STJ decide que sites de busca não são responsáveis por conteúdo

Finalmente um respiro de inteligência no nosso sistema jurídico.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que os sites de busca não são responsáveis pelo conteúdo disponibilizado na internet e não podem ser obrigados a retirar textos, vídeos ou fotos ofensivos da rede.

A decisão, da 3ª Turma do Tribunal, foi tomada a partir do julgamento de uma disputa judicial entre o Google e a apresentadora Xuxa. Ainda cabe recurso.

Com isso, o STJ cancelou a decisão liminar do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) que havia determinado que o Google deixasse de disponibilizar, em 48 horas, fotos obtidas a partir do termo “Xuxa Pedófila”, sob pena de multa de R$ 20 mil.

Para a relatora do caso no STJ, ministra Nancy Andrigui, os provedores de pesquisa limitam-se a indicar os sites onde os conteúdos são encontrados. “Os provedores de pesquisa não são responsáveis pelo conteúdo disponibilizado na rede. Se a página detém conteúdo ofensivo, cabe a parte buscar a retirada desse conteúdo. Não justifica a transferência da responsabilidade ao provedor de pesquisa”, afirmou a ministra, durante julgamento realizado ontem.

Ainda segundo a ministra, obrigar os provedores de pesquisa a verificarem antecipadamente os sites “eliminaria um dos maiores atrativos da internet”, que é a disponibilização em tempo real de conteúdo.

“A exclusão da palavra ‘Xuxa’ retiraria da web, por exemplo, todo o conteúdo disposto em relação ao nadador ‘Xuxa’. E, da mesma forma, ocorreria com a palavra ‘Pedofilia’, que sumiria da internet. Permitir isso seria violar o direito à informação”, afirmou Nancy Andrighi. O entendimento foi seguido pelos outros quatro ministros da 3ª Turma.

A defesa do Google afirmou no julgamento que, tecnicamente, não teria como cumprir a obrigação como determinava o TJ-RJ. “A Xuxa deveria brigar com quem tem postado as fotos na rede e não com os buscadores”, defendeu o advogado.

O representante da apresentadora, Mauricio Lopes de Oliveira, do escritório Lopes de Oliveira, Lamberp Advogados, afirmou ao Valor que o juiz de primeiro grau convocou um perito para verificar se a empresa tem condições de retirar o conteúdo da internet. “O STJ fez um julgamento antes da perícia. Com a prova pericial será possível rediscutir o caso com mais elementos técnicos”, disse.

Oliveira afirmou ainda que a publicação de fotos ofensivas fere garantias individuais e, assim, a apresentadora poderá recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF). “Decidiremos isso depois que o acórdão for publicado”, diz o advogado.

Fonte: UOL

Anúncios

Ombudsman da Folha diz que site precisa melhorar para cobrar conteúdo

Vamos ver se esse modelo se sustenta. Até hoje ainda há muitas dúvidas sobre como ganhar dinheiro com os sites de notícias. Gênios já ficaram anos trabalhando em grandes empresas apenas pensando nisso. Precisamos aguardar as cenas dos próximos capítulos.

Desde a última quinta-feira, 21, a Folha de S. Paulo cobra pelo acesso ao conteúdo online. Chamado de paywall (muro de pagamento poroso, em português), o modelo importado do New York Times foi comentado pela ombudsman do jornal, Suzana Singer. De acordo com ela, o site “precisa melhorar o noticiário para convencer os internautas” a pagarem pelo acesso.

Para a jornalista, a Folha.com precisa oferecer conteúdo de qualidade superior aos outros sites. “Para ler pequenos informes sobre o que aconteceu nas últimas horas, em textos mal-ajambrados, ou para saber das fofocas mais recentes sobre celebridades do ‘mundo B’, ninguém precisa gastar um centavo, há uma oferta enorme de sites e blogs gratuitos na rede”, explicou em sua coluna. Ela considera que, neste momento, o grande desafio é mostrar que um noticiário bem feito “custa caro, mas que vale a pena financiá-lo”.

Segundo a matéria divulgada pelo jornal na semana passada, o modelo deixa o visitante livre para ler, gratuitamente, até 20 textos por mês. Caso o internauta queira ler mais, será solicitado um “breve” cadastro e, assim, ele poderá ler mais 20 reportagens. Se esta cota exceder, o usuário precisará pagar para ler mais notícias. A novidade traz neste início um valor promocional de R$ 1,90 pela assinatura. A partir do segundo mês, o preço passa a ser de R$ 29,90.

