Arquivo da tag: Futebol

As cervejas preferidas dos torcedores brasileiros

Que o brasileiro gosta de cerveja todo mundo sabe. Que muita gente reclama que a Ambev pasteurizou o sabor de várias marcas tradicionais, também é verdade. Porém, saber quais marcas são as preferidas dos brasileiros na hora de ver uma partida de futebol pode ser fundamental na hora de reunir os amigos para assistir a um jogo da Copa.

Um levantamento do aplicativo Snapcart, em parceria com a agência de marketing esportivo Sport Track, mostrou que as campeãs de venda – Brahma, Skol e Itaipava – continuam sendo as preferidas dos beberrões.

Rio x São Paulo

O estudo pesquisou torcedores das 14 maiores torcidas do Brasil para saber qual marca é a preferida dos fãs de cada time. Por uma pequena margem (0,2%) a Brahma ficou na liderança com 20,2%, seguida pela Skol (20%) e deixando a Itaipava em terceiro, com 14,4% da preferência. Não sei como a Antarctica não está nesse pódio.

Em São Paulo, a preferida é mesmo a Brahma, enquanto no Rio a Skol ganha, com a Antarctica ficando como uma opção para duas das quatro maiores torcidas do estado. Foram ouvidas 10.800 pessoas com idades entre 18 e 64 anos.

Agora, vamos iniciar os trabalhos.

Fonte: Meio & Mensagem

Anúncios

Copa do Mundo 2014: Resumo da segunda rodada

Switzerland v France: Group E - 2014 FIFA World Cup BrazilA Copa do Mundo do Brasil mostra-se sensacional dentro das quatro linhas. São jogos emocionantes, bons tecnicamente, times ofensivos e resultados surpreendentes. Tão surpreendentes que a Espanha foi sumariamente eliminada, assim como a Inglaterra. A diferença é que a Espanha não mostrou um pingo de futebol, enquanto a Inglaterra protagonizou os dois melhores jogos da competição até aqui – contra o Uruguai e a Itália, respectivamente.

A média de gols foi mais uma vez excelente (2,80) e seis seleções já garantiram suas classificações – Holanda, Chile, Colômbia, Costa Rica, Argentina e Bélgica – e as torcidas deram show nas arquibancadas. Mas vamos a um resumo, desta vez grupo por grupo.


Grupo A 

O Brasil era/é o grande favorito, mas tem feito a torcida sofrer com más atuações. O jogo contra o México foi um dos piores do torneio e o 0 a 0 foi um dos piores jogos da competição. Destaques: o goleiro do México (Ochoa) e a eliminação de Camarões.
Belgium v Russia: Group H - 2014 FIFA World Cup BrazilGrupo B

Um dos grupos de melhor nível técnico, o B contou com um ótimo jogo entre Austrália e Holanda (com vitória apertada dos laranjas por 3 a 2), mostrando que os holandeses também podem ser incomodados. Por outro lado, confirmou que o Chile é uma das grandes forças da Copa, vencendo e carimbando a volta da Espanha para casa (2 a 0).

A decisão do primeiro lugar fica para o jogão da terceira e última rodada (Chile x Holanda). Qualquer um dos dois vai ser pedreira.
Grupo C

Incrível, mas a Colômbia confirmou que não veio para brincar. O time jogou bem mais uma vez, venceu a Costa do Marfim (2 a 1) e se garantiu nas oitavas. Embora a Costa do Marfim tenha três pontos, ela ainda pode ser ultrapassada por Japão e Grécia. Tudo só será resolvido na terça (24).
Switzerland v France: Group E - 2014 FIFA World Cup BrazilGrupo D 

O grupo da morte é uma das maiores fontes de surpresas dessa Copa. Como disse no início do texto, a Inglaterra foi desclassificada participando das duas melhores partidas da competição. Pior foi a Espanha, que saiu na segunda rodada, sem um gol, e joga uma partida melancólica com a Costa Rica – primeira classificada do grupo, depois da boa vitória sobre a Itália.

Para a última rodada sobrou um eletrizante Uruguai x Itália.
Grupo E

Um grupo que contribuiu com a boa média de gols. França 5×2 Suíça e Equador 2 x 1 Honduras, foram bons jogos. Além da França, já classificada, Equador e Honduras ainda têm chances.
Switzerland v France: Group E - 2014 FIFA World Cup BrazilGrupo F

A Argentina continua jogando mal e Messi continua decidindo. O craque argentino está longe de ter boas atuações, mas continua decisivo. O Irã mostrou um bom futebol e Nigéria e Bósnia…hum…bem……. Os jogos começam às 13h do dia 25/06.
Grupo G

Se a Copa anda meio inexplicável e furando todos os bolões, o que dizer de um grupo onde literalmente tudo pode acontecer? O gol de Portugal aos 49min30s do segundo tempo, empatando a partida contra os Estados Unidos foi sofrido, mas manteve as chances dos patrícios. Aliás, temos que destacar a grande atuação de Gana, que empatou, mas poderia ter vencido a poderosa Alemanha (2 a 2).

