Meu coração é como uma roda

Let Me Roll It
Wings

You gave me something I understand
You gave me loving in the palm of my hand
I can’t tell you how I feel
My heart is like a wheel
Let me roll it, let me roll it to you
Let me roll it, let me roll it to you

I wanna tell you, and now’s the time
I wanna tell you that you’re going to be mine
I can’t tell you how I feel
My heart is like a wheel
Let me roll it, let me roll it to you
Let me roll it, let me roll it to you

I can’t tell you how I feel
My heart is like a wheel
Let me roll it, let me roll it to you
Let me roll it, let me roll it to you

You gave me something I understand,
You gave me loving in the palm of my hand
I can’t tell you how I feel
My heart is like a wheel
Let me roll it, let me roll it to you
Let me roll it, let me roll it to you

Anúncios

O Scorpions vai se aposentar

Foram 45 anos de estrada, música e sucesso. Na contra mão das reuniões, que trouxeram de volta atos como Hall & Oates, o Scorpions decidiu sair de cena. Os veteranos farofa-metaleiros alemães (no bom sentido), que lançaram um álbum de estúdio no início de 2009, fazem a última turnê mundial.

O grupo tem um grande número de fãs no Brasil e deve passar pelo país para uma despedida.

Os fãs jamais vão parar de cantar Still Loving You.

Ouça as canções do blog

play-musicasdavida-playlist

Querer, querer

Vivia bem, mesmo sem muito contato com a família
Era o que queria

Fumava, bebia e comia
Sempre o que e quem queria

Praia, sol, cachecol e horas no salão
Sempre queria mais

Fazia amigos de infância todos os dias
Sentia saudades dos novos conhecidos e nem sempre ligava para os mais velhos
Era assim que queria

Se livrava dos problemas, das amarras e responsabilidades
Enchia o peito cheia de si sempre
Sempre foi o que queria

Companhia constante, andar de braços dados
Não era o que queria

Falar todos os dias, dar satisfação
Ouvir falarem o nome do par
Nem de perto era o que queria

Carro novo, diversão com rumo
Hábitos de velho
Era tudo que não dizia que queria

Festa na morte, nada de choro
O que queria, felizmente, não tinha mais importância

O mundo vai acabar: Keith Richards, dos Rolling Stones, parou de beber

Essa é uma daquelas notícias que aumentam a sensação de que o mundo está mesmo chegando ao fim. Após décadas de uma sobrevivência que desafiava a lógica – com abuso de drogas e álcool e qualquer outra substância ilegal e que dê um barato Keith ‘Caveira’ Richards chegou a conclusão de que é hora de parar de beber! Uma decisão espantosa, vinda de uma pessoa que pode ter cheirado o próprio pai.

Pelo jeito Keith resolveu seguir as orientações de seu médico, além de tentar fugir da realidade encontrada por seu companheiro de banda, Ronnie Wood, que sofre com sérios problemas de alcoolismo e pode até mesmo ser despedido dos Rolling Stones.

Segundo o não tão confiável jornal inglês The Sun, faz quatro meses que o roqueiro não bebe um gota sequer.

Em 2006, Richards deu declarações de que havia parado de usar drogas porque os traficantes e os químicos, com o objetivo de lucrar mais, tinham reduzido o poder entorpecente de seus narcóticos preferidos.

Uma figura que, junto com Pete Townshend e Eric Clapton, prova que o corpo humano é super-humano para alguns.

Ouça as canções do blog

play-musicasdavida-playlist

O primeiro problema para todos, homens e mulheres, não é aprender, mas desaprender.

O primeiro problema para todos, homens e mulheres, não é aprender, mas desaprender.
Gloria Steinem

Aprender é fácil.  Desaprender é que complica
Fazer amizades também é fácil, manter as que valem é que exige esforço.

Encher a cara é fácil
Ficar ao lado dos que são obrigados a manter a solteironice, também

Os pelos no corpo e um sinal no ombro não são símbolos de inteligência ou sabedoria
Conselhos devem ser ouvidos de quem pode dá-los

Deve ser bom poder manter o vidro de camisinhas sempre a mão
E a cama sempre do jeito que queremos