Biometria e smartphones aceleram a “morte” das senhas

Será?

login and passwordO uso da biometria segue em alta no Brasil, de acordo com Phil Scarfo, vice-presidente comercial e de marketing da Lumidigm, especializado em segurança. O executivo faz cinco previsões para o mercado nacional, em especial, no setor financeiro e na mobilidade. O smartphone será, na visão dele, ‘chave digital inteligente’. E diz: a ‘morte’ das senhas não acontecerá rapidamente, mas os dispositivos móveis vão reformular o conceito de segurança.

1 – Até o final de 2014, a maioria das agências bancárias estará equipada com sensores biométricos

Cinco dos maiores bancos brasileiros já estão adotando a autenticação biométrica, implantando sensores nos caixas eletrônicos. As demais instituições bancárias não devem demorar a seguir o mesmo caminho. O Brasil, inclusive, poderá se transformar no primeiro país no mundo em que o número de caixas eletrônicos com sistema de autenticação biométrica supera aqueles que contam apenas com modelos convencionais até o final deste ano – o que será um grande marco não só para o mercado local, mas para a tecnologia biométrica e a indústria em geral. Está claro que quando fornecedores inteligentes combinam o que os consumidores querem (maior comodidade) com o que eles precisam (maior segurança), o resultado é uma fórmula convincente e vencedora para todos. Os bancos brasileiros estão provando que a biometria pode aumentar a segurança sem aumentar a complexidade – oferecendo um benefício real e um modelo que funciona.

2 – Os smartphones vão substituir outras formas de identificação pessoal

Em todo o mundo, hoje em dia, há mais pessoas com acesso à telefonia móvel do que à água potável ou eletricidade. Sendo assim, os smartphones devem se tornar a loja principal dos dispositivos digitais. Quando combinados com a capacidade de armazenar não só credenciais seguras ou aplicativos, mas integrá-los a um NFC (responsável pela troca de informações sem fio), Bluetooth (rede pessoal sem fio) ou a outros meios, o mundo do e-commerce seguro torna-se mais próximo da realidade. Quem precisa carregar um cartão de crédito ou de débito se eles podem ser integrados ao telefone celular? Essa nova “chave digital inteligente” pode, ainda, ser combinada com uma “fechadura digital inteligente”, como um sensor biométrico num caixa eletrônico – protegendo transações financeiras com riscos mais baixos e maior conveniência para o usuário.

Identificar o usuário e seu dispositivo provê a autenticação de dois fatores que a maioria dos especialistas acredita ser necessária para as soluções de segurança inteligentes.

3 – Convergência da biometria e dispositivos móveis inteligentes

Ao introduzir o Touch ID (autenticação biométrica) no modelo mais recente do iPhone, a Apple facilitou bastante essa previsão. É muito provável que outros fabricantes terão de seguir o exemplo da Apple e introduzir a autenticação biométrica para diversos dispositivos em 2014. Depois que os usuários começam a perceber a conveniência de o telefone “reconhecer seu dono”, não apenas estarão mais inclinados a bloquear seus aparelhos celulares e proteger seus dados, como também vão ficar na expectativa de que o nível de segurança conveniente de outros fabricantes de smartphones seja mais competitivo. Tendo em conta que muito das nossas informações pessoais e confidenciais reside nesses dispositivos, um telefone celular desbloqueado pode se tornar uma ameaça real à segurança da identidade e da intimidade de uma pessoa. Além disso, uma vez que existe uma opção muito melhor do que memorizar senhas, códigos etc., a biometria tende a crescer nesse sentido também.

4 – A ‘morte’ das senhas

Embora a morte real das senhas possa demorar um pouco mais do que este ano, com mais de um bilhão de pessoas, hoje, com acesso à internet de banda larga (número que era de apenas 38 milhões em 1999), podemos finalmente estar chegando a um ponto em que um (ou mais de um) aplicativo seguro em um dispositivo inteligente poderá de fato substituir essas senhas menos seguras e pouco convenientes de que estamos todos amaldiçoados a nos lembrar e manter. Realmente, é impressionante pensar que uma tecnologia de segurança que foi introduzida mais de 50 anos atrás (Nome de Usuário / Senha) ainda seja a forma predominante de proteger transações online. Com muito mais de nossas vidas envolvendo transações entre pessoas e máquinas, e não somente entre pessoas, tem de haver uma forma melhor de substituir essa ineficaz abordagem – que já não é mais segura e certamente não é nada conveniente. Sendo assim, embora o último suspiro das senhas possa acontecer depois de 2014, este deve ser um ano em que o “ponto de inflexão” finalmente será atingido – e realmente pode estar próximo o dia em que veremos a morte da palavra-chave.

5 – A grande liderança e visão do mercado brasileiro começa a se espalhar para outros mercados

A adoção generalizada da biometria em bancos, casas lotéricas e outros serviços de transação financeira brasileiros, provavelmente vai estimular outros mercados a perceber que a biometria (especialmente quando combinada com dispositivos inteligentes) pode ser a única ferramenta necessária para viabilizar e dar suporte a uma ampla gama de aplicações seguras para os usuários. Um telefone celular inteligente e seguro, quando aliado à biometria num caixa eletrônico, casa lotérica ou outro ponto de venda – ou, ainda, com um ponto de toque digital – poderá facilmente substituir todas as outras formas de identificação pessoal ao longo do tempo. Então, fica a dúvida: por que seria necessário levar carteira de identidade ou cartão de crédito, documentos de viagem, fichas, ou lembrar de uma longa lista de senhas e palavras-chave, se qualquer transação online pode ser habilitada para autenticar tanto a pessoa quanto sua chave digital?

Pode levar um pouco mais de um ano para ter certeza, mas essa tendência de segurança conveniente deve continuar. Afinal de contas, podemos ‘precisar’ de segurança. Mas, ‘queremos’ comodidade e privacidade para realizar transações com segurança em qualquer ambiente de negócios, a qualquer hora do dia ou da noite, em qualquer lugar. Segurança não deve mais ser uma barreira, mas uma barra de proteção que guia nosso caminho e nos protege. E o Brasil é claramente o líder dessa revolução, podendo mostrar ao resto do mundo que, quando soluções simples e inteligentes são encontradas, elas podem substituir alternativas complexas, ineficazes e datadas.

