Arquivo da tag: The Beatles

Biografia dos Beatles completa 50 anos

Às vésperas do relançamento da versão comemorativa dos 50 anos do Álbum Branco, A Vida dos Beatles, única biografia autorizada dos Beatles, continua uma leitura obrigatória

Os Beatles se separaram oficialmente em 1970. Portanto, é impressionante o efeito que a música e a atitude da banda ainda têm sobre a nossa sociedade.

Vários ótimos (e vários péssimos) livros já foram escritos sobre o grupo, mas um deles continua imprescindível.

The Beatles — que no Brasil teve a sua primeira edição publicada com o título A Vida dos Beatles — é a única biografia autorizada pela banda e a única na qual o autor realmente conviveu com a banda durante sua carreira, presenciando fatos reais e não apenas através de depoimentos de terceiros.

Um pouco de história

Clique na imagem e encomende a sua cópia

Hunter Davies — hoje um respeitado senhor de 82 anos (que se recupera de uma cirurgia para a colocação de três pontes de safena) e autor de uma série de livros sobre turismo, esportes e, claro, Beatles — era um jovem jornalista trabalhando no Sunday Times, quando recebeu o sinal verde de Brian Epstein para escrever a biografia da maior banda de todos os tempos.

Isso, depois de ter sugerido a Paul McCartney a ideia do livro, em 1966, bem no meio da revolução psicodélica e do início das gravações de Sgt. Pepper’s, mas o OK final aconteceu apenas em 25 de janeiro de 1967, quando Penny Lane e Strawberry Fields Forever já estavam finalizadas.

— Eles sabiam que Pepper seria algo diferente e grande. Paul estava definitivamente no comando. Nesta época, John estava ficando entediado com os Beatles e se tornando preguiçoso — me disse Davies.

Lançado em 30 de setembro, o livro se tornou a única biografia da banda por conta de uma cláusula (sugerida por Brian Epstein) que garantia que nenhum outro escritor teria acesso aos Fab Four por dois anos. Como eles se separaram em 1970…

Fool on the Hill

Dentre as grandes histórias do livro está o dia no qual John falou para Paul gravar uma demo daquela música do cara da montanha e Paul respondeu que não iria esquecer dela. No fim, Fool on the Hill se tornou uma das canções mais conhecidas dos Beatles.

— Passei muitas tardes com eles no estúdio enquanto gravavam Sgt. Pepper’s e também em suas casas, observando Paul e John dando vida as canções. Infelizmente, eu nunca gravei nenhum desses momentos. Escrevi tudo em 30 pequenos cadernos de anotação e, hoje, nem consigo entender minha letra — revelou Davies.

Getting Better

Outro momento que causa inveja aos admiradores da música dos Beatles é a descrição da criação de Getting Better, até hoje uma das histórias citadas por Paul McCartney.

— Eu estava lá desde o início da composição. Eu caminhava com Paul quando ele teve a ideia pela primeira vez. Também estava em Cavendish Avenue (casa de Paul McCartney) quando ele e John escolhiam palavras e rimas para a canção — lembrou o escritor.

Álbum Branco

— Eu fui com eles para a Índia quando eles foram encontrar o Maharishi. As esposas e os rodies foram deixados para trás e eu viajei em um vagão com eles, Mick Jagger e Marianne Faithfull. Foi lá que compuseram a maior parte das canções do Álbum Branco — relembrou.

O disco que agora completa 50 anos é, de muitas maneiras, o ponto de ruptura da banda, principalmente pela presença de uma certa japonesa.

— Eu conheci Yoko antes do John. Um dia (em 1967) ela me ligou dizendo que estava fazendo um filme e se eu toparia participar. O problema é que era um filme sobre bundas nuas. Então, eu inventei uma desculpa e declinei do convite — confessou o jornalista.

