (14), o longa, dirigido por Lui Farias, filho de Roberto Farias, que dirigiu a trilogia histórica trilogia de filmes protagonizada por Roberto Carlos — Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa (1968), Roberto Carlos em Ritmo de Aventura (1970) e Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora (1971) — segue um caminho parecido com os filmes do pai.

Apesar de tentar contar uma história real, há humor, fantasia e algumas licenças poéticas e temporais que tornam o longa mais leve e menos preciso.

Filme entra em cartaz nesta quinta (14)

Bom elenco

Se a caracterização deixa a desejar na comparação, principalmente, com Bohemian Rhapsody, não há como negar que Chay Suede (Erasmo), Gabriel Leone (Roberto Carlos),
Malu Rodrigues (Wanderléa), Bruno de Lucca (Carlos Imperial) e Bianca Comparato (que interpreta vários personagens femininos – Nara, Samara, Clara, Lara e Sara) fazem um bom trabalho.

Vale destacar as interpretações de Isabela Garcia (como Diva, mãe de Erasmo) Paula Toller (Candinha) e Vinicius Alexandre (que rouba as cenas como Tião “Tim” Maia.

O trio que comandava o programa Jovem Guarda

O elenco é um dos trunfos do filme, que sofre com um roteiro frouxo e que vai apenas até meados da década de 70, deixando de fora muitas histórias e canções.

Não vemos menção aos sucessos escritos por Roberto e Erasmo para o Rei ou aos hits da carreira do Tremendão, como Mulher, Panorama Ecológico, Filho Único ou Pega na Mentira.

Muito bonzinho

Minha Fama de Mau pode até não ser considerada uma verdadeira biografia, já que fica focada na história do jovem Erasmo, desde os tempos de pobreza na Tijuca, quando fazia pequenos roubos com os amigos de bairro, entre eles nomes como os de Tião (Tim) Maia e Jorge Ben.

O Erasmo do cinema e o Erasmo da vida real

O Erasmo do filme é família, amigo, cheio de inseguranças e contradições. Uma visão que fez o próprio Erasmo perguntar ao diretor a razão de ter sido retratado tão bonzinho. A razão? Não sabemos.

Mesmo nas cenas nas quais o filme retrata o sucesso da Jovem Guarda — o movimento musical e o programa de TV liderado pelo trio Roberto, Erasmo e Wanderléa — o que se vê é um homem íntegro, apaixonado pelo rock and roll e consciente da qualidade da música que produzia.

Trilha original

Um dos trunfos do filme é que a trilha sonora é interpretada pelos próprios atores, deixando de lado as normalmente péssimas dublagens da maioria das produções do gênero.

As canções, que contam com a banda que acompanha Erasmo nos palcos, são afiadas e trazem frescor aos sucessos do início da carreira do Tremendão, do Rei e de Wanderléa.

"Erasmo", "Roberto" e a banda do Tremendão

Eu Sou Terrível, Gatinha Manhosa, Negro Gato, Parei na Contramão e a faixa-título ganham destaque e não decepcionam em relação aos registros originais. Infelizmente, a fase mais adulta do compositor é praticamente ignorada, apenas com algumas canções sendo usadas como trilha incidental, o que deixa de fora muita coisa da ótima safra recente do artista.

— Eu ouço de tudo o que aparece na internet, na TV ou no rádio. Algumas vezes eu ouço e falo: “Boa Música”, mas logo em seguida já estou ouvindo outra coisa. É muito grupo, muita música, muita informação, muitas cantoras. Isso acaba confundindo a cabeça da gente. Não dá para seguir e conhecer todo mundo. Já desisti disso faz muito tempo. Quando eu quero mesmo ouvir música, eu ouço meus discos antigos de rock básico, bossa nova, etc” — revelou Erasmo.

