Publicado por: Fernando de Oliveira | 18/01/2018

Sofrimento vascaíno 2018

Começa hoje!

Publicado por: Fernando de Oliveira | 16/01/2018

Enquanto “Tio Phill” não vem… I Cannot Believe It’s True

Publicado por: Fernando de Oliveira | 15/01/2018

Viagem: Onde estão os acordos de céus abertos?

 

Se há uma coisa que atrapalha o brasileiro na hora de viajar é o preço das passagens. A falta de concorrência e, por conseguinte, de empresas Low Budget nos deixam em uma posição incômoda na hora de tentar adequar o orçamento aos desejos turísticos. Por isso fiquei intrigado ao ler que empresas aéreas – incluindo algumas brasileiras – são favoráveis a desregulamentação do setor e da assinatura de acordos de céus abertos – que permitem que o fim do limite de voos de um país para o outro, desde que as empresas tenham aeronaves em condições de fazer o trajeto e que haja espaço no aeroporto de destino para a chegada do avião.

Para se ter uma ideia, o Brasil não tem um acordo desse tipo com seus maiores parceiros turísticos, Argentina e Estados Unidos, mas tem com o Quênia e o Chile! Ou seja: ou mudamos algo ou continuaremos pagando caro na hora de viajar. Ok, mesmo com os preços atuais continua sendo mais barato ir para a Europa ou EUA do que para Fernando de Noronha, mas, convenhamos, ainda é muito pouco.

Publicado por: Fernando de Oliveira | 14/01/2018

Lembrando o Brooklyn, Paul McCartney e o aniversário de Jimmy Fallon

 

 

Ainda estou escrevendo a odisseia que foi a viagem de setembro do ano passado aos Estados Unidos. Porém, hoje, algo me fez lembrar do show do Paul McCartney, no Barclays Center, no bairro do Brooklyn, em Nova York, no dia 19 de setembro de 2017, quando Paul, em uma surpresa armada com a esposa do apresentador do The Tonight Show, Jimmy Fallon, fingiu encontrar o aniversariante no meio da plateia e dedicou a canção Birthday a ele.

Nós (eu e minha noiva, Jo) estávamos lá – no nosso terceiro show do ex-Beatle – em um ângulo que permitia ver bem Jimmy, que recebia abraços e pedidos de fotos o tempo todo. Não sabíamos que era aniversário dele e pudemos ver que ele estava lá para comemorar e se divertir com a música de McCartney e que a sua surpresa foi mesmo genuína. Abaixo seguem a nossa (da Jo) filmagem da canção Birthday, além da do Barclays Center (local do show) e o comentário que Jimmy fez no Tonight Show do dia seguinte.

Aguardem, vai ter mais em breve.

 

 

 

 

Os ingleses nem estão entre os povos que mais gostam de bichos de estimação, mas é óbvio que eles não poderiam deixar de fazer uma pesquisa sobre os hábitos dos donos de pets. Eles chegaram a conclusão de que os idosos que têm animais de estimação – no caso, cães – caminham 23 minutos a mais os que os que não têm.

Para comprovar a tese, pesquisadores ingleses colocaram monitores de atividade física em 86 pessoas com mais de 65 anos e coletaram dados da rotina delas por três semanas. Resultado: idosos que tinham cães de estimação deram, a cada dia, uma média de 2.762 passos a mais do que aqueles que não conviviam com animais, e gastaram 23 minutos adicionais em caminhadas. 

Os números representam um acréscimo de 20% a 30% no nível de atividade física diária dessas pessoas. Nada mau para quem tem mais de 65 anos.

Bem, acho que vou ser mesmo um velho sedentário. Afinal, gatos não gostam mesmo de caminhar com seus donos.

Publicado por: Fernando de Oliveira | 13/01/2018

Receita – Batatas Crocantes

Receitas – Batatas Crocantes

Ainda não vou entrar na área das receitas mais complexas. Ao invés disso, vou compartilhar a minha versão de batatas crocantes, acompanhamento que se tornou praticamente uma obrigação semanal na minha cozinha. É simples de fazer, mas precisa dos ingredientes certos e um pouco de paciência.

