Jornalistas de rádio e TV aprovam fechamento de acordo

31/03/2011 1 Por Fernando de Oliveira

Reunidos em assembleia nesta quarta-feira, dia 30, no Sindicato, jornalistas de rádio e televisão aprovaram a contraproposta dos patrões de aumento salarial de 6,55%, retroativo a 1º de fevereiro, data base da categoria. O índice será usado para atualizar as demais cláusulas econômicas para a renovação do acordo coletivo de trabalho de 2011.

Na assembleia iniciada ao meio-dia, os jornalistas também aprovaram a contraproposta de aumento das faixas da Participação no Lucro e nos Resultados LR, com a manutenção dos valores mínimo (R$ 416,00) e máximo (R$ 5.215,00) para o pagamento. Agora, com distribuição melhor dos resultados das empresas, os índices e valores são os seguintes:

• De 15% para 18% do salário nos veículos com até 15 jornalistas (mínimo de R$ 416,00 e máximo de R$ 930,00)

• De 20% para 24% do salário nos veículos com 16 até 150 jornalistas (mínimo de R$ 682,00 e máximo de R$ 1.340,00)

• De 30% para 35% do salário nos veículos com mais de 150 jornalistas (mínimo de 1.036,00 e R$ 5.215,00)

Com o índice de aumento salarial de 6,55%, os jornalistas de rádio e televisão conseguiram obter este ano, mais uma vez, uma pequena recomposição parcial das perdas salariais. O INPC no período de fevereiro de 2010 a janeiro de 2011 fechou em 6,53%.

A partir de 2002 houve um acúmulo de perdas salariais que chegaram a 10,55%. Nos últimos anos, o Sindicato vem dando prosseguimento a uma política de recomposição gradual e permanente dos salários nas negociações dos acordos coletivos. O mesmo índice de 6,55% vai orientar o reajuste das demais cláusulas econômicas, como os valores da despesa com creche, que passa para R$ 213,00, do seguro de vida, entre outros.

Avanço

Outra conquista importante, aprovada na assembleia, foi a mudança da redação na cláusula referente ao banco de horas. Agora, a redação está muito mais clara e não induzirá a erros de interpretação como era comum acontecer.

Fonte: Site do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro

Esclarece que as horas extras poderão se acumular no período de 30 dias e compensadas com folgas no decorrer dos 90 dias seguintes ao fechamento do mês em que ocorreram.

Também deixa claro que as horas extras poderão ser compensadas no período de férias, até o limite de 10 dias, ou da licença maternidade das jornalistas, no período máximo de 30 dias.