Arquivo da tag: Bizarrice

Consumo de abacates no Reino Unido está causando uma seca grave no Chile

Li essa notícia outro dia e resolvi conferir. Para minha surpresa, é verdade.

O mundo globalizado tem alguns efeitos estranhos em vários aspectos das nações que fazem parte dele. O espirro de um executivo de uma grande empresa no Japão ou na Coreia do Sul pode causar a queda na Bolsa de Valores no Brasil, assim como uma geada na Argentina pode movimentar o preço de algum produto agrícola na China. Porém, saber que o consumo de abacates no Reino Unido está causando uma seca no Chile, é demais. Resolvi pesquisar para ver se era realmente verdade, e é.

A razão para efeito tão bizarro é um mix de estranhezas. Eu, pelo menos, quando penso no Chile lembro de vinhos, azeitonas, King Crab e neve, jamais de abacates. O mesmo acontece com a informação de que os ingleses são tarados pela fruta. Portanto, descobrir que a província de Petorca, localizada na região de Valparaíso, é uma das maiores produtoras de abacate do mundo e que os moradores da região dizem que foram instalados poços e tubulações ilegais para irrigar os abacateiros, diminuindo os níveis dos lençóis d’água e secando os rios locais.

A denúncia foi feita pelo respeitadíssimo jornal britânico The Guardian, o que só reforça a sensação de que a coisa é mesmo séria. Segundo o jornal, o consumo de abacate no Reino Unido aumentou em 27% no último ano e o Chile exportou mais de 17 mil toneladas de abacates para os súditos da rainha.

O que isso significa? Que não podemos ligar abacate somente ao México e que se você for comer uma pizza com pimentões pode estar causando um desastre natural em Bangladesh.

Anúncios

A culpa é do foie gras

Foie Gras Pierre Champion IIA companheira Roberta Carvalho diz há anos que O Mundo É Estranho, e o Brasil parece fazer questão de ter um lugar de destaque nesse bizarro ranking de estranhamento. Seguindo as boas práticas do ex-prefeito do Rio Cesar Maia, o atual prefeito de São Paulo – Fernando Haddad – resolveu criar um factoide para tentar tirar o foco do mar de lama, corrupção e crise que toma conta do país: sancionou a lei que proíbe a produção e a venda de foie gras na cidade de São Paulo.

Foie Gras Pierre ChampionComo todos sabemos, o foie gras é uma iguaria que faz parte da cesta básica de todo brasileiro, do mais rico ao mais humilde, e essa proibição deve causar um grande impacto nos hábitos alimentares da população, podendo gerar passeatas e grandes manifestações por conta da proibição.

Haddad disse (eu ouvi) que estudou muito a questão antes de decidir pela aprovação da lei. Bom saber que o prefeito da mais rica cidade do país prefere gastar seu tempo com uma questão primordial como essa do que perder tempo procurando soluções para a Saúde, o Transporte Público ou a Segurança, assuntos muito menos importantes.

Foie Gras Pierre Champion IIIAlguns vão dizer que esse texto tem conotação política, mas, na verdade, é apenas um veículo para expressar a minha indignação. Afinal, sempre lembro com carinho da loja de foie gras da Rue Mouffetard, lá naquela feia cidade europeia.

Viva os gansos!

Os absurdos de Violão e Guitarra II

Já tinha postado aqui alguns erros absurdos dessa revista, mas não podia deixar essa de fora. Acho que desaprendia inglês mais do que aprendia. Hoje, morro de rir!

IM Paul McCartney
Cifra e tradução Coming Up

PS: Ainda tenho mais pérolas para postar!

Esmalte de(a) Coca-Cola?

CocaColaEsmalte-300A Coca-Cola, em parceria com a marca de esmaltes OPI, lança uma coleção inspirada em sua bebida. A nova linha de esmaltes, que faz parte do mais recente acordo de licenciamento da marca, realizou um evento de manicure no centro de Manhattan.

Os produtos da gigante de bebidas geram mais de US$ 1 bilhão em vendas no varejo anualmente. Desde 2009, a Coca-Cola duplicou sua receita de licenciamento e lucro.

“É um negócio muito lucrativo para nós”, disse Kate Dwyer, diretora do grupo de licenciamento mundial da Coca-Cola.

 

Fonte: Meio & Mensagem

Encontros silenciosos estão dando o que falar em Londres

Shhh DatingSempre digo que só existem dois tipos de ingleses: os caretas e os malucos. Essa ideia de encontros românticos onde se pode fazer (quase) tudo, menos falar, é daquelas ideias estranhas que só podem mesmo fazer sentido em uma cidade como Londres, onde as pessoas já não se falam muito mesmo.

Claro que ficar calado é uma ótima opção para muita gente, mas continuo achando o mundo muito estranho, como diria a coleguinha Roberta Carvalho.

É um antigo drama: o que se deve dizer para iniciar uma paquera? Muita gente fica pensando e, quando vê, o objeto do desejo foi embora ou já foi fisgado por alguém mais rápido. Outros, vencidos pela timidez, nem sequer engatam a conversa. E tem aqueles que dizem uma bobagem tão grande ou algo tão sem graça que a possibilidade de um romance morre na primeira frase.