Na casa de Hunter Davies (outubro/2013). Foto: Jo Nunes

E, apesar da camaradagem que Giles Martin diz ter encontrado nas fitas que ouviu para produzir a versão comemorativa do Álbum Branco, que sai no próximo dia 9, essa não é a lembrança de Hunter Davies.

— Em 68, o único que parecia ainda estar gostando de ser um beatle era Paul. Ele morava em uma casa perto de Abbey Road enquanto John e Ringo viviam bem mais afastados (em Weybridge) e George em Esher, não muito longe deles —relembrou.

Isso pode explicar tudo o que aconteceu depois e que culminou na separação do grupo.

Rebatendo John Lennon e George Harrison

Na sua famosa entrevista para a revista Rolling Stone (em 1970) John se referiu ao livro de Davies como bullshit (merda).

— Eu liguei para John em 1971, logo depois que a entrevista foi publicada, e ele me disse rindo: “Você me conhece, eu falo as coisas que me vêm à cabeça. Hunt”. Nem Paul ou Ringo tiveram objeções ao livro, embora George tenha ficado contrariado por eu não ter escrito mais sobre suas opiniões sobre o hinduísmo e crenças espirituais, coisas que achei que não se encaixavam no livro — revelou.

Outros livros

Clique na imagem e encomende a sua cópia

 Hunter Davies é reconhecido hoje pela biografia dos Beatles, mas sua ligação com a banda vai além. Ele escreveu (e ainda escreve) vários outros títulos com relação ao grupo. Dois deles são especialmente relevantes e especiais.

As Letras dos Beatles é o livro onde Davies revela ao mundo uma série de manuscritos com versões (muitas originais) de letras de canções dos Beatles, algumas escritas em guardanapos e até mesmo no verso de cartões de aniversário. São imagens reveladoras.

O outro tem o título de As Cartas de John Lennon (The John Lennon Letters, no original), onde revela uma série de recados, cartas e cartões postais escritos por Lennon para assistentes, amigos e fãs.

Brasileiros em alta

Clique na imagem e encomende a sua cópia

Em Lennon Letters o Brasil ganha destaque especial em dois momentos distintos. Um quando Davies mostra algumas raridades de Lizzie Bravo — a brasileira que gravou os backing vocals da canção Across the Universe — e quando conta a história de um certo fã carioca para o qual Lennon escreveu três cartões postais entre novembro de 1979 e janeiro de 1980.

Vale conferir.

Portanto, se algum fã dos Beatles ainda não leu a biografia autorizada, acredite, ela ainda é leitura obrigatória, mesmo que existam outros títulos mais completos sobre o fenômeno que até hoje influencia o mundo.

Anúncios

Álbum Branco ganha superedição pelos 50 anos

O disco The Beatles, que ficou conhecido como Álbum Branco, chega aos 50 anos e ganha caixa com 6 CDs, 1 Blu-ray, livro e mais

O ano era 1968, os Beatles — o maior, mais criativo e importante grupo de rock da época (e de todos os tempos) estava em ebulição.

Tinham perdido seu empresário (Brian Epstein), recebido críticas negativas (pelo filme Magical Mystery Tour) e começava a sofrer com as desavenças entre seus integrantes e a aparição de Yoko Ono.

Foi nesse cenário de início de caos que a banda voltou da Índia carregada de novas composições que acabaram se transformando no primeiro e único disco duplo da sua carreira.

Encomende a sua cópia aqui!

Clássicos e raridades

Nas suas 30 canções há clássicos como Back in the U.S.S.R., Blackbird, While My Guitar Gently Weeps, Sexy Sadie e Helter Skelter, sem contar com algumas loucuras que foram incluídas (e outras deixadas de lado) pelo produtor George Martin.

Depois de vários relançamentos comemorativos e raridades pinçadas em várias coletâneas (vide os três volumes do Anthology), o Álbum Branco ganha a sua versão definitiva (apesar da expressão estar bem batida).

Produzida por Giles Martin, filho de George Martin, o novo Álbum Branco vai ganhar uma nova mixagem, uma versão 5.1 e uma enxurrada de versões alternativas além das 27 demos gravados pelo grupo na casa de George Harrison.