Quem passa e quem volta para casa? Aguardemos até a quinta (26).
Grupo H

Ufa! A Bélgica ganhou da Rússia (1 a 0), se classificou, mas sem jogar um tostão de bom futebol. A Argélia derrotou a Coréia do Sul por 4×2, mas foram tantas falhas que o jogo valeu mesmo só pelos gols. Esse é outro grupo que será decidido na quinta (26).
Belgium v Russia: Group H - 2014 FIFA World Cup BrazilPontos negativos

Os gramados, que apresentaram desgaste e mau estado em vários estádios. Além disso, continuam faltando água e comida, sem falar nas falhas de segurança, que culminaram com a inacreditável invasão de um grupo de chilenos (sem ingressos) ao Maracanã e a ainda mais inacreditável falta de atitude das autoridades em prender essas pessoas. Muitas delas, diga-se, continuam no país, sem nenhum problema.

Houve uma briga entre brasileiros e argentinos no entorno do Mineirão, mas, na boa, foi mais “excesso de álcool nas ideias” do que qualquer outra coisa.

Dentro do campo os destaques negativos foram Espanha, Brasil, Argentina e a (injusta) desclassificação da Inglaterra.
Pontos positivos

Os gols, os grandes jogos, as viradas e os resultados inesperados. As torcidas sul-americanas também merecem destaque. Até o momento, uma Copa eletrizante!
Os números

A segunda rodada teve uma média de gols de 2,80 por partida (45 gols em 16 jogos). A média de público está perto dos 51 mil espectadores por jogo.

Destaque para os jogos realizados na Fonte Nova. Em três jogos foram 17 gols!
Agora é torcer por uma última rodada tão boa quanto às duas primeiras.

Fotos: Image.net

Um resumo da primeira rodada da Copa 2014

Spain v Netherlands: Group B - 2014 FIFA World Cup BrazilA segunda rodada já está em curso, mas decidi fazer um resumo com a minha visão pessoal de como foi a primeira rodada da Copa 2014 em terras brasilis.

Apesar de todo o potencial para termos grandes problemas – em termos de organização, principalmente – a Copa do Mundo do Brasil se saiu bem.

Alguns problemas (óbvios) ocorreram, como dificuldade de acesso em alguns estádios, desabastecimento em bares e restaurantes de várias arenas e até pequenos piques de energia, como se viu na partida de abertura do torneio.

O mais importante é que a grande maioria dos jogos teve um nível altíssimo, de emoção e gols (média de 3,06 por partida). Esse desempenho dentro dos gramados faz esquecer os últimos torneios, que tiveram jogos pra lá de sonolentos.

Tivemos resultados surpreendentes – como a goleada da Holanda sobre a campeã Espanha –, jogadas de muita técnica e erros bisonhos de arbitragem. Todos os ingredientes para uma Copa ser comentada e lembrada por muito tempo (de forma positiva).

England v Italy: Group D - 2014 FIFA World Cup BrazilO Brasil

A Seleção do Felipão entrou em campo nitidamente emocionada, com jogadores chorando antes e durante o hino, o que pode ter influenciado em uma partida não muito inspirada e que acabou gerando a primeira polêmica do torneio, com a marcação de um pênalti absurdamente cavado pelo nosso centro avante. Azar da Croácia (sobre o jogo contra o México falamos quando terminar a segunda rodada).

A torcida

Os fãs da maioria das seleções sul americanas deu um show no quesito animação. Para falar a verdade, acho que a do Brasil foi até um pouco tímida na animação. Ficou claro que o calor dos torcedores vai ser importante para que as equipes ganhem um fôlego extra nas partidas.

Protestos

Os parcos protestos blackblocks perderam força e, mesmo com alguma destruição, não ganharam tantas manchetes quanto era de se imaginar. Quem sabe os que são contra a Copa se negaram a aproveitar os feriados e ficaram em suas empresas trabalhando e contribuindo para o enriquecimento da nação. Afinal, com o trabalho eles podem gerar mais recursos para a educação, saúde…….

Spain v Netherlands: Group B - 2014 FIFA World Cup BrazilOs destaques

Como destaques positivos dessa primeira rodada eu destacaria a Holanda, a Alemanha e a surpreendente Costa Rica.

Brasil, Inglaterra e Argentina não chegaram a decepcionar, mas ficaram longe de apresentar o futebol que o mundo esperava.

No campo das decepções, tivemos a Espanha e Portugal. Não que a equipe de Cristiano Ronaldo seja um primor, mas a presença do melhor jogador do mundo sempre deixa a esperança de um bom jogo.

