Um dicionário de carioquês-português

O Brasil é mesmo um país de muitas realidades e muitos dialetos. Já ganhei um dicionário de baianês e aprendi muitas expressões usadas em Pernambuco. Sendo assim, foi bom encontrar esse dicionário de carioquês no blog Diário do Rio de Janeiro. Abaixo reproduzo o ótimo trabalho feito por eles.

Rio de Janeiro IxQue o carioca é o sotaque oficial do Brasil (nem que seja na língua cantada e cênica) a gente já sabe mas e como a gente faz para explicar algumas de nossas muitas gírias a quem não teve a sorte de pertencer à Cidade Maravilhosa. Afinal ser carioca, ser do Rio de Janeiro, não é para qualquer um.

Conheça então o dicionário de português-carioquês e aproveita para traduzir a seguinte frase: O mané não partiu para um 0800 bolado e acabou ficando na mão do palhaço de arroz.
0800

Diz-se de qualquer situação que não demandará gasto monetário. De graça. “O show será 0800”. “Pode vir que hoje é tudo 0800”

1. Partícula iniciadora de frase. “Aê, se liga (…)”.

2. Advérbio de lugar. “A parada está por aê”.

A porra toda

[Termo composto] “Tudo”, com eventual viés agressivo. Totalidade do que está ao alcance. “Quebramos a porra toda”. “Sai xingando a porra toda”.

Arroz

Aquele que só acompanha. Sujeito que vive rodeado de mulheres, tem muitas amigas, e não pega nenhuma.

Sin. “Arame-liso” (cerca, mas não machuca); “mestre-sala” (só dança em volta); “Cantor de churrascaria” (canta enquanto os outros comem).

Beleza

1. Cumprimento usual. “E ai, beleza?”

2. Aceitação. “Tá ok, beleza!”

3. Expressa exaltação. “Que beleza!!”

Boiola

Homossexual masculino; gay; bichona; bicha; bambi; baitola; viadinho.

Rio de Janeiro IVxBolado

Condição de incompreensão momentânea ou preocupação em qualquer nível. “Tô ficando bolado”.

Bucha

Indivíduo com marra de malandro, mas que não passa de um tremendo prego; as antigas era chamado de malandro coca-cola (só dar um sacode que ele perde o gás).

Cabaço

Sujeito trapalhão. “Tu viu que merda? Esse cara é mó cabaço!”.

Caído

1. Evento pouco divertido. “A festa estava caída”.

2. Mulher de traços físicos ou mentais pouco atraentes. “Achei a mulher meio caída”.

Coé

Aglutinação de “qual é”.

1. Partícula iniciadora da frase. “Coé, irmão, beleza?!”.

2. Partícula afrontativa. “Coé, irmão, tá maluco?!”

3. artícula de incerteza. “Não entendi coé a do maluco”.

Conto

Unidade monetária sem plural. “Essa parada custa 10 conto”.

Dá uma moral (aê!)

[Termo composto]

1. Pedir auxílio a outrem. “Dá uma moral pra eu empurrar o carro, aê!”

2. Barganhar pequena vantagem. “Dá uma moral nessa dose, aê!”

Fluir

Dar certo. “Meu projeto fluiu”. “Essa parada tá fluindo”.

Sin. “Rolou”.

Filhadaputa

1. Interjeição genérica de descontentamento. Pode ser usada após qualquer acontecimento desagradável e/ou inesperado.

2. Adjetivo utilizado para humilhar, xingar, ofender aqueles que merecem.

Ver fura-olho.

Rio de Janeiro IIxFoda

1. Qualificação indicativa de dificuldade. “Aquela parada é foda!”.

2. Qualificação positiva indicando algo muito bom “Aquela parada é foda!”.

3. Qualificação que indica algo impressionante “Aquela parada é foda!”.

Fura-olho

[Termo composto] Fala-se do indivíduo que, incapaz de conseguir realizar os feitos próprios, usufrui das glórias alheias.

Ver filhodaputa.

Goxtosa

Diz-se da mulher de formas físicas harmoniosas. Elogio glorioso. “Aquela garota nova da turma é muito goxtosa”. “Você viu a goxtosa que entrou no ônibus?”. “Tem uma goxtosa na mesa do lado”.

Irado

1. Qualificação positiva relacionada a um fato, ocorrência ou objeto. “O jogo de ontem foi irado!”.

2. Qualificação positiva a um sujeito. “Aquele cara é irado”.

Já é!

[Termo composto] Exclamação da pessoa que demonstra concordância com o que foi proposto. “Vamos embora daqui a uma hora?” “Já é!”.

Sin. “Demorô”.

Maluco

Cara; sujeito; indivíduo. “Eu não conheço aquele maluco”. “Estava com uns malucos da faculdade”.

Maneiro

Muito legal. Show de bola. Um estágio acima do simples “legal”. Às vezes menos eufórico do que “irado”.

Mermão (masculino)

Aglutinação de “meu irmão”. “Aí, mermão, que parada é essa?”

Rio de Janeiro IIIx

Aglutinação de maior. “Ih, coé? Mó otário, aê!”.

Na mão do palhaço

[Termo composto] Diz-se da condição das pessoas entorpecidas, não importa com qual substância. “Virou dez copos de pinga e agora está na mão do palhaço”.

Nego

Toma o lugar da terceira pessoa do plural. Curiosamente flexiona o verbo que o segue para a terceira pessoa do singular. “Nego vai pra festa amanhã” (Eles vão pra festa amanhã). “Nego é muito burro” (Eles são muito burros).

Night

Diz-se sobre a diversão noturna, comumente acompanhada de entorpecentes e saliências com outrem. Chamada de diferentes formas pelo Brasil, como “Balada” em São Paulo. “Partiu night hoje!”

Parada

Substantivo genérico. Pilar da linguagem carioca. Refere-se a qualquer coisa para a qual a pessoa não ache um termo digno. “Que parada é essa?”. “Qualquer parada me liga”. “Parada doida”. “Preciso fazer uma parada”.

Partiu

1. Interrogação sobre se é o momento certo de iniciar uma ação. “Partiu?”.

2. Exclamação de quem julga ser aquele o momento certo para começar uma ação. “Partiu!”.

Paraíba

Indivíduo nascido ou residente acima do paralelo que passa por Copacabana.

Peidão

Covarde, frouxo, borra-botas. “Maluco mó peidão”.

Pela-saco

1. Pessoa chata; piegas.

2. Puxa-saco; baba-ovo; rabiola.

Ver Arroz.

Rio de Janeiro XxPerdeu a linha

[Termo composto] Fala-se do indivíduo que cometeu um ato inconsequente/insensato. “Perdeu a linha e virou seis doses de tequila em meia hora”. “Perdeu a linha e foi o centro das atenções na festa da empresa”.

Porra

Segundo sustentáculo da linguagem carioca.

1. Interjeição (“Porra!”).

2. Substitutivo para “parada”. “Olha aquela porra ali!”

3. Advérbio de intensidade. “Em São Leopoldo estava um frio da porra!”.

Porrada

1. Coletivo genérico. Multidão – uma porrada de gente. Matilha – uma porrada de cachorros.

2. Briga. Sujeitos em momento não muito romântico.

Se liga

[Termo composto] Apelo por atenção para o que será dito a seguir. “Se liga, pra onde a gente vai hoje a noite?”.

Sin. “Então”.

Sinistro

1. Adjetivo que qualifica aquilo que acompanha. “O Neymar é um jogador sinistro”

2. Adjetivo que expressa dificuldade. “Essa fase do jogo é bem mais sinistra que a outra”.

Tu

Pronome pessoal do caso reto de comportamento esquizofrênico. Segue sendo segunda pessoa do singular, mas flexiona o verbo que o segue na terceira pessoa. “Tu viu”,”Tu faz”, “Tu é”.

Fonte:  Diário do Rio de Janeiro

 

Anúncios

Virgin Records 40 years of disruptions – Uma festa musical

Virgin Records 40 years of disruptionsO selo Virgin, que já foi um dos maiores do mundo e acabou se transformando no alicerce de um conglomerado que englobou lojas de discos, companhias aéreas, rede de trens, operadoras de telefonia, etc, completa 40 anos e um CD triplo chega ao mercado para comemorar a data.

O início do selo não poderia ser melhor, com o lançamento de Tubular Bells, álbum de estreia e obra prima do músico Mike Oldfield. Mas não pensem que foi um sucesso isolado. Por lá passaram nomes grandes e diversos como Sex Pistols, Culture Club, Daft Punk, Lenny Kravitz, Phil Collins, Simple Minds, Brian Ferry, Spice Girls e UB40.

A salada mista pode causar estranheza e alguns narizes torcidos, mas a coletânea faz um belo apanhado da trajetória do selo. O disco peca na coerência musical, mas ganha muitos pontos no quesito documento histórico.