Site: Convergência Digital

Anúncios

Mudanças no trânsito podem prejudicar vendas no Centro do Rio

EngarrafamentoAs alterações no trânsito do Centro do Rio para as obras do Porto Maravilha estão preocupando os comerciantes da cidade. Depois da interdição total do Elevado da Perimetral, ocorrida no último sábado, a partir do dia 1º de fevereiro, a Avenida Rio Branco, entre a Praça Mauá e a Avenida Presidente Vargas, passa a operar apenas no sentido Praça Mauá. Já no dia 8, a Rio Branco, a partir da Presidente Vargas até a Beira-Mar, irá se transformar em uma via de mão-dupla, exclusiva para táxis e ônibus.

Com a proibição de circulação de veículos particulares, incluindo os de carga e descarga, que reabastecem o comércio da região, o presidente do Conselho Empresarial de Comércio de Bens e Serviços da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), Aldo Gonçalves, estima que ocorra perda de faturamento nos próximos meses. Segundo Aldo, a prefeitura está realizando mudanças estratégicas no deslocamento dos cariocas sem levar em consideração as necessidades da categoria.

Ainda de acordo com Aldo, na tarde desta sexta-feira (24) ele esteve reunido com representantes da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) para debater como ficarão as operações de carga e descarga no Centro do Rio após as alterações no trânsito. Atualmente, elas são autorizadas somente entre 10h e 17h em toda a cidade, e com proibição de estacionamento em determinadas ruas. Segundo Aldo as entregas deverão passar a ser feitas com a ajuda de carrinhos leves. Com isso, os entregadores terão de percorrer um caminho maior entre o caminhão e o estabelecimento.

“O cenário econômico para o setor comercial na Região Central do Rio em 2014 não é favorável e provavelmente haverá um encarecimento das entregas. Com a proibição de veículos particulares e a precariedade do sistema de transporte público, as pessoas vão evitar se deslocar para o Centro da cidade, prejudicando o faturamento do comércio local”, avaliou Aldo Gonçalves que também preside o Sindicato dos Lojistas do Rio de Janeiro (Sindilojas-Rio) e o Clube de Dirigentes Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio).

Aldo Gonçalves ressaltou também outros fatores que vão agravar as perdas no comércio carioca, como a grande quantidade de feriados deste ano, “inclusive alguns que serão criados em dias de jogos do Brasil na Copa do Mundo”; a elevada carga tributária do setor; o déficit na balança comercial brasileira; e aumento da inflação e da taxa de juros, que está em 10,5% ao ano.

Outras alterações no trânsito

Na sexta-feira (24), começou a valer a proibição de estacionamento em diversas ruas do Centro do Rio, com redução de 1.000 vagas. No domingo (26), seis ruas e avenidas do Centro e Lapa tiveram seus sentidos invertidos.

No dia 8 de fevereiro, o Mergulhão da Praça XV também será fechado. A interdição do Mergulhão é necessária para readequar o traçado atual e incorporá-lo ao do Túnel da Via Expressa. Ele passará a contar com três faixas, como em toda a extensão da Via Expressa. A partir dessa data, os ônibus municipais também terão seus itinerários alterados.

Entre a Presidente Vargas e o Aterro do Flamengo, a faixa central da Avenida Rio Branco será destinada à circulação de táxis no sentido Cinelândia que não terão ponto para embarque e desembarque. As faixas laterais ficarão disponíveis para o tráfego de ônibus: duas no sentido Candelária e as outras duas no sentido contrário (Cinelândia).

Fonte: Associação Comercial do Rio de Janeiro

O inferno astral do Rio de Janeiro e os minutos que salvaram uma vida

Acidente Linha AmarelaO inferno astral vivido pela cidade do Rio de Janeiro, principalmente no que se refere aos transportes, com panes e acidentes com trens, ônibus e agora essa tragédia na Linha Amarela, parecem reafirmar que a proximidade com o aniversário sempre traz eventos desagradáveis. É certo que muitos desses problemas poderiam ser evitados caso houvesse planejamento (para as obras), manutenção (caso dos trens) e fiscalização (quando pensamos nos ônibus e na Linha Amarela). Porém, o sempre nefasto jeitinho brasileiro faz com que empresas e governos margeiem as regras para conseguir obter os resultados prometidos, nos prazos fixados.

Solução? Difícil encontrar uma que faça diferença em um prazo curto. É preciso uma mudança total de mentalidade em todo o país.

Um susto

Passei sob a passarela que desabou cerca de uns dois minutos antes do acidente. Viesse um pouco mais devagar, poderia estar entre as vítimas da aparente imprudência do motorista do caminhão que causou a queda da passarela. O susto em ouvir sobre o acidente poucos segundos depois de passar pelo local me fez pensar o quão frágil é a nossa condição humana e que realmente não devemos perder tempo revendo momentos desagradáveis da nossa existência ou pensando em perdoar quem nos tenha causado dor.

Não sou de usar esse espaço para esse tipo de reflexão, mas essa passou perto.

Grammy 2014 – O ano do Daft Punk e de Paul McCartney

indicados-grammy-2014A 56ª cerimônia de entrega dos prêmios Grammy confirmou a tendência mundial de criar eventos onde o maior número possível de artistas vá para casa com algum troféu. Foram 82 categorias, dominadas por nomes como Jay Z, Lorde e os robôs do Daft Punk. Houve também uma certa overdose de Bruno Mars e a certeza de que a música perdeu o rumo em algum momento da história.

Uma das coisas inexplicáveis da cerimônia foi o pouco espaço dado ao cantor e ator LL Cool J, que já havia feito um bom trabalho como mestre de cerimônias em outras edições, mas que foi um mero coadjuvante este ano. Mesmo assim, no geral o Grammy foi bastante agradável, opinião que é contestada por muita gente que apenas gosta de música, mas não é tão ligada ao assunto.

Paul McCartney Grammy Awards 2014Pontos altos: as vitórias do Daft Punk, a apresentação inspirada no Cirque du Soleil de Pink, a beleza de Taylor Swift e Julia Roberts e alguns segmentos musicais, principalmente quando comandados por veteranos. Stevie Wonder, Willie Nelson, Carole King, Ringo Starr e Sir Paul McCartney, são a prova daquela perda de rumo que citei no primeiro parágrafo. Perto deles, as atrações mais atuais pareceram pálidas e até mesmo Madonna não segurou bem a onda.

