Turnê de despedida de Elton John fatura US$ 42,5 milhões

Isso apenas na primeira parte dos três anos de shows pelo planeta

Jovens astros sempre vão arrastar multidões de adolescentes ávidos por encontrar/ver/ouvir seus ídolos. Suas turnês vão faturar milhões e aparecer (muitas vezes por brevíssimos períodos) entre os nomes mais comentados do show bizz.

Entretanto, são os veteranos quem sempre vão surpreender com números estrelares, mesmo depois de décadas do auge das carreiras.

Esse é o caso de Elton John e a sua Farewell Yellow Brick Road Tour, que segundo a Billboard arrecadou US$ 42,5 milhões ao fim da primeira perna da turnê. Se pensarmos que a turnê vai até setembro de 202, após de mais de 300 shows ao redor do mundo, a previsão é de que ela arrecade algo em torno dos US$ 420 milhões!

Horizonte de recordes

Elton fez somente 41 shows e os números já são gigantes. Provavelmente ele vai bater muitos recordes até o fim dessa aventura que promete ingressos esgotados em cada uma de suas paradas. Só os quatro shows no Madison Square Garden, em Nova York, faturaram US$ 4,8 milhões.

Peça a mais recente e completa coletânea de Sir Elton John

Essa deve ser uma das razões para o músico considerar aquele palco o seu favorito.

Ainda não há informações de quando ele e sua banda vêm ao Brasil, mas a série de concertos está garantida.

Aguardemos!

Enquanto Elton não chega…

Anúncios

A comemoração do Hogmanay

Em Edinburgh, capital escocesa, festa dura três dias de
eventos para receber o novo ano

As origens da palavra Hogmanay são do início  do século 17 — talvez do hoguinané, forma  francesa normanda do antigo francês
aguillanneuf, que significa “último dia do  ano” ou “presente de ano novo”.

Mas o entusiasmo escocês pelo Hogmanay  surgiu ainda no século 16, quando o  Parlamento, dirigido por Puritan de Oliver  Cromwell, proibiu as celebrações de Natal,  em 1647. A proibição foi revogada 13 anos  depois, mas a celebração do Natal nunca foi  realmente reativada no país. Em 1958, o dia  de Natal continuava sendo um dia normal de  trabalho.

Só em 1974 o Boxing Day tornou-se feriado na  Escócia. Com dois dias de feriado após o Ano  Novo, os escoceses podiam comer, beber e se  divertir com amigos e familiares. O  historiador Ronald Hutton, da Universidade  de Bristol, sugere que os longos e escuros  invernos escoceses ajudaram a manter a  tradição viva.

“Durante toda a véspera de Ano Novo do  século 18, a agitação de Edimburgo foi cada  vez maior. Até que, em 1800, havia mais  pessoas nas ruas depois da meia-noite do que ao meio-dia”, disse Hutton.

Hogmanay de Edinburgh em números

  • A festa de rua está celebrando um quarto de  século.
  • No ano passado, 75 mil pessoas de mais de 80 países participaram da festa
  • Mais 75 mil pessoas aproveitaram os outros eventos oferecidos pela festa.
  • Mais de seis toneladas de fogos de artifício são usados ​​na queima de fogos do Midnight Moment no Castelo de Edinburgh.
  • Aproximadamente um bilhão de telespectadores em todo o mundo verão as comemorações do Edinburgh Hogmanay
  • Em 2015, as comemorações do Hogmanay tiveram um impacto econômico na cidade de £ 41.8 milhões

Novidades para a chegada de 2019

As celebrações começam com a Torchlight Procession, em 30 de dezembro. Cerca de 40  mil pessoas percorrem a capital escocesa e
continuarão até o “Loony Dook” no Dia de Ano  Novo, quando centenas de pessoas mergulham  no gelado River Forth.

O cantor e compositor inglês Rag’n’Bone Man fará o show principal no palco montado em  Princes Street Gardens na noite do dia 31,
enquanto rola festa no Street Party com bandas ao vivo e DJs, no centro da cidade.

Os fogos do Hogmanay à meia-noite iluminam o Castelo de Edinburgh, no 31, enquanto Bairns Afore, um novo evento neste ano, oferece às crianças fogos de artifício e entretenimento
familiar às 17h, antes de dormir.

Airfarewatchdog

Famílias com bebês poderão desfrutar do evento Baby Loves Disco Hogmanay, no Festival Square para alguns “Hogmanay clubbing”.

Celebrações em outros lugares incluem Ceilidh (dança escocesa) aos pés do Castelo, com Edinburgh Gin apresentando música de bandas ceilidh tradicionais a noite toda.