A segunda rodada já está em andamento e algumas dessas surpresas e destaques se confirmam (outras não), mas é fato que a Copa vai bem.

Fotos: Image.net

Uma segunda de vergonha

vasco_gamaOntem era dia para falar do sofrimento vascaíno, da queda para a segunda divisão e de aturar a gozação de todos. porém, as cenas que vimos no domingo, por mais que a violência tenha se banalizado, me fizeram calar. Não que a vascainidade vá diminuir em 2014, mesmo tendo novamente que aturar um time fraco e uma eleição que ode trazer de volta um ex-presidente que não deixou saudades.

O rebaixamento é doído, mas justo. Teremos mais 265 dias de gozação e uma missão ingrata, já que o Flu também estará na competição. Vamos torcer e ficar em low profile na próxima temporada.

Que todos os envolvidos sejam realmente presos, assim como acontece com qualquer um que arrume encrenca em algum estádio na Inglaterra, por exemplo.  É fácil fazer isso.

VASCO!

Qual o verdadeiro futebol brasileiro?

Vasco IA pergunta passeia pela minha cabeça desde a vitória da Seleção Brasileira sobre a Espanha na final da Copa das Confederações. O futebol brasileiro é o daquele dia, com estádio cheio e ingressos caros, com jovens jogadores como Bernard comendo a bola ou é o de estádios com meia (ou menos capacidade) e veteranos como Juninho Pernambucano, Seedorf e Alex dando as cartas?

A recente excursão do São Paulo e o amistoso do Santos contra o Barcelona, só serviram para aumentar as dúvidas. As derrotas do São Paulo para Milan e Bayern foram indiscutíveis e a surra (8 a 0) que o Santos levou foi vergonhosa. Estamos tão atrasados taticamente e tão mal tecnicamente assim? Nem parece o mesmo jogo.

Vasco IIDomesticamente, vivemos um momento dos mais estranhos. Times bons e pseudo times grandes lutando na zona de rebaixamento e alguns comemorando não estarem nela. Como disse Paulo Autuori no seu calvário são-paulino, não se deve comemorar empates, carrinhos e, diria eu, ficar de fora do Z4. É ridículo.

No quesito estádios, uma busca por um valor que faça com que o torcedor compareça aos jogos. Infelizmente, os administradores dos novos estádios parecem preferir lugares vazios do que baixar os preços. No caso específico do Rio, ainda temos que lidar com gratuidades em excesso, o que faz com que sempre tenhamos muitos milhares de torcedores entrando de graça, sem falar na meia entrada, esse câncer, muito mais que um benefício, já que prejudica muita gente para beneficiar apenas alguns, muitos deles trambiqueiros.

AGIF13080417324088A compra de ingressos é outra demonstração de que o Século XX não nos deixou ainda. Embora possamos comprar pela internet, que mesmo com todos os seus problemas, evita filas, nossos cartolas conseguem exigir que os torcedores precisem trocar a compra feita online por um ingresso físico, criando novas e inexplicáveis filas nos estádios. Isso é tão bizarro, que até mesmo um programa de fidelidade de um posto de gasolina consegue vender e entregar o ingresso na casa do cliente, de maneira mais eficiente do que a de quem tem essa obrigação.

FredA encruzilhada na qual nos encontramos é de difícil escolha. Temos a oportunidade de criar novos torcedores, melhorar a qualidade dos espetáculos (seja pelo conforto nos estádios, seja pela capacidade de contratar bons jogadores), mas lutamos contra cartolas míopes, que pagam salários fora do mundo para pernas de pau e alguns treinadores, e federações e uma CBF que parecem não ter a menos noção de como organizar campeonatos atraentes. Lembro do tempo no qual os jogos no Maracanã eram sempre às 17h – ok, 16h nem é tão mal -, mas jogos 19h30 e 22h é dose pra elefante. Como ir em São Januário, por exemplo, e sair de lá meia-noite? O mesmo vale para o Pacaembu, o Mineirão e muito outros estádios espalhados pelo País. É querer que vejam pela TV ao invés de ir in loco. Isso, sem contar com a impunidade para os marginais que se dizem torcedores organizados. Torcedor de verdade não se organiza, torce. Faz amizades na hora, se abraça na alegria do gol e xinga junto a mãe do juiz e do técnico.

Enfim, qual o verdadeiro futebol brasileiro?

Um pequeno resumo da Copa das Confederações

sbneymar_wc_220613013Escrevo esse texto sem a pretensão de ser um estudo definitivo sobre as atuações de cada um dos times ou sobre as qualidades técnicas de cada time, muito menos sobre os acontecimentos que ocorreram fora dos gramados, como muitos especialistas ou ajuntadores de camisas gostam de fazer. É apenas uma constatação do que estes olhos viram até agora.