Ainda não me rendi aos vídeos de receitas (tem muita gente fazendo isso por aí e, com certeza, de maneira mais bem produzida do que eu faria). Então, vamos manter o bom e velho esquema de receita e foto.


Ingredientes

½ Kg de batatas (de preferência batatas calabresas)

Alho em pó (a gosto)

Pimenta calabresa (a gosto)

Queijo parmesão ralado (a gosto)

Tempero Edu Guedes* ou mistura de temperos (Cebola, Cenoura, Alho, Caldo de Galinha, Pimentão, Açafrão, Cebolinha, Salsa e Glutamato Monossódico)

Sal

Azeite

*Pode ser encontrado nas Casas Pedro (em vários endereços no Rio de Janeiro)

Modo de fazer

Em uma tigela, coloque o alho em pó, a mistura de temperos, a pimenta calabresa e o queijo ralado. Misture bem e reserve. Corte as batatas calabresas ao meio (não precisa descascar) ou, caso use batatas comuns, corte em fatias de aproximadamente 1,5 centímetro de espessura. Coloque o azeite em um recipiente largo e umedeça as batatas, uma de cada vez e, logo em seguida, passe uma das extremidades na mistura de temperos e vá arrumando em uma travessa. Depois que todas estiverem na travessa (com o lado onde está o tempero virado para baixo) salpique um pouco de sal e regue com um pouco mais de azeite. Leve ao forno médio/baixo (aproximadamente 215℃) por uns 30 minutos ou até que a crosta das batatas já esteja crocante.

Pronto.

Publicado por: Fernando de Oliveira | 08/01/2018

Tecnologia ajuda na hora de abastecer o carro

Todos os motoristas do Brasil, em especial os do Rio, onde a gasolina é uma das mais caras do país, sofrem na hora de abastecer seus automóveis. Para tentar escapar dos preços abusivos, muita gente vem recorrendo aos aplicativos, na esperança de conseguir gerar alguma economia. Há os que comparam os preços nos postos, outros que dizem se é mais econômico abastecer com álcool ou gasolina e, claro, os que incentivam o transporte solidário.

Aqui estão alguns que podem ajudar a economizar alguns reais.

Gasosa (Android)

Este é para quem, como eu, tem carros Flex. Ele permite inserir os valores da gasolina e do etanol, o consumo médio do seu carro, e calcular qual combustível é mais vantajoso na hora de abastecer. Ainda é possível salvar as informações no aplicativo e acompanhar a evolução dos preços.

Preço dos Combustíveis (Android)

Esse usa a sua localização para mostrar uma comparação do preço da gasolina, álcool ou diesel nos postos de combustíveis mais próximos. O aplicativo é atualizado com informações dos usuários e dados fornecidos pela ANP.

BlaBlaCar (Android e iOS)

Este eu nunca usei, mas a ideia BlaBlaCar é incentivar a carona solidária como forma de rachar os custos de viagens entre cidades. De acordo com este aplicativo, o condutor que compartilha o seu trajeto com dois passageiros consegue reduzir os seus gastos em até 75%.

Publicado por: Fernando de Oliveira | 07/01/2018

Agenda de shows internacionais no Rio de Janeiro em 2018

Atualizado em 13/1Steve Hackett, Carl Palmer, Premiata Forneria Marconi, Michael Bolton, Air Suply, Orquestra Buena Vista Social Club

Seguindo a tradição do blog, segue uma lista com os shows já confirmados na cidade. Entre os destaques estão: Phil Collins, Pearl Jam e Foo Fighters. Caso tenha algum acréscimo, deixe um comentário ou envie um e-mail para blogdoferoli@gmail.com


Janeiro

24 Mayer Hawthorne (Blue Note)

25 Phoenix (Circo Voador)

Fevereiro

1 Ibeyi (Circo Voador)

22 Phil Collins (Maracanã)

22 Pretenders (Maracanã) *Abrindo para Phil Collins

25 Foo Fighters (Maracanã)

25 Queens of the Stone (Maracanã) *Abrindo para Foo Fighters

Março

13 Michael Bolton (Vivo Rio)

16 Air Suply (Vivo Rio)

18 Kate Perry (Parque Olímpico)

20 Zarah Larsson e Oh Wonder (Circo Voador)

21 Pearl Jam (Maracanã)

22 The National e Spoon (Circo Voador)

22 Imagine Dragons (KM de Vantagens Hall)

23 Steve Hackett (Vivo Rio)

 