Velhinhos se destacam

Como acontece todos os anos, vários das mais de 80 estatuetas são distribuídas em uma cerimônia que acontece antes da festa principal que é transmitida pela TV. É nesta premiação que alguns dos prêmios mais importantes para quem gosta mesmo de música são conhecidos. Este ano, embora pouca gente tenha visto, artistas como Led Zeppelin, Black Sabbath, Ben Harper e Charlie Musselwhite.

Beyonce-JayZ-GRAMMYSó neste pré-Grammy Paul McCartney já saiu com quatro Grammy por seus trabalhos solo e com os Wings, além de ter contribuído em muito para o ganho pelo projeto Sound City (Melhor Trilha Sonora). Com isso, podemos considerar que Macca já chegava na cerimônia com cinco prêmios e ainda ganharia mais um pelos 50 anos da chegada dos Beatles aos EUA, além de estar na briga pelo Grammy de melhor canção de rock. Como ele também levou esse, foi para casa com um total de seis prêmios, o melhor desempenho de sua carreira e de toda a cerimônia.

Boas apresentações

As performances musicais foram acima da média. Carole King, a gangue de veteranos músicos country, a bela homenagem ao falecido Don Everly e a sensacional aparição de Nile Rodgers, Pharrell Williams e Stevie Wonder, com o Daft Punk, que pôs todo mundo para dançar. Carole King mostrou que ainda é uma grande compositora/intérprete e que os ex-beatles mantêm a magia, mesmo quando tocando uma canção que não faz jus ao que a banda produziu nos anos 60.O grand finale também manteve o alto astral. Dave Grohl, Queens of the Stone Age, Nine Inch Nails e Lindsay Buckingham, do Fleetwood Mac, mandaram muito bem.

PinkÉ difícil condensa uma festa desse tamanho em poucas palavras, mas o Grammy, depois de um período muito fraco, deu a volta por cima e passa novamente a valorizar (na maioria das vezes) os melhores em cada categoria.

Alguns dos pontos altos da premiação

Melhor Performance de Rock: Imagine Dragons – Radioactive

Melhor Performance de Metal: Black Sabbath – God Is Dead?

Melhor Canção de Rock: Nirvana / Paul McCartney – Cut Me Some Slack

Melhor Álbum de Rock: Led Zeppelin – Celebration Day

Melhor Álbum de Blues: Ben Harper with Charlie Musselwhite – Get Up!

Melhor Trilha Sonora: Dave Grohl & co – Sound City – Reel To Reel

Melhor Caixa ou Edição Limitada: Paul McCartney & Wings – Wings Over America (Deluxe Edition)

Melhor Álbum Histórico: Rolling Stones – Charlie Is My Darling, and Bill Withers – The Complete Sussex And Columbia Albums

Melhor Álbum Surround: Paul McCartney – Live Kisses

Melhor Filme Musical: Paul McCartney – Live Kisses

Confira aqui todos os vencedores

 

 

 

Novas tecnologias de memória prometem revolucionar o PC

Memória RAMNovos chips que reduzem as diferenças entre as tecnologias de memória usadas como RAM e para armazenamento estão começando a deixar um nicho e podem mudar a forma como usamos nossos PCs, disse um analista da indústria neste domingo.

Segundo Tom Coughlin, fundador da Coughlin Associates, tais chips tornariam possível um computador que liga instantaneamente como um tablet, mas com um desempenho muito mais alto.

“Estamos vendo o desenvolvimento de novas tecnologias de armazenamento em estado sólido. A RAM Magnetoresistiva (MRAM) é uma delas, e também há discussões sobre o uso de RAM Resistiva (RRAM) em alguns casos. […] Tecnologias que nasceram em laboratórios e estavam sendo usadas em nichos de mercado estão se tornando mais disseminadas”, disse Coughlin, em uma apresentação durante a conferência Storage Visions, que acontece paralelamente à edição 2014 da CES em Las Vegas, nos EUA.

Chips de memória convencionais, ou DRAM (Dynamic RAM) armazenam os “zeros e uns” que compõem a informação usando uma carga elétrica em cada célula, mas a MRAM usa uma carga magnética. Já a RRAM é baseada em um “sanduíche” de dois materiais, com a camada central tendo uma resistência elétrica diferente do material das camadas exteriores.

Os PCs atuais usam DRAM para armazenar temporariamente os dados necessários à execução dos programas ou do sistema operacional. O conteúdo da DRAM é perdido quando o computador é desligado, mas a MRAM e RRAM são um tipo de memória “persistente”, ou seja, que armazena os dados mesmo sem energia. Com isso seria possível retomar instantaneamente uma sessão em um computador, mesmo que a máquina tenha sido desligada.

Memória Flash, normalmente usada em tablets, smartphones e em unidades SSD em PCs, também oferece armazenamento persistente, mas os novos chips seriam muito mais rápidos que ela. Segundo a Crossbar, uma das empresas que desenvolve a tecnologia de RRAM, a nova memória pode ser até 20 vezes mais rápida na escrita de informações, consumir 20 vezes menos energia e ter 10 vezes a durabilidade da memória NAND Flash usada atualmente.

Muitos dos principais fabricantes de chips de memória estão voltando seus interesses a estas novas tecnologias. A Renesas, a Hitachi e a Micron Technology estão entre as grandes empresas participando de pesquisas em MRAM na Universidade Tohoku, no Japão. E em agosto deste ano a Crossbar, que é uma startup, disse ter planos para produzir e licenciar sua tecnologia RRAM.

Mas segundo Coughlin, ainda há trabalho a fazer em ambas as tecnologias antes que elas possam substituir a DRAM, e o preço dos chips precisa cair.

“Quando isso acontecer, haverá muito interesse na criação de arquiteturas de computação que unifiquem o armazenamento e a memória. Onde poderei ter memória que mantém os dados mesmo que a alimentação seja desligada”, disse ele.