Confira a lista de todas as faixas e ouça algumas delas no playlist do blog..

Disco 1
Tubular bells – Mike Oldfield
God save the queen – Sex Pistols
In the air tonight – Phil Collins
Don’t you want me – The Human League
Senses working overtime – XTC
Buffalo gals – Malcolm McLaren
Temptation – Heaven 17
Red red wine – UB40
Do you really want to hurt me? – Culture Club
Mama – Genesis
Together in electric dreams – Philip Oakey & Giorgio Moroder
Don’t you (Forget about me) – Simple Minds
I put a spell on you – Bryan Ferry
China in your hand – T’Pau
Good life – Inner City
Buffalo stance – Neneh Cherry
Back to life (However do you want me) – Soul II Soul & Caron Wheeler
Unfinished sympathy – Massive Attack
Sadeness (Part 1) – Enigma

mike_oldfield-tubular_bells-frontalDisco 2
I’d do anything for love (But I won’t do that) – Meat Loaf
Baby come back – Pato Banton & Ali & Robin Campbell
Boombastic – Shaggy
Walking wounded – Everything But the Girl
Wannabe – Spice Girls
Block rockin’ beats – The Chemical Brothers
Around the world – Daft Punk
Sexy boy – Air
Bitter sweet symphony – The Verve
Black horse and the cherry tree – KT Tunstall
Fly away – Lenny Kravitz
Naive – The Kooks
Ghosts – Laura Marling
Ghosts ‘N’ stuff – Deadmau5 & Rob Swire
Titanium – David Guetta & Sia
Read all about it – Professor Green & Emili Sandé
Don’t you worry child – Swedish House Mafia & John Martin
Next to me – Emeli Sandé
Pompeii – Bastille
La la la – Naughty Boy & Sam Smith
Gun – CHVRCHES

Disco 3
(I Just) Died in your arms – Bastille
Sledgehammer – KT Tunstall
Jealous guy – Corinne Bailey Rae
Teardrop – The Kooks
We don’t have to take our clothes off – Ella Eyre
Only you – Josh Record

Novo vírus sequestra dados e exige pagamento

Vírus sequestradorUm novo vírus chamado Crypto Locker vem se espalhando por computadores de todo o mundo e, segundo a empresa de segurança GFIMAX, é considerado um dos mais perigosos para Windows. Também chamado de “vírus do resgate”, o código sequestra dados e mantêm os arquivos reféns até o pagamento de uma taxa. Empresas de portes variados têm sido as principais afetadas.

O Crypto Locker é disseminado por meio de e-mails cujos remetentes parecem acima de qualquer suspeita – bancos, correios, empresas de renome ou instituições de ensino. Mas, obviamente, não pertencem realmente a essas instituições. Quando o link é aberto, o computador é infectado e o vírus bloqueia todos os arquivos até que o resgate seja pago.

“Os vírus de resgate fazem com que os arquivos do seu computador fiquem inacessíveis e quando isso acontece você tem duas opções: recuperá-los caso tenha feito um backup recentemente ou pagar o resgate. O problema é que, muitas vezes, os hackers iniciam uma série de chantagens e cobranças. Caso se recuse a pagar, o usuário ou empresário perde todos os dados sequestrados” explica José Martins, gerente regional da GFIMAX.

Para proteger as informações confidenciais, o mais importante é garantir que elas sejam salvas em backups regulares e que os usuários da empresa sigam regras para abertura de e-mails e downloads de arquivos anexos.

“O vírus é enviado como imagens JPEG, PDF ou como arquivos do Microsoft Office”, explica Martins. “Depois de contaminado, o usuário tem cerca de 100 horas para pagar a taxa, que varia de US$100 a USS$700, para ter os arquivos descriptografados”.

Para pequenas empresas e aquelas que contam com assistência de TI terceirizada, uma boa opção são os serviços de gerenciamento remoto em nuvem, que já contam com antivírus, sistemas de backup e atualização de sistemas pré-programados.

O Crypto Locker não é o primeiro e não será o ultimo vírus a atacar usuários e empresas. Por isso, a GFIMAX sugere três regras:

• Sempre faça o backup periódico de qualquer informação disponível em seu computador que não possa ser perdida (pastas, documentos, imagens);

• Evite abrir qualquer link no seu e-mail, pois pode ser um vírus, não importa quão confiável o remetente possa ser, evite. (Um método recente de disseminação de vírus utiliza o nome de um amigo para enviar e-mails contaminados);

• Lembre-se: problemas no computador sempre acontecerão, é só uma questão de tempo. Seja por meio de um vírus de Crypto Locker, falha técnica ou outro incidente, nada em um computador é para sempre, portanto, faça a manutenção regular dos sistemas com aplicativos confiáveis.

Fonte: Olhar Digital

Receita: Lombinho de porco assado com melado

Lombo meladoÉ fim de ano e ai vai uma receita que pode ser uma boa pedida para complementar a ceia de réveillon. Algumas pessoas preferem colocar mostarda ou maracujá para quebrar um pouco do sabor do melado, mas, sinceramente, não é preciso.
Ingredientes:

1 lombinho (entre 1kg e 1,5kg, com capa de gordura)
1 vidro pequeno de melado
Suco de 3 limões
500g de cebolas pequenas (calabresa)
Sal (a gosto)
Vinagre (a gosto)
Azeite (a gosto)
Pimenta do reino (a gosto)
Louro (a gosto)

Modo de preparar:

Em uma travessa (de preferência dessas descartáveis, já que o melado costuma torrar e ser difícil de limpar), coloque o lombinho e, se preciso, tire o excesso de gordura (o ideal é ter uma camada de aproximadamente 2mm) e tempere com o sal, o suco do limão, o vinagre, azeite e o louro. Deixe descansar por uns 45 minutos. Enquanto isso, descasque as cebolas e reserve.

Antes de colocar o lombinho no forno, pincele com o melado até que ele fique totalmente coberto, polvilhe um pouco da pimenta do reino (de preferência moída na hora) e espalhe as cebolas na travessa, deixando que elas também fiquem envoltas no melado. Leve ao forno pré-aquecido (fogo médio) e vá virando o lombinho de 10 em 10 minutos, até que ele fique totalmente assado, assim como as cebolas.

Tempo de preparo: Aproximadamente 1h.

Foto: Divulgação

Confira outras boas receitas para o fim do ano:

Chester, arroz de forno e batatas recheadas

Batatas à Grega

Risoto de três cogumelos

Peru com Vinho do Porto

Figos ao vinho do Porto

Jesse Robinson – Stray Star – Crítica

Jesse Robinson - Stray StarBlues é algo apaixonante, mas difícil de imaginar em conjunto com poesia brasileira. Pois as vezes somos surpreendidos por misturas e encontros de elementos que não deveriam combinar, mas que acabam se transformando em algo apaixonante. Não que blues e o Brasil sejam opostos que se atraem, mas o CD Stray Star, do bluesman Jesse Robinson e que ganha no Brasil edição do selo Discobertas, une o Mississípi aos versos criados pelo baiano Assunção de Maria. O resultado, produzido por Robertinho do Recife, é mais do que satisfatório.

Com um timbre de guitarra que as vezes lembra a Lucille, de B.B.King, ou a Strat de Robert Cray, Robinson passeia por dez números que agradam pela sonoridade e deixam curiosos pelos versos, traduzidos para o inglês por Carl Kolb.

Aos 69 anos, Robinson, canta com aquele toque que só mesmo quem nasceu no Mississípi pode ter. A mescla de músicos americanos e brasileiros (comandados por Robertinho) dá um molho realmente diferente nesse bom disco de blues.

Highlights? A faixa-título, My Addiction is You, You Fled From Me e My Girlfriend, embora seja difícil encontrar uma canção que se sobreponha sobre as outras.

Para os amantes do blues (e da poesia brasileira).

Ouça algumas canções no playlist do blog (no menu lateral).

Beatles On Air – Live at the BBC Volume 2

Beatles at the Beeb 2Um disco novo dos Beatles é sempre um acontecimento mundial. Apesar de apenas dois de seus integrantes ainda estarem vivos e do pouco material inédito com real apelo para o público normal, sem contar os colecionadores. Por isso mesmo que o lançamento de Beatles On Air – Live at the BBC Volume 2 deve ser recebido com muita alegria. Sequência do CD Live at the BBC (1995), o novo set traz em seus dois discos mais de 40 canções inéditas ou versões de seus sucessos, gravados nos estúdios da rádio inglesa, entre 1963 e 1964.