Algumas outras tradições do Hogmanay

Acredita-se que muitos costumes de Hogmanay foram trazidos da Escandinávia pelos vikings invasores nos séculos VIII e IX. O Ano Novo ainda é conhecido como Yules em Shetland, onde as influências Viking permanecem mais fortes.

O First-footing está entre os costumes mais famosos. Refere-se à primeira pessoa a entrar nas casas de amigos ou parentes nas
primeiras horas do dia de Ano Novo, levando presentes — de pão preto a whisky e biscoitos amanteigados.

Dia a dia no Hogmanay

30 de dezembro
Torchlight Procession

Um espetáculo memorável que reúne dezenas de milhares de pessoas pelas ruas de Edinburgh carregando tochas, seguindo pela Royal Mile em direção ao Holyrood Park, passando pelo Parlamento Escocês e pelo Palácio da Holyrood House para o final dos fogos de
artifício.

Quando: 19h, a partir de três pontos de partida – St Giles Street, North Bridge e South Bridge
Preço: a partir de £13

31 de dezembro
O Concerto nos Jardins

O Concerto nos Jardins, com o título Rag’n’Bone Man, também oferece a melhor vista dos fogos da meia-noite.

Quando: as portas abrem a partir das 20h, e o evento começa às 21h
Preço: a partir de £60

Street Party

Três etapas da melhor música tradicional, rock e pop, bem como atos alternativos em locais ao redor do centro da cidade.  A apresentação deste ano no Waverley Stage é a banda inglesa de synth-pop, The Human League.

Quando: Arena, bares e atrações abrem a partir das 19h
Preço: £26

Concerto à luz de velas, Catedral de St Giles

Um concerto com apresentações do Coro da Catedral de St Giles e jovens solistas.

Quando: 19h30

Ceilidh aos pés do castelo

O que se diz ser o maior Ceilidh da Grã-Bretanha acontecerá no cenário do majestoso Castelo de Edinburgh.

Quando: 20h – 1h (arena abre às 20h)
Preço: £52,50

Hogmanay HQ

Acesso VIP às comemorações do Assembly Hall, oferecendo vistas amplas sobre Princes Street Gardens e um local privilegiado para
os fogos de artifício à meia-noite de seu bar ao ar livre. O preço do ingresso inclui uma meia garrafa de champanhe, um buffet
completo de jantar, festa VIP e entretenimento, bares privativos, música ao vivo e festa de rua.

Quando: 20h
Preço: £200

Fogos de artifício à meia-noite

Fotos de fogos de artifício sobre o Castelo de Edimburgo trazendo o novo ano são algumas das mais memoráveis ​​da capital escocesa.
Eles são mais bem vistos à distância, e não perto das áreas de lançamento, que serão isoladas.

1º de janeiro
Mensagem dos céus

Desfrute de uma “jornada literária pela cidade”, lendo uma nova história escrita pelo escritor de crime escocês Val McDermid,
projetada nos maiores edifícios e monumentos de Edimburgo.

Quando: do anoitecer até as 22h
Preço: gratuito

Loony dook

Este clássico mergulho do Ano Novo, no River Forth, vê pessoas em trajes extravagantes mergulharem na água à sombra das pontes de
Forth. Os espectadores podem torcer pelos “dookers” na praia ou ao longo da rota do desfile em direção a South Queensferry.

Quando: 11h
Preço: £11

Dicas de Viagem X: As rotas aéreas mais procuradas dos EUA

Planeje antes de escolher uma delas. A concorrência é grande

Festas de fim de ano, férias escolares e verão. Todos ótimos motivos para viajar.

Enquanto, no Brasil, os preços ficam quase impraticáveis nesta época do ano, lá fora as oportunidades de encontrar boas promoções se multiplicam.

Como o brasileiro não perde a chance de uma boa oferta, voos com escalas estão sempre no radar dos turistas menos abastados ou que não se incomodam em ficar em uma cidade mais periférica, aproveitando para se locomover diante a ótima malha aérea do país.

O índice de ocupação dos voos domésticos na terra do Tio Sam tem médias de 86%. Mas alguns trechos são bem mais lotados que outros. Isso tem dois lados: o lado bom é que mais empresas brigam pelos passageiros, ao mesmo tempo que pode ser complicado conseguir um assento para a data e horário desejado.

Sendo assim, pesquisamos os cinco trechos mais requisitados dos Estados Unidos e que merecem uma atenção (e antecedência) maior dos turistas na hora de utilizá-los.

Os cinco mais

5. Atlanta x Orlando

Disney. Só a menção deste nome é suficiente para chamar a atenção de adultos e crianças. Por isso, Orlando está sempre entre os destinos mais procurados pelos brasileiros. O que poucos sabem é que o trecho Atlanta x Orlando tem mais de 18 mil voos oferecidos por cinco empresas.