Shhh Dating IIÉ algo comum para muita gente. Para acabar com esse entrave para o romance, surgiram em londres as paqueras silenciosas ou “Shhh Dating”. Funciona assim: um grupo de mais ou menos 20 homens e 20 mulheres se encontra num bar. Os participantes percorrem o salão e fazem contato com alguém de seu interesse. Os casais ficam alguns minutos trocando olhares. Pode fazer careta, sons de animais (teve gente que latiu, outros imitaram galinhas…). Vale tudo, só não pode falar.

Se rolar um clima, o casal pode levar o romance adiante. Muitas vezes, os beijos já começam no bar mesmo. Se não surgir nenhuma atração entre os dois, é só partir para um novo cantidato e recomeçar o processo.

O evento começou a ser realizado há um ano. O idealizador, Adam Taffler, acredita que em tempos de Twitter e redes sociais, o flerte e o olho no olho estão desaparecendo. Por isso, teve a ideia de criar o encontro. A ideia está fazendo tanto sucesso em Londres que Adam já planeja levá-la para outras cidades da Grã-Bretanha. Quem quiser participar, pode procurar o site do Shhh Dating (http://www.shhhdating.com).

O Shhh Dating já resultou, inclusive, em casamento entre participantes. Será que foi amor à primeira vista?

Fonte: O Globo

Bizarro: Sete estudos científicos muito estranhos

Os seguidores do F(r)ases da Vida sabem que sempre vão encontrar boas e bizarras pesquisas científicas – muitas delas inglesas – entre os seus posts. Bem, como estamos em clima de fim de ano e não vou ter presentes para distribuir, segue um post com sete pesquisas pra lá de estranhas. Ok, que algumas delas já haviam sido divulgadas aqui, mas vale o repeteco.

Veja como muito do dinheiro governamental é gasto por pesquisadores em todo o mundo.

1. Decifrando o “pum” dos peixes
Quem sempre invejou o Dr. Dolittle, personagem interpretado por Eddie Murphy no filme de mesmo nome, talvez passe a reconsiderar o desejo de falar com animais depois de ler sobre esta experiência. Pesquisadores ingleses e canadenses se reuniram, em 2003, para investigar a flatulência de alguns tipos de arenques, pequenos peixes presentes nas águas do Atlântico Norte, Pacífico Norte, Mar Báltico e Mediterrâneo. De acordo com o grupo de pesquisadores, o “pum” dos peixinhos pode ser usado como protocolo de comunicação entre os indivíduos da espécie.

Em entrevista à National Geographic, o biólogo Ben Wilson, do Centro de Ciências Marinhas de Bamfield, no Canadá, afirmou que os arenques possuem uma boa audição e que costumam fazer alguns barulhos esquisitos durante a noite, expelindo ar pelo ânus e criando pequenas bolhas. Posteriormente, testes em laboratórios confirmaram que os gases emitidos pela espécie não estão relacionados com a alimentação, já que o comportamento se repetia mesmo quando os arenques estavam de barriga vazia.

Curiosamente, a flatulência aumenta quando muitos peixes dessa espécie estão reunidos, o que pode ser um indicativo de que eles usam os “ventos” para se comunicar. Você pode ouvir o som emitido pelos arenques no vídeo acima. Esse comportamento foi batizado de Fast Repetitive Tick (Tiques Repetitivos e Rápidos), que pode ser abreviado como FRT, sigla muito similar à palavra em inglês para se referir ao flato: fart.

2. Velocidade do som no cheddar

O som do cheddarA velocidade ultrassônica, ou seja, a velocidade com que o ultrassom se propaga, depende do meio pelo qual ele passa. Em 2006, cientistas descobriram que, ao atravessar o queijo cheddar, a velocidade ultrassônica varia de acordo com a temperatura do laticínio.

O artigo, publicado online e em inglês, especifica que se o queijo estiver a 0 ⁰C, a velocidade ultrassônica é de 1.590 m/s. Porém, quando aquecido a 35 ⁰C, o ultrassom viaja por ele a 1.696 m/s. De acordo com os pesquisadores, essa variação está relacionada com o derretimento de gorduras presentes no cheddar. Até o fechamento deste artigo, não descobrimos uma aplicação útil para a pesquisa. Alguém se habilita a sugerir algo?

3. Taxistas ingleses têm cérebros diferentes

CérebroPesquisadores analisaram resultados da ressonância magnética dos cérebros de profissionais com muita experiência de navegação e orientação, como os taxistas de Londres, e os compararam com os exames de pessoas que não dirigem táxi. O resultado foi revelador: taxistas possuem regiões de seu hipocampo maiores ou menores do que as de outras pessoas.

Para quem não se lembra, o hipocampo é uma região do cérebro humano relacionada com a memória e a navegação espacial, sendo uma das primeiras áreas do cérebro a ser afetada pela doença de Alzheimer. Os cientistas também perceberam que o volume de alteração do hipocampo depende do tempo de serviço de cada taxista, favorecendo, assim, a ideia de que a representação espacial fica armazenada em determinada área do hipocampo e que essa área pode ser expandida, de acordo com as necessidades do seu portador.