Os registros permitem que se ouça como o grupo soava sem ainda precisar dos truques de estúdio que ajudaram a transformar a música pop mundial. As perfomances são cruas, cheias de energia e com um repertório que ainda possibilita descobrir joias do repertório do grupo nunca lançadas oficialmente. Músicas como Lucille (de Little Richards) ou Beautiful Dreamer (gravada por cantores como Bing Crosby e Al Jolson) se juntam a outros clássicos do rock e algumas pérolas do repertório Beatle, como uma incomum versão da balada And I Love Her, na qual George Harrison faz um solo com guitarra elétrica ao invés do violão.

the-beatles-live-at-the-bbc-volume-2-2013A maioria do repertório, como não poderia deixar de ser, é composto por canções da dupla Lennon e McCartney, e algumas dessas canções (inclusive de outros autores) foram registradas antes mesmo das gravações originais, mostrando sutis diferenças para os fonogramas mundialmente conhecidos. Assim, Beatles On Air – Live at the BBC Volume 2, não apenas serve para ampliar o leque de gravações dos Beatles, como também tem um papel importante como documento histórico.

Alguns podem pensar que só mesmo os muito fãs devem se encorajar a comprar o CD duplo, mas é só ouvi Words of Love, I’ll Follow the Sun, Glad All Over ou I’ll Get You, para mudar de ideia.

Um ótimo lançamento de fim de ano.

Bancos e cerveja estão entre as marcas mais valiosas do Brasil

itau-e-bradescoLevantamento anual da consultoria de marcas Interbrand revela quais são as 25 marcas brasileiras mais valiosas do país. Entre as companhias listadas, três são do setor de tecnologia e telecomunicações: Vivo, Oi e Totvs.

A operadora Vivo (9º lugar) lidera o ranking do setor com valor de mercado estimado em R$ 2,6 bilhões. A companhia ficou à frente da Oi (16º), que vale R$ 699 milhões, e da Totvs (21º), estimada em R$ 382 milhões.

Entre os critérios de avaliação, a consultoria examina o desempenho financeiro dos produtos ou serviços da marca, o papel que a marca desempenha ao influenciar a escolha do consumidor, a capacidade de superar a concorrência e garantir a demanda, e os ganhos. Veja abaixo a lista completa:

1 – Itaú – R$ 19,3 bilhões

2 – Bradesco – R$ 14 bilhões

3 – Banco do Brasil – R$ 11,8 bilhões

4 – Skol – R$ 9,3 bilhões

5 – Petrobrás – R$ 8,7 bilhões

6 – Natura – R$ 7,4 bilhões

7 – Brahma – 7,2 bilhões

8 – Antarctica – R$ 3,1 bilhões

9 – Vivo – R$ 2,6 bilhões

10 – BTG Pactual – R$ 1,9 bilhão

11 – Cielo – R$ 1,1 bilhão

12 – Casas Bahia – R$ 993 milhões

13 – Renner – R$ 842 milhões

14 – Lojas Americanas – R$ 757 milhões

15 – Caixa – R$ 702 milhões

16 – Oi – R$ 699 milhões

17 – Extra – R$ 621 milhões

18 – Hering – R$ 616 milhões

19 – Ipiranga – R$ 607 milhões

20 – Porto Seguro – R$ 475 milhões

21 – Totvs – R$ 382 milhões

22 – Havaianas – R$ 375 milhões

23 – Pão de Açúcar – R$ 347 milhões

24 – Ponto Frio – R$ 346 milhões

25 – Arezzo – R$ 294 milhões

Fonte: Olhar Digital

Receitas: Batatas à Grega

Batata à Grega IUm ótimo acompanhamento para as delícias engordativas de fim de ano. Bom também para ajudar a prevenir eventuais porres.

Ingredientes:

1Kg de batatas médias cortadas em rodelas médias
1/s colher de chá de sal
1 lata de creme de leite fresco
20ml de caldo de galinha (ou 1 tablete)
1/2 xícara de ervilhas
1/2 xícara de passas escuras
2 cenouras cortadas em cubinhos
1/2 xícara de pimentões cortados em cubinhos
200g de queijo ralado
100g de mussarela em picada
100g de Catupiry

Batata à Grega IIModo de fazer:

Cozinhe as batatas em água com sal até ficarem cozidas, mas ainda duras. Escorra e reserve. Coloque o creme de leite e o caldo de galinha em uma panela. Ligue o fogo bem baixo e vá misturando as ervilhas, as passas e as cenouras, até aquecer (sem ferver). Acrescente a mussarela e metade do queijo ralado. Em uma travessa, arrume uma fileira de batatas, despeje um pouco do conteúdo da panela até cobrí-las, junte um pouco do catupiry e repita a operação até que todas as batatas estejam  na travessa. Polvile o resto do queijo ralado e eleve ao forno médio por aproximadamente 20 minutos. Servir quente.

Batata à Grega IISugestões de hamonização:

Ótimo para acompanhar aves e, carne de porco. Melhor ainda se o dia não estiver muito quente. Para beber, um Cabernet ou um Chardonnay com passagem em madeira. Um Pinot Noir também pode ser uma boa opção.

Boas Festas!

PS: Podem deixar seus comentários!

Fotos (ruins): Fernando de Oliveira

Browsers móveis atingem 20% da atividade global na Web pela primeira vez

Browsers móveisOs dispositivos móveis foram responsáveis por 20% da atividade online global em novembro. É a primeira vez que esse índice é atingido, de acordo com a StatCounter.

Nos últimos 12 meses, a quota global de uso móvel cresceu sete pontos percentuais, o que representa um aumento anual de 53%.

O crescimento no “browsing” móvel é, em parte, um efeito colateral da recessão global nas vendas de computadores pessoais, com os clientes a optando pela compra de smartphones e tablets e, em função disso, passando mais tempo online a partir de PCs dispositivos móveis.

Em setembro de 2009 – sete meses antes a Apple começar a vender o seu primeiro iPad -, os desktop controlavam 98,9% do total de tráfego online, de acordo com a StatCounter.

Fonte: Convergência Digital

Previsão louca: Fusão entre Apple e Microsoft pode acontecer em 2018

Tem gente que faz tudo para aparecer.

Jobs e GatesAnalista da Money Map Press e comentarista eventual do programa Fox Business, Keith Fitz-Gerald gerou risadas e até polêmica por conta de comentários recentes no telejornal. De acordo com ele (e apenas ele, já que nenhuma fonte oficial opinou sobre o caso), as rivais Apple e Microsoft serão uma só empresa em até dez anos, sendo que a união pode começar a partir de 2018.

Segundo ele, a tecnologia atualmente é o lugar certo para investir dinheiro, especialmente por conta de uma operação “impensável, mas absolutamente possível” que acontecerá nos próximos anos: trabalhos em parceria entre as empresas de Bill Gates e do já falecido Steve Jobs que acarretariam em uma fusão entre as companhias.

Nem o âncora parece acreditar na teoria de Fitz-Gerald, citando um argumento matador desde o princípio: o governo norte-americano jamais aprovaria essa megafusão de duas das maiores companhias da área de tecnologia, já que isso seria configurado como monopólio.

O argumento de Fitz-Gerald é que elas terão que lutar contra outros rivais poderosos, como Facebook e Google ou Android. Vale ressaltar que isso tudo é pura especulação, mas o rapaz parece convicto ao analisar os lançamentos e metas de ambas as companhias. O comentarista diz que um dos motivos que o levou a pensar nisso é como até os televisores de hoje em dia vêm carregados de aplicativos sociais: tudo está conectado hoje em dia, não importa a marca.

Fonte: Tec Mundo

Bizarro: Sete estudos científicos muito estranhos

Os seguidores do F(r)ases da Vida sabem que sempre vão encontrar boas e bizarras pesquisas científicas – muitas delas inglesas – entre os seus posts. Bem, como estamos em clima de fim de ano e não vou ter presentes para distribuir, segue um post com sete pesquisas pra lá de estranhas. Ok, que algumas delas já haviam sido divulgadas aqui, mas vale o repeteco.

Veja como muito do dinheiro governamental é gasto por pesquisadores em todo o mundo.

1. Decifrando o “pum” dos peixes
Quem sempre invejou o Dr. Dolittle, personagem interpretado por Eddie Murphy no filme de mesmo nome, talvez passe a reconsiderar o desejo de falar com animais depois de ler sobre esta experiência. Pesquisadores ingleses e canadenses se reuniram, em 2003, para investigar a flatulência de alguns tipos de arenques, pequenos peixes presentes nas águas do Atlântico Norte, Pacífico Norte, Mar Báltico e Mediterrâneo. De acordo com o grupo de pesquisadores, o “pum” dos peixinhos pode ser usado como protocolo de comunicação entre os indivíduos da espécie.

Em entrevista à National Geographic, o biólogo Ben Wilson, do Centro de Ciências Marinhas de Bamfield, no Canadá, afirmou que os arenques possuem uma boa audição e que costumam fazer alguns barulhos esquisitos durante a noite, expelindo ar pelo ânus e criando pequenas bolhas. Posteriormente, testes em laboratórios confirmaram que os gases emitidos pela espécie não estão relacionados com a alimentação, já que o comportamento se repetia mesmo quando os arenques estavam de barriga vazia.