Abril

20 Radiohead (Parque Olímpico) – Parte do Soundhearts Festival

20 Flying Lotus (Parque Olímpico) – Parte do Soundhearts Festival

20 Junun e Aldo The Band (Parque Olímpico) – Parte do Soundhearts Festival

20 Ozzy Osbourne (Apoteose)

21 Premiata Forneria Marconi (Vivo Rio)

29 Glenn Hughes (Circo Voador)

Maio

10 Orquestra Buena Vista Social Club (Vivo Rio)

25 Carl Palmer (Vivo Rio)

27 Harry Styles (Jeunesse Arena)

Junho

The Manhattans (Vivo Rio)

 Outubro

24 Roger Waters (Maracanã)

Publicado por: Fernando de Oliveira | 06/01/2018

A pisada de bola do Extra no caso Alex Muralha

Este é outro assunto velho, mas, agora, que o ano acabou e o Brasileirão também, posso escrever sem que o ódio que reina no Brasil apareça por aqui (espero). O caso é a capa do jornal Extra, publicada no dia 1 de setembro de 2017, onde havia um comunicado onde o jornal avisava que não chamaria mais o goleiro Muralha pelo apelido.

Todo mundo tem o direito de errar e os (então) responsáveis pelo jornal erraram feio ao atiçar ainda mais os ânimos nada amistosos da torcida contra o atleta. Mas, o pior mesmo, foi ver que os responsáveis não admitiram o erro e disseram que o que fizeram foi uma piada e que piadas não devem ser explicadas. Bem, se uma piada precisa ser explicada é porque, no mínimo, ela não foi boa. A jogada pode até ter tido alguma lógica se a ideia era vender jornais ou gerar polêmica, mas eu ainda acredito que os jornais precisam informar, mesmo que com uma certa dose de humor, o que está longe de ser o caso.

Já que se fala muito nas mudanças que o jornalismo precisa fazer para sobreviver, tinha que escrever algo sobre esse episódio lamentável. Para deixar o meu pensamento ainda mais claro, reproduzo o editorial do Comunique-se sobre esse caso (publicado em 4 de setembro de 2017).

 

Todo mundo ganhou (menos o bom jornalismo)

No mundo do jornalismo e do futebol brasileiro, o último fim de semana foi marcado pela ação do diário Extra, do Grupo Globo, em noticiar que deixará de se referir ao goleiro do Flamengo pelo apelido de Muralha. A decisão tomada pelo popular veículo de comunicação foi alvo de críticas de internautas e jornalistas (até de profissionais de dentro da Globo). Muitos avaliaram que, na edição veiculada na sexta-feira, 1º de setembro, o impresso cometeu uma “bola fora” ao colocar a “informação” sobre Alex Muralha na primeira página e com teor semelhante a de pautas relacionadas a criminosos que tomam conta do Rio de Janeiro, estado que o mesmo título definiu estar em guerra, com direito a criação de editoria especial.

Para qualquer pessoa com um pouco de bom senso, seja ela profissional da comunicação ou não, fica nítido que o jornal errou no tom  ao se referir ao arqueiro flamenguista. Convenhamos, ao transformar as falhas do atleta em sua manchete principal e garantir que, por ora, o apelido “Muralha” não aparecerá em suas páginas, o diário carioca dá margem para se tornar alvo de críticas vazias semelhantes. Com o episódio, do qual por duas vezes os responsáveis pela publicação fizeram questão de colocar como uma simples “brincadeira” e pedir (de forma bem tímida) desculpas, o goleiro Alex Muralha, a diretoria do Flamengo, torcedores e quaisquer outras pessoas têm todo o direito de virem a público e dizer que não consideram como jornalismo o produto entregue pelo Extra.

Caímos no assunto jornalismo. Afinal, conforme o título deste editorial do Portal Comunique-se, o bom jornalismo foi o único elemento envolvido na história que perdeu. Pode parecer irônico, mas até o Extra, protagonista da “brincadeira” desnecessária, chega a esta semana com saldo positivo. Certamente, a edição que colocou o jogador de futebol como se fosse um foragido da polícia vendeu mais exemplares do que edições anteriores. No Facebook, graças ao conjunto de algoritmos que parece cada vez mais valorizar polêmicas em vez de conteúdos relevantes, a marca não tem do que reclamar.