4. Mulheres de vermelho são mais atraentes?
Mulher de vermelhoJá percebeu que boa parte das femmes fatales do cinema usam vestidos vermelhos? Pois bem, pesquisadores da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, realizaram um estudo para verificar como os homens reagem de acordo com as cores das roupas usadas pelas mulheres.

Para isso, os pesquisadores distribuíram fichas com a fotografia de diversas mulheres usando cores diferentes. Com base na imagem, o entrevistado tinha que responder à seguinte questão: “Imagine que você se encontrará com essa mulher e tem uma nota de cem dólares na sua carteira. Quanto desse dinheiro você gastaria com ela?”. Em todas as etapas, a mesma resposta: os homens teriam encontros mais caros com as mulheres que estavam vestindo vermelho.

De acordo com os cientistas, essa resposta pode ter uma causa biológica, já que primatas não humanos também tendem a se sentir mais atraídos por fêmeas que exibam pelagem mais avermelhada. Agora, quer uma notícia nova? Mulheres também se sentem mais atraídas por homens que vestem roupas vermelhas. De acordo com outra pesquisa da mesma universidade, isso tem a ver com o fato de a cor fazer os homens parecerem poderosos e bem-sucedidos.

5. Alicates são ótimas ferramentas para liberar o “passarinho” da braguilha

Zíper preso

É comum, durante a infância, que meninos acabem prendendo o prepúcio no zíper da calça. Pais desesperados, filho gritando, possibilidade de sangue: a cena é desagradável para qualquer pessoa envolvida. Por isso, a doutora Satish Chandra Mishra, do Departamento de Cirurgias do Hospital Charak Palika, na Índia, desenvolveu um método de liberar o “passarinho” de maneira rápida, não traumática e que pode ser reproduzida em qualquer caso, independentemente da idade da criança.

A técnica até que é bastante simples: com um alicate, corte parte do zíper e do tecido ao redor do fecho. Repita a operação do outro lado. Depois, use o alicate para pressionar as laterais do fecho. Essa pressão fará com que o prepúcio seja liberado instantaneamente e sem dores. Outra ideia, ainda mais simples, é nunca deixar seu filho usar calça ou bermuda que tenha zíper sem cueca.

6. Tese de doutorado: amor e sexo com robôs
Sexo com robôsO pesquisador em inteligência artificial David Levy, da Universidade de Maastricht, na Holanda, conseguiu seu doutorado com uma linha de pesquisa pouco comum: o relacionamento entre humanos e robôs. Em entrevista para a LiveScience, o pesquisador disse acreditar que, por volta de 2050, o estado de Massachussets será o primeiro a legalizar o casamento com robôs.

Levy, que também é autor do livro “Love and sex with robots”, acredita que os robôs se tornarão tão parecidos com os humanos, tanto na aparência quanto na personalidade, que não demorará muito para que as pessoas comecem a se apaixonar por eles. Apesar de parecer estranho, o escritor acredita que o sexo e o amor com robôs serão inevitáveis no futuro.

7. Elefantes são capazes de se reconhecer

ElefanteVocê já ouviu falar do Teste do Espelho? Bem, esse é um experimento criado por Gordon Gallup Jr., em 1970, com base nas observações feitas por Darwin ao entregar um espelho de bolso para um orangotango, no zoológico. O procedimento acabou se tornando uma espécie de medida de autorreconhecimento em diversas espécies.

Além dos humanos, é sabido que algumas espécies de macaco, como bonobos, orangotangos e gorilas, também são capazes de se reconhecer em um espelho. Orcas e um gênero de golfinho, os Tursiops, representam os animais aquáticos com a mesma propriedade.

Mas um estudo realizado pela Wildlife Conservation Society de Nova York fez com que os elefantes também entrassem para esse grupo seleto de criaturas capazes de se reconhecer em espelhos. De acordo com a divulgação da pesquisa, os elefantes foram capazes de interagir com as marcas de identificação que carregavam logo acima dos olhos, além de analisar partes de seus corpos vendo a própria imagem refletida.

Achou essas pesquisas estranhas? Pois saiba que há muitas pesquisas como essas sendo realizadas a todo instante. Há, inclusive, um prêmio destinado aos estudos mais esquisitos ou inúteis já realizados, o Ignobel.

Fonte: Tecmundo

Proteção estranha

hearing-protection-musicHá coisas que só mesmo um país civilizado pode fazer. Dia desses, na coluna do Ancelmo Gois, estava a seguinte nota:

“Uma brasileira, de passagem por Basel, na Suíça, foi a um show de Eric Clapton. Ficou pasma quando recebeu, na entrada, protetores de ouvido. O equipamento era entregue a quem, por acaso, ficasse incomodado com … barulho”.

Imagina se importássemos a ideia e distribuíssemos protetores para todos os shows de música sertaneja, pagode ou de gente como a Alcione. Provavelmente teríamos uma indústria fortíssima na confecção desses “artefatos”. Seria bem menos estranho do que o do show de Basel.