Curiosamente, a flatulência aumenta quando muitos peixes dessa espécie estão reunidos, o que pode ser um indicativo de que eles usam os “ventos” para se comunicar. Você pode ouvir o som emitido pelos arenques no vídeo acima. Esse comportamento foi batizado de Fast Repetitive Tick (Tiques Repetitivos e Rápidos), que pode ser abreviado como FRT, sigla muito similar à palavra em inglês para se referir ao flato: fart.

2. Velocidade do som no cheddar

O som do cheddarA velocidade ultrassônica, ou seja, a velocidade com que o ultrassom se propaga, depende do meio pelo qual ele passa. Em 2006, cientistas descobriram que, ao atravessar o queijo cheddar, a velocidade ultrassônica varia de acordo com a temperatura do laticínio.

O artigo, publicado online e em inglês, especifica que se o queijo estiver a 0 ⁰C, a velocidade ultrassônica é de 1.590 m/s. Porém, quando aquecido a 35 ⁰C, o ultrassom viaja por ele a 1.696 m/s. De acordo com os pesquisadores, essa variação está relacionada com o derretimento de gorduras presentes no cheddar. Até o fechamento deste artigo, não descobrimos uma aplicação útil para a pesquisa. Alguém se habilita a sugerir algo?

3. Taxistas ingleses têm cérebros diferentes

CérebroPesquisadores analisaram resultados da ressonância magnética dos cérebros de profissionais com muita experiência de navegação e orientação, como os taxistas de Londres, e os compararam com os exames de pessoas que não dirigem táxi. O resultado foi revelador: taxistas possuem regiões de seu hipocampo maiores ou menores do que as de outras pessoas.

Para quem não se lembra, o hipocampo é uma região do cérebro humano relacionada com a memória e a navegação espacial, sendo uma das primeiras áreas do cérebro a ser afetada pela doença de Alzheimer. Os cientistas também perceberam que o volume de alteração do hipocampo depende do tempo de serviço de cada taxista, favorecendo, assim, a ideia de que a representação espacial fica armazenada em determinada área do hipocampo e que essa área pode ser expandida, de acordo com as necessidades do seu portador.

4. Mulheres de vermelho são mais atraentes?
Mulher de vermelhoJá percebeu que boa parte das femmes fatales do cinema usam vestidos vermelhos? Pois bem, pesquisadores da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, realizaram um estudo para verificar como os homens reagem de acordo com as cores das roupas usadas pelas mulheres.

Para isso, os pesquisadores distribuíram fichas com a fotografia de diversas mulheres usando cores diferentes. Com base na imagem, o entrevistado tinha que responder à seguinte questão: “Imagine que você se encontrará com essa mulher e tem uma nota de cem dólares na sua carteira. Quanto desse dinheiro você gastaria com ela?”. Em todas as etapas, a mesma resposta: os homens teriam encontros mais caros com as mulheres que estavam vestindo vermelho.

De acordo com os cientistas, essa resposta pode ter uma causa biológica, já que primatas não humanos também tendem a se sentir mais atraídos por fêmeas que exibam pelagem mais avermelhada. Agora, quer uma notícia nova? Mulheres também se sentem mais atraídas por homens que vestem roupas vermelhas. De acordo com outra pesquisa da mesma universidade, isso tem a ver com o fato de a cor fazer os homens parecerem poderosos e bem-sucedidos.

5. Alicates são ótimas ferramentas para liberar o “passarinho” da braguilha

Zíper preso

É comum, durante a infância, que meninos acabem prendendo o prepúcio no zíper da calça. Pais desesperados, filho gritando, possibilidade de sangue: a cena é desagradável para qualquer pessoa envolvida. Por isso, a doutora Satish Chandra Mishra, do Departamento de Cirurgias do Hospital Charak Palika, na Índia, desenvolveu um método de liberar o “passarinho” de maneira rápida, não traumática e que pode ser reproduzida em qualquer caso, independentemente da idade da criança.

A técnica até que é bastante simples: com um alicate, corte parte do zíper e do tecido ao redor do fecho. Repita a operação do outro lado. Depois, use o alicate para pressionar as laterais do fecho. Essa pressão fará com que o prepúcio seja liberado instantaneamente e sem dores. Outra ideia, ainda mais simples, é nunca deixar seu filho usar calça ou bermuda que tenha zíper sem cueca.

6. Tese de doutorado: amor e sexo com robôs
Sexo com robôsO pesquisador em inteligência artificial David Levy, da Universidade de Maastricht, na Holanda, conseguiu seu doutorado com uma linha de pesquisa pouco comum: o relacionamento entre humanos e robôs. Em entrevista para a LiveScience, o pesquisador disse acreditar que, por volta de 2050, o estado de Massachussets será o primeiro a legalizar o casamento com robôs.

Levy, que também é autor do livro “Love and sex with robots”, acredita que os robôs se tornarão tão parecidos com os humanos, tanto na aparência quanto na personalidade, que não demorará muito para que as pessoas comecem a se apaixonar por eles. Apesar de parecer estranho, o escritor acredita que o sexo e o amor com robôs serão inevitáveis no futuro.

7. Elefantes são capazes de se reconhecer

ElefanteVocê já ouviu falar do Teste do Espelho? Bem, esse é um experimento criado por Gordon Gallup Jr., em 1970, com base nas observações feitas por Darwin ao entregar um espelho de bolso para um orangotango, no zoológico. O procedimento acabou se tornando uma espécie de medida de autorreconhecimento em diversas espécies.

Além dos humanos, é sabido que algumas espécies de macaco, como bonobos, orangotangos e gorilas, também são capazes de se reconhecer em um espelho. Orcas e um gênero de golfinho, os Tursiops, representam os animais aquáticos com a mesma propriedade.

Mas um estudo realizado pela Wildlife Conservation Society de Nova York fez com que os elefantes também entrassem para esse grupo seleto de criaturas capazes de se reconhecer em espelhos. De acordo com a divulgação da pesquisa, os elefantes foram capazes de interagir com as marcas de identificação que carregavam logo acima dos olhos, além de analisar partes de seus corpos vendo a própria imagem refletida.

Achou essas pesquisas estranhas? Pois saiba que há muitas pesquisas como essas sendo realizadas a todo instante. Há, inclusive, um prêmio destinado aos estudos mais esquisitos ou inúteis já realizados, o Ignobel.

Fonte: Tecmundo

Sound City – Uma declaração de amor por uma mesa de som

SOUND-CITY-CAPANão podia deixar o ano acabar sem escrever algo sobre o projeto Sound City (CD e DVD), capitaneado por Dave Grohl, ex-baterista do Nirvana e atual líder do Foo Fighters. Como esse foi um dos produtos que a gravadora responsável não fez questão de enviar para análise (as vezes eles mandam só para veículos especializados ou para quem não escreve mesmo), não tive a menor preocupação em publicar nada na época do seu lançamento. Porém, como este blog não tem nenhum vínculo com o factual, ai vão as minhas impressões.

Primeiro vamos explicar quem/o que/onde fica(va) Sound City. Sound City era um estúdio de gravação na Califórnia, usado por muitos músicos e grupos de peso (Fleetwood Mac, Tom Petty, Elton John, Rick Springfield, Nirvana e muitos outros nomes. Inexplicavelmente, aquele lugar, pequeno, sujo e fedorento, tinha uma magia, acústica e qualidade técnica que apaixonavam e inspiravam a produção de grandes obras. Infelizmente, com o aparecimento de ferramentas como o Pro Tools, o uso de estúdios acabou caindo em desuso e nem mesmo um local com a aura e a história de Sound City.

Ao saber que a mesa de som do estúdio – uma obra prima feita a mão e chamada Neve – Dave correu para comprá-la, instalá-la em seu próprio estúdio e mantê-la viva, funcionando. A opção óbvia foi convidar alguns dos grandes nomes que passaram por Sound City para gravar novas canções, utilizando os recursos da Neve. O resultado é um apanhado de boas histórias, dirigidas como uma verdadeira declaração de amor. O documentário é brilhante e algumas entrevistas (principalmente Neil Young e das managers do estúdio) são obras primas.

Real to Reel Sound CityMusicalmente, o registro em CD de novas canções – Real to Reel – é mais que positivo. Reunir o “garrotãoStevie Nicks, Jim Keltner e Rick Springfield foi um tiro certeiro, mas a cereja do bolo é mesmo a canção Cut me Some Slack (que já tem uma versão sendo usada em um comercial de perfumes), que reuniu os ex-integrantes do Nirvana com o ex-beatle Paul McCartney.