São 6 CDs e 1 Blu-ray, livro, fotos e muita história e talento. O preço ultrapassa as 100 libras (R$ 500), mas, após o que vimos na versão comemorativa do álbum Sgt. Pepper’s, tenho certeza de que valerá a pena.

O disco chega ao mercado no dia 9 de novembro.

Versão mono

Quem conhece um pouco da história dos Beatles sabe que eles só davam atenção aos lançamentos em mono. Portanto, saber que a nova mixagem tomou como base a versão estéreo do disco é um pouco decepcionante.

As diferenças são tantas que citar todas elas seria trabalho para uma grande série de posts. Sendo assim, é melhor ouvir por você mesmo — a mixagem mono também estará na caixa.

PS: Ouvir a versão mono é ouvir o verdadeiro Álbum Branco.

O conteúdo e as versões

Apesar de algumas raridades esperadas pelos fãs não terem sido incluídas e permanecerem um mistério (como a canção Etcetera e a versão de 27 minutos de Helter Skelter) a lista de outtakes é de impressionar, principalmente um ensaio da canção Let it Be, que nunca havia sido citada em nenhum livro sobre a banda.

Você poderá escolher entre os seguintes formatos:

6CD+blu-ray box set
4LP vinyl set (stereo remix + Esher Demos)
3CD deluxe (stereo remix + Esher Demos) – Versão que será lançada no Brasil
2LP vinyl (stereo remix)

CD 1: The BEATLES (‘White Album’) 2018 Stereo Mix

Back in the U.S.S.R.
Dear Prudence
Glass Onion
Ob-La-Di, Ob-La-Da
Wild Honey Pie
The Continuing Story of Bungalow Bill
While My Guitar Gently Weeps
Happiness is a Warm Gun
Martha My Dear
I’m so tired
Blackbird
Piggies
Rocky Raccoon
Don’t Pass Me By
Why don’t we do it in the road?
I Will
Julia

CD 2 The BEATLES (‘White Album’) 2018 Stereo Mix

Birthday
Yer Blues
Mother Nature’s Son
Everybody’s Got Something to Hide Except Me and My Monkey
Sexy Sadie
Helter Skelter
Long, Long, Long
Revolution I
Honey Pie
Savoy Truffle
Cry Baby Cry
Revolution 9
Good Night

CD 3: Esher Demos

Back in the U.S.S.R.
Dear Prudence
Glass Onion
Ob-La-Di, Ob-La-Da
The Continuing Story of Bungalow Bill
While My Guitar Gently Weeps
Happiness is a Warm Gun
I’m so tired
Blackbird
Piggies
Rocky Raccoon
Julia
Yer Blues
Mother Nature’s Son
Everybody’s Got Something to Hide Except Me and My Monkey
Sexy Sadie
Revolution
Honey Pie
Cry Baby Cry
Sour Milk Sea
Junk
Child of Nature
Circles
Mean Mr. Mustard
Polythene Pam
Not Guilty
What’s the New Mary Jane

CD 4: Sessions

Revolution I (Take 18)
A Beginning (Take 4) / Don’t Pass Me By (Take 7)
Blackbird (Take 28)
Everybody’s Got Something to Hide Except Me and My Monkey (Unnumbered rehearsal)
Good Night (Unnumbered rehearsal)
Good Night (Take 10 with a guitar part from Take 5)
Good Night (Take 22)
Ob-La-Di, Ob-La-Da (Take 3)
Revolution (Unnumbered rehearsal)
Revolution (Take 14 – Instrumental backing track)
Cry Baby Cry (Unnumbered rehearsal)
Helter Skelter (First version – Take 2)

