Arquivo da tag: Teatro Rival

Mônica Salmaso – Tributo a Wilson Baptista – 25/8

Cantora estreou no Rio a versão estendida do Tributo a Wilson Baptista, show que confirma a excelência na escolha dos seus projetos

Mônica Salmaso é, provavelmente, a dona da mais bela voz do Brasil, e Wilson Baptista (3 de julho de 1913 – 7 de julho de 1968) é um compositor com uma das mais ricas obras do samba. Embora muita gente, como é comum na falta de memória que aflige o país, não ligue o nome às composições. A junção do talento dos dois criou um espetáculo imperdível: Tributo a Wilson Baptista.

A apresentação deste sábado (25/8) no Teatro Rival, no Centro do Rio de Janeiro, serviu não só para celebrar as canções de Baptista como para apresentá-las ao público mais jovem.

Elegância acima de tudo

Obras-primas como Acertei no Milhar, Boca de Siri e Lá Vem a Mangueira, só para citar algumas, ganharam leituras delicadas e elegantes. Como tudo tocado por Salmaso.

Acompanhada de Paulo Aragão (violão), Luca Raele (clarinete) e Teco Cardoso (saxofone e flauta), a cantora trouxe para o seu universo a obra de Baptista, sem desfigurar a essência de nenhuma das canções.

Outro destaque da noite foi a indisfarçável alegria da intérprete com o roteiro do espetáculo, o público presente, os arranjos das canções e a história de Wilson Baptista.

— Gostaria de ressaltar a minha felicidade com o público que foi ao show. Fomos muito bem acolhidos, isso foi muito especial pra gente! Voltei pra casa muito feliz! De verdade! — agradeceu por e-mail uma supersimpática Mônica Salmaso.

Histórias deliciosas

Além dos belíssimos sambas pinçados das mais de 600 composições de Baptista, Mônica Salmaso costurou o roteiro com deliciosas histórias tiradas da biografia Wilson Batista – O samba foi sua glória!, escrita por Rodrigo Alzuguir e lançada em 2014.

Os causos contados entre as músicas serviram como deliciosos links para contextualizar o momento histórico das composições.

Além disso, histórias onde os personagens são figuras do calibre de Moreira da Silva, Ataulfo Alves e Noel Rosa (com quem Baptista teve uma rixa histórica e que rendeu vários clássicos), jamais serão desinteressantes.

As histórias, vale o registro, dão chance de vermos uma Mônica Salmaso descontraída e engraçada como poucas vezes.

— Este projeto tem o diferencial de ser contextualizado na história do Wilson Baptista e por isso ter mais falas. O que me tira um pouco da minha zona de conforto, por um lado. Mas ao mesmo tempo ajuda no aproveitamento da escuta das canções — explicou a intérprete.

Respeito do público

O envolvimento dos músicos e da cantora criaram um clima mágico que se irradiou por todo o Teatro Rival. A plateia, durante praticamente todo o show, se manteve com uma atitude de reverência. Difícil descobrir se para o espetáculo, as canções de Baptista ou o conjunto da obra.

Os longos aplausos, a atenção ao ouvir as histórias sobre as canções apresentadas e o silêncio poderoso que permitia ouvir cada nota e cada nuance dos sons vindos do palco mostraram que o poder da (boa) música, como repito sempre, é atemporal.

— Agora estamos entrando na fase de arredondar o show. Tirar excessos (principalmente nas falas). Gosto dessa ordem e do repertório. Sinto que o show está bem amarrado — explicou Mônica.

Planos

Lançar um CD ou DVD do projeto são possibilidades não descartadas pela artista.

— Pensamos em gravar e fazer um material pra exibição em TV ou vídeos em capítulos para a internet… Mas são ideias que começaram agora. O que eu quero mesmo é fazer este show mais vezes — disse a cantora.

Quem puder assistir a uma apresentação desse show não deve deixar a oportunidade passar. Ou vai se arrepender.