Um dos melhores lançamentos do ano, deixando claro que os documentários sobre rock estão mesmo em alta.

Um maravilhoso Natal

Wonderful XmastimeOk, ainda faltam alguns bons dias para o Natal, mas decidi compartilhar essa ótima versão de uma música nada mais do que razoável. A canção de Paul McCartney nunca teve o mesmo status do single lançado pelo ex-parceiro dos Beatles, mas é figurinha fácil nas apresentações de fim de ano do velho Macca.

Aproveitem os dias que faltam e curtam mais essa opção de canção natalina.

Esses Ingleses Maravilhosos e Suas Pesquisas Voadoras XX – Pesquisa derruba mitos do relacionamento

Meus queridos pesquisadores britânicos continuam fazendo o possível para elevar a ciência a um patamar jamais visto. O dinheiro gasto em assuntos inusitados é realmente impressionante. Algumas vezes eles até fazem algo interessante.

I Love You dedosAo contrário do que o pessoal fala, homens dizem as famosas três palavras “eu te amo” em média após sete meses de namoro. As mulheres precisam de no mínimo oito meses para isso. Quer ficar mais impressionado? Pessoas de mais de 55 anos de idade são o grupo que mais saem em encontros amorosos através de ferramentas online. Tudo isso na Inglaterra, onde revista Stella do jornal Telegraph promoveu uma pesquisa com quase 2.000 homens e mulheres para saber o que o inglês quer de seus relacionamentos e muitos dos resultados derrubam mitos urbanos como os dois citados acima.

Você até pode achar que os homens estão mais sensíveis hoje em dia mas segundo o psicólogo Oliver James, marmanjos tendem a se apaixonar mais do que as mocinhas e são mais propensos a se deixar levar por alguém. Isso porque as moçoilas amadurecem antes e desenvolvem uma atitude mais realista e mais conectada a sentimentos reais. Já a turma masculina em muitas ocasiões em que dizem “eu te amo”, na verdade estão tentando lidar com emoções difíceis e complexas que eles não entendem. A declaração acaba funcionando como uma válvula de escape. E com tudo isso, caímos no velho chavão que homens usam amor para conseguir sexo e as mulheres usam sexo para conseguir amor.

A pesquisa inglesa também derrubou alguns paradigmas quando 91% dos homens preferem ter alguém com senso de humor e 85% das mulheres querem um cara bonitão (esperava-se o contrário, o que mostra que o homem inglês é diferente ou sabe mentir bem). Por outro lado, metade dos caras disse que o principal motivo para namorar era conseguir sexo e 1/5 deles conseguem ir para a fronteira final no primeiro encontro contra apenas 5% das meninas.

O que impressionou no resultado do estudo foi o comportamento dos público acima dos 55 anos de idade. Dois terços dele usam serviços online de encontros, contra 1/5 daqueles entre 18 e 24 anos de idade. O grupo sênior também apontou ser o que tem mais relacionamentos de longo prazo com pessoas que eles conheceram na internet e ficou em segundo lugar entre as faixas de idade no quesito sexo com alguém que você conheceu na web (só perdem para o pessoal entre 45 e 54 anos de idade). Os sites de relacionamentos, salas de chat e redes sociais acabam facilitando a vida das pessoas que não sabem aonde ir para conhecer gente e, com isso, os seniores acabam sendo mais experimentais em sua busca por um parceiro.

No Brasil o cenário é bem diferente, já que a internet ainda é de predominância dos jovens. No site Par Perfeito, por exemplo, onde homens e mulheres publicam uma página pessoal na busca pelo parceiro, pessoas acima de 35 anos de idade representam apenas 32% do público total e 41% está entre 25 e 35 anos de idade. Na agência de encontros, Lunch42, que aproxima casais através de entrevistas e métodos de coaching, o cenário é um pouco diferente, mas tende a mudar. Hoje entre seus clientes apenas 5,9% das mulheres e 3,4% dos homens está entre 20 e 30 anos de idade. Já a turma acima de 50 anos representa 23,5% das mulheres e 37,8% dos homens. Segundo Mariana Yamada da Lunch42, neste ano eles estão verificando um aumento na procura do serviço pelo pessoal entre 30 e 45 anos. Trabalhando tanto com recursos online quanto entrevistas pessoais, o Selecto, um site de relacionamento que está no ar desde abril último tem seu público masculino concentrado entre os 30 e 50 anos de idade (81% das pessoas) e 90% das moças tem mais de 30 anos de idade.

É interessante notar que uma pesquisa mundial da empresa Global Market Insite (GMI) de 2006, que entrevistou 17,5 mil pessoas em 18 países, apontou o brasileiro como o internauta que mais usa os recursos online para conseguir sexo casual. Dos entrevistados brazucas, 29% disseram usar a internet para esse fim, mas 32% utilizam para conseguir um relacionamento de longo prazo. Agora resta saber em quanto tempo dizemos “eu te amo” sem segundas intenções.

Fonte: Terra

 

Ingredientes fazem a diferença

Ingredientes PremiumAlguns dos posts mais populares desse blog são receitas. Receitas que adaptei de várias fontes. Elas vão de receitas com fígado, até bolinhos, passando por figos com presunto parma. Mas o que realmente importa é que nenhuma dessas receitas fica boa caso os ingredientes usados não sejam bons. Normalmente eu traduzo os pratos para uma realidade mais próxima di dia-a-dia, mas mesmo barateando as coisas, temos que procurar o melhor do menos caro.Portanto, assim como no amor, não economize. Vá fundo, mesmo que as chances de ficar quebrado (a cara ou o bolso) existam.

A próxima receita vai ser bem no espírito natalino. Aguardem!

Conheça algumas das minhas receitas.

Palavra do Dia: Amor

Amor eternoO amor é um sentimento terno e caloroso de uma pessoa por outra, inclusive de natureza física e sexual. No último capítulo do livro “Vínculos”, Marcia Esteves Agostinho afirma que o amor é mais do que um sentimento, mas um ato de vontade, uma decisão madura e uma atitude responsável. Ainda de acordo com a autora, o amor é criador e pressupõe um projeto – um futuro com o outro – e o realiza. Por isso, o amor também é história.

Mas, amor, acima de tudo, é aquela coisa inexplicável que estamos sempre procurando, sempre querendo manter, sempre querendo sentir e repartir, mesmo que ele nos faça sofrer, já que ele sempre nos faz sorrir.

Piegas? Pode até ser, mas essa é a realidade.

Definição:

(a.mor) [ô]
sm.

1. Sentimento que faz alguém querer o bem de outrem ou de alguma coisa [+ a, por : amor (da juventude) à pátria: amor pelos humildes]
2. Afeto profundo, devoção de uma pessoa a outra (amor materno)
3. Sentimento terno e caloroso de uma pessoa por outra, inclusive de natureza física e sexual: “Nosso amor que eu não esqueço…” (Noel Rosa, Último desejo))
4. Relação amorosa: A duquesa tinha vários amores
5. O ato sexual (fazer amor)
6. Inclinação, apego ao que desperta prazer ou empatia (amor à música)
7. Rel. Sentimento de devoção a Deus; VENERAÇÃO
8. O ente objeto do amor: Dalila foi o amor de Sansão
9. Cuidado, zelo, dedicação: Fazer alguma coisa com amor.
10. Mit. Cupido
[F.: Do lat. amor, oris.]


Love is real, real is love
Love is feeling, feeling love
Love is wanting to be loved

Love is touch, touch is love
Love is reaching, reaching love
Love is asking to be loved

Love is you
You and me
Love is knowing
We can be

Love is free, free is love
Love is living, living love
Love is needing to be loved

Black Friday e o comércio eletrônico no Brasil

Ainda falta muito para o Brasil ter um comércio eletrônico decente. São pedidos não completados e que demoram dez dias para serem ressarcidos, links que não funcionam, preços fake e prazos de entrega indecentes. Por isso, a maioria das minhas compras foram feitas lá fora, em lojas nas quais posso confiar de olhos fechados.

E-commerce: R$ 770 milhões na Black Friday

Black-Friday-2012-deals-620x409A despeito do fato de muita gente ter relatado problemas para concluir suas compras na Black Friday 2013, realizada na sexta-feira, 29 de novembro, os que conseguiram chegar lá provocaram um belo salto das vendas do comércio eletrônico no País.

Segundo dados do E-Bit, houve um crescimento nominal de 217% nas vendas sobre a promoção de 2012 e a movimentação de R$ 770 milhões, o que quebrou “todos os recordes de faturamento em um único dia”.

Segundo a entidade, 1,95 milhão de pedidos foram feitos na internet, superando em cinco vezes as vendas de um dia normal e o ticket médio foi de R$ 396. As categorias de produtos mais procuradas pelos consumidores foram Telefonia/Celulares, seguida por Eletrodomésticos, Moda & Acessórios, Informática e Eletrônicos.