O Brasil precisa evoluir!

Jornalismo está na lista de profissões que mais provocam divórcios

O estudo abaixo pode até ter algum quê de verdade, mas a maior parte das separações atuais se dá por conta de individualidades que muitos não aceitam abrir mão em prol de um relacionamento.

Acredito mesmo que muito do problema está dentro das pessoas e não em suas profissões.

De acordo com um levantamento feito pelo site chileno ‘Separados de Chile’, especializado em rompimentos matrimoniais, a área da saúde e da comunicação são mais propensas a levar um casal ao divórcio.

O site do jornal El Clarín afirmou que mais de 1.150 casos de relacionamentos que não deram certo foram analisados. Em primeiro lugar ficou a área da saúde, já em segundo levou a comunicação, que reúne jornalistas, diretores e produtores de TV, somando 14% dos casos.

O estudo revelou que os motivos para essas situações acontecerem são devido as profissões serem mais arriscadas e terem um contato direto com público, o que levaria a se relacionarem com muita gente, tendo  maiores chances de estar exposto a ”tentações”, ou seja , a infidelidade que é a responsável por 66% dos divórcios. Outra razão são as longas jornadas de trabalho que essas profissões exigem.

Veja o ranking completo

1º – Área de saúde: médicos, enfermeiras, paramédicos e outros ofícios similares registraram 29% dos casos que terminaram em divórcio;

2º – Áreas ligadas aos meios de comunicação: reúne jornalistas, editores, relações públicas, cinegrafistas/operadores de câmeras, técnicos, assistentes, executivos, diretores e produtores de TV, designers e similares. Somaram 14% dos casos.

3° – Área de compra e venda de veículos: os vendedores de automóveis e outros meios de transportes registraram 12% dos casos de separação.

4º – Área de seguros: 11% dos divorciados correspondem a esse grupo, que reúne vendedores de seguros de vida, contra incêndio, automóveis etc.

5º – Área de transportes: taxistas e motoristas de ônibus representavam 8% dos casais separados.

6º – Área de turismo e hotelaria: Neste grupo entram os guias, executivos, vendedores, recepcionistas, encarregados de reservas e eventos, relações públicas e similares. Somavam 7% dos casos.

7° – Outras áreas e profissões: os cargos não mencionados anteriormente somavam 19% dos casos.

Fonte: Comunique-se

Itália: onda de calor faz zoo oferecer sorvete gigante a felinos

Que o tempo enlouqueceu a gente já sabia, mas parece que os responsáveis pelo Zoo de Roma também não estão batendo muito bem. Precisava isso?

Um sorvete gigante recheado de carne foi oferecido aos tigres e leões do zoológico de Roma por causa da onda de calor que castiga a capital italiana com temperaturas que beiram os 40 graus, informaram encarregados da entidade esta terça-feira.

Segundo Serena Del Giudice, do serviço de imprensa do Bioparque de Roma, localizado no coração da cidade, no histórico parque de Villa Borghese, é preciso adaptar a comida oferecida aos animais às altas temperaturas registradas na península há três meses.

Os felinos do zoológico, que têm uma dieta diferente segundo a estação, também podem se refrescar nas fontes e tanques instalados para eles. Os micos ganharam cana de açúcar recheada de iogurte, frutas congeladas e pepinos, que aparentemente adoraram.

Fonte: AFP

Chá preto pode causar câncer de próstata

Os caras não são ingleses, mas da região, claro!

Uma pesquisa feita na Escócia mostra que tomar chá preto várias vezes ao dia pode aumentar o risco de câncer de próstata. Essa possibilidade foi verificada por cientistas da Universidade de Glasgow, que acompanharam, durante 37 anos, 6 mil voluntários do sexo masculino.

Segundo o estudo, homens que bebiam sete xícaras de chá preto por dia aumentaram em 50% a chance de desenvolver o problema do que aqueles que não tomavam chá. Lembrando que em países britânicos, essa quantidade de consumo da bebida é relativamente comum entre a população.

No entanto, não há certeza se o chá é um fator de risco, de fato, ou se os consumidores da bebida acabam vivendo mais, até quando o câncer de próstata é mais comum.

Estatísticas, prevenção e tratamento – Dados recentes divulgados pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) mostram que o câncer de próstata figura como o segundo, atrás somente do câncer de pele, mais comum entre os homens no Brasil e o sexto tipo mais prevalente no mundo, representando cerca de 10% do total das neoplasias. Considerado um tumor da terceira idade, cerca de três quartos dos casos acometem pessoas com mais de 65 anos.

Diante da alta incidência, tão importante quanto a prevenção é o diagnóstico precoce e, em qualquer que seja o tipo de câncer, é consensual que a doença não precisa estar associada a um atestado de morte.

“Com as novas descobertas, tratamentos individualizados de acordo com a linha histológica e drogas cada vez mais avançadas, as taxas de remissão ou cura são hoje uma realidade incontestável, ao mesmo tempo em que a qualidade de vida do paciente é cada vez maior”, destaca o oncologista Dr. Anderson Silvestrini, presidente da SBOC – Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica.