Previsível

Os resultados das partidas da Copa das Confederações e os classificados para as semi foram bastante óbvios, assim como ficou óbvio o favoritismo da Espanha que, mesmo sem forçar em nenhuma partida, mostrou que é bastante superior aos outros selecionados. Uruguai, Itália (bastante cansada e sofrendo com contusões) e Brasil, ainda são zebras.

A evolução Canarinho

Gostem ou não da dupla Parreira/Felipão (ou vice-versa), gostem ou não do esquema tático e até mesmo de alguns convocados, é nítida a evolução da Seleção Brasileira em termos de conjunto, algo que não acontecia na mesma velocidade na época do técnico anterior, teoricamente com ideias e métodos mais modernos do que nossos comandantes atuais. O crescimento de Neymar também ajuda este melhor desempenho do time, já que ele é, sem dúvidas, nosso melhor jogador, mas ainda bem longe de estar perto de um Messi ou Iniesta.

??????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????Aliás, o que é o Iniesta? O cara domina a bola com uma facilidade inacreditável, praticamente não erra um passe, só corre quando necessário e ainda descobre sempre a melhor opção para o time, comandando o ritmo dos jogos. Inacreditável que alguns entendidos achem o jogo da Espanha chato. Chato é quando o adversário não tem capacidade para impedir ou tentar impedir o jogo da atual campeã do mundo.

Fim das contas e tudo se encaminha para uma final Brasil x Espanha, onde precisaremos de sorte para fugir de uma derrota daquelas categóricas. Porém, vale lembrar, uma zebra sempre pode aparecer, mesmo que ela se chame Brasil.

Sofrimento vascaíno 2013, a soberba do futebol brasileiro e o drama dos times cariocas

vasco_gamaO início da segunda rodada do Campeonato Brasileiro serviu para confirmar o que qualquer um – que nem precisa ser expert, escrever em jornal ou andar fantasiado – já sabia: o futebol brasileiro anda mal, em especial o carioca. Com a honrosa exceção do Botafogo (que venceu, mas também sofreu), o resto (Vasco e framengo) foi ruim de doer. O Vasco reafirmou o potencial de sua equipe, que vence apertado um adversário fraco como a Portuguesa em casa e é goleado pelo São Paulo, lá na cidade de São Paulo, sem piedade. O time até fez um primeiro tempo decente (mesmo sendo sufocado), mas se perdeu assim que levou um gol. Cinco a um foi pouco. O framengo…bem…perdeu e continua lá atrás na tabela.

Mas o problema não ficou apenas no Brasileiro, na Libertadores, mais um dos seis brasileiros que passaram da primeira fase ficou pelo caminho. O Fluminense (e seu rico time) amargou mais uma retranca (ou falta de ousadia) e sucumbiu diante do Olímpia, no Paraguai. Resultado que premiou a mentalidade pequena que vive rondando o competente Abel. Não sei se a crise não vai se instalar nas Laranjeiras.

Hoje é dia de ver se o Atlético Mineiro salva a pátria ou também vai ficar apenas na competição nacional.

Seleção? Deixa prá lá!

O sofrimento vascaíno – versão 2013

vasco-da-gamaO sofrimento vascaíno no Campeonato Brasileiro de 2013 começou com uma partida em casa contra a Portuguesa, equipe que disputou a segunda divisão de São Paulo. Sem o mito Dedé, a equipe que entrou em campo era recheado de rostos e nomes desconhecidos e, aqueles que já eram familiares, bem que poderiam ser esquecidos.

Éder Luís continua mal e a ausência do Carlos Alberto -não que ele seja um jogador imprescindível – por não estar bem fisicamente é inexplicável. O cara foi pego no antidoping, o time estava fora do carioca e ele não está bem condicionado?

Bem, com o time que se apresentou, a coisa vai ser dura. Devemos comemorar sempre que ficarmos acima do 15° lugar.

Até a primeira vitória.

A soberba do futebol brasileiro

Campeonato-Brasileiro-2012Ao contrário do que pregava Nelson Rodrigues, que dizia que tínhamos um “complexo de vira-latas“, o futebol brasileiro parece estar acometido (já faz um bom tempo) de uma inexplicável soberba. Depois de termos seleções, times e jogadores de primeira linha – apesar da péssima situação econômica do país -, nossos dirigentes, torcedores e jornalistas parecem viver em uma realidade paralela que em nada ajuda o desenvolvimento do velho esporte bretão.

Parece que as péssimas apresentações da Seleção Brasileira (que está na posição mais baixa no ranking da Fifa desde que este foi implantado) e as diversas transmissões de jogos da Europa (praticamente diários) não são suficientes para fazer com que técnicos dirigentes, torcedores e (mais uma vez) jornalistas parem para refletir sobre a razão desse nosso declínio. Declínio que é maquiado sempre que algo de importância duvidosa acontece a nosso favor, como foi a classificação de seis times brasileiros para a fase de mata-mata da Copa Libertadores.