Mas a criação de PCs com memória persistente pode introduzir um problema: “muitas pessoas reiniciam seus computadores para recuperá-los de panes no sistema e outros problemas. Isso porque geralmente há algo errado com a memória, como dados corrompidos ou inválidos. Mas se a memória é mantida mesmo quando o computador é desligado, teremos de encontrar novas formas de fazer isso”, disse Coughlin. “Os fabricantes de computadores poderão ser forçados a criar sistemas mais confiáveis”.

Fonte: Computerworld

 

Criador do Twitter apresenta novo aplicativo

jellyBiz Stone, um dos fundadores do Twitter, apresentou seu novo aplicativo na semana passada. Jelly é um app que funciona como ferramenta de busca humano. Conectando-se pelo Facebook ou Twitter, o usuário faz uma pergunta e insere uma imagem que ilustre a dúvida. Os outros usuários podem responder por meio de link, imagem ou texto.

Disponível gratuitamente para iOS e Android, o serviço é semelhante ao Quora e ao Ask.com e apresenta uma função que poderia ser desenvolvida até mesmo no Twitter. Mas Stone defende que outras redes sociais não são utilizadas especificamente para essa função. O executivo afirma que o aplicativo nasceu de sua crença de que uma comunidade conectada só tem sentido se as pessoas se ajudarem.

Diferentemente do que esta nota dizia anteriormente, o Jelly não tem relação oficial com o Twitter: além do fato de ambos terem Stone com oum de seus criadores, são empresas distintas.

Assista ao vídeo em que o executivo apresenta o novo app:

Fonte: Meio & Mensagem

Google se une a montadoras para colocar o Android nos carros

Carro com AndroidO Google anunciou na semana passada uma parceria com grandes montadoras que pretende colocar o sistema operacional da empresa nos carros. Chamada Aliança Automotiva Aberta (OAA, na sigla em inglês), a iniciativa une Audi, GM, Honda e Hyundai, além da Nvidia e o Google.

A ideia, pelo que explicou o diretor de engenaria do Android Patrick Brady, é fazer com que tudo o que o sistema proporciona em tablets, smartphones e computadores possa ser levado aos automóveis de forma segura.

“Colocar o Android no carro trará aos motoristas aplicativos e serviços que eles já conhecem e adoram, permitindo que as montadoras entreguem mais facilmente a tecnologia de ponta para seus clientes”, disse ele.

Fonte: Olhar Digital

Copa e 4G impulsionam comércio eletrônico no Brasil em 2014

Sério que essa descoberta ainda surpreende alguém?

Copa 2014 e-commerceO e-commerce nacional fechou 2013 com faturamento de R$ 31,11 bilhões, aponta a previsão da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). O resultado representa um crescimento de 29%, em relação a 2012. De acordo com a entidade, o ano fechou com 53 milhões de e-consumidores. As categorias moda e acessórios, eletrodomésticos, saúde e beleza, eletrônicos e informática, foram as de maior destaque no período.

“Apesar da desaceleração da economia e do aumento no endividamento do brasileiro, o e-commerce nacional ganhou dez milhões de novos consumidores em 2013, o que contribuiu para que o setor mantivesse as taxas médias de crescimento dos últimos anos”, afirma Mauricio Salvador, presidente da ABComm.

A previsão para 2014 é de que o setor deve movimentar R$ 39,5 bilhões, um crescimento de 27%, em relação ao ano passado. “A Copa do Mundo deve alavancar principalmente as categorias eletrônicos e material esportivo, que já são fortes no e-commerce”. Além disso, os investimentos em infraestrutura e a chegada do 4G trará novos consumidores para o e-commerce.

Fonte: Convergência Digital

Asus anuncia híbrido que roda Windows e Android

Asus hibridoÉ um laptop? É um tablet? É Windows? É Android? Sim, o novo produto da Asus, o Transformar Book Duet é tudo isso ao mesmo tempo. O dispositivo, anunciado na segunda-feira, 6, na CES é a mais nova cartada da empresa no ramo dos híbridos, não só alternando o hardware, mas também o sistema operacional.

A empresa, que já havia lançado o Transformer Book Trio, com uma proposta semelhante, mudou um pouco as coisas: agora há apenas um processador funcionando na região da tela e é um Intel Core i7, capaz de suportar tanto o Windows 8.1 quanto o Android Jelly Bean quando a parte com o teclado é desconectada.

A tela sozinha também conta com até 128 GB de SSD. Quando todo o sistema está montado, no entanto, o usuário pode se beneficiar de até 1 TB de HD e as entradas USB. Já o display é de 13 polegadas e sua resolução pode variar entre 720p e 1080p, dependendo da faixa de preço escolhida pelo usuário.

A Asus diz que seu tablet/laptop é o primeiro “4-em-1” do mercado, já que alterna entre as funções de laptop com Windows e com Android, e tablet com os dois sistemas operacionais. De fato, com tanta variedade, a única coisa que ele não faz é rodar aplicativos de iOS.

A empresa também diz que a bateria pode durar até 10 horas e que para alternar entre os sistemas operacionais basta pressionar um botão, não sendo necessário o reboot, o que dá a entender que ambos os softwares rodam simultaneamente e de forma independente. A troca entre sistemas demora cerca de 4 segundos, diz a Asus.

Fonte: Olhar Digital

Crazy Diamond – Syd Barrett e o surgimento do Pink Floyd

crazydiamondsydbarrettLançado no Brasil no fim do ano passo pela editora Sonora (especializada em publicações musicais) o livro Crazy Diamond – Syd Barrett e o surgimento do Pink Floyd, dos jornalistas Mike Watkinson e Pete Anderson, traça um perfil do integrante mais obscuro e cultuado do grupo, que fez fama após a sua saída.

Morto em 2006, Barrett se transformou de um jovem brilhante em uma alma atormentada e uma mente alterada pelo uso excessivo de drogas, principalmente o LSD. O legado musical de Barrett, que gravou apenas dois discos de estúdio – The Madcap laughs e Barrett (os dois de 1970) e teve uma coletânea com registros raros, Opel, lançada em 1988. Os três álbuns foram relançados em uma caixa nos anos 90 e a leitura do livro faz crescer em muito a vontade de ouvi-los.