Pedro Guasti, diretor geral da E-Bit, afirmou, em comunicado, que a previsão inicial era de vendas de R$ 390 milhões na Black Friday, mas às 17 h a marca já havia sido batida. “Com o décimo terceiro em mãos e os descontos oferecidos, muitas pessoas aproveitaram para antecipar os presentes. O Natal, principal data sazonal do e-commerce, representa entre 15% e 20% do total das vendas do ano. Em 2013, certamente terá um peso maior por causa da Black Friday”, avalia Guasti.

black-friday-brasil-1-(2)Empresa que afirma ter trazido a Black Friday ao e-commerce brasileiro, a Busca Descontos, que reúne ofertas de 109 varejistas virtuais no http://www.blackfriday.com.br, registrou vendas de R$ 424 milhões. A empresa divulgou suas informações com base em dados da Clear Sale, que faz autenticação de vendas no e-commerce. O valor apontado é 95% maior que o movimentado em 2012. E o Busca Descontos esperava movimentar R$ 340 milhões.

O ticket médio divulgado pela Clear Sale foi maior que o do E-Bit: R$ 437, 9% maior que o de 2012 e 23% mais alto que o de uma sexta-feira comum. Enquanto na Black Friday 2012 as compras na madrugada (entre 3 h e 6 h) representaram 4% do total, este ano foram 8%.

Ainda nas análises da Clear Sale/Busca Descontos, a região Sudeste concentrou 68% das vendas, seguida da Sul e Nordeste (ambas com 12%), Centro-Oeste (6%) e Norte (2%).

O desconto médio das ofertas registradas no http://www.blackfriday.com.br foi de 20% (aqui, os dados são da Sieve, especializada em inteligência de precificação no comércio eletrônico, em comparação da média dos últimos 90 dias).

Redes Sociais

black-friday-brasilSegundo a E.life, que atua em inteligência de mercado e gestão de relacionamento nas redes sociais, a quarta edição brasileira da Black Friday gerou 172.251 depoimentos em redes sociais, monitoradas da meia noite do dia 29 até 23 h do dia 1º de dezembro.

A empresa afirma que os links de promoções mais replicados foram do fã clube do cantor sertanejo Luan Santana (937 replicações) e os que divulgavam promoções das lojas Americanas (133 replicações). As lojas mais citadas foram: Colombo (17.613 depoimentos), Extra (3.362), Submarino (3.031) e Casas Bahia (664).

Fonte: Meio & Mensagem

 

Comércio eletrônico brasileiro é falho e terá problemas em 2014

e-commmerce IIIO comércio eletrônico brasileiro – por falta de infraestrutura – não está preparado para enfrentar os megaeventos que estão por vir, entre eles, a Copa do Mundo, sustentou o diretor-geral do 3º Seminário Nacional de Comércio Eletrônico, Meios de Pagamento e Negócios na Web (Ecom 2013), Marcelo Castro. A expectativa, segundo ele, é atingir R$ 30 bilhões até 31 de dezembro, cerca de 28% a mais em relação a dezembro do ano passado.

“O primeiro semestre do ano vai ser muito tumultuado. Acho que a gente vai ter um pico de problemas na cadeia lojista. Não tenho dúvida de que quem estiver comprando no e-commerce [comércio eletrônico] vai sofrer um pouquinho, porque o mercado continua crescendo, mas a estrutura de entrega está limitada”, disse. Além dos problemas de logística, das condições das estradas e da segurança, Marcelo Castro destacou que os comerciantes no Brasil estão enfrentando a concorrência de sites estrangeiros que se instalam no Brasil ou oferecem serviços aos clientes do país.

e-commmerce“Europeus e americanos estão vendo um jeito de fugir da crise lá vendendo no e-commerce deles aqui. A expectativa é os estrangeiros comprarem R$1,5 bilhão aqui no Brasil, mas a previsão é que brasileiros comprem R$ 2,6 bilhões em sites estrangeiros. A gente tem que estar preparado para não deixar este mercado vazar para o mercado internacional”, alertou.

Marcelo Castro participou nesta quinta-feira, 28/11, no Rio de Janeiro, da última etapa do Ecom 2013, seminário de e-commerce com foco na Copa do Mundo de 2014 criado para inclusão digital comercial. Antes do Rio, o evento passou pelas outras 11 cidades-sedes da Copa e ainda por Florianópolis e Belém. “As 14 capitais, que são as doze da Copa mais Florianópolis e Belém, representam 90,2% do PIB (Produto Interno Bruto), então dá uma boa cobertura econômica também”, esclareceu.

Segundo o diretor, as empresas procuram se equipar melhor para atender aos clientes que, cada vez mais preferem fazer compras pela internet. Castro disse que, desde a primeira edição, o Ecom aumentou o número de participantes. Em 2011 foram 6 mil e este ano atingiu 11 mil. Além disso, o público se tornou mais qualificado.

e-commmerce IISegundo o diretor, pesquisas do Serviço de Proteção ao Crédito Brasil (SPC Brasil) e a Câmara Nacional de Diretores Lojistas (CNDL), apontaram que, em média, 70 % de varejistas, lojistas e comerciantes brasileiros não tinham endereço na web. “Na nova dinâmica da sociedade que a gente vive, onde o e-commerce cresce numa faixa de 30% ao ano, isso mostra que muitos comerciantes e lojistas estão fora desta onda, desse momento de oportunidade. Foi pensando nisso que o projeto Ecom fez em 2011 a sua primeira road show”, completou.

Numa prova que o brasileiro aderiu à Internet é a projeção da E-bit que as compras eletrônicas relacionadas ao Natal de 2013 devem movimentar R$ 3,85 bilhões. A expectativa representa um crescimento nominal (sem descontar a inflação) de 25%, na comparação com o mesmo período de 2012, quando o faturamento foi de R$ 3,06 bilhões.

De acordo ainda com a E-bit, entre 15 de novembro e 24 de dezembro, 10,3 milhões de compras devem ser feitas via internet. O tíquete médio estimado é de R$ 368. “O Natal é a data sazonal mais importante para o e-commerce e corresponde entre 15% a 20% do total das vendas do ano. Dessa vez, com a Black Friday, prevemos um peso ainda maior”, afirmou o diretor-geral da E-bit, Pedro Guasti, em nota, referindo-se à quarta edição da Black Friday Brasil, que começa nesta sexta-feira (29) e vai até domingo (1º) tanto para compras em lojas virtuais como no varejo tradicional.

Fonte: Agência Brasil

Uma segunda de vergonha

vasco_gamaOntem era dia para falar do sofrimento vascaíno, da queda para a segunda divisão e de aturar a gozação de todos. porém, as cenas que vimos no domingo, por mais que a violência tenha se banalizado, me fizeram calar. Não que a vascainidade vá diminuir em 2014, mesmo tendo novamente que aturar um time fraco e uma eleição que ode trazer de volta um ex-presidente que não deixou saudades.

O rebaixamento é doído, mas justo. Teremos mais 265 dias de gozação e uma missão ingrata, já que o Flu também estará na competição. Vamos torcer e ficar em low profile na próxima temporada.

Que todos os envolvidos sejam realmente presos, assim como acontece com qualquer um que arrume encrenca em algum estádio na Inglaterra, por exemplo.  É fácil fazer isso.

VASCO!

Odair José – Coleção Tons

odairjosecaixaÉ estranho escrever sobre um artista considerado brega e dizer que seus discos, apesar de bem produzidos, possuem características musicais desconcertantes. Comparando a produção de Odair José com os sertanejos e pagodeiros atuais, diria que ele se sai bem, principalmente se levarmos em conta o status cult que os artistas bregas ganharam.

A série Tons (da Universal Music) reedita quatro álbuns gravados pelo artista entre 1972 e 1975 – Assim Sou Eu…, Odair José, Lembranças e Odair. Apesar do (hoje) selo de brega, Odair chegou a vender 700 mil cópias de um só LP e, com isso, ganhou a liberdade de fugir do esteriótipo de cantor de jovem guarda, para ser aquilo que gostaria: um cantor pop. Mais surpreendente ainda é saber que ele se inspirava em nomes como Paul McCartney, George Harrison e Crosby, Stills and Nash, para compor algumas das suas canções.

Odair tinha um estilo realmente próprio que, goste ou não do resultado, era eficiente para o publico da época. Sucessos lembrados até hoje como Essa Noite Você Vai Ter Quer Ser Minha e Uma Vida Só (pare de tomar a pílula) são exemplos da sua popularidade.