Para o câncer de próstata, por exemplo, a medicina conta com alternativas cada vez menos dolorosas. Uma dessas substâncias é o acetato de leuprorrelina, comercializado como Eligard(R). Com aplicação subcutânea (sob a pele), agulha mais fina e aplicado apenas trimestralmente, proporciona maior conforto, comodidade e qualidade de vida ao paciente em tratamento.

Esses Ingleses Maravilhosos e suas Pesquisas Voadoras XVII – Comportamento “depravado” de pinguins é divulgado após um século

Observações sobre a estranha vida sexual dos pinguins no Polo Sul feitas por um cientista britânico há um século foram divulgadas pela primeira vez, após terem passado décadas escondidas por terem sido consideradas “chocantes demais”.

O médico e biólogo George Murray Levick, que observou o comportamento dos animais, era um membro da famosa expedição do capitão Robert Falcon Scott ao Polo Sul, entre 1910 e 1913. Os detalhes das observações feitas por Levick, incluindo “coerção sexual”, necrofilia e comportamento homossexual, foram considerados “depravados” e retirados dos relatos oficiais da expedição.

Segundo o Museu de História Natural de Londres, que manteve os documentos originais e decidiu divulgá-los, muitos dos comportamentos supostamente “depravados” observados por Levick já foram posteriormente explicados cientificamente por pesquisadores.

Levick era o médico oficial da malsucedida expedição Terra Nova, comandada pelo capitão Scott, que partiu para o Polo Sul em 1910. Ele era um pioneiro no estudo dos pinguins e foi a primeira pessoa a acompanhar in loco um período de acasalamento completo de pinguins em uma colônia em Cabo Adare, na Antártida.

Ele registrou muitos detalhes das vidas dos pinguins-de-adélia, mas algumas das atividades dos animais foram consideradas fortes demais pela sensibilidade da época. Levick ficou chocado com o que descreveu como “atos sexuais depravados” de machos “arruaceiros” que copulavam com fêmeas mortas.

Ele ficou tão perturbado com o que viu que registrou as atividades “pervertidas” em seu caderno de anotações em grego, e não em inglês, para limitar o acesso aos registros.

Cópias restritas

Ao retornar à Grã-Bretanha, Levick tentou publicar um artigo intitulado “A história natural do pinguim-de-adélia”, mas segundo Douglas Russell, curador do setor de ovos e ninhos do Museu de História Natural, o relato foi considerado forte demais para a época.

“Ele submeteu essa descrição gráfica extraordinária do comportamento sexual dos pinguins-de-adélia, que o mundo acadêmico daquela época considerou um pouco difícil demais para ser publicado”, diz Russell. A seção do comportamento sexual não foi incluída no artigo oficial, mas o curador de zoologia do museu, Sidney Harmer, decidiu circular apenas cem cópias das descrições gráficas para um seleto grupo de cientistas.

Segundo Russell, a comunidade acadêmica da época simplesmente não tinha o conhecimento científico para explicar os relatos do que Levick considerou necrofilia. “O que acontece lá não é de maneira nenhuma análogo à necrofilia em um contexto humano”, afirma Russell. “É só uma reação sexual dos machos ao ver as fêmeas em determinada posição”, diz.

“Eles não conseguem distinguir entre fêmeas vivas que estão esperando o acasalamento na colônia e pinguins mortos no ano anterior que estão na mesma posição”, explica.

Descoberta acidental

Apenas duas das cem cópias originais dos relatos de Levick sobreviveram ao tempo. Russell e seus colegas do museu publicaram agora uma reinterpretação das observações de Levick para a revista especializada Polar Record. Russell diz ter descoberto uma das cópias por acidente.

“Estava olhando o arquivo sobre George Murray Levick quando mexi em alguns papéis e encontrei embaixo esse artigo extraordinário intitulado “Os hábitos sexuais do pinguim-de-adélia”, com um “Não para publicação” em corpo tipográfico grande. “Ele está cheio de relatos de coerção sexual, abuso sexual e físico de filhotes, sexo sem fins de procriação e finaliza com o relato do que ele ele considera comportamento homossexual. É fascinante”, diz.

O documento e as anotações originais de próprio punho de Levick estão agora em exibição no Museu de História Natural pela primeira vez. Para Russell, as anotações mostram um homem que teve dificuldades em entender o que os pinguins realmente são. “Ele estava completamente chocado. De certa maneira, ele caiu na mesma armadilha que um monte de gente que via os pinguins como pássaros bípedes ou como pessoas pequenas. Eles não são isso. São pássaros e devem ser interpretados como tal”, afirma.