Mas, voltando ao livro, a sua leitura é obrigatória (e um prazer) para todos os fãs da banda e os que se interessam por rock. A tradução é das melhores e o preço (por volta de R$ 28) é uma pechincha.

Peço desculpas por só escrever essa crítica agora em janeiro, mas não consegui começá-la antes de terminar de ler o livro até a última linha.

Já na lista dos melhores do ano (mesmo sendo um lançamento de 2013).

Ouça algumas músicas de Barrett na playlist do F(r)ases, no menu lateral.

Apple: música em baixa, apps em alta

As vendas de CDs e vinil subiram e a de arquivos caiu. Back to the Future?

the-beatles-on-apple-itunesA disseminação de serviços de streaming como Pandora e Spotify parece ser um problema para as lojas virtuais de música.

Em 2013, a iTunes Store registrou queda na venda de músicas, de acordo com balanço divulgado pela Nielsen SoundScan. É a primeira vez que essa redução acontece, desde a criação do comércio da Apple, há dez anos.

Segundo informações da Billboard, publicadas no The Verge, a comercialização de faixas caiu 5,7% enquanto a venda de álbuns, 1%. Os executivos da gravadora creditam o fato ao surgimento dos serviços de streaming, que permitem o acesso ilimitado a acervos musicais a preços módicos.

Venda de apps em alta

As venda de músicas pode estar em baixa, no entanto a comercialização de aplicativos trouxe bons resultados para a Apple. De acordo com levantamento divulgado nesta terça-feira 7, a companhia faturou US$ 10 bilhões em vendas de aplicativos no ano passado. Segundo informações da Reuters, foram realizados três bilhões de downloads no período.

Fonte: Meio & Mensagem

Cinco dicas do Facebook para pequenas e médias empresas

Simples, básicas, lógicas e inteligentes. Infelizmente é preciso que seja publicado em uma revista para que as pessoas vejam que é por ai mesmo.

Com o fim do ano, os empreendedores começam a pensar em estratégias para crescer em 2014 – e é bem provável que criar ou aperfeiçoar a atuação da empresa nas redes sociais esteja na pauta de discussões. Para ajudar os empreendedores, Patrick Hruby, diretor de negócios do Facebook para pequenos e médios negócios na América Latina, listou cinco dicas para que empresários saibam usar a rede social para expandir seus negócios.

Impulsionar nas redes sociais1) Crie uma fanpage – Comecemos pelo básico. Uma página no Facebook é um canal de comunicação extremamente importante com seus clientes. É importante manter informações sobre a empresa, como endereço, horário de atendimento e contatos, sempre atualizados. Aposte em postagens que façam seus clientes se identificar com seu negócio: coisas simples, como atualizar a sua foto de capa com imagens de feriados ou com temas sobre pequenas empresas ajudam a aumentar o engajamento de seus fãs.

2) Interaja – Seu trabalho não termina ao postar algo, mas ao interagir com seus clientes. Não deixe de responder as pessoas que pedem informações sobre seu negócio. Não dê respostas automáticas – mostre que há um ser humano por trás da página e seja autêntico em suas mensagens.

Outro ponto importante na interação com seus fãs: não é só você que tem uma empresa incrível. Considere postar conteúdo que beneficie os usuários. Uma boa opção é destacar outros negócios bacanas na região ou compartilhar links interessantes relacionados à atividade da sua empresa.

3) Seja multimídia – Não é só de textos que vive uma rede social. Faça postagens com fotos e vídeos – esse tipo de conteúdo, normalmente, alcança níveis maiores de engajamento no Facebook. Outra ideia é criar um álbum de fotos com imagens de produtos. Assim, as pessoas poderão saber o que você vende sem precisar sair de casa.

4) Ofereça descontos – Ofertas atraem pessoas. Afinal, todo mundo gosta de comprar coisas legais a preços baixos. Por exemplo, você pode dar um desconto para aqueles que mencionarem o Facebook quando forem à sua loja.

Para quem quer atingir mais gente, uma alternativa é o Offers, outra das ferramentas que o Facebook oferece. Este serviço permite que empreendedores criem promoções especialmente para seus seguidores: a fanpage posta a oferta e os interessados recebem um e-mail com um comprovante – que deve ser apresentado no ato da compra para validar o desconto.

5) Impulsione postagens importantes – Você pode garantir que as pessoas certas sejam impactadas por suas publicações por meio de posts impulsionados. O serviço é pago, mas atinge mais pessoas. O Facebook tem uma ferramenta de segmentação de público, em que é possível definir as características das pessoas que te interessam. Na hora de escolher o valor a ser pago, basta digitar o valor que pretende investir e o Facebook dirá imediatamente quantas pessoas o seu post irá alcançar.

Fonte: PEGN

Quando todos são responsáveis por uma tragédia

As imagens do esmagamento e morte de um ciclista em São Paulo – esmagado entre uma carreta e um ônibus depois de fazer uma manobra irresponsável (clique aqui e veja o vídeo) – e o caso da queda de uma menina no aeroporto do Galeão, no Rio, acabam gerando reações que parecem descabidas, contra o motorista da carreta (que não parou para socorrer o ciclista, muito provavelmente porque nem viu o que aconteceu) e da administração do aeroporto, quando parece óbvio que houve negligência dos pais em cuidar dos filhos.Ciclista imprensado

Bem, vamos deixar uma coisa clara: esse não é um texto para aliviar a barra de ninguém, apenas para tentar dividir as responsabilidades. No caso do acidente de trânsito, fica claro que o ciclista entrou numa de “vão me deixar passar” e se deu mal. Claro que na maioria das vezes os motoristas não respeitam ciclistas e motos (motoqueiros e motociclistas, para deixar todos felizes), mas é preciso ver que esses condutores de veículos leves também parecem desconhecer as regras de trânsito e acham que trafegar entre os carros é um direito adquirido. Afinal, demonizar uma parte ou outra não ajuda em nada na melhoria da nossa cidadania.