Foi um festival de declarações exaltando a força de nossos elencos, a qualidade técnica de nossos jogadores, a excelência de nossos treinadores… Afinal, o Boca Juniors está meia boca, o Tijuana é fraco, assim como o Olimpia e todos os outros times da América do Sul. Era a prova de nossa superioridade e de que podemos, sim, entrar como favoritos em qualquer competição, mesmo que alemães, argentinos, espanhóis e italianos também estejam nela.

O resultado? Das seis potências, apenas quatro passaram pelos seus adversários, sendo que um dos confrontos era entre brasileiros. O único classificado contra estrangeiro – o Fluminense – teve de suar sangue para conseguir a sua vaga. Os três paulistas – São Paulo, Palmeiras e Corinthians – não mostraram força para superar adversários mais fraco” e agora falam até em complô contra brasileiros e não em má qualidade de jogadores ou esquemas.

Até quando vão insistir em comparar o Neymar ao Messi, em convocar o Julio Cesar, em ressuscitar o Felipão, em não mudar o colégio eleitoral da CBF, em não ver que tudo precisa mudar?

Até mesmo as diferenças regionais que poderiam nos dar alguma vantagem (ou causar problemas para as outras seleções na Copa) foram abandonadas. O gramado do Maracanã foi diminuído, a grama do Mineirão – que sempre foi muito alta e fazia o jogo ficar mais lento – foi aparado e ficou parecido com os gramados ingleses, o sol que faz no Norte do país, assim como a grande distância com o Sul, deixou de ser uma arma para “cansar” nossos adversários (dane-se a logística de deslocamento). Enfim, vencer vai ser (tomara que não) impossível.

Hora de vestir as Sandálias da Humildade!

Sofrimento vascaíno com orgulho

vasco_gamaNão dava mesmo para sonhar muito com o título da Taça Guanabara. Com um time limitado e que entrou em campo sem nenhum pingo de proposta ofensiva, o Vasco não podia mesmo querer nada além de segurar o 0 a 0.

Tomara que o time ainda consiga alternativas para não depender de jogadores como Carlos Alberto. Alguns reforços são necessários para, pelo menos não sofrermos com a possibilidade de um rebaixamento.

Vamos manter a cabeça erguida e o orgulho em alta.

FIFA garante US$ 3,6 bi com TVs até 2022

Entidade está negociando Copas da Rússia (2018) e Qatar (2022) e já fechou com TVs da Ásia e Estados Unidos

A Fifa anunciou na quinta-feira, 27, na Suíça, que garantiu mais US$ 1,85 bilhão com os direitos das Copas de futebol que acontecerão após o torneio do Brasil em 2014. Trata-se do período compreendido entre 2015 e 2022, e que inclui as Copas da Rússia (2018) e no Qatar (2022). A negociação para a TV brasileira ainda não foi feita.

Na semana passada, a entidade já tinha fechado com TVs dos Estados Unidos – em valor de US$ 1,2 bilhão – os direitos para os dois eventos, com as redes Fox Sports (língua inglesa) e Telemundo Media (pertencente à NBC/Universal) para língua espanhola.

Assim, os novos acordos complementam os contratos da entidade anunciados em março deste ano. Na ocasião, a Fifa comunicou que havia negociado contratos de direitos de transmissão de TV no valor de US$ 1,7 bilhão para países do Oriente Médio, Ásia e América Latina.

Os contratos recém-fechados já representam um aumento de 90% em comparação com as negociações feitas nas mesmas regiões para as Copas do Mundo de 2010 e 2014.

Fonte: Meio & Mensagem

Estudo comprova a importância do futebol no universo masculino

A Copa já é passado, mas o futebol não morrerá jamais!

Uma pesquisa elaborada recentemente pela Heineken mostra que o brasileiro assiste, em média, 2 horas e 10 minutos de futebol a cada semana. E mais: eles passam aproximadamente 3 horas e 20 minutos conversando sobre o resultado do jogo, as faltas, gols e afins. O estudo revelou que este esporte é o assunto predileto nas conversas com os amigos, sendo que as mulheres ocupam a segunda colocação com 45% da preferência. Os temas relacionados ao trabalho aparecem a seguir, com 34% das atenções.

As informações são da S2

Votem na nova pesquisa do F(r)ases sobre Dunga e Felipe Melo

A pesquisa está no menu lateral. Escolha a melhor opção para Dunga e o craque Felipe Melo e mostre o quão generoso você é. Você também pode escrever sua própria resposta.

As opções:

Convidá-los para um churrasco no sítio do goleiro Bruno

Fuzilar os dois

Mantê-los no ostracismo para toda a eternidade

Deixá-los como comida de leões em um safari africano

Trancá-los em um quarto com vuvuzelas tocando 24h

Um bom texto sobre a Seleção Brasileira

Abaixo partes do texto: How To Beat Brazil, escrito por Daniel Alarcón e publicado no jornal norte-americano The New Republic. Sensacional!