O impresso ressalta que o sistema é flexível. Neste modelo, o acesso a algumas partes do site não será contado – como, por exemplo, os cliques na capa e em páginas do projeto Transparência (conjunto de iniciativas do jornal para trazer a público documentos que estão sob a guarda do Estado).

Suzana afirma que, provavelmente, “a expressiva maioria dos visitantes do site da Folha nem vai dar com a cara no ‘muro de cobrança’, porque consome pouquíssima notícia”.

Fonte: Comunique-se

TI corporativa já compra um tablet para cada 3 smarphones

A constatação é de um estudo da Cisco, divulgado esta semana. O estudo envolveu 1.500 decisores de TI de seis países e mapeia a consumerização da TI.

Os gestores de TI estão lidando com organizações cada vez mais móveis, e a tendência deve se refletir numa mudança dramática do cenário de hardware corporativo em 2012. Estudo realizado pela Cisco em conjunto com a empresa de pesquisas Redshift Research, aponta que atualmente a TI corporativa recebe o pedido de compra de um tablet para cada três smartphones requisitados. O estudo, liberado esta semana, foi feito com 1,5 mil profissionais de TI (decisores ou influenciadores de compra) de grandes e médias empresas dos Estados Unidos, França, Canadá, Reino Unido, Alemanha e Espanha.

A pesquisa lança também uma luz interessante sobre a prática cada vez mais crescente dos funcionários utilizarem seus próprios equipamentos digitais no trabalho (a prática chamada BYOD, ou Bring Your Own Device), também conhecida como consumerização da TI. Segundo os resultados, embora 48% dos executivos de TI afirmem que a prática é proibida em suas empresas, 57% dos executivos de TI globais admitem “fechar os olhos” mesmo sabendo que alguns funcionários levam seus equipamentos pessoais para trabalhar. Mais da metade dos entrevistados (51%) afirmou que a prática é crescente em suas empresas e 64% deles indicou que a perda/roubo de equipamentos pessoais e o acesso aos dados corporativos são as maiores preocupações ligadas ao BYOD.

Estados Unidos e França são os países com mais pedidos de tablet, tendo 21% da sua força de trabalho solicitando um tablet , a maioria dos pedidos vinda de executivos sênior das empresas. O interesse pelos tablets é maior na Espanha, país no qual 90% dos executivos ouvidos declarou acreditar que o equipamento será mais popular nos próximos dois anos. Executivos de vendas são os que mais pedem tablets globalmente, coincidindo com o fato de que esses funcionários são os que mais estão conectados, os que fazem mais ligações telefônicas e os que mais precisam ter acesso remoto a informação e apresentações corporativas.

Os Estados Unidos também lideram as preocupações com o uso de tablets, com 75% dos gestores de TI declarando que é necessário estabelecer novas regras para segurança e uso dos equipamentos. E 48% dos entrevistados são francamente favorável a restringir o acesso às aplicações corporativas a apenas um grupo de funcionários com tablets.

Com relação às vantagens do uso de tablets, todos os entrevistados concordam que apps customizadas para suas empresas vão favorecer os negócios. A maioria, 75% dos líderes de TI, coloca acesso a e-mail e compartilhamento de documentos como fundamentais e metade dos entrevistados indicou como desejáveis as videochamadas, mensagem instantânea e sincronização com os diferentes equipamentos corporativos, especialmente com os desktops.

A Cisco, que tem seu próprio tablet, o Cius, aposta na aceleração da mobilidade corporativa em 2012. Segundo Tom Puorro, diretor de produto da divisão IPC da companhia, “mobilidade e trabalho remoto chegaram para ficar, mas as demandas da TI continuam sendo garantir a segurança, gestão e interoperabilidade dos equipamentos”.

Para mais informações sobre a pesquisa, confira as informações no site da Cisco.

Fonte: Computerworld

No segundo ‘Encontro’, Fátima Bernardes perde a liderança isolada

Não sei a relevância, mas não se fala em outra coisa.

Nesta terça-feira, 26, Fátima Bernardes não obteve o mesmo resultado da estreia e perdeu o posto na liderança de audiência.  As informações foram publicadas pela ‘Radar On-line’, coluna editada por Lauro Jardim no site da Veja.