Já o caso da menina que caiu do terceiro andar do Galeão, fica clara a falta de atenção dos pais em relação ao comportamento da criança. Que o aeroporto é ridículo, mal conservado e cheio de armadilhas (em vários aspectos), qualquer pessoa que já tenha viajado para o exterior sabe, mas que as evidências nos levam a crer que a menina estava totalmente solta e sem qualquer supervisão, é clara. Não sei se os pais são daqueles que acham que tudo que os filhos fazem lindo e que uma vez ou outra dão um gritinho para mostrar algum tipo de autoridade, mas é preciso investigar, já que acidentes podem acontecer em escadas rolantes, escadas, shopping centers e praticamente qualquer lugar onde deixem crianças sem supervisão.

Esse desabafo é contra o péssimo hábito de se transformar as vítimas em mártires. Sempre lembro o caso da morte do filho da atriz Cissa Guimarães. O atropelador estava trafegando dentro de um túnel que estava fechado e atropelou o rapaz, que andava de skate dentro do mesmo túnel que estava FECHADO! Culpados? Bem, as duas partes estavam igualmente erradas e sugerir a troca do nome do túnel para homenagear o morto é algo que soa como “vamos homenagear um transgressor“. Pode ser uma realidade dura, um comentário cruel, mas é a realidade.

Gente, vamos responsabilizar os responsáveis e não apenas quem queremos que seja culpado.

Apple registra patente de um “mapa interativo”

Mapa interativoO aplicativo de mapas da Apple sempre foi muito criticado nos últimos anos por causa de seus bugs e caminhos não existentes. Mas, uma nova patente registrada pela empresa espera melhorar a reputação do aplicativo.

Um pedido de patente foi publicado no Escritório de Patentes e Marcas Registradas dos Estados Unidos pela Apple chamado de “Mapa Interativo”. A patente descreve um mapa eletrônico que exibe camadas com diferentes informações e destaca melhor locais para serem visitados de acordo com a localização do usuário.

“Um recurso interativo permite que um usuário possa ajustar o conteúdo de um mapa eletrônico. Diferentes modos podem ser escolhidos para enfatizar recursos relevantes de interesse particular”, diz a patente publicada em parte no CNET. “Quando uma pesquisa é realizada, os modos atuam como filtros para os resultados obtidos”.

Ou seja, o usuário poderá escolher que tipos de informações irão aparecer no mapa, selecionando determinadas categorias. Essas camadas de informações viriam de serviços de mapeamento e de outros sites na Internet.

O usuário poderá optar para exibir, por exemplo, rodovias, parques, lojas, aeroportos, clima e outros itens, separadamente ou todos juntos em uma imagem composta. Além disso, o usuário poderá personalizar e ajustar como as informações irão aparecer, por exemplo, mostrando todas as estradas em uma única camada, ou apenas mantendo as principais rodovias em uma camada superior e as ruas laterais em uma camada inferior.

O aplicativo também utilizaria melhor os recursos da touch-screen presentes nos aparelhos da Apple. Ao tocar em uma cidade, o app irá mostrar detalhes como a demografia, hotéis e horários de voos, por exemplo. Ao tocar em uma estrada, o mapa poderá mostrar postos de gasolina, hotéis e restaurantes ao longo do caminho.

Se o usuário tocar em dois pontos diferentes do mapa, o aplicativo calculará a distância entre eles e irá sugerir algumas rotas. “Aplicações geoespaciais podem ser integradas com o mapa para fornecer informações relativas à área mostrada e para refinar os resultados de pesquisa para ela”, diz a patente.

Camadas e outros recursos já estão disponíveis em vários aplicativos de navegação e sites. Mas o conceito da Apple deve dar um passo à frente em relação ao mapeamento interativo. Agora só resta esperar quando a Apple irá implementar essas novas funções ao seu aplicativo de mapas.

Fonte: Canal Tech

Globo volta a postar links no Facebook

Não dá para saber se a decisão de proibir os links nas redes sociais saiu da cabeça de um veterano que interpretou que essa seria uma boa medida após ouvir ou ler as ideias de algum novo guru da internet, de algum novato que vislumbrou novas maneiras de alavancar a audiência da empresa ou de um nerd que se baseou em alguma pesquisa feita com as pessoas que não interessam realmente. O importante é que depois de OITO meses, viram que a medida em nada ajudava o tráfego ou a reputação da organização. Claro que a resposta foi lenta, mas… qual o prazo e o peso de se admitir um erro em uma nave desse tamanho?

logo-rede-globoA virada do ano marcou o início da mudança de uma polêmica estratégia adotada pelas Organizações Globo. Desde abril do ano passado, o grupo de mídia proibiu a postagem de links de conteúdo de todos os seus veículos no Facebook. A medida – que contemplou a TV, o portal G1, as revistas da Editora Globo e os demais canais de comunicação do Globo – gerou bastante críticas e debates acerca do papel do uso das redes sociais por veículos e vinha sendo seguida rigorosamente até os últimos dias de 2013.

Desde o último dia 30, porém, o jornal O Globo voltou a publicar links em chamadas para suas matérias nos posts de sua fanpage no Facebook. O mesmo acontece nas páginas das revistas da Editora Globo, como Época e AutoEsporte.

facebookA reportagem apurou que funcionários desses veículos receberam um comunicado interno, com novas regras para a utilização do Facebook. No texto, as Organizações Globo autorizam a publicação de links de suas notícias, desde que as chamadas sejam curtas. Não é permitido, no entanto, promover as publicações fazendo uso das ferramentas pagas oferecidas pelo Facebook.

Por enquanto, a fanpage do G1 e da Rede Globo ainda não estão postando links em suas notícias. De acordo com a assessoria de imprensa da Editora Globo, ainda não há um posicionamento oficial que explique a nova estratégia e cada veículo das Organizações está adotando as medidas determinadas. A empresa, no entanto, deve se pronunciar nos próximos dias sobre seu novo padrão de trabalho nas redes sociais.

Fonte: Meio & Mensagem

Retrospectiva musical 2013 – Parte II

Pelo jeito essa retrospectiva não vai terminar tão fácil. Em um ano com tantos relançamentos, fica sendo muito difícil não citar mais alguns itens que mereciam entrar na lista dos melhores.

Ai vão eles.

Gal IRecanto ao Vivo – Gal Costa – O combo CD/DVD captura perfeitamente a estrutura do ótimo espetáculo de Gal.

AOR – Ed Motta – Ame-o ou deixe-o. Ed Motta é capaz de conseguir esse tipo de reação das pessoas. O disco volta ao som mais suingado que o fez famoso.

