Olimpíada do Rio terá centro para evitar ataques

A violência dispara, a polícia parece impotente e a população se divide sobre a diminuição da maioridade penal. A Fifa, CBF e o futebol em geral afundados em escândalos e as Olimpíadas chegando….

Olimpíadas e violência no RioPalco dos Jogos Olímpicos de 2016, o Brasil se prepara para o evento em diversas frentes. Entre a construção dos equipamentos olímpicos e da infraestrutura do Rio de Janeiro (RJ) para receber atletas e turistas de todos os cantos do globo, a segurança é uma das agendas principais da organização.

Uma frente importante desse esforço é a defesa cibernética. O responsável pela montagem do aparato da área será o Exército. Para executar a tarefa, o Centro de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro (CDCiber) contará com 200 especialistas, militares e técnicos, para atuar durante a Olimpíada.

A atenção, segundo o órgão, é para o risco de sites públicos e privados serem invadidos e terem informações roubadas por hackers devido ao baixo grau de maturidade em segurança da informação de alguns sítios. Os portais privados não são de responsabilidade governamental, mas receberão apoio técnico, caso sejam alvos de ataques cibernéticos.

O esquema de proteção é uma ampliação do que foi utilizado durante a Copa do Mundo de 2014. Na época, cem militares estiveram espalhados pelas 12 cidades-sede do evento. Além da proteção, os centros monitoravam redes sociais para evitar protestos violentos ou ação de terroristas.

Fonte: Agência Gestão CT&I

Anúncios

Mídia impressa é a mais confiável no Brasil

O que mais ouvimos é que a crise nos meios impressos é grave. As empresas aproveitam essa suposta crise e demitem, promovendo passaralhos poderosos, isso, apesar das pesquisas mostrarem que a publicidade continua forte. Agora, mais uma pesquisa – dessa vez da confiável FGV – diz que a mídia impressa é a mais confiável no Brasil. Portanto, parece estranho que os salários sejam baixos e as demissões muitas.

jornaisA mídia impressa ganhou ainda mais credibilidade dos brasileiros entre 2014 e 2015. É o que constata o levantamento feito pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) com as instituições mais confiáveis para os brasileiros.

No ranking geral, a mídia impressa está em quarto lugar e passou de 42% para 45% em nível de confiança. Antes dela, vêm as forças armadas em primeiro lugar, seguida pela igreja católica e o ministério público. As emissoras de televisão estão em sexto lugar e também apresentaram crescimento de credibilidade no ranking indo de 31% para 34%.

O estudo chamado de IPCLBrasil é composto por dois subíndices. O primeiro, o Subíndice de Percepção, é composto por quatro indicadores: legitimidade, instrumentalidade, controle social e moralidade. O outro componente do ICPLBrasil é o Subíndice de Comportamento, formado por questões que buscam avaliar a frequência com que os entrevistados disseram ter realizado condutas que violam regras de convivência social e a lei.

O estudo foi realizado no primeiro trimestre de 2015 e ouviu 1650 pessoas dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco, Amazonas e Distrito Federal.

Fonte: Meio & Mensagem

GOL terá internet WI-FI e entretenimento de bordo em seus voos

Nos países desenvolvidos wi-fi é oferecido em bancos  – no Brasil é proibido o uso de telefones nas agências -,metrôs, ônibus, estações de trêm e ônibus e, o melhor, normalmente de graça. O mesmo acontece com várias companhias aéreas, tendência que parece estar chegando ao Brasil. Porém, como o serviço dessas companhias está cada vez pior e menos grátis, fico com sérias dúvidas sobre como esse acesso será oferecido. Vamos ver….

gol-wifi-voosJá imaginou poder ler seus e-mails, acessar seus sites favoritos, redes sociais ou utilizar o Whatsapp e outros aplicativos no celular durante voos dentro do Brasil? A GOL será a primeira companhia aérea brasileira, da América do Sul e Central a oferecer acesso WI-FI à internet durante o período de voo. A plataforma incluirá também canais de televisão, programação por streaming com filmes, desenhos, séries e jogos, conteúdo pay-per-view, música e mapa de voo. Todo conteúdo online e off-line poderá ser facilmente acessado por meio de dispositivos móveis, como celular, tablet ou notebook do próprio cliente.

A GOL fechou parceria com a Gogo – líder em soluções de conectividade e entretenimento a bordo para o mercado aéreo mundial, para o lançamento desta plataforma de conectividade e entretenimento. Como parte do acordo, a Gogo vai equipar toda a frota da GOL com uma antena de última geração, o modelo 2Ku, IPTV, o mais novo método de transmissão de sinais televisivos e do sistema de streaming para filmes e outros.

Wi-fi aviãoA primeira aeronave com esta tecnologia está prevista para o primeiro semestre de 2016. A partir deste lançamento o cronograma é para que, em menos de três anos, 100% da frota GOL tenha o sistema disponível aos clientes, uma ótima notícia.

