Arquivo da tag: Paris

Dica de Viagem: Tutancâmon em Paris

Exposição, que será inaugurada em março, é uma das grandes atrações da Grande halle de la Villette para 2019

Normalmente o blog dá dicas práticas de viagens e, em breve, teremos mais surpresas para os nossos leitores, porém, dessa vez, a dica é para quem pretende viajar para Paris entre março e novembro: a exposição Tesouro do Faraó, que vai expor mais de 150 itens do mais famoso de todos os faraós, Tutancâmon.

A Grande halle de la Villette vale a visita

O Louvre tem uma belíssima e grande coleção de artefatos do Egito antigo — perdendo apenas para o Museu do Cairo —, mas a nova exposição, que será exibida na Grande halle de la Villette, terá itens encontrados na tumba real de Tutancâmon, descoberta em 1922. Cinquenta deles estarão fora do Egito pela primeira vez.

Vários itens estarão sendo exibidos fora do Egito pela primeira vez

Já foram vendidos mais de 30 mil ingressos para a exposição, o que justifica o post e a dica. Corra e compre o seu no site da exposição.

Serviço:

Tesouro do Faraó
Data
: de 23 março 2019 a 15 setembro 2019
Preço: Entre 22 e 24 euros
Local: Grande halle de la Villette (211 avenue Jean Jaurès, 75019)
Como chegar: Metrô linha 5, estação Porte de Pantin.

Fotos: Harry Burton/Reprodução

Anúncios

Dica de Viagem VII: vinho quente nos jardins de Paris

Piqueniques no outono entre goles de vin chaud. Programão para os turistas

O outono na Europa tem temperaturas agradáveis, tendendo para o frio (para os padrões de um carioca).

O fim da estação, principalmente, é a época perfeita para se experimentar o vin chaud — um vinho quente, parecido com o nosso quentão, que é vendido em vários quiosques espalhados por Paris.

Não tenha vergonha

Embora possa parecer um sacrilégio (para os amantes de vinho) o vin chaud é um sucesso e vai bem nos dias mais frios.

Feito com uma mistura de vinho tinto, frutas, açúcar, cravo e canela, ele pode ser encontrada em praticamente toda a cidade.

Não tenha vergonha em provar. Caso veja um quiosque de lanches, pode ter certeza de que o vin chaud vai estar entre as opções de bebida, mesmo que ainda sejam nove da matina. É um sucesso de vendas.

Nos jardins

Quem já visitou a Cidade Luz sabe que seus jardins são um espetáculo. No Jardim de Luxemburgo (meu preferido) há um quiosque onde, em certos horários, existe até uma fila para pedir a bebida.

As centenas de turistas que tomam os gramados, abrem suas toalhas e espalham seus quitutes, não se furtam em provar a iguaria. Alguns dizem que isso é muito programa de turista. Graças a Deus!

Se você vai viajar para Paris (em breve ou em algum momento da sua vida), guarde esta dica. Jardins e vin chaud.

Por via das dúvidas, segue o endereço do Jardim de Luxemburgo.

Jardin du Luxembourg
2 rue Auguste Comte 75006
Metrô linha
Metro linha 12, estação Notre-Dame-des-Champs ou RER: linha B, estação Luxembourg

Receita

Ingredientes

1 garrafa de vinho tinto
3 bastões de canela
Cascas de laranja seca (mais ou menos uma laranja)
Cascas de limão seca ralada (mais ou menos um limão)
6 cravos
6 pedaços pequenos (rodelas) de gengibre fresco
Noz moscada (a gosto)
2 favas de baunilha
1/4 de xícara de açúcar mascavo

Modo de fazer

É simples. Misture todos os ingredientes em uma panela e aqueça em fogo médio, mexendo até levantar fervura. Diminua o fogo e deixe que os ingredientes se incorporem por aproximadamente meia hora.

Outras dicas de viagem

Dicas de Viagem Parte I – Programação

Dicas de Viagem Parte II – Orçamento

Dicas de Viagem Parte III – Transportes

Dicas de Viagem IV(a): Cuidados para não ser barrado em um país estrangeiro (vistos)

Dicas de Viagem IV(b): Cuidados para não ser barrado em um país estrangeiro (seguro de viagem)

Dicas de Viagem IV(c): Minivisto para a Europa

Dicas de Viagem V: Tipos de tomadas pelo mundo

Dicas de Viagem VI: Não se aperte com comida

Leia outros posts sobre viagens

As cidades estrangeiras que o brasileiro mais gosta de visitar

OrlandoQue o brasileiro gosta de viajar ninguém duvida, mas que o gosto pelos destinos pode ser questionado também não tenho dúvidas. Segundo um levantamento realizado pela agência ViajaNet (entre janeiro e março deste ano), Londres fica de fora dos dez destinos mais procurados, enquanto quatro cidades dos Estados Unidos estão no Top 10. A pesquisa é tão surpreendente que Paris aparece numa modesta 6ª posição e Roma na , mostrando que o Velho Continente e o turismo cultural andam em baixa na conta dos turistas tupiniquins.

Ainda segundo a pesquisa, as vendas de passagens aéreas internacionais cresceram 27% entre janeiro e março deste ano no Brasil, quando comparadas com o mesmo exercício anterior e (segundo a pesquisa F(r)ases da Vida/Blog do feroli) o preço das passagens para os EUA e para as principais cidades da Europa ficaram praticamente parelhos, não justificando a preferência pela Terra do Tio Sam.