Você diz que me adora
Que tudo nessa vida sou eu
Então eu quero ver você
Esperando um filho meu
Então eu quero ver você
Esperando um filho meu

Pare de tomar a pílula
Porque ela não deixa o nosso filho nascer

Os múltiplos cornos

odair-jose-em-altaA construção da poesia de Odair consistia em escrever uma história e depois fazer com que a melodia aceitasse os versos. Muitas vezes esse encaixe não acontecia, criando músicas que simplesmente careciam de melodia. Porém, o mais impressionante é a temática da traição, que parecia ser uma fixação do artista. Praticamente todas as canções falam de abandono, da possibilidade de perdoar uma traição da companheira ou da esperança de que a mulher voltasse, depois da sua pequena aventura. Nunca vi tantas músicas para corno reunidas em um conjunto de discos feitos por um mesmo artista.

Penso em você o dia inteiro
Sentindo solidão
Eu fico no portão
Esperando o carteiro
Mande nem que seja um telegrama
Dizendo que me ama
E que um dia vai voltar
Basta escrever uma palavra
Fazendo uma promessa
Pra que eu possa lhe esperar

Há também diferenças sociais – romance com uma empregada doméstica e um amor com alguém de uma classe social mais alta -, mas o que nunca deixa de existir é o sofrimento e uma eterna luta para fugir da censura dos anos 70.

Deixe essa vergonha de lado!
Pois nada disso tem valor
Por você ser uma simples empregada
não vai modificar o meu amor

Acompanhamento de primeira

odair-em-altaUm outro ponto de destaque nos discos de Odair José são os músicos que o acompanhavam. Núcleos de grupos como o Azymuth, além de Golden Boys e Trio Esperança, e de nomes como Hyldon, eram facilmente encontrados nas fichas técnicas de seus LPs, mas mesmo com tantas feras e arranjos enxutos, vez por outra ainda é possível ouvir uma nota estranhamente fora de lugar em uma ou outra canção, mas fica claro o investimento feito nos trabalhos de Odair, ainda um grande vendedor de discos.

John Lennon e Band On The Run?

Mas o que realmente me surpreendeu foram as influências musicais de Odair José. Neil Diamond era citado ao lado de Paul McCartney e George Harrison. No primeiro disco da caixa (Assim Sou Eu…), Odair emplaca uma canção chamada Eu Queria Ser John Lennon – na qual o sobrenome do ex-beatle é pronunciado mais como “lennu“. No disco Odair (1975) há duas canções inspiradas em Paul McCartney: Volte Pra Mim e Dê um Chega na Tristeza, que seguia a mesma fórmula da canção Band On The Run, de Paul, reunindo três melodias distintas para formar uma só obra.

Eu queria ser John Lennon um minuto só
Pra ficar no toca-discos e você me ouvir
Eu queria ser aquele espelho do teu quarto
Nele você sempre olha antes de dormir

Eu queria ser a chuva que molhou seu rosto
Pra saber o gosto que você sentiu
Quando um pingo frio do seu corpo caiu

odairjoseAlgumas dessas inspirações podem parecer fazer sentido apenas em um sistema solar diferente do nosso, mas é gratificante saber que a intenção (e gosto musical) era das melhores.

A série Tons marcou um golaço ao resgatar esses discos, há muito confinados aos velhos vinis. Essa é mais uma faceta da nossa música, imprescindível para entender o país que éramos e que somos hoje.

 

Ouça algumas canções de Odair José no playlist do F(r)ases da Vida, que fica no menu lateral direito.

Google anuncia seu próximo grande projeto: fabricar robôs

I RobotNão é surpresa para ninguém que o Google abriga vários projetos científicos (e misteriosos) em sua sede, na cidade de Mountain View, Califórnia. Dentro do prédio existe os chamados Laboratórios X, um espaço onde a empresa faz testes de todos os tipos com várias tecnologias ainda inexploradas pelo homem, incluindo até o protótipo um sistema de teletransporte. Foi de lá que saiu o primeiro protótipo do Google Glass, os óculos de realidade aumentada que chegam ao mercado no ano que vem.

Agora, os laboratórios do Google trabalham em mais um plano gigantesco e ambicioso: fabricar robôs. Em entrevista ao jornal The New York Times, o engenheiro Andy Rubin, criador do sistema operacional Android, revelou detalhes sobre o próximo grande projeto da companhia norte-americana, que planeja criar uma nova geração de máquinas robóticas.

Mas antes que você se imagine com um ciborgue fazendo as tarefas domésticas dentro da sua casa, saiba que a ideia não é, em um primeiro momento, destinada aos consumidores. O objetivo é incorporar os robôs na indústria e na economia para ampliar o processo de automação em diferentes setores do mercado, como montagem de eletrônicos e serviços de entrega de produtos.

O grupo de robótica do Google ficará em Palo Alto, e terá também um escritório no Japão, onde especialistas e programadores irão ajudar no aprimoramento do projeto. “Precisamos considerar o tempo como um fator chave”, disse Rubin. Ele acredita que os primeiros robôs criados pela companhia devem ser lançados daqui a dez anos.

De junho de 2013 até agora, o Google adquiriu sete empresas de tecnologia diretamente ligadas ao desenvolvimento de robôs. O próprio Andy Rubin comprou secretamente uma série de startups de robótica e inteligência artificial nos Estados Unidos e Japão, o que só destaca os esforços da gigante das buscas em investir no setor. Fato é que Rubin parece ter sido a escolha certa para cuidar do projeto de robôs do Google: além do Android, ele já trabalhou como engenheiro de produção na Apple e como engenheiro de robótica na Carl Zeiss.

Rubin afirma estar entusiasmado com o novo projeto e está convencido que será uma realidade acessível para o mercado. “Os carros sem motorista eram coisa de ficção científica quando começaram seu desenvolvimento em 2009, mas agora estão chegando ao alcance de todos. Este é o melhor emprego do mundo. Você começa a pensar sobre o que você gostaria de construir para si mesmo”, declarou.

Larry Page, um dos fundadores do Google, também comentou sobre a iniciativa em sua página no Google+. “Estou animado com o próximo projeto de Andy Rubin. Sua última grande aposta, o Android, começou como uma ideia maluca que acabou se tornando um supercomputador no bolso de milhões de pessoas. Mal posso esperar para ver o progresso”, disse.

Fonte: Canal Tech

Sai a lista dos veículos mais admirados no Brasil

A lista dos veículos mais admirados (nõ confundir com o de maior tráfego ou vendagem) consolida o poder das grandes marcas e mostra que injetar dinheiro ou ter fieis seguidores não garante prestígio ou reputação. Na internet fica claro a onipresença do Google e a queda de grandes nomes como Terra e IG. Nas rádios, a ainda grande aceitação da CBN me surpreendeu.

Confira e tire suas conclusões!

Nova edição da pesquisa confirma liderança da Globo e ascensão das redes sociais

Globo, Veja, Estadão, GNT, CBN e Google formam o time dos veículos campeões em prestígio junto ao mercado publicitário, de acordo com a mais recente edição da pesquisa Veículos Mais Admirados, realizada pelo Grupo Troiano de Branding com exclusividade para o Meio & Mensagem. O resultado é medido por meio do Índice de Prestígio da Marca (IPM), uma metodologia criada pelo Grupo Troiano. É com base neste índice que os veículos, dentro de seus respectivos meios, são rankeados.

Os resultados de 2013 refletem a opinião de 888 profissionais do mercado publicitário, que responderam a um questionário online. Os participantes avaliaram os veículos em seis atributos: conteúdo editorial ou de programação, atendimento comercial, credibilidade, eficácia, inovação e ética. Anteriormente, eram pesquisados nove atributos. A mudança foi implementada para facilitar a participação dos entrevistados.

As alterações não permitem que se faça uma comparação automática com os resultados de 2013, embora apontem na mesma linha “Os resultados atuais estão em linha com a série histórica”, explica Jaime Troiano, presidente do Grupo Troiano de Branding.

Um dos destaques desta rodada é a Globo, que ampliou ainda mais a distância entre seus concorrentes e registra o maior IPM de todos os veículos pesquisados (veja tabela abaixo).

Outro destaque é no meio internet, com a ascensão do Twitter ao quarto lugar e a confirmação de Facebook e YouTube na segunda e terceira posições. Os três foram incluídos pela primeira vez em 2012 na lista dos veículos pesquisados e já estrearam no topo, deixando para trás players tradicionais como UOL, Terra, Globo.com, MSN e Yahoo.

mais-admirados-2012

Fonte: Meio & Mensagem

Adeus Perimetral

Perimetral 4Agora que a poeira (com e sem trocadilho) baixou, resta apenas a certeza de que sem o Viaduto da Perimetral (feio ou bonito), o trânsito do Rio entra em uma fase de longa agonia, ainda maior do que a normalmente enfrentada pelo carioca.

A demolição tem vários prós e contras, mas fica claro que ela não deveria ter sido concretizada sem termos um verdadeiro sistema de transportes coletivos. Nossa frota de ônibus é mal distribuída e pessimamente conservada, o metrô não vai quase de lugar algum até o nada e os trens e barcas…melhor nem comentar.

