Mais uma da série ‘Enganadores sem Noção’

twitter.fedupOutro dia comentei no Twitter que a quantidade de pessoas burras que cita pseudos gurus da informática e redes sociais para parecerem entendidaa, mas não consegue formular três pensamentos sobre as coisas que cita, é incrível. 

Se há uma coisa que você aprende escrevendo e trabalhando com tecnologia é exatamente que o que importa é o hoje e que ninguém sabe demais sobre algo. Mas, quem geralmente sabe muito pouco, costuma endeusar muitos, especialmente de fora do país e sempre dando um jeito de não precisar se aprofundar nos assuntos. Normalmente fazem perguntas para que os outros possam responder suas duvidas. 

Cerca de seis anos atrás um executivo (sim, vamos chamá-lo assim) chegou a apresentar um plano que iria revolucionar e viabilizar um grande site, apesar das experiências mal sucedidas de algumas outras empresas em um passado, então, recente. Para encurtar o papo, o tal programa só foi implantado cinco anos depois de sua apresentação e o tal executivo nem estava mais na empresa. Conheço gente que ainda elogia a sua percepção de futuro. Eu o considero um idiota que chupou dinheiro e fez a empresa perder cinco anos em reformulações que nunca funcionaram. 

Algo parecido acontece com as tais redes sociais. Há muitos visionários, que sempre perguntam “Você sabe como tirar proveito das redes sociais? Sabe o que é Web 2.0?”

Fuja desse tipo de gente. Normalmente são inseguros e não aceitam que se mostre algum tipo de superioridade sobre eles (o que é quase impossível de não fazer). Faça de tudo para esconder a total falta de respeito, mas não se deixe nunca enganar ou cair na mediocridade. 

Ia terminar esse texto quando Gustavo de Almeida solta a pérola abaixo no Twitter. Irresistível. 

Tal e qual Nelson Rodrigues, eu sinto inveja do caráter eterno da burrice. E não me canso de espantar com sua capacidade de permanecer.

Anúncios

Skank no Vivo Rio (16/5) e Beatles!

skank vivo rio 1Frio, uma chuvinha chata e um público que misturava jovens, gente já acima dos 30 e até crianças foram chegando e enchendo o Vivo Rio, que na contra-mão do que acontece hoje com a quase totalidade das casas de espetáculos, colocou ingressos a preços decentes (R$ 60). O resultado é que mesmo sendo a quarta vez que o grupo voltou ao Rio para lançar seu último CD, Estandarte, encontrou uma platéia animada e que, como reconheceu Samuel Rosa, sabia de cor até mesmo as músicas do Estandarte.

skank vivo rio 2O repertório foi quase o mesmo apresentado em novembro de 2008 no Canecão. Se daquela vez Samuel pulou mais que o normal, desta vez agiu mais como um maestro, um mestre de cerimônias que dava a platéia exatamente o que ela queria. 

Bis desconfortável 

skank vivo rio 3Uma das grandes novidades da recente turnê é a interatividade com o público, que escolheu a próxima música de trabalho (Sutilmemte) e também pode escolher as canções do bis através de mensagens SMS. Infelizmente, na maioria das vezes a trinca de canções que tem É Uma Partida de Futebol sai vencedora. Talvez por isso Samuel tenha feito a apresentação da trinca vencedora sem muito entusiasmo e disse que também tocariam outras que não as vencedoras. Infelizmente, a única fora do roteiro foi Resposta, apesar de Jackie Tequila e Te Ver tivessem seus próprios fã-clubes. Fica para a próxima. 

skank vivo rio 4Também desapareceu a barraquinha que vendia CDs do grupo por preços bem baratos e que faria a festa em um show com preços também baratos. Era uma chance de faturar uns ótimos reias sem fazer força.

Depois, a já tradicional maratona para buscar o carro – problema insolúvel do Vivo. 

Detalhe: Alguns ficam com certo pudor em dizer que gostam do pop-beatle do Skank. O que sei é que poucos grupos me deixam tão roucos após um show quanto esses mineiros. 

Um mais Um

Resposta