O link para o texto completo você encontra no fim do post.

Playing against Brazil is an absolute nightmare. I can’t think of a score in my favor at which I’d begin to relax: 5-0, 7-0? Let’s be honest—most teams see that canary yellow jersey and quietly shit themselves.

Everyone is lamenting the end of the jogo bonito, but those last two goals looked pretty damn bonito to me. Bet the fans in Rio thought so too.

Leia o artigo completo aqui.

Uma Copa medíocre e que derruba mitos

A Copa da África do Sul está se mostrando medíocre em termos técnicos e também vem servindo para derrubar alguns mitos. Um deles de que camisa e tradição pesam na hora de um confronto. Itália (atual campeã do mundo) e França (atual vice) mostraram um futebol pífio e voltaram para casa após a primeira fase, merecidamente.

A Copa também serve para mostrar que a tecnologia muitas vezes atrapalha. A bola, tão execrada, realmente deve ser bem ruim. Mesmo com a grande quantidade de pernas-de-pau que entram nos gramados, não é possível que tantos frangos, bolas não dominadas e chutes na arquibancada sejam fruto apenas da ruindade dos craques atuais.

Outro mito é aquele que o fairplay existe. Vejam nossos professores da França e Brasil. Vejam as jogadas da maioria dos cabeças de área. A quantidade de gente sangrando nos jogos.

E fica a pergunta: Será que os campeonatos europeus são realmente bons? Será que os grandes jogadores que ganham milhões (seja lá em qual moeda) são realmente isso tudo?

Viva Maradona, os japoneses e todos os que apresentam algo parecido com bom futebol.

Depois reclamam da qualidade dos jogos do Campeonato Brasileiro e dos estaduais. Teve muita pelada desa Copa que deu calos na vista.

Dunga é tão idiota que pede desculpas sem pedir

Nosso treinador é mesmo um poço de sabedoria e educação. Mesmo com a grande chance de se redimir e marcar pontos com todos os seres humanos com um mínimo de educação, Zangado preferiu se esconder atrás da torcida e evitou pedir desculpas para quem realmente precisava: o jornalista que ofendeu covardemente.

Lamentável uma figura dessas ter que receber tanta atenção.

Não esqueçam do caso NUNCA!

Dunga x imprensa na véspera da estréia

A Seleção Brasileira começa sua caminhada na Copa da África do Sul amanhã (terça, 15/6/10) com a vantagem de ver que das 22 seleções que já jogaram até agora, apenas Alemanha e, pelo talento individual, Argentina mostraram algo.

Na última entrevista coletiva antes da estréia Dunga voltou a mostrar um rancor que beira a insanidade em relação a imprensa. Embora nas poucas vezes que tive oportunidade de estar com ele e fazer alguma pergunta ele tenha se mostrado educado e até bem humorado, fica na lembrança o discurso raivoso do Futecom e de aproximadamente 99,47% das entrevistas que dá, mesmo quando não é provocado ou quando a pergunta não tem nenhuma correlação com esse embate com os profissionais de comunicação.

Um amigo que está na África do Sul cobrindo o torneio me confirmou o que já sabia: que a insistência em ser mal educado e em fechar a Seleção em demasia, impedindo até a gravação de imagens de momentos inofensivos dos treinos, fez com que nosso técnico seja a figura mais odiada entre os jornalistas.

Mesmo assim, a grande maioria dos josnalistas vão torcer pelo Brasil, claro. Porém, caso a zebra apareça e o Brasil não vença, já está pronto um fuzilamento com perguntas nada amistosas para o nosso anão zangado. Com certeza isso só vai servir para acirrar os ânimos, piorar ainda mais o convívio e deixar o instinto assassino dos repórteres saciado. A vingança é sempre boa!

Dunga, ganhe ou perca a Copa, vai conviver com vários fantasmas. Jamais será uma figura simpática ou procurada para algo. Nem mesmo sei se será respeitado e ainda vai ter que morrer tendo a certeza de que todos vão sempre preferir a Seleção de 1982. Muito, mas MUITO mais talentosa do que a campeã em 94.

Quero mesmo é ver a coletiva após o jogo. Vai ser divertida.

Dez mandamentos e 5 mitos do futebol

Esse texto é mais um daqueles que merecem ser replicados e lidos pelo maior número de pessoas possíveis. Uma oa companhia para o Manual da Copa do Mundo para Mulheres.