Fonte: BBC Brasil

Veja mais pesquisas inglesas

Cuidado galera: Drink a base de sêmen humano é sucesso nas baladas brasileiras

Na boa, o povo exagera no “Mundo Estranho”

O sêmen utilizado pode ser doado pelo consumidor ou alguém indicado por ele

Uma tendência das boates holandesas chegou ao Brasil se tornando a nova sensação das baladas vips. O drink “Semence de la vie” é atualmente um dos mais comercializados segundo estatística da ABRASEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes).
Um mix de amarula, cherry brandy, gin, sêmen humano e yakult virou febre na Europa e agora já é moda no Brasil. Com custo variando entre R$ 50 e R$ 120 o “Semence de la vie” eleva o estado mental de quem ingere quase que imediatamente. Esta virtude faz do drink uma excelente opção para quem está de dieta de restrição calórica e deseja entrar no clima da balada sem ter que secar baldes de cerveja ou garrafas de uísque.
O sêmen utilizado na confecção do drink pode ser doado pelo consumidor (ou alguém indicado por ele), mas de maneira geral o ingrediente é conseguido por meio de fornecedores cadastrados e com exames de saúde que atestam a plena isenção de doenças sexualmente transmissíveis.
Pesquisas da ABRASEL apontam que mulheres representam que 67% do consumo deste drink. Os 33% de consumidores se dividem entre 21% de homossexuais e 12% de heterossexuais. Para Carlos Magno Brizola, presidente interino da International Bartenders Association, “ainda existe um machismo muito forte no Brasil que faz um homem achar que pode ter sua virilidade arranhada apenas por consumir o sêmen de um outro homem. Isso precisa acabar. É preciso aprender a se desfazer dos preconceitos para degustar novas sensações etílicas e gastronômicas”.

Segue a receita para fazer em casa esta delícia:

Semence de la vie100 ml de amarula
100 ml de cherry brandy
150 ml de gin
1 colher de chá de sêmen humano (recém colhido)
3 unidades de Yakult de 65ml
Acrescente gelo picado
Misture os ingredientes numa coqueteleira, mexa bem por 5 minutos e sirva em copo longo.

Fonte: Clicmais.net

Mulher mata homem apertando seus testículos

Discussão de trânsito na China acaba em confusão. A história é comum, mas o desfecho é inédito

Há muitas formas ruins de morrer, mas a que ocorreu com um homem na China deve ser uma das piores do mundo. Ele – não identificado pela imprensa chinesa – discutiu com uma mulher por causa de uma scooter estacionada em local impróprio. Depois de alguns “impropérios” trocados, a briga começou a se tornar física.

O homem chegou a imobilizar a mulher, o que a forçou a gritar por seus marido e filho, mas eles não estavam por perto para socorrê-la. Sem opções para fugir, ela agarrou os testículos do agressor com toda a força que conseguiu, fazendo com que ele entrasse em convulsão devido às dores. Depois do colapso, o homem foi levado ao hospital, mas acabou morrendo.

É realmente possível morrer assim?

O site Gizmodo entrou em contato com um médico urologista chamado Irwin Goldstein para saber a resposta. Ele disse que é possível sim, morrer com os testículos esmagados. “Os testículos são muito sensíveis ao toque e uma grande grande descarga de adrenalina é gerada quando muita força é aplicada a eles (…). Isso pode, certamente, resultar em um ataque cardíaco.”.

Fonte: Terra

Moscas rejeitadas ingerem álcool para afogar as mágoas

Estudo feito com drosófilas mostrou comportamento diferente entre insetos machos que foram desprezados e aqueles que copularam

A cena é corriqueira: o cara leva um fora e vai para o bar afogar as mágoas de um amor malsucedido. A novidade é que cientistas americanos descobriram que as moscas-de-fruta (também chamadas de drosófilas) também fazem coisa parecida quando a fêmea refuta o acasalamento. O estudo mostrou que os machos da espécie Drosophila melanogaster ingeriram mais álcool após levar um não.

A descoberta tem grande importância científica, pois foi observado que moscas que copulavam não só consumiam menos álcool como também tinham níveis mais baixos de um neurotransmissor chamado NPF- análogo a outro neurotransmissor também encontrado em mamíferos como humanos. Moscas que não copulavam tinham a taxa de NPF mais alta. Os pesquisadores acreditam que este neurotransmissor seja um componente chave para o sistema de recompensa.

“Inicialmente achamos que as drosófilas não seriam um bom modelo, mas mecanismos básicos que envolvem uso de drogas e o sistema cerebral de recompensa se mostraram muito antigos em termos evolutivose. Muito da anatomia e comportamento das moscas que pode ser extrapolado para mamíferos, inclusive humanos”, disse a autora do estudo Ulrike Heberlein da Universidade da Califórnia em San Francisco, durante um podcast divulgado pelo periódico científico Science, que publicou o artigo.

Para chegar a estas conclusões, os pesquisadores separaram dois grupos de fêmeas. O primeiro foi composto por moscas virgens, e o segundo com moscas que haviam copulado por vários dias, o que aumentaria a tendência de rejeição a uma nova cópula. Após um período isolado com a fêmea, os machos iam para outro container com dois canudos, um contendo apenas solução nutritiva e outro com 15% de álcool. Os machos rejeitados ingeriram muito mais álcool que as que copularam.

A análise mostrou que não se tratava apenas de uma questão de comportamento: os níveis de NPF também foram muito diferentes entre os machos que copularam e os que foram rejeitados.