Jake Bugg – Alçado ao estrelato cheio de comparações com o velho trovador Bob Dylan, Jake Bugg, de apenas 19 anos, faz um debut inspirado no clima dos anos 60.

Capa LOBOS-okMiragem – Os Lobos – Os Mutantes de Niterói têm seu álbum relançado e comprovam que realmente seu som é atemporal. Ficou de fora da primeira lista de melhores por muito pouco.

Se me chamar, ô sorte – Wilson das Neves – O veterano baterista lança uma coleção de sambas de primeira.

Slowhand – Eric Clapton – Uma das obras primas do Deus da Guitarra ganha versão estendida e melhorada. Imperdível.

*No centenário do poeta Vinicius de Moraes, a caixa comemorativa com seus discos ganha uma super menção honrosa entre os melhores lançamentos do ano.

Leia a primeira parte aqui!

Retrospectiva musical 2013

Como toda lista, essa também deve gerar polêmicas (se alguém ler). A relação abaixo seguiu alguns critérios que acabaram sendo decisivos, como a não obediência de ficar restrito a alguma quantidade específica de títulos. Mas o melhor mesmo é deixar claro alguns deles.

1- Todos os discos, CDs, DVDs e livros resenhados foram ouvidos e lidos, ao contrário do que muita gente “importante” faz;

2- A maioria dos textos foram escritos para publicação em algum veículo de comunicação, mas é claro que o gosto pessoal teve forte influência nas opiniões. Portanto, não se você espera encontrar algo sobre pagode, funk, esqueça e pare de ler aqui;

3- O bom e o mal trabalho de gravadores, editoras, distribuidoras e assessoras também foi fundamental na formatação deste “best of”. Sendo assim, nada de David Bowie, por exemplo;

4 – Por último, mas não menos importante, a total falta de necessidade de ser modernoso, antenado com as últimas tendências, etc. Sendo assim, o mais importante é mesmo a qualidade da música e não a sua exposição na mídia.

Well, vamos ao que interessa. Como a lista ficou longa, há três divisões: vermelho (imperdível), verde (estonteante) e azul (merece ser conferido). Porém, a diferença entre essas classificações é quase imperceptível.

Melhores CDs e DVDs do ano (em ordem cronológica de audição e publicação):

Sex Pistols - Never Mind The Bollocks Here's The Sex Pistols FrontPeter Gabriel – Blood Live – Um dos mais conceituados astros do rock volta com um disco ao vivo, onde se apresenta com uma orquestra de 46 peças. Um ótimo lançamento para iniciar o então bebê ano de 2013.

Pascoal Meirelles – Dubai-Lima Guitar Projec – Ou quando a bateria homenageia a guitarra. O baterista Pascoal Meirelles juntou uma turma de guitarristas para acompanhar sua viagem instrumental.

Sex Pistols remasterizado e com bônus – O clássico disco dos Sex Pistols ganha versão com som melhorado e uma penca de bônus. Viva Never Mind the Bollocks, Here’s the Sex Pistols.

Caixa ‘Pery Ribeiro Anos 60’ reúne pérolas da bossa nova – Ainda na área do resgate histórico, os discos de Pery Ribeiro nos devolvem a versão original de Garota de Ipanema, entre outras boas bossas.

Francis Hime e Guinga juntos em álbum cheio de elegânciaElegância é uma das maiores qualidades da boa música brasileira. Juntar Francis HHime e Guinga só poderia dar nisso: um disco elegante.

Freddie Mercury – The Great Pretender (DVD) – O cantor do Queen era uma figura única e cheia de contradições. O documentário traz ótimas entrevistas com amigos e o próprio Freddie.

FCA!35 Tour: An Evening with Peter Frampton – O guitarrista comemora os 35 anos de Frampton Comes Alive, com um combo de CD e DVD de primeira.

Iron Maiden 88Maiden England – Lançado originalmente em 1989, Maiden England é outro bom relançamento e outra prova de que as técnicas de restauração atuais são muito boas. Rock para todos os gostos.

Só Morto – Jards Macalé – Para podermos entender e apreciar o presente é preciso conhecer o passado. O lançamento deste compacto duplo que marca a estreia de Jards Macalé foi uma cartada de mestre do selo Discobertas. Nossa MPB agradece.

Do Outro Lado – Marcelo Martins – Muitas vezes (ainda mais nessa era digital) fica fácil nunca saber quem é o responsável por um instrumento em uma determinada gravação. Marcelo Martins – saxofonista que já gravou com Arthur Maia, Nico Rezende, Gal Costa, Ivan Lins, Mauro Senise e Djavan, entre outros, resolveu lançar um trabalho solo no qual mostra maturidade e foge da armadilha de transformar solos de sax em momentos chatos de aguentar.

So – Peter Gabriel – Classic Albums (DVD) – A série Classic Albums é uma das mais bem feitas na história da música. Esse episódio dedicado ao disco SO é simplesmente imperdível.

Luiz Melodia – Série Tons – As caixas colocadas no mercado pela Universal Music são uma boa oportunidade para ter contato com obras primas da música que estavam fora de catálogo. Nessa edição os discos Pérola Negra (1973), Felino (1983) e Pintando o Sete (1991) mostram três faces do Negro Gato. Só ouvir Estácio, Holly Estácio, já vale o investimento.

stonescrossThe Rolling Stones Crossfire Hurricane (DVD) Lançado no Brasil pela ST2, Crossfire Hurricane é o documento oficial da história da banda, para muitos, a Maior Banda de Rock do Mundo!

Duofel pulsando MPB – O melhor duo de violões do Brasil faz releituras de canções que todos amam. O resultado? É difícil parar de ouvir.

Guilherme Arantes – Condição Humana – Independência e até uma certa raiva guiam Arantes. O autor de Meu Mundo e Nada Mais volta a boa forma.

Time – Rod Stewart – O primeiro grande revival do ano. Rod lança um disco surpreendentemente bom, voltando ao topo das paradas e mostrando que ainda tem muitas garrafas vazias para vender. Nele nos fez feliz!