Mandamentos

I) Futebol não é religião. É mais do que isso. Há quem diga que futebol é só um jogo. Isso equivale a afirmar que literatura é um monte de palavras jogadas. Para começar, os fanáticos por futebol têm seus cerimoniais sagrados de quarta e domingo. E, claro, a troca de galhofas com os torcedores de outros times. Não se esqueçam do dízimo que todo boleiro deve doar à sua instituição sagrada através de ingressos caros em troca de serviços porcos, camisas cheias de patrocínio, chapéus ridículos, merchandising tosco, etc. A fé é o item número zero para o torcedor ― sem ela não há futebol. É preciso acreditar, piamente, até o último segundo de jogo, que seu time vai reverter um 0 a 5. E o que faz o futebol transcender religiões é que uma torcida agrega sem preconceitos todos os tipos de crenças, classes sociais, gêneros, bandidos e neuróticos. Por aí você começa a ter uma noção da importância da coisa.

II) Xingamento é a prece do futebol. Alguns ignorantes no assunto acham um absurdo o uso à vontade de palavras de baixo calão durante os jogos. Mas elas nunca são gratuitas. Fazem parte de um ritual importante e dedicado que envolve gritos de guerra, urros, cuspes, coçadas no saco e no nariz, a conexão com a natureza ao se urinar em árvores e outros comportamentos que geram uma vibração única para a celebração do ludopédio. Além disso, o que se faz no estádio, fica no estádio.

III) Chore. Esses mesmos “alguns” se perguntam: “como pode alguém chorar por futebol?”. Em primeiro lugar, são poucos que realmente choram só por futebol. Em geral, há outros fatores externos para que isso aconteça e uma derrota no futebol simboliza o fracasso, a decepção maior. Mas se você é idiota o suficiente de achar uma bobagem chorar por futebol é porque não entende nada do riscado. Afinal, choramos, de alegria ou de tristeza, nos momentos mais marcantes de nossas vidas. Como em diversos jogos de futebol, por exemplo.

IV) Estude o tema. Leia livros, revistas, sites e blogs; memorize gols, datas, escalações e fatos marcantes. Sempre esteja pronto para descrever jogadas ou resgatar um causo de 1954. E nunca, mas nunca, mesmo, se esqueça de fazer diversas análises de variações táticas de times e seleções numa rodinha daquela festa chata. É uma boa oportunidade de afastar os babacas e ficar com os realmente inteligentes.

V) Horário de jogo é sagrado. E o embate deve ser assistido só, sem perturbações. A única exceção é se sua mulher/namorada aparecer pelada. Nesse caso, e apenas e tão somente nesse caso, vá para cima, ganhe de goleada e aceite com raça e 110% de comprometimento tanto a prorrogação quanto os pênaltis. Afinal, os canais a cabo sempre reprisam os jogos. Mas para o bem da humanidade e pela satisfação dos deuses da bola, entre num acordo com sua estimada senhora: jogos decisivos são realmente sagrados, sem apelação. Se ela não concordar, desfile na frente da TV, no final da novela que ela adora, vestindo apenas com uma sunga de seu time do coração e um lenço no pescoço. Ela vai entender o recado. Por outro lado, não perca jogos por causa de eventos sociais. Nunca vale a pena. Até a Drew Barrymore numa comédia romântica imbecil se deu conta disso.

VI) Futebol é para ogros. E não sinta vergonha disso. Ou você vai entrar na onda daquele cara que acha produtos Apple obras de arte e o Steve Jobs lindo? Ou se intimidar pelo olhar de nojinho daquele “amigo” da namorada que declama poemas de autores “malditos”? Do cara que ri da tua cara quando você fala que é fanático por futebol, mas não perde o BBB? Esqueça os inteleco-tecos, os hipócritas, os metrosexuais, os enrustidos e os “modernos” em geral. No fundo somos todos ogros. Animais, afinal. Assuma isso sem problemas. Mas sem classe, hein, p****.

VII) Tenha mais camisas de times do que roupas “normais”. Normais para os outros. Para os fanáticos o normal é camisa de time. Em qualquer ocasião. Mas é sempre importante ter trajes diferentes para cada momento. Não vá num jantar de aniversário de casamento dos sogros com aquela camisa surrada de 1990 com patrocínio da Kalunga. Uma edição especial comemorativa é a melhor opção. E, por favor, em época de Copa do Mundo não entre no oba-oba: não use trajes da seleção, apenas de seu clube de coração.

VIII) Futebol é politicamente incorreto. Porque você ainda vai rir de uma piada preconceituosa num estádio.

IX) Futebol é machista. É um prolongamento do mandamento anterior, mas é um item tão importante que vale destacar. Se você vai levar sua filha a um jogo prepare-se para ouvir vários “Aê, sogrãããão!!”. Quer levar a namorada? Engula seco quando disserem “Fala, sócio!”. Não me levem a mal, mulheres. Adoramos vocês e queremos que vocês frequentem estádios. É seguro. Mas nem se vocês forem vestidas com trajes GGG desbotados vão escapar de ouvir assovios, aquele barulho de “chupada”, além de grandes pérolas populares contemporâneas como “ê, lá em casa”, “diliça”, “ah, se eu fosse homem” e afins. E se vocês ouvirem a torcida inteira gritando “Gostosa!Gostosa!Gostosa!” é para se sentir lisonjeadas, não envergonhadas. Afinal, vocês são realmente gostosas. Para o nível de um estádio, esses gritos equivalem à melhor cantada que vocês já levaram.

