Consumo de abacates no Reino Unido está causando uma seca grave no Chile

Li essa notícia outro dia e resolvi conferir. Para minha surpresa, é verdade.

O mundo globalizado tem alguns efeitos estranhos em vários aspectos das nações que fazem parte dele. O espirro de um executivo de uma grande empresa no Japão ou na Coreia do Sul pode causar a queda na Bolsa de Valores no Brasil, assim como uma geada na Argentina pode movimentar o preço de algum produto agrícola na China. Porém, saber que o consumo de abacates no Reino Unido está causando uma seca no Chile, é demais. Resolvi pesquisar para ver se era realmente verdade, e é.

A razão para efeito tão bizarro é um mix de estranhezas. Eu, pelo menos, quando penso no Chile lembro de vinhos, azeitonas, King Crab e neve, jamais de abacates. O mesmo acontece com a informação de que os ingleses são tarados pela fruta. Portanto, descobrir que a província de Petorca, localizada na região de Valparaíso, é uma das maiores produtoras de abacate do mundo e que os moradores da região dizem que foram instalados poços e tubulações ilegais para irrigar os abacateiros, diminuindo os níveis dos lençóis d’água e secando os rios locais.

A denúncia foi feita pelo respeitadíssimo jornal britânico The Guardian, o que só reforça a sensação de que a coisa é mesmo séria. Segundo o jornal, o consumo de abacate no Reino Unido aumentou em 27% no último ano e o Chile exportou mais de 17 mil toneladas de abacates para os súditos da rainha.

O que isso significa? Que não podemos ligar abacate somente ao México e que se você for comer uma pizza com pimentões pode estar causando um desastre natural em Bangladesh.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.