MiamiSegue o ranking

1 – Orlando

2 – Miami

3 – Nova Iorque

4 – Los Angeles

5 – Lisboa

6 – Paris

7 – Toronto

8- Roma

9 – Madri

10 – Cancun

Fonte: ViajaNet 

As cidades que mais bebem vinho no mundo

O consumo per capta de qualquer alimento ou bebida pode trazer algum espanto sempre que são divulgados. Sempre fico bobo quando lembro que a Suíça tem o maior consumo per capta de sorvete, enquanto, por aqui, dizem que não devemos tomar sorvete no frio. Portanto, a divulgação das cidades que mais consomem vinho (minha bebida favorita) no mundo chamou a minha atenção.

Imaginei que cidades dos principais produtores de vinho – lembrando que quantidade não é qualidade – estariam no topo, mas admito que Londres, por exemplo, me surpreendeu. Paris, é a primeira do ranking, unindo os ótimos vinhos com a sua quantidade absurda de turistas sedentos todos os anos. Isso, com o consumo normal da população, colocam a cidade francesa bem adiante da segunda colocada, Buenos Aires, onde também e bebe muito (ic).

Paris lidera o ranking realizado por uma escola francesa

Uma pesquisa da escola de administração francesa INSEEC revelou as cidades que mais consomem vinho no mundo. Paris ficou em primeiro lugar, com 697 milhões de garrafas consumidas anualmente, o que dá uma média de 51,7 litros per capita.

No entanto, deve-se lembrar que a capital francesa é um enorme polo turístico, portanto, a média per capita pode ser bastante relativa. Aliás, o mesmo ocorre nas maioria das outras cidades no top 10.

Confira a lista completa:
(Posição – Milhões de garrafa/ano – Litros per capita/ano)

1. Paris (França) – 697 – 51,7

2. Buenos Aires (Argentina) – 457 – 32,2

3. Ruhr (Alemanha) – 385 – 28,5

4. Londres (Reino Unido) – 369 – 24,7

5. Nova York (Estados Unidos) – 308 – 12,1

6. Milão (Itália) – 301 – 38,9

7. Los Angeles (Estados Unidos) – 241 – 12,1

8. Nápoles (Itália) – 188 – 38,9

9. Madri (Espanha) – 181 – 25,2

10. Roma (Itália) – 177 – 38,9

Fonte: Revista Adega

Degustação de vinhos para brasileiros…em Paris!

Uma ótima pedida para quem quiser unir a experiência de visitar Paris e degustar bons vinhos. A cereja do bolo é que tudo será em português.

O vinho francês é tão bom que até os mendigos não dispensam
O vinho francês é tão bom que até os mendigos não dispensam

As Caves Legrand, um dos melhores endereços para degustar e comprar vinhos em Paris, vai oferecer, a partir de maio deste ano, cursos de degustação em português. A ideia é atender a crescente demanda de clientes e turistas brasileiros, cada vez mais interessados em descobrir as especificidades dos crus franceses.

A programação inclui três fórmulas, com duração de 3 horas cada uma. O curso principal é dedicado aos «Grandes Crus» e inclui os melhores vinhos de regiões célebres, como Margaux, em Bordeaux, Gevrey-Chambertin, na Borgonha, ou, ainda, Côte Rotie, na região do Rhône.

Já a fórmula «Vins de Vignerons» tem foco em vinhos com estilo e personalidade próprios, elaborados por pequenos produtores, com ótimo custo benefício. A terceira opção é um giro pelos maiores vinhos brancos franceses, passando por regiões como a Alsácia, Loire ou Borgonha.

Os cursos serão estruturados em três partes: iniciação aos métodos de vinificação e discussão sobre o conceito de terroir; aplicação de técnicas de degustação para análise visual, olfativa e gustativa dos vinhos; e, finalemente, a degustação propriamente dita. Durante cada seção, serão degustados 6 vinhos franceses, acompanhados de “amuses-bouches” e tira-gostos harmonizados, como queijos, frios, canapés, antepastos e frutas.

As degustações fazem parte de um projeto mais amplo que tem como foco o mercado e os consumidores brasileiros. Além dos cursos em português, a casa também investiu na contratação de um profissional especializado para atender a clientela brasileira.

Paris à noite“O objetivo é oferecer os serviços que temos hoje em francês, também em português, dentre eles, degustações, conselho para a formação de adegas particulares, organização de eventos, além do atendimento personalizado para a venda de vinhos”, explica Gerard Sibourd-Baudry, diretor da casa.

Uma bela galeria

Inaugurada em 1880, Legrand é uma das mais bonitas, prestigiosas e completas caves de Paris. Tem mais de 5 mil rótulos, de 360 produtores, incluindo desde os maiores crus franceses, até vinhos raros de pequenos produtores. As garrafas compradas na cave também podem ser degustadas, sem nenhum acréscimo, no Comptoir, o bar e restaurante da Legrand, que funciona de segunda à sábado, das 12h às 20h.O acesso ao bar se faz pela belíssima Galeria Vivienne. Com seu piso em mosaico e teto de vidro que datam de 1823, a galeria, tombada pelo patrimônio histórico, é uma das mais belas de Paris. Somente a arquitetura e a decoração já valem a visita.

A programação dos cursos pode ser consultada no site da Legrand, clicando aqui e as reservas e maiores informações podem ser obtidas, em português ou em francês, através do email ana-carolina@caves-legrand.com.

Fonte: Divulgação/Enoeventos

Fotos: Fernando de Oliveira