CD 5: Sessions

Sexy Sadie (Take 3)
While My Guitar Gently Weeps (Acoustic version – Take 2)
Hey Jude (Take 1)
St. Louis Blues (Studio jam)
Not Guilty (Take 102)
Mother Nature’s Son (Take 15)
Yer Blues (Take 5 with guide vocal)
What’s the New Mary Jane (Take 1)
Rocky Raccoon (Take 8)
Back in the U.S.S.R. (Take 5 – Instrumental backing track)
Dear Prudence (Vocal, guitar & drums)
Let It Be (Unnumbered rehearsal)
While My Guitar Gently Weeps (Third version – Take 27)
(You’re so Square) Baby, I Don’t Care (Studio jam)
Helter Skelter (Second version – Take 17)
Glass Onion (Take 10)

CD 6: Sessions

I Will (Take 13)
Blue Moon (Studio jam)
I Will (Take 29)
Step Inside Love (Studio jam)
Los Paranoias (Studio jam)
Can You Take Me Back? (Take 1)
Birthday (Take 2 – Instrumental backing track)
Piggies (Take 12 – Instrumental backing track)
Happiness is a Warm Gun (Take 19)
Honey Pie (Instrumental backing track)
Savoy Truffle (Instrumental backing track)
Martha My Dear (Without brass and strings)
Long, Long, Long (Take 44)
I’m so tired (Take 7)
I’m so tired (Take 14)
The Continuing Story of Bungalow Bill (Take 2)
Why don’t we do it in the road? (Take 5)
Julia (Two rehearsals)
The Inner Light (Take 6 – Instrumental backing track)
Lady Madonna (Take 2 – Piano and drums)
Lady Madonna (Backing vocals from take 3)
Across the Universe (Take 6)

Blu-ray: The BEATLES (‘White Album’)

Audio Features:
: PCM Stereo (2018 Stereo Mix)
: Mono Mix
: DTS-HD Master Audio 5.1 (2018)
: Dolby True HD 5.1 (2018)

Uma versão deste texto foi publicada na Revista Ambrosia

Mais uma do velho Macca: Paul McCartney resgata clássicos do Wings

Há tempo que reclamo de que oa shows de Paul McCartney se tornaran uma grande ode aos Beatles, deixando de lado sua carreira solo e os anos que passou como membro e lider do Wings. O seu ultimo CD/DVD ao vivo – Good Evening New York City – mostra isso. Mas, de maneira surpreendente, seu mais recente concerto, em 28/3/10, na Jobing.com Arena, em Phoenix, nos Estados Unidos, trouxe varias cancões que nunca foram tocadas ou estavam esquecidas faz décadas.

Abaixo a set list do show de McCartney (em negrito as novidades no repertorio) e dois vídeos do concerto de 2010 e uma versão de 1985, gravada em 1974. Compare as duas versões.

Venus And Mars/Rock Show
Jet
All My Loving
Got To Get You Into My Life
Highway
Let Me Roll It/Foxy Lady
The Long And Winding Road
Nineteen Hundred And Eighty Five
(I Want To) Come Home
My Love
I’m Looking Through You
Every Night
Two Of Us
Blackbird
Here Today
Dance Tonight
Mrs. Vandebilt
Eleanor Rigby
Something
Letting Go
Sing The Changes
Band On The Run
Ob-La-Di, Ob-La-Da
Back in the USSR
I’ve got a feeling
Paperback writer
A day in the life/Give peace a chance
Let it be
Live And Let die
Hey Jude

Day Tripper
Lady Madonna
Get back

Yesterday
Helter Skelter
Sgt. Pepper’s ( reprise )
The End

Beatles remasterizados em estéreo e MONO

A notícia nem é tão mais nova, mas eu precisava de um tempo para assimilar e poder comentar. Toda a coleção dos Beatles será relançada, remasterizada e em Estéreo e MONO.

A Apple (a primeira, a original) e a EMI anunciaram que no dia 09/09/09 (ou 9 de setembro), estarão lançando duas caixas com todos os CDs do grupo remasterizada e com vários mini-documentários (DVD) juntos aos digipacks, com libretos e fotos totalmente produzidos para a nova leva de CDs.

beatlespepperDepois da masterização original feita por George Martin, nos anos 90, e que é bastante irregular e nem sempre seguiu a sonoridade dos lançamentos dos anos 60, finalmente a obra do mais importante grupo pop de todos os tempos ganha um trabalho realmente decente.