A foto com a imagem da primeira página de sexta tem até o fim da tarde desta segunda-feira, 4 mil reações, 943 compartilhamentos e 1,5 comentários (a maioria criticando a postura adotada, mas o Facebook não se importa com isso). Sem polêmica ou piada idiota, a postagem com os destaques do dia anterior tem números bem menores: 133 reações, 32 compartilhamentos e 10 comentários.

Alex Muralha (seguiremos respeitando o nome “artístico” adotado pelo profissional) sai dessa história contando com o apoio de torcedores do Flamengo, que chegaram a pedir que ele fosse barrado para a final da Copa do Brasil. Possivelmente, o fato de ter sido acolhido pelo grupo de jogadores do Mengo fará com que o atleta tenha mais segurança no confronto que vale título. Uma coisa, porém, é fato, até a equipe do Portal Comunique-se, que não acompanha tão de perto as disputas futebolísticas, sabe que o goleiro estava em má fase técnica. Algo que deixou de ser notícia por causa da ação do Extra.

Cronistas esportivos pararam de falar do desempenho do arqueiro para demonstrar apoio ao ser humano. Aliás, a imprensa desportiva – principalmente a online – também ganhou, pois conquistou cliques com o desdobramento: reprodução da nota oficial de Muralha e o posicionamento por parte da diretoria do Flamengo. Os dirigentes do clube são outros vitoriosos do contexto; afinal, venderam para a mídia os valores éticos que regem a atual administração.

Entre vendagem em banca acima do normal, crescimento do alcance e engajamento no Facebook, um goleiro que vê sua má fase desaparecer do noticiário esportivo, sites atrás de mais cliques e cartolas que adoram um espaço na mídia, é simples constatar que o anúncio do Extra só fez um elemento ser derrotado (e de goleada): o bom jornalismo. Até porque, segundo a própria publicação, piadas sem graça merecem mais espaço numa primeira página.

Publicado por: Fernando de Oliveira | 04/01/2018

Mais conforto na classe econômica da Alitalia

Todo mundo que faz viagens longas nas classes econômicas sabe que as poltronas dos aviões costumam ser desconfortáveis e que nem sempre a empresa aérea acha interessante oferecer aos passageiros itens como kit de higiene, meias, máscaras ou travesseiros minimamente usáveis. De vez em quando uma companhia decide ser misericordiosa com os mais pobres e fazer uma graça. É o caso da Alitalia, que, desde meados do ano passado, passou a oferecer travesseiros ergonômicos para o povo do fundão.

Travesseiro ergonômico Alitalia

O travesseiro parece bom e, segundo a Alitalia, permite que o passageiro o utilize como um travesseiro macio e retangular padrão, aberto em dois, como um travesseiro de pescoço ou como um travesseiro de enfermagem, ajudando as mães que amamentam.

Espero poder experimentar em breve.

PS: Como é bom poder escrever sobre qualquer assunto, empresa ou produto, sem ter que se preocup01ar com nada.

Publicado por: Fernando de Oliveira | 03/01/2018

Spoleto ganha prêmio de melhor culinária italiana

Spoleto ganha prêmio de culinária italianaGente, pensei em (re)começar a série sobre comida/receitas com alguma receita bacana ou uma bela dica de restaurante. Mas, a notícia é tão bizarra que mesmo sendo de agosto de 2017 acho que vale o registro: O SPOLETO GANHOU PRÊMIO DE MELHOR CULINÁRIA ITALIANA DO PAÍS!

Ok, a premiação – 19º Prêmio Lojista Alshop – só leva em conta lojas de shopping, mas…..melhor culinária italiana do país? Ou o prêmio e muito direcionado ou a qualidade do júri (da internet) é mais que questionável. O Spoleto não é horrível, mas está longe de ser o melhor em algo.

Dêem suas opiniões.