Segundo a coluna, no horário de exibição de ‘Encontro com Fátima Bernardes’, a prévia do Ibope na Grande São Paulo registrou 7,2 pontos para a atração da jornalista. Com produção destinada ao público infanto-juvenil, o SBT marcou os mesmos pontos da atração global.

O segundo programa de Fátima tratou de namoro entre professor e aluna, gorjeta e continuou com a série sobre adoção, mostrando a frustração de crianças devolvidas aos abrigos.

Na estreia de seu programa, na segunda, Fátima alcançou pico de 11,5 pontos no Ibope na região de São Paulo, resultado que a Globo não atingia neste horário desde 2006.

Fonte: Comunique-se

Paula Fernandes lança novo CD

Romantismo brejeiro dá o tom do trabalho

Meus Encantos (Universal), sétimo disco da bela e talentosa cantora e compositora mineira Paula Fernandes, segue os passos de seu último trabalho – Pássaro de Fogo (2008) – e mantém a mistura pop brejeira da artista.

As composições, sejam elas próprias, em parceria com gente como Zezé Di Camargo ou Zé Ramalho, ou de outros (como Long Live, da cantora country Taylor Swift), soam modernas e inspiradas. Cuidar Mais de Mim, faixa que abre o CD, é daquelas que têm tudo para se transformar em um clássico do repertório de Paula, assim como Além da Vida, parceria com Victor Chaves.

O romantismo de Paula jamais esbarra no piegas ou no brega e a produção dá um toque de classe aos arranjos que não ficam pesados mesmo com o uso de cordas. Meus Encantos tem tudo para repetir o sucesso de Paula Fernandes ao Vivo e manter o nível de êxito da artista.

A classe de Joyce e Donato

Aquarius traz inéditas e regravações

Joyce Moreno e João Donato são dois músicos que fazem parte de um grupo de artistas da MPB que podem ser considerados de elite. Suas obras estão recheadas de pérolas e pequenos tesouros e, apesar da dificuldade em seguir suas discografias (com vários discos lançados apenas no exterior) e o recém-lançado no Brasil, Aquarius (Biscoito Fino), segue a mesma linha.

Editado primeiramente no Japão em 2009, o CD reúne novas canções e algumas releituras de clássicos do repertório da dupla. Entre as inéditas, destaque para o suingue de Joyce em Guarulhos Cha Cha Cha, um bolero com letra e coro dos mais felizes, e Caymmi Visita Tom, que homenageia dois dos grandes mestres da nossa música de maneira emocionante.

Joyce está cantando como nunca e Donato – longe de ser um grande intérprete – faz bonito no duo em Xango de É Baê. As novas versões de Feminina – um dos maiores sucessos da carreira de Joyce – e Amazonas – clássico do catálogo de Donato – dão um toque de modernidade que não descaracteriza seus registros originais.

O violão de Joyce, o piano de Donato e a bateria sempre criativa de Tutty Moreno, complementam o baixo de Jorge Helder e a percussão de Sidinho Moreira, que formam o núcleo rítmico de um disco que felizmente chega aos fãs brasileiros da boa, elegante e criativa MPB.

Não é à toa que a dupla é tão cultuada no exterior. Uma pena que nem todos os seus trabalhos sejam lançados por aqui (vide uma visita a qualquer loja de discos virtual). Joyce e Donato levam a música para um patamar que só os craques podem alcançar.

Um padre pop

Padre Omar lança disco com participações especiais

Os depoimentos de gente famosa se derretendo em elogios ao talento de Padre Omar – titular da capela do Cristo Redentor – poderiam até parecer uma jogada de marketing para lançar mais um padre cantor. Porém, o currículo do sacerdote – estudou piano no Conservatório Brasileiro, é membro honorário da Academia Internacional de Música e cursou Música Sacra na Universidade Santa Cecília de Roma, na Itália – e o conteúdo de seu primeiro CD – Peço a Deus (EMI) mostram que ele merece as deferências.

“Religião e música têm alguns aspectos semelhantes. Ambas passam por preconceito, mas despertam no homem o interesse pelo amor, verdade e o sentido da vida. Quando você as integra elas se transformam em uma grande força para divulgar valores’, explica o padre.