Licenças poéticas e fim abrupto

Apesar de ir apenas até meados dos anos 70, o filme se utiliza do recurso de transferir certos eventos para datas bem diferentes das verdadeiras, para acomodar esses acontecimentos nas pouco mais de 2 horas de duração. É o caso da cena onde Roberto mostra a canção Amigo para Erasmo, que no filme se passa muitos anos antes do que realmente aconteceu.

Vale destacar que as razões que formataram tal amizade não são muito exploradas, um dos principais defeitos do roteiro.

O filme termina com cenas gravadas pelo Tremendão e família na intimidade. Suas paixões — incluindo o Vasco da Gama — aparecem nos registros que ilustram os créditos.

Relembrando o século passado

A reconstituição de ruas e prédios do Rio e São Paulo do século passado são muito boas, assim como as cenas de arquivo que mostram as duas cidades.

Até para quem não viveu essa época as imagens devem acender a curiosidade pela história de um tempo onde tudo parecia (e era) mais lento e mais pessoal.

Chay Sued na pele do Gigante Gentil

A produção teve a preocupação de reconstruir com detalhes um Brasil (Rio e São Paulo) da década de 60, onde as pessoas e a música eram mais ingênuos e até o trânsito era menos feroz. Esse detalhe pode não fazer diferença na história, mas é muito bem vindo no conjunto final da obra.

Diversão garantida

Minha Fama de Mau é diversão garantida. Não deve ganhar o Oscar ou concorrer a prêmios importantes, mas serve como documento de um dos mais importantes movimentos musicais da história do país e parte da trajetória de um dos maiores compositores da nossa época.

As imagens de Erasmo e Roberto na pré-estreia são para guardar para a posteridade.

Amigos de fé, irmãos camaradas
Roberto e Erasmo: pipoca e cinema


Cotação: *** ½

Ouça a trilha do filme

Fotos: Divulgação e Rogério Resende

Uma versão deste texto foi publicada na Revista Ambrosia.

‘Aladdin’ tem novo teaser que traz Will Smith azul!

Live action do clássico da Disney estreia nos cinemas em 24 de maio

Finalmente saiu um teaser de Aladdin que mostra Will Smith azul como o Gênio da Lâmpada.

O filme chega aos cinemas em 24 de maio de 2019.  A direção é de Guy Ritchie.

Marwan Kenzari será o vilão Jafar, Naomi Scott é Jasmine, Menda Massound é Aladdin e Will Smith, o Gênio da Lâmpada.

Confira ótimos livros sobre cinema

O elenco conta, ainda, com Navid Negahban (Sultan), Nasim Pedrad (Dalia), Billy Magnussen (Anders) e Numan Acar (Hakim).

 

Confira os principais lançamentos de 2019 no cinema

Elaboramos um calendário com os lançamentos de 2019 (com trailer) para você não perder as grandes estreias nas telonas!

O ano de 2019 será emocionante para os amantes da terceira arte. Passando da nostalgia ao hype, até o fim deste ano haverá uma inifinidade de possibilidades nos cinemas.

Ao longo do ano, serão mais de 80 títulos. Incluindo alguns muito esperados, como Capitã Marvel cuja pré-venda de ingressos já está aberta. Alguns velhos conhecidos, como DumboAlladin e Rei Leão. E, claro, o tão esperado live action nacional Turma da Mônica: Laços.

Não quer perder nada? Confira a programação prevista para 2019 e já escolha seus filmes favoritos.

Confira o calendário e não perca as maiores estreias de 2019 no cinema

14/02

“Querido menino”
“A mula”

“Duas rainhas”
“Minha fama de mau”
“Light of my life”
“Alita: Anjo de Combate”

21/02

“Rhythm section”
“Chorar de rir”
“O pulo do gato”
“Carcereiros – O filme”
“Cinderela pop”
“A caminho de casa”

28/02

“Calmaria”

07/03

“Capitã Marvel”
“Albatroz”

14/03

“Suprema”
“Um amor inesperado”
“O professor e o louco”
“O parque dos sonhos”

21/03

“Nós”
“Hotel Mumbai”
“O juízo”

28/03

“Dumbo”
“Greyhound”

04/04

“Shazam!”