A GOL não adiantou se e quanto cobrará pelo serviço, mas, da mesma maneira que ocorre em outros países onde esta tecnologia já é utilizada, é provável que seja cobrada uma tarifa acessível. É possível também que algumas tarifas (por exemplo, Flexível – voos domésticos e Confort – voos internacionais) já incorporem o custo do WI-FI e que clientes Smiles de categorias Gold e Diamante tenham acesso sem custo.

Fonte: Melhores Destinos

Google investe US$ 45 milhões no Duolingo

Duolingo-bannerO Google Capital fechou um investimento de US$ 45 milhões com o Duolingo, aplicativo de educação de idiomas gratuito, com a participação de seus investidores anteriores. De acordo com a empresa, o que levou o Google a investir foi a “forma inovadora da empresa em desenvolver o que parece ser o futuro da educação.”

Criado pelo guatemalteco Luis von Ahn, professor de ciência de computação da Universidade Carnegie Mellon, e por Severin Hacker, o Duolingo foi eleito pela Apple como App do Ano em 2013 e Melhor do melhor para Android pelo Google em 2013 e 2014. O aplicativo, que utiliza a linguagem dos games para ensinar, passou recentemente a ser utilizado em programas pilotos dos governos da Costa Rica e Guatemala.

O Duolingo já recebeu outras rodadas de investimento, incluindo US$ 3,3 milhões da Union Square Ventures em 2011, US$ 15 milhões da NEA em 2012 e outra liderada pela Kleiner Perkins Caufield & Byers. O ator Ashton Kutcher e o autor Tim Ferriss também já investiram no aplicativo.

Fonte: ProXXIma

Valor gasto na internet com produtos de entretenimento atinge quase R$ 500

Levantamento do SPC Brasil mostra que livros, ingressos e downloads de jogos e músicas são os produtos de entretenimento mais adquiridos virtualmente

Internet ticketUma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira ‘Meu Bolso Feliz’ com internautas nas 27 capitais descobriu que em 2014 o brasileiro gastou, em média, R$ 476 com produtos de lazer e entretenimento adquiridos pela internet. De acordo com o levantamento, quase a metade (47%) dos consumidores virtuais compraram pelo menos um livro em lojas online no ano passado – o item lidera o ranking de produtos da categoria de lazer mais comprados na internet.

O estudo mostra ainda que, no caso dos livros, o valor médio de cada compra se aproxima de R$ 160,00 e a maioria (83%) das compras foi realizada em sites nacionais. Para se ter uma ideia do que leva os consumidores a comprar livros pela internet, os principais fatores de motivação são a necessidade da compra (35%) e a oferta dos preços (28%). Nove em cada dez compradores (94%) virtuais de livros se dizem satisfeitos com relação à sua última compra, seja com a qualidade do produto, entrega ou atendimento prestado. “Como é um produto com baixa incidência de trocas, a expectativa do consumidor se cumpre desde o momento da compra”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Ingressos, jogos e artigos esportivos

A compra de ingressos para shows, teatros e eventos esportivos aparece na segunda colocação como o produto de lazer e entretenimento mais adquirida pela internet: quase um terço (31%) dos consumidores virtuais admitem o consumo deste item em algum momento de 2014. Os entrevistados mais jovens, com idade entre 18 e 34 anos, despontam como os consumidores virtuais mais assíduos (36%). O levantamento mostra, também, que o valor médio gasto na última compra de ingressos chega a R$ 979,00 e se concretizou, principalmente, em sites nacionais (57%)  e de compras coletivas (30%).

Em terceiro lugar no ranking está o consumo de jogos, download de músicas e compra de aplicativos para celulares e tablets (21%). O hábito surge com mais força principalmente entre a parcela masculina de entrevistados (26%), jovens (24%) e pertencentes às classes A e B (27%). Nesse caso, trata-se do item com menor participação dos sites nacionais (45%). Dois em cada dez (19%) consumidores afirmaram ter feito esse tipo de compras em sites estrangeiros e o ticket médio por compra chega a R$ 320.

Outra categoria que completa o ranking é o de os artigos esportivos, como roupas, uniformes e equipamentos para treinos. Pelo menos 18% dos consumidores virtuais fizeram ao menos uma compra desses produtos em 2014. O ticket médio de cada compra é de R$ 323 e 7% dos compradores enfrentaram algum tipo de problema, como o não recebimento do produto, atraso na entrega ou defeitos encontrados na mercadoria. Também com 18% de frequência, está a compra de CDs e DVDs, cujo ticket médio chega a R$268. Ao contrário do download de músicas, que é mais frequente entre os jovens, esse tipo de compra virtual aparece com mais força entre pessoas acima dos 50 anos (26%).

Fonte: SPC