O CD, que conta com a participação de Diogo Nogueira, é certeiro nos arranjos e no repertório, que conta até com uma canção de Roberto e Erasmo, A Montanha.

“Procuramos fazer arranjos simples, porém elegantes. São harmonias adequadas à música religiosa, que têm o diferencial de ser mais pop, mais pra frente”, diz Omar.

Além de Nogueira, o CD conta com a participação do percussionista Marçalzinho e de outros padres-cantores, que mostram talento em duetos que valorizam as canções. Outro destaque é a versão para João de Deus, canção que ficou marcada como hino ao Papa João Paulo II e que serve como aquecimento para a visita de Bento XVI ao Brasil em 2013.

Sony anuncia lançamento de sua “Google TV” no Brasil

A Sony Brasil anunciou que pretende lançar até o final deste ano a primeira set-top-box com Google TV no mercado nacional.

Segundo a empresa, o lançamento é parte de uma estratégia de expansão mundial, que inclui também México, Reino Unido, Canadá, Austrália, França, Alemanha e Holanda, todos ainda neste ano.

O produto da Sony, modelo NSZ-GS7, roda a versão 2.0 do software Google TV, que é um derivado do Android já usado em tablets e smartphones. Com o software, o usuário pode navegar na web usando o Google Chrome, assistir vídeo em serviços de streaming como You Tube e Netflix, e baixar e instalar aplicativos feitos sob medida para TVs usando o serviço Google Play.

Ou seja, a “caixinha” transforma uma TV comum em uma “Smart TV”, com acesso a todos os serviços do Google. Para isso, a set-top-box da Sony tem um controle remoto de dupla-face, com um teclado QWERTY de um lado e as funções típicas de um controle remoto, além de um trackpad, do outro.

O preço da NSZ-GS7 no Brasil não foi divulgado. Nos EUA o produto custa 200 dólares.

Fonte: IDG Now!

Istoé é condenada a pagar mais de R$ 10 mil para jornalista que virou PJ

Ainda não sei como ficou o dissídio dos jornalistas, mas vale lembrar o caso abaixo. Nossos bolsos agradecem.

A Justiça definiu que a Editora Três, responsável pela Istoé, terá que pagar mais de R$ 10 mil como indenização a jornalista que trabalhava na revista e se tornou Pessoa Jurídica depois de pedido da empresa. A decisão partiu da juíza Carla Malimpenso de Oliveira El Kutby, da 90ª Vara do Trabalho de São Paulo, que aceitou o pedido da profissional.

Em 11 de agosto de 2008, a então secretária de redação da Istoé enviou e-mail para os jornalistas da redação com a informação de que todos teriam dois meses para se adaptar as normas da revista. “Quem compra nota tem 60 dias para abrir empresa e nos entregar os documentos solicitados. Vamos deixar bem claro que não haverá exceções pois corremos um risco muito grande com essas empresas”, informava a mensagem.

A jornalista, identificada como C. R. S, trabalhou por cerca de três anos na Editora Três, atuando parte desse período como “frila-fixo”. Após receber o e-mail da secretária da revista, ela, de acordo com a defesa, seguiu a ordem da empresa e guardou todos os comprovantes das despesas que teve, como os documentos de impostos pagos como Pessoa Jurídica. A publicação não comentou o caso até o momento.

advogado_-_istoDe acordo com o entendimento da juíza, ficou reconhecido o vínculo de emprego com a Istoé e que a jornalista deve ser ressarcida pelos gastos que teve como PJ durante o tempo em que ficou na redação da revista. O valor indenizatório fixado pela Justiça foi dividido em duas partes. R$ 3.040 para constituir empresa e contador e mais R$ 8.116,72 de tributos comprovados. A Editora Três pode recorrer da decisão.

Para o advogado Kiyomori André Galvão Mori (foto), do escritório Mori e Costa Teixeira Sociedade de Advogados, que representa a jornalista, a decisão judicial é uma vitória para todos profissionais da comunicação. “Na Justiça, qualquer fraude contra as relações de trabalho pode ser anulada. Ao se tornar ‘PJ’, o jornalista pode até ter a impressão que está ganhando em salário, mas as perdas em termos de INSS, aposentadoria e demais direitos sociais são incalculáveis no longo prazo”, afirmou  o advogado, que também é jornalista e trabalhou na Folha.