“Cemitério maldito”

11/04

“Hellboy”
“De pernas pro ar 3”

18/04

“Marighella”
“Backtrace”

25/04

“Vingadores – Ultimato”
“Where’d you go, Bernadette?”
“O retorno de Ben”
“Brightburn”

02/05

“Under the silver lake”

09/05

“Detetive Pikachu”
“Boss level”

16/05

“Cine Holliúdy 2 – A chibata sideral”
“Kardec”

“John Wick – Capítulo terceiro”
“UglyDolls”

23/05

“Ad astra”
“Aladdin”

30/05

“Rocketman”
“Godzilla – O rei dos monstros”
“Mid 90’s”

06/06

“O amor dá trabalho”

“X-Men – A Fênix Negra”

13/06

“Men in black 4”

20/06

“Toy Story 4”

27/06

“Turma da Mônica – Laços”
“Pets – A vida secreta dos bichos 2”
“Angel has fallen”
“Flarsky”

04/07

“Homem-Aranha: Longe de casa”

11/07

“Os parças 2”

18/07

“O Rei Leão”

01/08

“Os novos mutantes”
“Hobbs & Shaw”

08/08

“Artemis Fowl”

15/08

“Playmobil”
“Once upon a time in Hollywood”
“Hebe”

22/08

“Dora – A aventureira”

05/09

“It – A coisa 2”

12/09

“Downton Abbey”
“Um espião animal”

19/09

“Simonal”

03/10

“Angry Birds 2”
“Coringa”
“The woman in the window”
“Tudo ou nada”

10/10

“Eduardo e Mônica”

17/10

“You are my friend”
“The goldfinch”

31/10

“Charlie’s angels”

07/11

“Gal Costa”

14/11

“Sonic the hedgehog”
“Zombieland 2”
“Kingsman 3”

12/12

“Detetives do Prédio Azul 3”

19/12

“Star Wars: Episode IX”

26/12

“Minha mãe é uma peça 3”
“Cats”
“Frozen 2”

Então… Quais filmes você está mais ansioso para assistir?

Região Sudeste tem o ingresso de cinema mais caro do país

Pesquisa mostra que nem sempre cinema é uma opção popular no Brasil

Faz tempo que ir ao cinema permitia que uma pessoa passasse o dia vendo e revendo um filme. Não havia obrigatoriedade de sair da sala após o fim da sessão.

Hoje, com o fim dos cinemas de rua e os preços cobrados pela pipoca e refrigerante, os lucros das redes de cinema subiu até a estratosfera. E os valores cobrados pelos ingressos ajudam esses resultados, principalmente no Sudeste.

Poderíamos pensar que a onda de streaming e a popularização das TVs de tela grande poderia prejudicar as bilheterias, mas isso não aconteceu, mesmo com os caríssimos valores das salas brasileiras.

Pesquisa realizada pelo Business Insider, site norte-americano especializado em notícias econômicas, algumas cidades brasileiras estão muito bem (mal) posicionadas no ranking das mais caras do mundo — São Paulo, em 34°, e Rio de Janeiro em 36°.

Se levarmos em conta que os ingressos mais caros ficam em países anos luz mais desenvolvidos e ricos que o nosso, fica a certeza de que ir ao cinema nem sempre é um programa viável.

Armadilhas

Para aliviar um pouco o bolso, fuja de algumas armadilhas, como comprar lanches e pipoca nas lanchonetes das salas. É muito mais barato levar suas guloseimas de algum outro lugar. Isso não diminui o preço do ingresso, mas deixa o gasto geram bem menor.

Veja os números na arte abaixo.

Leia a pesquisa completa seguindo o link.

Uma versão deste texto também foi publicado na Revista Ambrosia