Show

Mônica Salmaso – Tributo a Wilson Baptista – Teatro Rival Petrobras – 25/8

Cotação: *****

Fotos: Jo Nunes e Divulgação
Vídeos: Jo Nunes — Oh! Seu Oscar, A Mulher do Seu Oscar, Acertei no Milhar e Meu Mundo é Hoje (Eu Sou Assim).

Anúncios

Boca Livre – Teatro Rival – 23/01/15

Boca Livre Jo 2015 IIIO (meu) debut musical de 2015 não poderia ter sido melhor: boa música, belas melodias, ótimas vozes e excelentes companhias.

Um show do Boca Livre é sempre garantia de qualidade, mesmo quando algum dos seus componentes não pareça estar num de seus melhores dias. Afinal, qualquer um deles derrapando é melhor do que a grande maioria dos cantores em seus melhores dias.

O repertório seguiu a linha campeã de mesclar canções do último disco com clássicos do grupo e algumas favoritas de palco. Assim, canções como Amigos, First Circle, Toada, Quem Tem a Viola, Mistérios e I Need You (aquela dos Beatles), seguem em um roteiro bem amarrado.

Boca Livre feroli 2015O Rival – quase a casa do Boca – tem a atmosfera perfeita para esse tipo de show. Lá é possível encontrar uma pateia que sabe quando deve cantar e quando deve fazer silêncio e desfrutar dos belos sons que vêm do palco. Nada de gente gritando por essa ou aquela música (no fim, estavam todas lá). Perfeito.

Se você gosta de grupos vocais, não perca a chance de ver um dos melhores do mundo cantando em português.

Vida longa ao Boca Livre.

Fotos: Fernando de Oliveira, Jo Nunes e Francisco Ribeiro.

Agenda de shows internacionais no Rio em 2015

Aí vai a agenda de shows internacionais no Rio de Janeiro em 2015. Como sempre, ela será atualizada ao longo do ano que. mesmo com todo o calor e crise econômica, promete.

Caso tenham contribuições, elas são muito bem-vindas.

Atualizado em 20 de outubro – Raggabund

428598_Show_de_Ringo_Starr_24_g

Quem está certo:

25 de janeiro: Kaiser Chiefs e Foo Fighters (Maracanã)

29 de janeiro: Sublime With Rome (Citibank Hall)

27 de fevereiro: Ringo Starr (Vivo Rio)

08 de fevereiro: Mr. Big (Fundição Progresso)

08 de março: Steve Hackett (Citibank Hall)

14 de março: Slash (Fundição Progresso)

14 de março: City and Colour (Sacadura 154)

19 de março: NoFx (Circo Voador)

20 de março: Damian Marley (Cidade das Artes)

20 de março: Zaz (Circo Voador)

24 de março: Robert Plant (Citibank Hall)

25 de março: Smashing Pumpkins (Citibank Hall)

26 de março: Three Days Grace (Circo Voador)

27 de março: Foster the People e Bastille (Citibank Hall)

08 de abril: Jason Mraz (Citibank Hall)

11 de abril: Lindsey Stirling (Citibank Hall)

16 de abril: Imagine Dragons (Citibank Hall)

18 de abril: Seether (Citibank Hall)

22 de abril: Christina Perri (Teatro Bradesco)

23 de abril: Judas Priest (Vivo Rio)

30 de abril: Ed Sheeran (HSBC Arena)

18 de abril: America (Citibank Hall)

08 de maio: Adrenaline Mob (Circo Voador)

15 de maio: Orquesta Buena Vista Social Club (Vivo Rio)

21 de maio: Spy vs Spy (Miranda)

02 de junho: Pain of Salvation (Teatro Rival)

08 de junho: Backstreet Boys (Citibank Hall)

11 de junho: Backstreet Boys (Citibank Hall)

18 de junho: Sinead O’Connor (Teatro Bradesco)