Sobre a premiação: A premiação reconhece anualmente os principais players do varejo de shopping brasileiro e já é tradição no calendário varejista nacional. São 45 categorias participantes, que representam os principais segmentos atuantes no varejo de shopping. Os vencedores são definidos pelo voto do consumidor, realizado online, através do hotsite do evento.

Publicado por: Fernando de Oliveira | 02/01/2018

Um ano de Crivella e a encruzilhada do Rio de Janeiro

Crivella só cumpre nove das 54 promessas de campanhaO estado e a cidade do Rio passam por uma grave crise e o aniversário da administração do bispo Marcelo Crivella mostra que o município chega a uma encruzilhada que pode ser ainda pior para a população, que pode se iludir com o péssimo governo que vem sendo feito pelo atual mandatário.

Levantamento do jornal O Globo mostra que o bispo só cumpriu nove das 54 promessas que fez (e assinou) durante a campanha. Não importando quais as razões (oficiais ou não) para esse péssimo desempenho, há duas prováveis consequências que devem ser sentidas nas próximas eleições. Uma boa – a não eleição de ninguém ligado a igrejas – e outra ruim – a eleição de algum idealista de esquerda, que não tenha condições de fazer um governo minimamente decente.

Os ideais podem ser diferentes, mas a ilusão de que quem ficou de fora é melhor do que a pessoa que está no governo é uma, como disse, ilusão. Os erros poderiam até ser diferentes, mas o péssimo resultado seria, muito provavelmente, igual. Essa conclusão passa longe do embate esquerda x direita. Baseia-se apenas nos programas e promessas feitas pelos candidatos que chegaram ao segundo turno nas últimas eleições municipais.

O país, o estado e a cidade estão divididos. Os índices de rejeição serão sempre grandes e os que são da situação, assim como os que são da oposição, sempre terão argumentos para defender ou atacar quem está na cadeira de governante.

Não sei quem serão os candidatos ao cargo de governador, mas espero que sejam (muito) melhores que os dois que chegaram ao segundo turno da disputa municipal e que me obrigaram (pela primeira vez na vida) a deixar em voto em branco.

Não sei quem serão os candidatos ao cargo de governador, mas espero que sejam (muito) melhores que os dois que chegaram ao segundo turno da disputa municipal e que me obrigaram (pela primeira vez na vida) a deixar em voto em branco.

Mudanças são coisas que até podem acontecem rapidamente, mas as mudanças pessoais, essas são longas e gradativas. E a frase de Irene Peter faz todo o sentido quando pensamos na vida ou no trabalho ou na política, por exemplo.

Não é porque há um novo governante, um novo chefe/função ou uma nova cidade que as coisas necessariamente tenham que ser diferentes. Muitas vezes as aparentes mudanças são apenas isso: aparentes.

As cores, os móveis e as pessoas podem não ser as mesmas, mas se você não mudou por dentro, a sua visão e suas rotinas vão acabar deixando tudo como era antes.

Portanto, olhe a vida com uma visão menos estreita. Saiba distinguir as verdadeiras mudanças.

Publicado por: Fernando de Oliveira | 02/01/2018

Estamos de volta

Caros,

Depois de um longo período “sabático” o blog F(r)ases da Vida está de volta! Agora com um visual diferente e também com a possibilidade de ser acessado pela url blogdoferoli.com. Teremos mais vídeos, mais música, mais receitas, mais opinião e, claro, coisas bem menos sérias.

As postagens serão (quase) diárias e vão cobrir temas atuais e outros nem tão novos. Espero que gostem dessa nova fase e que ainda tenham o hábito de ler blogs!!

Abraços e Feliz 2018,

Fernando de Oliveira (feroli)

Publicado por: Fernando de Oliveira | 01/01/2018

Feliz 2018

Que venham muitas novidades!


Publicado por: Fernando de Oliveira | 09/03/2016

R.I.P. George Martin

George Martin IIIMorreu, na madrugada desta quinta-feira (9/3), aos 90 anos, o maestro, produtor e arranjador dos Beatles, Sir George Martin. Martin, considerado por muitos o Quinto Beatle, foi o responsável por assinar o primeiro contrato de gravação da banda, além de produzir e arranjar praticamente todas as canções do grupo.