A maioria das pessoas que utilizam o trecho são provenientes de conexões de outras partes do país. Portanto, se puder, evite voos que utilizem esse trecho para chegar até Orlando. As chances de encontrar um avião lotado e com atraso são muito grandes.

4. Los Angeles x Chicago

Uma das cidades mais livres do mudo e a terra do blues (e dos Bulls). Los Angeles e Chicago estão no roteiro de muitos turistas de todo o mundo. As duas cidades também são hubs de duas das maiores empresas aéreas do país (American e United). O que faz das viagens entre esses dois destinos uma aventura.

São mais de 17 mil voos por ano e quase três milhões de passageiros. O resultado? Muita gente e pouca paciência.

3. Nova York x Chicago

Demorou, mas Nova York apareceu na lista. A cidade que nunca dorme e (novamente) a terra do blues. Voos entre as duas cidades são praticamente obrigatórios para os turistas de ambas.

O voo é curto (aproximadamente 2 horas), e as opções são várias. São mais de 29 mil aeronaves fazendo um dos trajetos mais populares do mundo. Se você tem tempo, não perca a oportunidade de visitar esses dois destinos. A passagem, na média fica em pouco mais de US$ 100. Uma pechincha!

2. Los Angeles x São Francisco

Califórnia, terra de sol e calor, mesmo no inverno. Los Angeles e São Francisco estão sempre no imaginário do brasileiro e dos estrangeiros que pensam em surf e garotas de biquíni. Apesar dos mais de 40 mil voos anuais, nem sempre é fácil fazer parte dos mais de 3,5 milhões de pessoas que fazem essa viagem.

Flores nos cabelos são opcionais.

1. Nova York x Los Angeles

O trecho campeão não poderia ser outro. Los Angeles aparece em três dos cinco trechos mais procurados e Nova York é.. bem.. Nova York! Os voos nem são tantos (pouco mais de 26 mil), mas o número de passageiros é um absurdo, ultrapassando os 3,5 milhões por ano.

Esse é outro trecho que é melhor aproveitado quando se pesquisa (e reserva) com antecedência.

Roteiros personalizados

Com preços em conta, muitas vezes ficar baseado em uma cidade menos movimentada ou com boas opções de voo pode ser uma grande (e barata) ideia. Claro que pode haver uma certa falta de conforto, mas os custos podem compensar. Entretanto, quando a ideia é otimizar o tempo, acabar no meio de uma conexão cheia e que atrasa pode se tornar um pesadelo.

Cada viagem é diferente da outra e cada viajante tem seus gostos e caracterísicas próprias. O ideal é fazer sempre um roteiro personalizado e que reflita as suas características e necessidades.

Não tenha vergonha em pedir ajuda de quem tem mais experiência. Isso pode ser a diferença entre uma viagem inesquecível e um programa de índio daqueles que nunca deveriam acontecer.

Leia outros posts sobre viagens

Consumo de refrigerante diminui dentro de casa

Entretanto, pessoas estão bebendo mais fora dos lares

A onda natural que toma conta da alimentação mundial, com o consumo cada vez maior de produtos orgânicos, com menos sal e da briga contra o fast/junk food e aos refrigerantes parece estar dando certo, pelo menos em parte.

Um estudo da empresa Kantar Worldpanel em sete Regiões Metropolitanas brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Fortaleza, Curitiba e Porto Alegre), mostra que, nos últimos três anos, houve uma diminuição de 8% na compra de refrigerantes para consumo nos lares.

O dado é animador, mas perde muito da sua força quando comparado ao consumo fora de casa, em bares, restaurantes e lanchonetes. Houve um aumento do consumo, além de ser detectado que 20% da população só consome refigerantes na rua.

O estudo não pesquisa as razões para esse comportamento (Preço? Falta de opções mais saudáveis?), mas fica a impressão de que ainda temos um grande caminho para ser percorrido até que hábitos mais saudáveis virem rotina nas nossas vidas.

Vou ali beber uma Coca-Cola e já volto.

 

Boas Festas!

O ano foi importante para o blog. Retomamos o ritmo, ganhamos uma “sócia” e implementamos uma série de mudanças.Porém, nada perto do que vai acontecer em 2019.

Queremos agradecer aos bravos leitores e amigos e esperamos que continuem conosco no ano que vai chegar logo, logo.

Feliz Natal e um Ano Novo super feliz.

PS: Ainda vamos ter umas postagens até o dia 31. Não nos abandone e compartilhe, se gostar.