30 de junho: Violetta (HSBC Arena)

28 de julho: David Garret (Vivo Rio)

25 de agosto: Maroon 5 (HSBC Arena)

27 de agosto: Tove Lo (Morro da Urca)

18 de setembro: Rock in Rio (Cidade do Rock)

19 de setembro: Rock in Rio (Cidade do Rock)

20 de setembro: Rock in Rio (Cidade do Rock)

24 de setembro: Rock in Rio (Cidade do Rock)

24 de setembro: Simone Mazzer (Teatro Rival)

25 de setembro: Rock in Rio (Cidade do Rock)

26 de setembro: Rock in Rio (Cidade do Rock)

27 de setembro: Rock in Rio (Cidade do Rock)

09 de outubro: Blind Guardian (Vivo Rio)

18 de outubro: Skillet (Circo Voador)

20 de outubro: Raggabund (Teatro Rival)

22 de novembro: Muse (HSBC Arena)

22 de novembro: Pearl Jam (Maracanã)

24 de novembro: Morrisey (Citibank Hall)

Relembre os melhores shows internacionais que passaram pelo Rio em 2014!

Ivan Lins – Teatro Rival – 4/1/2013

Ivan Lins rege o público em ode ao amor

Ivan Lins 2013 IVO subtítulo acima seria a expressão mais correta de uma noite que marcou o início da temporada musical em  2013 (pelo menos para mim). Com uma temperatura bem mais agradável que o calor que fazia nos últimos  dias, o entorno do Teatro Rival (na Rua Álvaro Alvim) parecia mesmo mais alegre, mais apaixonado. Não sei  se a inauguração da gigante (e linda) Livraria Cultura, bem pertinho dali, ou se o início de um novo ano  deixaram a atmosfera mais leve, mesmo com os mesmos bares e frequentadores de sempre.

Logo ao chegar ao Rival, uma boa notícia: lotação esgotada! Bom saber que um artista da estatura de Ivan  Lins, mesmo sem ter um sucesso faz algum tempo, ainda consegue lotar casas em um local como o Centro.  O show que ele iria apresentar tinha como base seu último disco (Amorágio), lançando em 2012 e que traz  algumas de suas melhores composições em anos.

Ivan Lins 2013 IDentro do teatro, o público (na sua maioria já depois dos 40), se dividia entre casais apaixonados, grupos de  amigos e até mesmo aqueles que faziam de tudo para parecer mais jovens, com camisas de marinheiros,  óculos escuros ou vestidos que ficariam bem melhores se os modelos tivessem algumas décadas a menos.

Bem, mas e o show? Já estamos no quarto parágrafo e nada do show?

Uma apresentação de Ivan Lins é sempre garantia de boa música, harmonias bem cuidadas e arranjos que  revigoram velhas canções, embora em algumas delas fique a sensação de que as novas roupagens sejam mais  prazerosas para o intérprete do que para o público. Já as canções do novo disco ganharam mais
personalidade, peso e muito mais nuances, com a adição – principalmente – da viola de Neimar Dias. Aliás, a  viola fez toda a diferença em relação aos últimos espetáculos de Ivan. Nota 10!

Ivan Lins 2013 IIILogo no início da apresentação veio a segunda boa notícia. Os dois dias (4 e 5) tiveram lotação esgotada e  duas novas datas foram fechadas para janeiro, dando chance para quem não viu (e para quem quer repetir a dose).

O show é um mix de canções conhecidas e de novos títulos. Mesmo com a temática do amor, Ivan não deixou de falar de política, da tragédia das chuvas em Xerém e do exemplo do companheiro Zeca Pagodinho. É bonito poder cantar uma parte do Hino à Bandeira – o mais bonito de todos – ou acompanhar o medley Desesperar Jamais/Deixa Isso Pra Lá. Da nova safra, Amorágio, Quero Falar de Amor, a sertaneja Olhos pra te ver e Carrossel de bate-coxa (parceria com o filho Gustavo), foram as que mais ganharam com o registro ao vivo e com a participação do público que, regido por Ivan, fez uma ode ao amor em pleno centro do Rio, em uma noite de sexta-feira.