Tive o prazer de conhecê-lo e estar com ele em duas oportunidades – uma entrevista e durante o ensaio para o concerto do Projeto Aquarius que ele regeu, em 1993. Ele era um gentleman até mesmo quando reclamava, com razão, de algo (como a falta de vontade da OSB durante o ensaio). Não há como expressar o pesar pela sua morte. Como amante da musica, fico triste em pensar que um dos maiores responsáveis pela melhor música produzida no Século XX (e talvez em todos os séculos) não está mais entre nós. O mundo, e não só a música, fica muito mais pobre.

De 1962 até 1969, Martin foi o responsável por traduzir as ideias do Quarteto de Liverpool em sons. São dele as orquestrações de clássicos como Yesterday, A Day in the Life, Strawberry Fields Forever e I Am the Walrus, além de participar, como músico, de várias gravações da banda. A única orquestração que não foi escrita por ele (She´s Leaving Home, do disco Sgt. Pepper’s), sempre foi citada por ele com uma pontinha de mágoa. Pelo jeito, até mesmo os gentleman podem ser possessivos.

George Martin and The BeatlesDiscos como Revolver (1966) e Sgt. Pepper Lonely Hearts Club Band (1967) não teriam existido sem o talento de Martin. Na verdade, nada que ouvimos hoje existiria. Se Love Me Do e as canções da primeira fase dos Beatles podem soar ingênuas, a maestria com a qual navegou durante a fase psicodélica e cheia de drogas da banda é prova de que ele tinha um talento gigantesco. O próprio John Lennon dizia que sem George Martin, muitos dos sons que imaginou jamais teriam sido traduzidos corretamente.

Além da parceria com John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr, o produtor trabalhou com nomes como Peter Sellers, America, Jeff Beck, Cheap Trick, Ella Fitzgerald, Stan Getz, Kenny Rogers, Neil Sedaka, Jimmy Webb, Dire Straits, Earth, Wind and Fire, Peter Gabriel, Elton John e Sting, entre muitos outros, sendo condecorado pela rainha Elizabeth com o título de Sir em 1996, um ano antes que Paul McCartney recebesse a mesma honraria.

Desde a década de 1990 o produtor diminuiu o seu ritmo de trabalho, principalmente por conta de uma perda na audição, passando muito das suas tarefas ao filho, Giles, que, entre outras coisas, trabalhou em vários projetos dos Beatles, inclusive a remasterização do catálogo da banda.

George Martin nasceu no dia 3 de janeiro de 1926, em Highbury, Londres. A causa da morte ainda não foi divulgada.

George Martin no Brasil

Pouca gente pode lembrar, mas em 1993 George Martin esteve no Rio de Janeiro para participar de uma edição especial do Projeto Aquarius, em comemoração aos 30 anos do primeiro single dos Beatles (Love me Do). O concerto, que aconteceu debaixo de muita chuva na Quinta da Boa Vista, acabou por deixar uma marca permanente em Martin. Uma das atrações do show, o coral das Meninas Cantoras de Petrópolis, impressionou tanto o maestro que ele fez com o coral uma versão da música Ticket To Ride, lançada em seu CD In My Life, que também contou com participações de artistas como Celine Dion, Phil Collins e Sean Connery. Em 1997, ele voltou ao Brasil para gravar cenas para um documentário sobre música.

Martin também aproveitou a passagem pelo Rio para conhecer um de seus ídolos, o também maestro Tom Jobim.

Repercussão

Produced by George MartinVárias personalidades do mundo musical escreveram depoimentos sobre a morte o produtor.  Em seu site oficial, Paul McCarney escreveu: “Estou muito triste em ouvir a notícia da morte do querido George Martin. Tenho tantas lembranças maravilhosas desse grande homem e elas vão ficar comigo para sempre. Ele era um verdadeiro cavalheiro e era como um segundo pai para mim.  Ele guiou a carreira dos Beatles com tanta habilidade e bom humor que se tornou um grande amigo meu e da minha família. Se alguém mereceu o título de quinto Beatles, esse foi George. Do dia no qual ele deu aos Beatles o nosso primeiro contrato de gravação, até a última vez que o vi, ele foi a pessoa mais generosa, inteligente e musical que eu tive o prazer de conhecer….O mundo perdeu um verdadeiro cavalheiro que deixou uma marca permanente na minha alma e na história da música britânica“.