X) Futebol é coisa séria. (mandamento auto-explicativo)

Mitos

Algumas coisas são tão faladas sobre futebol que se tornam “verdades”. Mas são mitos quando comparados à realidade. Vamos a alguns deles.

1) Futebol é o ópio do povo. Você já viu o comportamento de um torcedor de futebol? Já viu alguém chapado de ópio? O raciocínio não fecha. Nelson Rodrigues deve ter criado essa frase depois de uma derrota do Fluminense, ao sentir o ébrio da tristeza. É como dizer que uma câmera de TV é a ritalina da Narcisa Tamborindeguy.

2) Brasileiro é fanático por futebol. Só alguns são. Como disse um ex-professor meu, brasileiro é fanático por festa e aproveita o embalo da Copa do Mundo e jogos em geral para fazer várias. Olhe o comportamento abobalhado dos brasileiros na Copa: nas ruas, nos bares ou nas casas. E depois veja um jogo Boca Juniors x River Plate ou Fenerbahce x Galatasaray e entenda o que de fato são fanáticos por futebol.

3) Futebol aliena. Estou à sua disposição para discutir isso depois que você terminar de assistir as três novelas, o jornal, o BBB, o Aprendiz e de passar três horas diárias na internet entre orkut, MSN e facebook. (Mas não pode ser me horário de jogo).

4) O futebol destrói relações de casais. Mentira. Falta de verdade. Calúnia. Patuscada. Futebol não destrói porcaria nenhuma. Uma relação ou já nasce problemática ou desenvolve neuras por incompatibilidades sexuais, emocionais, virtuais e até musicais. Mas nunca pelo mundo da bola. Se seu marido/namorado/amante/quebra-galho te deixa de lado e prefere assistir a todas as mesas redondas, ou ele gosta e é um imbecil, ou ele usa esse artifício para te evitar. Nos dois casos a solução é um belo voleio na bunda do canalha. Porque ninguém em sã consciência ou com o mínimo de inteligência realmente gosta da boçalidade que essa gente fala nesses programas entre um merchandising e outro. Em caso de dúvidas, deliciosa amiga, releia com atenção o mandamento V se seu namorado broxa nega fogo.

5) Futebol cria rivalidades. Só em alguns momentos para alguns animais. Para o resto é um agregador, o melhor assunto de small talk do Brasil, que pode variar do tom solene ao burlesco. Pausa pro café? Papo de futebol. Quebrar o gelo com o sogrão? Futebol. Não sabe o que falar para o namorado da amiga da namorada que só fala sobre social media? Mais futebol. Tá por fora da conversa sobre a novela? Puxe o futebol. Deu de frente com um cara que odeia futebol? Comece a falar do lado ruim do futebol (ok, eu sei que isso não existe, então invente). Claro que sempre vai ter um metidinho que vai virar a cara. Não se preocupe, ele gosta de algo realmente patético, como White Stripes, por exemplo.

Autor: Rafael Fernandes
Araçoiaba da Serra, 16/6/2010

A Copa do Mundo Começou

A Copa do Mundo começou. Os dois primeiros jogos podem não ter sido nenhuma Brastemp (esse bordão é eterno), mas a coisa deve melhorar, esperamos todos. Dizer que a Copa é um evento esportivo seria ingenuidade. Afinal, a Fifa deverá chegar ao final de 2010 com um faturamento consolidado de US$ 4 bilhões no ciclo de quatro anos em que foram negociados direitos de televisão para mais de 400 emissoras de todo mundo. Quase o dobro faturado com a Copa de 2006!

As seleções e seus comandantes parecem acreditar que o grande mal do esporte é a imprensa. Isso já demonstra o quão pouco inteligentes são. Deveriam lembrar que as emissoras de televisão terão audiência global acumulada estimada em 30 bilhões de telespectadores ao longo das 64 partidas que serão transmitidas até a final, em 11 de julho. Outro detalhe: os direitos de televisão correspondem a quase 75% do faturamento da Fifa.

Será que ninguém vai mesmo dar um corretivo no nosso anão descerebrado?

Por enquanto a África do Sul foi o melhor futebol do primeiro dia de jogos. Será que parreira conseguirá o milagre da classificação?

Perguntas que só terão respostas no decorrer da competição. E a França mostra que tá maus!

Aproveite para responder a pesquisa do F(r)ases da Vida, ai no menu que fica no lado direito: Agora que a Copa começou, você acredita na Seleção?