“Eu acho que é possível apostar que isto também se traduza em humanos, disse Ulrike Heberlein. Se for assim “poderemos entender agora porque experiências negativas, como a rejeição sexual, pode levar alguém a beber”, disse.

Fonte: IG

Globo não vai transmitir especial inédito de Roberto Carlos no fim do ano

Estaria o mundo mesmo acabando em 2012? Seria isso um presságio?

Leia a notícia publicada em O Globo.

Conforme adiantou a coluna Gente Boa no domingo, ao contrário do que vem fazendo desde 1974, a Globo quebrou a tradição e, este ano, não apresenta especial inédito de Roberto Carlos em sua programação comemorativa de fim de ano. No lugar do programa, a emissora reprisa o show do rei em Jerusalém, exibido pela primeira vez em 10 de setembro. Segundo a assessoria da Globo, o evento será reprisado atendendo aos inúmeros pedidos de telespectadores na Central Globo de Atendimento (CAT). E também por seu conteúdo ecumênico. Nestes 37 anos, essa é a segunda vez que Roberto não grava seu show exclusivo para a Globo. A primeira foi em 1999, ano da morte de sua esposa, Maria Rita Simões.

Além da reprise, o cantor vai aparecer, ao lado do elenco da casa, nas vinhetas de fim de ano da emissora, gravadas no último fim de semana, em um estúdio do Projac, no Rio. Pela primeira vez, ele entoou o jingle “Um novo tempo” – com novo arranjo de Guto Graça Melo – acompanhado de mais de 130 globais.

Empolgado com as gravações, Roberto ainda deu canja e cantou a clássica “Emoções” a capela, atendendo a pedidos dos fãs famosos. Mas esta palinha, infelizmente, não vai ao ar…

Elton John adota menino e o batiza com nome bastante egocêntrico

Elton John já casou com mulheres, já vestiu roupas extravagantes, já foi o Rei do Pop (nos anos 70), mas realmente parece que nunca vai poder ser considerado uma pessoa normal. Agora, casado com um homem, adotou uma criança e deu o singelo nome de Zachary Jackson Levon Furnish-John.

Detalhe: Levon é o título de uma das suas mais brilhantes composições com Bernie Taupin. Lançada em 1971, a canção teria sido inspirada no nome do baterista do The Band, Levon Helm.

Detalhe dois: o nome do companheiro de Elton é David Furnish.

Portanto, a parte final do nome da criança é uma verdadeira ego-trip (com hífen?).

 

O dedão e o câncer de próstata

Essa saiu  na coluna do Aziz Ahmed (Jornal do Commercio). Mais uma dos intrépidos pesquisadores ingleses.

O dedão e o câncer de próstata

Caro leitor, repare bem as mãos. Estudo britânico, publicado na revista especializada British Journal of Cancer, descobriu que homens cujo dedo indicador era mais longo do que o anular tinham probabilidade significativamente menor de desenvolver câncer de próstata.

 

 

Champagne é melhor servido como cerveja, dizem os franceses

Um novo estudo relata que a melhor maneira de se verter o champanhe é como se faz com a cerveja, com o copo inclinado.

Ele revela que o vinho espumante permanece efervescente por mais tempo quando é servido deste modo do que quando vertido diretamente para o copo esperando-se que a espuma desapareça antes de se completar o volume. No entanto, Tom Stevenson, presidente do painel da Decanter World Wine Awards, disse: “Vertendo-se Champagne como uma cerveja é visto como uma maneira realmente deselegante de servi-lo. Você não verá um sommelier fazê-lo em um milhão de anos. Servir como fazem os sommeliers permite o escape do CO2 livre no copo evitando que as bolhas agridam seu nariz”. A pesquisa também descobriu que o Champagne servido em temperaturas mais baixas mantém sua efervescência. Em temperaturas elevadas, o dióxido de carbono é perdido mais rapidamente.

O relatório publicado no Journal of Agricultural Food Chemistry foi liderado por Gerard Liger-Belair, professor da Universidade de Reims e autor de ‘Uncorked: Ciência da Champagne’.

Fonte: Adegas & Vinhos

Estrela morre sufocada com poeira

Não. Não estamos falando de uma cantora de rock ou atriz de cinema. Estamos falando de uma estrela de verdade (daquelas que brilham no céu). Essa é mais uma notícia bizarra que não vai mudar as nossas vidas.

Astrônomos utilizando o telescópio Spitzer, da Nasa – a agência espacial americana, descobriram que uma estrela gigante em galáxia remota morreu sufocada por sua própria poeira.

Pesquisadores suspeitam que este evento, o primeiro do tipo visto por astrônomos, era mais comum no começo do universo. A galáxia está localizada a cerca de 3 bi de anos luz da Terra.

Segundo os cientistas, é uma dica do que veríamos caso a estrela mais brilhante da Via Láctea explodisse, evento conhecido por supernova, maneira mais comum de morte das estrelas.

Os astrônomos estavam procurando dados de atividades de núcleos galáticos em buracos negros no centro de galáxias.

Notícia originalmente publicada no Portal Terra.

