Jards Macalé e Jorge Mautner – Dois malditos no palco

Alternativos, cômicos, talentosos e malditos. Jorge Mautner e Jards Macalé são conhecidos por vários destes adjetivos, colhidos durante décadas de carreira. Durante dois dias (30 e 31 de abril) a dupla se reuniu no palco do Rival Petrobras para um show bem-humorado e bastante relaxado.

Para que os menos habituados ao estilo de Macalé não se enganem, vale dizer que ele estudou piano e orquestração com Guerra Peixe, violoncelo com Peter Dauelsberg, violão com Turíbio Santos e Jodacil Damasceno e análise musical com Ester Scliar. O cara não é fraco e usa todo o seu conhecimento harmônico para criar um estilo debochado e único.

Já Mautner, com seu violino e voz grave, é um navegador pelos vários ritmos brasileiros, tendo parcerias com nomes como Caetano Veloso e o próprio Macalé. Contador de causos, foi o responsável pela maior parte das histórias contadas no show.

Ah, o show. O formato é simples – uma música com os dois no palco, um set com Mautner, outro com Macalé e o final com a dupla novamente reunida – e efetivo. Na primeira noite, ainda foi possível detectar alguns erros e esquecimentos em letras e melodias, o que acabou dando um tom ainda mais descontraído ao encontro. Afinal, se tudo fosse certinho, não estaríamos diante de dois malditos.

Tivemos Noel Rosa, Chiquinha Gonzaga e clássicos da carreira dos dois músicos. Faltou uma do Kid Morengueira (Moreira da Silva), parceiro de Jards desde os anos 70. Aliás, Macalé ainda roda o Brasil com um show só com o repertório de Moreira, mas não tocou nenhuma na noite de quarta (30/03).

Entre risos, coros e silêncios respeitosos, o público – onde muita gente estranha, com ar de estudantes de cinema – saiu satisfeito com o que viu e ouviu. Nada de grandes produções, nada que vá render um DVD (merecia), mas um espetáculo de muito boa música.

 

Anúncios

Jornalistas de rádio e TV aprovam fechamento de acordo

Reunidos em assembleia nesta quarta-feira, dia 30, no Sindicato, jornalistas de rádio e televisão aprovaram a contraproposta dos patrões de aumento salarial de 6,55%, retroativo a 1º de fevereiro, data base da categoria. O índice será usado para atualizar as demais cláusulas econômicas para a renovação do acordo coletivo de trabalho de 2011.

Na assembleia iniciada ao meio-dia, os jornalistas também aprovaram a contraproposta de aumento das faixas da Participação no Lucro e nos Resultados LR, com a manutenção dos valores mínimo (R$ 416,00) e máximo (R$ 5.215,00) para o pagamento. Agora, com distribuição melhor dos resultados das empresas, os índices e valores são os seguintes:

• De 15% para 18% do salário nos veículos com até 15 jornalistas (mínimo de R$ 416,00 e máximo de R$ 930,00)

• De 20% para 24% do salário nos veículos com 16 até 150 jornalistas (mínimo de R$ 682,00 e máximo de R$ 1.340,00)

• De 30% para 35% do salário nos veículos com mais de 150 jornalistas (mínimo de 1.036,00 e R$ 5.215,00)

Com o índice de aumento salarial de 6,55%, os jornalistas de rádio e televisão conseguiram obter este ano, mais uma vez, uma pequena recomposição parcial das perdas salariais. O INPC no período de fevereiro de 2010 a janeiro de 2011 fechou em 6,53%.

A partir de 2002 houve um acúmulo de perdas salariais que chegaram a 10,55%. Nos últimos anos, o Sindicato vem dando prosseguimento a uma política de recomposição gradual e permanente dos salários nas negociações dos acordos coletivos. O mesmo índice de 6,55% vai orientar o reajuste das demais cláusulas econômicas, como os valores da despesa com creche, que passa para R$ 213,00, do seguro de vida, entre outros.

Avanço

Outra conquista importante, aprovada na assembleia, foi a mudança da redação na cláusula referente ao banco de horas. Agora, a redação está muito mais clara e não induzirá a erros de interpretação como era comum acontecer.

Fonte: Site do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro

Esclarece que as horas extras poderão se acumular no período de 30 dias e compensadas com folgas no decorrer dos 90 dias seguintes ao fechamento do mês em que ocorreram.

Também deixa claro que as horas extras poderão ser compensadas no período de férias, até o limite de 10 dias, ou da licença maternidade das jornalistas, no período máximo de 30 dias.

Pensar em atividade física pode aumentar o apetite

Mais uma boa noticia para todos os que precisam perder peso: Pensar em atividades físicas pode abrir o apetite. Portanto, nada de pensar em exercícios! Esta conclusão foi tirada de uma pesquisa realizada na Universidade Cornell, nos Estados Unidos.

Os cientistas dividiram as cobaias em 3 grupos. Dois deles foram convidados a ler um folheto que descreve uma caminhada de 30 minutos, enquanto um ouvia música e o outro teve de focar no exercício. Já o terceiro não fez nada.

Depois, todos foram colocados diante de uma mesa com doces e salgados. Quem leu sobre a caminhada acabou comento 58,9% mais doces e 51,9% mais salgados dos que os que não fizeram nada.

Portanto, não fazer nada permite que você perca peso.

James Taylor e os aniversariantes de março na música

James Taylor tem uma história com o Brasil e com o Rio, em especial. Em 1985, praticamente morto musicalmente, Taylor veio ao 1º Rock in Rio e se apresentou para o maior público daquele festival – cerca de 250 mil pessoas. Depois disso, o artista voltou aos holofotes, fez música para a cidade (Only a Dream in Rio) e renasceu.

James Taylor é um dos aniversariantes do mês de março (que está quase acabando, eu sei). Hoje ele diz que suas novas canções se parecem com as antigas e vice-versa. Tudo o que seus fãs querem.

Detalhe: James Taylor se apresentou no Rock in Rio na mesma noite que Al Jarreau. Os dois apagaram velinhas no dia 12.

Os outros aniversáriantes do mundo da música em março

2 – Lou Reed
3 – Robyn Hitchcock
4 – Evan Dando
7 – Arthur Lee
8 – Micky Dolenz
9 – Ornette Coleman
10 – Dean Torrence
12 – James Taylor
12 – Al Jarreau
15 – Phil Lesh
18 – Wilson Pickett
23 – Ric Ocasek
25 – Aretha Franklin
29 – Perry Farrell