Ringo Starr, o outro sobrevivente da banda também comentou a morte do amigo através do seu Twitter: ” George fará falta. Obrigado por todo seu amor e gentileza, George. Paz e amor.

Biografia em vídeo

Quem tiver a curiosidade em conhecer um pouco mais sobre a carreira e o talento de Martin pode procurar o DVD Produced by George Matin. É uma história sobre uma importante parte da música pop do Século XX.

Infelizmente, com o atual estágio de degradação do sistema público educacional brasileiro, o jeito é investir na educação online. É uma saída mais rápida, barata e confiável do que a oferecida por estados e municípios.

Educação a distânciaMais de 12 milhões de pessoas no Brasil acessam ferramentas de educação pela internet. São exercícios, simulados, videoaulas, dicas e jogos, muitas vezes gratuitos, que podem contribuir com o aprendizado. Os dados são do aprenda.online, plataforma criada pela Fundação Lemann, que reúne sites voltados para educação.

Estão na lista tanto sites voltados para a alfabetização, como aqueles voltados para preparar estudantes para o vestibular, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e especializações. “O ponto principal dessas ferramentas online é que muitas delas são totalmente gratuitas e qualquer estudante pode acessar a qualquer momento, passar por todo o conteúdo sem gastar nada e com muita facilidade. Basta acessar o computador, a internet e começar a estudar”, diz o gerente de projetos da Fundação Lemann, Guilherme Antunes.

O portal reúne links para sites como a Khan Academy, o maior site de matemática do mundo; YouTube Edu, que reúne as menores videoaulas selecionadas pelo YouTube; e o Coursera, plataforma aberta que oferece gratuitamente cursos das mais renomadas universidades do mundo. “A tecnologia ajuda a diminuir um pouco a lacuna grande entre acesso e oportunidades que alunos lá fora têm, principalmente nos Estados Unidos e Europa”, defende Antunes.

As aulas podem ser acessadas pelos estudantes, individualmente, ou podem ser usadas em sala de aula, com a assistência do professor. “Ao invés do aluno ter uma aula tradicional, com lousa e giz, a aula é com os alunos no computador. Muitos professores gostam desse papel de ajudar o aluno a estudar sozinho por meio da plataforma, dessa junção do tradicional da sala de aula com a tecnologia”, diz o gerente de projetos.

A escola municipal Professora Maria Aparecida de Faria, em Moji das Cruzes (SP), é uma das que usa a Khan Academy no ensino da matemática. Os alunos do 4º ano acessam o portal no laboratório de informática. “É um recurso a mais que o professor tem nas aulas. Ele acompanha, nos relatório que o site fornece, os avanços dos estudantes. O programa trabalha com habilidades, na sala de informática, o professor identifica habilidades que foram alcançadas e aqueles que precisam de um trabalho maior”, explica a diretora da escola, Aliane Pontes Rodrigues.

Acesso

Para acessar as ferramentas é necessário acesso à internet. Aliane conta que, em Moji das Cruzes, outras escolas também utilizam as plataformas online no ensino. “Muitos estudantes acessam os conteúdos nas próprias casas, para complementar o aprendizado, mas isso em comunidades que têm acesso à internet. No município, tem escolas que participam do projeto, mas estão em bairros em que o único acesso à internet é na própria escola”, diz.

Programas do governo tem levado o acesso à internet para escolas da rede pública. É o caso do Programa Banda Larga nas Escolas (PBLE) – uma iniciativa do governo federal com empresas de telefonia para conectar as escolas com banda larga. Apesar disso, no Brasil, 32.434 escolas públicas ainda não contam com qualquer tipo de conexão à internet, segundo levantamento feito pelo Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS), divulgado no final do ano passado. O número corresponde a 22% do total de escolas públicas. A maioria das escolas sem acesso à internet está no campo, onde apenas 13% estão conectadas à rede.