Conar suspende filme da Nissan

Esse é um país muito estranho. Enquanto lá fora (EUA, principalmente) a maioria dos anúncios de TV compara produtos, aqui, se tentarem fazer isso, vem logo o Conar e suspende a propaganda. Que órgão é esse?

Conselho concedeu liminar solicitando a suspensão das peças publicitárias em que a montadora japonesa cita a GM

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) acatou a denúncia realizada pela GM e concedeu medida liminar solicitando a suspensão das peças publicitárias em que a Nissan cita a concorrente. A campanha foi desenvolvida pela Lew’Lara/TBWA, que há mais de dois anos atende a marca.

Num dos filmes, “Não acerta uma”, que estreou na última sexta-feira, 24, na TV aberta e a cabo, engenheiros e executivos das montadoras concorrentes ficam nervosos com as premiações do carro da Nissan, fazendo referência a três marcas competidoras e suas nacionalidades: GM Meriva (norte-americanos), Honda Fit (japoneses) e Fiat Idea (italianos).

O Regimento Interno do Conselho de Ética (RICE) diz que a medida liminar pode ser solicitada pelo relator do processo para suspender o anúncio imediatamente sem o referendo da Câmara ou do Plenário.

Tal solicitação pode ser feita quando “houver justo receio de que a reprovação do anúncio – ao tempo do julgamento pela Câmara ou pelo Plenário – possa resultar ineficaz”, ou seja, quando o relator acreditar que, quando o anúncio chegar à julgamento, ele já tenha deixado de estar em veiculação. O julgamento pode demorar cerca de 40 dias.

No começo da noite, a Nissan distribuiu comunicado, afirmando que havia recebido o pedido liminar, e que acataria “prontamente” a solicitação, retirando do ar o comercial. O texto ainda destaca a receptividade do consumidor ao filme, uma vez que, segundo a empresa, “o vídeo teve mais de 122 mil visualizações pela internet em menos de uma semana”.

Informações do Meio & Mensagem

Jingle de Silvio Santos vira caso de polícia

Pode parecer brincadeira, mas a célebre musiquinha que há décadas é a marca registrada do maior apresentador da TV brasileira, Silvio Santos, virou caso de polícia. No último dia 18 de agosto, a 8ª Vara Cível do Fórum Central de São Paulo condenou a emissora a pagar R$ 1,4 milhão ao autor do jingle Sílvio Santos vem aí, o publicitário e músico Archimedes Messina.

Messina é, entre outras coisas, autor de jingles que ficaram na memória do brasileiro, como Varig, Varig, Varig (para a antiga companhia aérea Varig) e Não adianta bater (para as CasasPernambucanas), e processou o SBT por danos morais e materiais. A música foi composta em 1964, para utilização no rádio, porém, o jingle foi incorporado na programação televisiva, sendo tocado em vinhetas e em todos os programas de auditório apresentado por Sílvio Santos.

Pelo jeito o Silvio não vai dar risada dessa.

Até o Escobar, Dunga?

O Brasil vence, joga razoavelmente bem e o nosso anão zangado continua “irracível” (escrito tão certo quanto o nosso professor fala). Ficar xingando uma pessoa (seja lá quem for) no meio de uma entrevista coletiva é ridículo. Ainda mais sendo uma pessoa tranquila e educada como o Alex Escobar, com quem cruzei umas duas vezes apenas, jogando para longe qualquer insinuação de corporativismo.

Imagino como serão os xingamentos após a conquista do título.

A caipirinha de panela

O show de André Christovam, na tarde de quarta-feira (3) na Praia de Iriry, no Festival de Jazz & Blues de Rio das Ostras, tinha de tudo. Velhas hippies dançando psicodelicamente, jovens bonitas, gente humilde e uma garotada pronta para consumir litros, muitos litros de álcool. O flagra da caipirinha sendo preparada dentro de uma panela aconteceu poucos segundos antes de uma chuva torrencial cair sobre a cidade.

O dia – pesado – terminou já depois das 4h da quinta-feira (4). Mas isso você pode ler nos posts seguintes.

Vídeo de Jo Nunes.

O amor é mesmo uma merda

Ele dói, te faz sofrer, passar noites em claro e, normalmente, é cruel. Em aproxiadamente 91,74% das vezes acontece com alguém que não merece nem mesmo a sua consideração e mesmo assim é procurado por todos.

Não é que eu não ligue, é que eu não me importo.

Com o tempo há sempre o perigo da rotina que, de uma hora para outra, pode mudar planos e acabar com sonhos, mas também há a possibilidade do amor amadurecer e das pessoas chegarem a conclusão de que foram feitos mesmo um para o outro.

E não é que um fazendeiro de Minnesota, nos Estados Unidos descobriu que não há nada que diga “eu te amo” de maneira mais convincente que um coração de 800 metros de comprimento, atravessado por uma flecha colossal, desenhado com estrume na fazenda da sua esposa.

Foi esse o presente de Dia dos Namorados que Bruce Andersland resolveu dar para sua esposa, Beth, com quem é casado faz 37 anos.

E quer saber? Ela gostou.

Com informaçóes da AP e do R7.