Rod Stewart TimeWhitney Houston – A espetacular ascensão e o trágico declínio da mulher cuja voz inspirou uma geração (livro) – Ok, o título é um pouco longo, mas o jornalista Mark Bego destrincha o mundo da cantora que se perdeu (e perdeu a vida) nas drogas. Ótima leitura não autorizada.

Dominguinhos É de Todos – Uma Antologia – No ano no qual perdemos o talento do sanfoneiro, esta bela coletânea de canções do artista interpretadas por grandes nomes da MPB deixa clara a sua importância.

Wings Over America – Paul McCartney & Wings – Material de primeira. O disco que registra a super vitoriosa turnê de Macca e seu grupo pelos EUA, em 1976, foi um dos pontos altos do ano. Pena que o DVD/Blu-ray (Rockshow) teve problemas para ser produzido e acabou não sendo lançado no Brasil.

Erasmo Carlos – Série Tons – Mais um grande lançamento da Série Tons. O Tremendão (e seus fãs) ganham de presente reedições de Carlos, Erasmo (1971), Sonhos e Memórias 1941-1972 (1972) e o maravilhoso Banda dos Contentes (1976). Quem anda meio de lado com o Rei, deve ouvir o que o seu parceiro fazia nos anos 70. Brilhante!

Erasmo - caixa 3CDs_frente - em alta

Ellen Oléria – Não sendo fã do The Voice (qualquer um deles), algo curioso para quem se arrisca a escrever sobre música, entrevistar e ouvir o CD de Ellen Oléria foi uma alegria. A negra tem força, estilo e carisma!

Stereophonics – Graffiti on the train – O grupo, que já foi um dos melhores do mundo, segundo a crítica inglesa, mostra um belo trabalho, em um álbum com letras mais adultas. Guitarras em alta.

Joyce Moreno – Tudo – Embora tenha sido lançado no exterior em 2012, Tudo foi uma das melhores coisas que chegaram as prateleiras (se é que elas ainda existem) das lojas de CDs do país. Cantando e tocando como nunca, Joyce não deixa a peteca cair em nenhuma das faixas desse belo trabalho.

The Beach Boys Live The 50th Anniversary Tour – A mixagem pode até não ajudar, mas reunir Brian Wilson, Al Jardine e os outros Beach Boys só pode dar em coisa boa. São 41 canções com o espírito da surf music.

PrintThe Beatles – Help! (Blu-ray) – O relançamento do, na minha modesta opinião, o melhor filme dos Beatles, não poderia ficar de fora de uma lista dos melhores do ano.

No Tempo de Noel Rosa (livro) – A Editora Sonora foi mesmo uma bela aquisição para o cenário cultural brasileiro. Reeditar essa biografia de Noel Rosa (autorizada?) permite conhecer a vida do poeta da Vila em uma narrativa deliciosa.

Rita Lee – Série Tons – Assim como nos volumes dedicados a Erasmo Carlos e Luiz Melodia, a Série Tons acerta em cheio ao tirar do limbo os três primeiros discos da Rainha do Rock nacional: Build Up, Hoje é o primeiro dia do resto de sua vida e Atrás do porto tem uma cidade. Outro lançamento imperdível.

Best of live at the Apollo: 50th anniversary – James Brown – Quem não conhece James Brown não sabe o que é funk ou soul. Essa coletânea de gravações ao vivo não deixa nenhum esqueleto parado.

paul-mccartney-new-album-1381250075New – Paul McCartney Algumas pessoas podem até achar uma forçação de barra incluir o disco de Macca entre os melhores do ano. Bem, o disco é bom e a oportunidade de entrevistar o ídolo, em Londres, é algo inesquecível. Portanto, curtam New, um álbum que entrou para a (minha) história.

Também há um texto publicado no jornal O Globo sobre o álbum.

The Diving Board – Elton John – O melhor disco do ano veio de um veteraníssimo que voltará a se apresentar em palcos brasileiros em 2014. Nada de modernismos vazios, apenas grandes melodias, poesia de primeira e um piano sedutor. Sir Elton foi o melhor do ano.

Jack Johnson – From Here to Now to You – A nova safra de surf music atual poderia bem ser descrita como “músicas para ouvir deitado em uma rede”.

Elton John - The Diving BoardHistory of the Eagles – The Story of an American Band – A banda de rock que detém o recorde do álbum mais vendido nos EUA no século XX em um documentário de dar inveja a Scorcese.

Sound City – Dave Grohl (CD e DVD) – Apesar de fora de contexto (foi lançado bem mais cedo), esse documentário/CD não poderia ficar de fora. Merecia (no Brasil) uma divulgação mais competente.

Beatles On Air – Live at the BBC Volume 2 – O ano ainda teria mais dois lançamentos dos Beatles, sendo que um deles somente em formato digital e mais direcionado a colecionadores. Portanto, o melhor mesmo foi focar a atenção no segundo volume de gravações feitas para a BBC no início dos anos 60. Boas surpresas dentro desses dois CDs.

Amizade – Boca Livre – O melhor disco nacional do ano (assim como aconteceu com Herbert Vianna e seu Victoria, em 2012) foi lançado bem no fim do ano. A resenha completa ainda vai ser publicada, mas não podia deixar de mencioná-lo.

PS: Ouça canções desses trabalhos na playlist do F(r)ases da Vida, no menu lateral.

Número de brasileiros com banda larga cresce 30% em 2013, diz Ibope

InternetêsO número de brasileiros com acesso à Internet de banda larga em casa cresceu cerca de 30% em 2013, de acordo com estudo recente da Nielsen IBOPE. O aumento foi de 2.000% em quatro anos, aponta a pesquisa.

Chamado de NetSpeed Report, o levantamento aponta que 55% dos 76,6 milhões de brasileiros com Internet em casa tinham conexão com mais de 2Mb no último mês de outubro. Além disso, 17% desse total usaram conexões com mais de 8Mb.

Como esperado, aponta o estudo, os usuários com conexões mais rápidas passam mais tempo acessando a web no computador e abrem um número maior de páginas, em média. No mês de outubro, um usuário acima de 8Mb abriu uma média de 1.465 páginas na web em mais de 40 horas que passou conectado no mês.

Segundo o relatório NetSpeed, que é feito mensalmente pela Nielsen, o número de usuários com conexão abaixo de 512Kb vem caindo no país.

Fonte: IDG Now!