Fotos e vídeo: Jo Nunes

Ivan Lins inicia o ano musical

Foto: Leo AversaPara muitos o ano no Brasil só começa mesmo após o carnaval, certo? Errado. Pelo menos a temporada de shows musicais começa bem antes das festas momescas e uma das primeiras grandes atrações do ano é o espetáculo de Ivan Lins, que acontece hoje e amanhã no Teatro Rival, no centro do Rio de Janeiro, com preços que não farão com que ninguém tenha que atrasar o pagamento do IPTU para comprar seu ingresso.

Ivan, um dos mais conhecidos e respeitados artistas da Música Popular Brasileira, reverenciado por nomes como Quincy Jones, Sting e até mesmo o ex-beatle Paul McCartney, e que já foi homenageado com um disco-tributo onde astros pop cantam suas músicas em inglês, sobe mais uma vez ao palco, agora para apresentar um espetáculo baseado no repertório de seu último trabalho, o excelente Amorágio (Som Livre), trabalho onde canta as várias formas de amor.

Amorágio é um trabalho no qual apresento alguns dos muitos ‘Ivans’ que moram no compositor popular que eu adoro ser”, conta o artista.

No repertório, Ivan promete mesclar grandes sucessos com as canções do novo CD. Assim, o público pode esperar ouvir clássicos como Madalena, Começar de Novo e Novo Tempo, além das novas (e nem tão novas) como Amorágio, Roda Bahiana (que já havia sido gravada pela diva Gal Costa), Sou Eu (parceria com Chico Buarque e que também ganhou um registro no último CD do cantor), a belíssima Quero falar de amor, uma das mais belas melodias da safra recente de Ivan, além da divertida Carrosel do Bate-Coxa, um xote escrito em parceria com o filho, Cláudio Lins, com quem também já dividiu o palco algumas vezes.

Leia a crítica do CD Amorágio

“São canções novíssimas, outras nem tanto, e algumas releituras transpostas para os sentimentos de hoje, nas quais o passado vira presente”, explica sobre as canções de Amorágio.

No palco do Rival, Ivan é acompanhado por uma banda afiadíssima formada por Teo Lima (bateria), Nema Antunes (baixo), Marco Brito (teclado), João Gaspar (violão e guitarra) e Neimar Dias (violão e viola) -, que dão destaque as belas harmonias lideradas pelos teclados do compositor. Mesmo as músicas que no disco contam com participações de grande peso como os astros Maria Gadu, Pedro Luis e o português António Zambujo, mantêm seu peso pop nas interpretações solo de Ivan.

Se 2012 promete ser o ano de mais um Rock in Rio – onde Ivan vai reviver a parceria com o guitarrista George Benson, sucesso na primeira edição do festival, no hoje longínquo 1985 – e de grandes atrações internacionais desembarcando na cidade e no país, começar o mês de janeiro ouvindo Ivan Lins falar de amor é, sem dúvidas, uma maneira de trazer bons fluídos para todos os outros dias desse novo tempo.

Serviço

Ivan Lins – no show Amorágio. Data: 4 e 5 de janeiro. Horário: 19h30. Local: Teatro Rival Petrobras – Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Cinelândia. Tel: 2240-4069. Preço: Setor A / Mezanino: R$ 90 (Inteira) R$ 45 (Estudante/Idoso/Professor da Rede Municipal) – Setor B: R$ 80 (Inteira) R$ 70 (Os 100 Primeiros pagantes) R$ 40 (Estudante/Idoso/Professor Da Rede Municipal). Capacidade: 472 lugares.

Esse texto também foi publicado no jornal O Fluminense

Foto: Leonardo Aversa