Foi-se uma obra, ficou a poeira e o caos (e algumas vigas de aço que sempre podem sumir misteriosamente.

Fotos: Beth Santos

Proteção estranha

hearing-protection-musicHá coisas que só mesmo um país civilizado pode fazer. Dia desses, na coluna do Ancelmo Gois, estava a seguinte nota:

“Uma brasileira, de passagem por Basel, na Suíça, foi a um show de Eric Clapton. Ficou pasma quando recebeu, na entrada, protetores de ouvido. O equipamento era entregue a quem, por acaso, ficasse incomodado com … barulho”.

Imagina se importássemos a ideia e distribuíssemos protetores para todos os shows de música sertaneja, pagode ou de gente como a Alcione. Provavelmente teríamos uma indústria fortíssima na confecção desses “artefatos”. Seria bem menos estranho do que o do show de Basel.

O Brasil precisa evoluir!

A travessia de Abbey Road – um templo sagrado da música mundial

Depois de falar do The Shard e da London Eye, é a vez de mais um ponto turístico de Londres: Abbey Road

Abbey Road INão é para qualquer um transformar uma simples travessia de rua em um dos ícones de uma cidade. Além disso, praticamente obrigar a mudança de nome de um dos mais famosos estúdios do mundo – onde obras primas como Dark Side of the Moon e vários discos dos Beatles, claro, foram gravadas – apenas por conta de uma foto estampada na capa de um LP. Mais interessante ainda é que a travessia nem fica em uma esquina, mas em um pedaço aparentemente pacato de uma rua nem tão importante assim para a vida da cidade. Sendo assim, fica impossível não ficar impressionado com a força da música e da imagem dos rapazes de Liverpool.

DSC04569

Ir até Londres e não visitar Abbey Road, atravessando sua faixa de pedestres, é um pecado (mortal, diria eu). Não importa se você é ou não fã da banda (que não existe mais faz 43 anos), você já viu a tal foto dos rapazes cabeludos atravessando a rua. Hoje, são hordas de pessoas fazendo a mesma travessia, imitando a pose da capa do disco homônimo. Mas não pensem que isso é tudo. Depois de ser tombada (sim, tombaram uma faixa de pedestres), agora há até um pessoa para tirar as fotos dos turistas atravessando. Mais e melhor: é de graça! O estúdio continua sendo guardado por um simples portão, mas que, as vezes, dá para ser invadido – e, com dinheiro, é até possível marcar uma sessão de gravação.

Chegar até lá é fácil – é só sair na estação St. John’s Wood, na linha Jubilee – e seguir pela rua Groove End e pronto. Em pouco menos de 3 minutos de caminhada você está lá. Mas cuidado, em 2011, foi inaugurada uma nova seção da Docklands Light Rail (uma espécie de trem de superfície rápido) onde uma das estações foi batizada de….Abbey Road! O problema é que essa estação fica bem longe (mais de 15 km) da rua que você que ir. Portanto, não se confunda!

Abbey Road errada

Outras ações bem turísticas do local incluem escrever algo no muro do estúdio e procurar uma placa com o nome da rua para tirar uma foto (as perto do estúdio ficam em andares altos de prédios, para evitar roubos, mas há outras por toda a rua). Também vale dar uma passadinha na casa de Sir Paul McCartney, que fica bem pertinho, em Cavendish Avenue, que apesar do nome é uma rua até pequena.

Como disse no início, há muitos turistas o dia todo e uma webcam (com som), onde você pode ser visto fazendo a travessia e até guardar o vídeo (fica online por 24h). Bobo, mas divertido.

Além de Abbey Road, você pode aproveitar a viagem para visitar o museu de Sherlock Holmes e o museu da Madame Toussaud (um dos próximos tópicos dessa séria Londres 2013).

PS: Infelizmente várias fotos foram deletadas indevidamente, impedindo de fazer a sequência que gostaria e apagando um registro que agora só existe na minha memória. Tomara que não aconteça mais.

Fotos: Jo Nunes e Fernando de Oliveira

 

Conheça “beamforming”, a tecnologia que promete acelerar o Wi-Fi

Beamforming IBeamforming é um daqueles conceitos que parecem tão simples que você se pergunta como ninguém pensou nisso antes. Em vez de transmitir um sinal de rádio (em nosso caso Wi-Fi) para toda uma área, esperando atingir seu alvo dentro dela, porque não concentrar o sinal e mirar diretamente no alvo?

Mas às vezes os conceitos mais simples são os mais difíceis de executar, especialmente por um preço atraente aos consumidores. Felizmente o beamforming está se tornando um recurso comum nos roteadores Wi-Fi de quinta-geração baseados no padrão 802.11ac, pelo menos nos modelos mais sofisticados. Vamos explicar como ele funciona, e porque é interessante.

Em primeiro lugar, um pouco de história: beamforming era um recurso opcional no padrão 802.11n de redes Wi-Fi, mas o IEEE (o organismo internacional que define estes padrões) não especificou exatamente como ele deveria ser implementado. O roteador que você comprou poderia usar uma versão técnica, mas se a interface Wi-Fi de seu notebook usasse outra eles não seriam capazes de conversar e o recurso não iria funcionar.

Alguns fabricantes desenvolveram kits 802.11 pré-pareados (o WNHDB3008 Home Theater Kit, da Netgear, era um dos melhores exemplos), mas eles costumavam ser caros e nunca tiveram um grande impacto no mercado.

O IEEE não repetiu o erro ao definir o padrão 802.11ac que está sendo usado nos equipamentos Wi-Fi mais sofisticados. Os fabricantes que estão produzindo aparelhos baseados no padrão não são obrigados a implementar o beamforming, mas se o fizerem, tem de seguir uma especificação pré-determinada, o que garante que os produtos de todas as empresas serão capazes de trabalhar em conjunto. Se um aparelho como um roteador suportar beamforming mas outro como a interface Wi-Fi de seu notebook não suportar, eles ainda poderão trabalhar em conjunto, só não poderão tirar proveito da nova tecnologia.

Beamforming pode melhorar a utilização de banda em redes sem fio, e aumentar seu alcance. Por sua vez, isso pode melhorar o streaming de vídeo, a qualidade de voz em ligações via VoIP e outras transmissões sensíveis à largura de banda e latência.

O Beamforming é possível com transmissores e receptores que usam a tecnologia MIMO (“Multiple Input, Multiple Output” ou “Múltiplas Entradas, Múltiplas Saídas”). Os dados são enviados e recebidos usando múltiplas antenas para melhorar a velocidade de transmissão e o alcance. MIMO foi algo introduzido no padrão 802.11n, e continua sendo um recurso importante no padrão 802.11ac.

Como funciona?

Beamforming IIRoteadores Wi-Fi e interfaces Wireless que não suportam beamforming transmitem dados de forma praticamente homogênea em todas as direções. Fazendo uma analogia, pense em uma lâmpada sem um refletor como sendo o roteador. A lâmpada (roteador) irradia luz (dados) em todas as direções.

Aparelhos que suportam beamforming focam os sinais em direção ao cliente, concentrando a transmissão para que mais dados cheguem ao destino em vez de serem irradiados pela atmosfera. Imagine colocar um refletor ao redor da lâmpada (roteador) para evitar que a luz irradie em todas as direções.

Agora imagine fazer furos no refletor, para que raios de luz concentrada possam viajar em direções predefinidas. Isso é beamforming. Se o cliente Wi-Fi também suporta beamforming, ele e o roteador podem trocar informações sobre suas posições para determinar o melhor caminho para o sinal.

Beamforming+

Como mencionamos anteriormente, o suporte a beamforming é um componente opcional da especificação 802.11ac, e os fabricantes que desejem implementá-lo devem seguir um protocolo específico. Mas os fabricantes também podem oferecer outros tipos de beamforming além da técnica padrão.

O Beamforming+, da Netgear, é uma extensão da técnica definida no padrão 802.11ac, então é interoperável com qualquer outro dispositivo 802.11ac que também suporte beamforming. Mas o Beamforming+ não existe que o dispositivo cliente suporte beamforming, então você poderá ver ganhos de alcance e banda combinando um dos roteadores da Netgear (como o R6300, R6200 e R6250) com qualquer aparelho Wi-Fi capaz de funcionar na frequência de 5 GHz.

Mas é claro que a Netgear não é a única fabricante de roteadores com suporte a beamforming, e o recurso está se tornando comum em todos os roteadores Wi-Fi mais sofisticados. Se você está procurando um novo roteador e quer um que suporte beamforming, verifique as especificações na caixa do produto ou no site do fabricante. Alguns modelos interessantes são o Linksys EA6900, o D-Link DIR-868L e o Trendnet TEW-812DRU.

Fonte: PC World