Serão duas caixas: uma em estéreo e outra em MONO! A alegria com o lançamento dos discos com suas mixagens originais em mono é simples de explicar: Nos anos 60 quase ninguém tinha equipamento em estéreo e os Beatles (John, Paul, George e Ringo) NUNCA estiveram presentes em uma sessão de mixagem em estéreo até 1969. Todos os sons que saiam da cabeça e dos instrumentos dos rapazes de Liverpool estavam nos lançamentos monofônicos. As mixagens em estéreo eram feitas por George Martin e/ou algum engenheiro de som e estão longe da qualidade de suas irmãs.

beatlesabbeyHá erros de som, takes diferentes e muita coisa que mesmo o fã menos hard core e que não tenha carteirinha xiita pode notar. Revolver, Sgt. Pepper’s e o Álbum Branco são discos completamente diferentes nas duas versões.

Infelizmente as pessoas acostumaram com o estéreo e – os menos avisados – podem até achar que a caixa em mono será apenas um lançamento caça-níqueis (quando deveria ser o contrário). Os CDs da caixa em estéreo serão lançados separadamente e os da mono, não.

Meu fim de ano será bem mais pobre, graças aos Bealtes.

Leia abaixo o comunicado oficial da Apple.

7th April 2009

Apple Corps Ltd. and EMI Music are delighted to announce the release of the original Beatles catalogue, which has been digitally re-mastered for the first time, for worldwide CD release on Wednesday, September 9, 2009 (9-9-09), the same date as the release of the widely anticipated “The Beatles: Rock Band” video game. Each of the CDs is packaged with replicated original UK album art, including expanded booklets containing original and newly written liner notes and rare photos. For a limited period, each CD will also be embedded with a brief documentary film about the album. On the same date, two new Beatles boxed CD collections will also be released.

beatlesThe albums have been re-mastered by a dedicated team of engineers at EMI’s Abbey Road Studios in London over a four year period utilising state of the art recording technology alongside vintage studio equipment, carefully maintaining the authenticity and integrity of the original analogue recordings. The result of this painstaking process is the highest fidelity the catalogue has seen since its original release.

The collection comprises all 12 Beatles albums in stereo, with track listings and artwork as originally released in the UK, and ‘Magical Mystery Tour,’ which became part of The Beatles’ core catalogue when the CDs were first released in 1987. In addition, the collections ‘Past Masters Vol. I and II’ are now combined as one title, for a total of 14 titles over 16 discs. This will mark the first time that the first four Beatles albums will be available in stereo in their entirety on compact disc. These 14 albums, along with a DVD collection of the documentaries, will also be available for purchase together in a stereo boxed set.

Within each CD’s new packaging, booklets include detailed historical notes along with informative recording notes. With the exception of the ‘Past Masters’ set, newly produced mini-documentaries on the making of each album, directed by Bob Smeaton, are included as QuickTime files on each album. The documentaries contain archival footage, rare photographs and never-before-heard studio chat from The Beatles, offering a unique and very personal insight into the studio atmosphere.

beatles2

A second boxed set has been created with the collector in mind. ‘The Beatles in Mono’ gathers together, in one place, all of the Beatles recordings that were mixed for a mono release. It will contain 10 of the albums with their original mono mixes, plus two further discs of mono masters (covering similar ground to the stereo tracks on ‘Past Masters’). As an added bonus, the mono “Help!” and “Rubber Soul” discs also include the original 1965 stereo mixes, which have not been previously released on CD. These albums will be packaged in mini-vinyl CD replicas of the original sleeves with all original inserts and label designs retained.

Discussions regarding the digital distribution of the catalogue will continue. There is no further information available at this time.