Fonte: Agência Brasil

Publicado por: Fernando de Oliveira | 08/03/2016

Marcas de refrigerante abandonam publicidade direcionada às crianças

Crianças e refrigerante IILi sobre essa decisão faz alguns dias e fiquei surpreso que, em tempos de crise econômica, algum empresário capitalista pudesse colocar os interesses da saúde da população a frente dos seus ganhos. Acho que essa medida terá uma eficácia muito maior do que a de proibir que apareça gente bebendo cerveja em comerciais da bebida. As crianças são um público muito mais vulnerável e influenciável.

Parabéns (de verdade) aos envolvidos!
A indústria de marcas de refrigerantes está suspendendo a veiculação de publicidade direcionada ao público infantil. De acordo com a Associação Brasileira de Refrigerantes e de Bebidas não Alcoólicas (Abir), as empresas do segmento reduziram consideravelmente o volume de publicidade e de promoções voltadas para crianças menores de 12 anos ao longo dos últimos anos.

 

Crianças e refrigerante IAbir orienta a suspensão de veiculação de publicidade direcionada ao público infantil (Imagem: Divulgação)

Segundo a entidade, muitas marcas de bebidas não-alcoólicas fabricadas no Brasil já adotaram totalmente o compromisso relacionado ao marketing direcionado ao público infantil. Assim, suas experiências internacionais e nacionais serão utilizadas como base para a nova estratégia de publicidade do segmento no país.

“A indústria tem estudado nova autorregulação já há algum tempo e no último ano a Abir criou grupo de trabalho cujas conclusões são no sentido de aderirmos às práticas e diretrizes já existentes em outros países”, afirmou o presidente da associação, Alexandre Jobim.

Jobim declarou que a entidade trabalha no sentido de implementar a orientação, respeitando os calendários próprios de cada marca associada. “Estamos em fase de ajustes de texto e buscando como seria o monitoramento deste compromisso, de modo a termos eficácia na decisão”, finaliza o executivo.

Fonte: Comunique-se

Publicado por: Fernando de Oliveira | 12/01/2016

Agenda de shows internacionais no Rio em 2016

Ok, está um pouco atrasada, mas chegou a agenda de shows internacionais no Rio de Janeiro em 2016. Como sempre, ela será atualizada ao longo do ano que. assim como 2015, mesmo com todo o calor e crise econômica, promete.

Caso tenham contribuições, elas são muito bem-vindas.

Rolling Stones divulgação

Quem está certo:

16 de janeiro: David Guetta (Riocentro)

28 de janeiro: Exodus (Circo Voador)

20 de fevereiro: Rolling Stones (Maracanã)

06 de março: Bring me the Horizon (Circo Voador)

08 de março: Lionel Richie (HSBC Arena)

17 de março: Iron Maiden (HSBC Arena)

17 de março: Simply Red (Metropolitan)

20 de março: Maroon 5 (Praça da Apoteose)

10 de abril: Cold Play (Metropolitan)

Relembre os melhores shows internacionais que passaram pelo Rio em 2015!

Publicado por: Fernando de Oliveira | 09/01/2016

Brasil é o sexto país que mais mata jornalistas no mundo

O Brasil deve estar no ranking de mortes em várias outras profissões, infelizmente.

Jornalistas mortosA entidade Press Emblem Campaign (PEC), sediada em Genebra, divulgou levantamento que aborda os números de jornalistas assassinatos ao redor do mundo. Nos últimos cinco anos, 35 profissionais de comunicação foram mortos no Brasil, o que o coloca na 6º posição do ranking de países mais perigosos para o exercício da profissão.

A Síria lidera a lista com 86 mortes, seguida pelo Paquistão, com 55 mortes, além Iraque e México, cada um com 46 assassinatos. No mesmo período, foram computados 42 mortos na Somália. Ao considerar apenas o ano de 2015, a situação do Brasil, com sete casos de homicídio, empata com países como Iemen e Sudão do Sul, que estão em guerra.

Desde janeiro, 128 jornalistas foram assassinados em 31 países. A maioria das mortes foi causada por grupos terroristas e organizações criminosas. A Síria, dominada pelo Estado Islâmico, está novamente no topo da lista, com onze vítimas. Iraque e México, cada um com dez jornalistas mortos, dividem o segundo lugar. França, Líbia e Filipinas tiveram oito ocorrências cada.

Fonte: Comunique-se

Older Posts »

Categorias

%d blogueiros gostam disto: