Arquivo da tag: Violência

Brasil é o sexto país que mais mata jornalistas no mundo

O Brasil deve estar no ranking de mortes em várias outras profissões, infelizmente.

Jornalistas mortosA entidade Press Emblem Campaign (PEC), sediada em Genebra, divulgou levantamento que aborda os números de jornalistas assassinatos ao redor do mundo. Nos últimos cinco anos, 35 profissionais de comunicação foram mortos no Brasil, o que o coloca na 6º posição do ranking de países mais perigosos para o exercício da profissão.

A Síria lidera a lista com 86 mortes, seguida pelo Paquistão, com 55 mortes, além Iraque e México, cada um com 46 assassinatos. No mesmo período, foram computados 42 mortos na Somália. Ao considerar apenas o ano de 2015, a situação do Brasil, com sete casos de homicídio, empata com países como Iemen e Sudão do Sul, que estão em guerra.

Desde janeiro, 128 jornalistas foram assassinados em 31 países. A maioria das mortes foi causada por grupos terroristas e organizações criminosas. A Síria, dominada pelo Estado Islâmico, está novamente no topo da lista, com onze vítimas. Iraque e México, cada um com dez jornalistas mortos, dividem o segundo lugar. França, Líbia e Filipinas tiveram oito ocorrências cada.

Fonte: Comunique-se

Anúncios

Olimpíada do Rio terá centro para evitar ataques

A violência dispara, a polícia parece impotente e a população se divide sobre a diminuição da maioridade penal. A Fifa, CBF e o futebol em geral afundados em escândalos e as Olimpíadas chegando….

Olimpíadas e violência no RioPalco dos Jogos Olímpicos de 2016, o Brasil se prepara para o evento em diversas frentes. Entre a construção dos equipamentos olímpicos e da infraestrutura do Rio de Janeiro (RJ) para receber atletas e turistas de todos os cantos do globo, a segurança é uma das agendas principais da organização.

Uma frente importante desse esforço é a defesa cibernética. O responsável pela montagem do aparato da área será o Exército. Para executar a tarefa, o Centro de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro (CDCiber) contará com 200 especialistas, militares e técnicos, para atuar durante a Olimpíada.

A atenção, segundo o órgão, é para o risco de sites públicos e privados serem invadidos e terem informações roubadas por hackers devido ao baixo grau de maturidade em segurança da informação de alguns sítios. Os portais privados não são de responsabilidade governamental, mas receberão apoio técnico, caso sejam alvos de ataques cibernéticos.

O esquema de proteção é uma ampliação do que foi utilizado durante a Copa do Mundo de 2014. Na época, cem militares estiveram espalhados pelas 12 cidades-sede do evento. Além da proteção, os centros monitoravam redes sociais para evitar protestos violentos ou ação de terroristas.

Fonte: Agência Gestão CT&I