Fonte: Comunique-se

Os aniversariantes do rock em junho

O mês está quase acabando, mas ainda vale lembrar alguns dos músicos que apagaram velinhas em junho (velinhas e não velhinhas!).

3 – Curtis Mayfield
7 – Prince
7 – Dave Navarro
12 – Chick Corea
18 – Paul McCartney
20 – Brian Wilson
21 – Ray Davies
22 – Todd Rundgren
24 – Jeff Beck
25 – Carly Simon
26 – Chris Isaak
30 – Philip Anselmo

Palavra do Dia – Anadiplose

“Relendo o capítulo passado, acode-me uma ideia e um escrúpulo. O escrúpulo é justamente escrever a ideia”(Dom Casmurro, Machado de Assis)

Machado de Assis foi um escritor que soube usar a língua e suas possibilidades para criar um estilo próprio. No trecho acima, da obra “Dom Casmurro”, o autor usa a anadiplose. A anadiplose ocorre quando uma palavra ou expressão usada no final de uma frase é repetida no início da frase seguinte – é o caso do termo ‘escrúpulo’, no exemplo.

Definição:

(a.na.di.plo.se)

sf.

1. Ret. Repetição de palavra(s) que finaliza(m) frase ou verso no começo da frase ou verso seguinte.

[F.: Do lat. tard.
anadiplosis, is, do gr. anadíplosis, eos. Cf.: epanadiplose.]

Antidepressivo pode reduzir avanço de tumores

Uma equipe de pesquisadores taiwaneses descobriu que o antidepressivo Mirtazipine pode reduzir o avanço de tumores de câncer colorretal, afirmou nesta quinta-feira o diretor do projeto, Fang Chun-kai, do Hospital Mackay de Taipé.

“No estudo, as cobaias que foram tratadas com Mirtazipine viveram 67 dias em média, enquanto as que não receberam medicamentos só viveram 43 dias”, disse Fang em entrevista coletiva. Segundo o pesquisador, este remédio não cura o câncer, mas desacelera seu crescimento.

O médico iniciou essa pesquisa após constatar que os pacientes com câncer colorretal que eram submetidos ao tratamento contra depressão com Mirtazipine apresentavam um atraso no crescimento tumoral. “Este medicamento melhora o sistema imunológico, eleva os níveis de serotonina e reduz o fator de necrose nos tumores”, disse o professor de radiologia da Universidade Yang Ming John J.J. Hwang, que explicou que agora vão realizar o estudo em outros tipos de câncer.

Os resultados da pesquisa serão publicados neste mês na revista científica Public Library of Science One.

Fonte: EFE

Esses Ingleses Maravilhosos e suas Pesquisas Voadoras XVIII – Exercício é irrelevante no tratamento da depressão

Uma pesquisa realizada pelas Universidades de Bristol e Exeter, na Grã-Bretanha, sugere que combinar exercícios com tratamentos convencionais pode não influenciar as chances de melhora da depressão. Os pesquisadores britânicos analisaram 361 pacientes. Um grupo recebeu, além dos medicamentos e terapia, ajuda para aumentar as atividades físicas.

Depois de um ano, todos eles tinham menos sintomas de depressão, mas não havia diferença entre o grupo que praticou exercício e o que não praticou. “É uma grande decepção, pois esperávamos que o exercício ajudasse (no tratamento) da depressão. Mas temos que lembrar que estes eram pacientes que já recebiam medicamentos, então, (a pesquisa) considera o exercício um complemento do tratamento médico. Não analisou casos leves de depressão nem levou em conta o exercício como uma alternativa aos medicamentos”, disse Alan Maryon-Davis, professor de saúde pública no King’s College, de Londres.

“A mensagem não deve ser parar com os exercícios. O exercício tem tantos outros benefícios, é bom para doenças do coração, diminui a pressão sanguínea, tem efeitos benéficos no equilíbrio das gorduras no sangue, fortalece os músculos e queima calorias”, diz.

“Muitas pessoas que sofrem de depressão podem ter outros problemas também. E um corpo ativo ajuda a ter uma mente saudável”, acrescentou o pesquisador. O estudo foi financiado pelo NHS, o sistema público de saúde britânico, e publicado na revista especializada British Medical Journal.

Cenário real

A pesquisa analisou como o estímulo à atividade física funciona em um cenário real. Todas as 361 pessoas que participaram receberam tratamentos tradicionais apropriados aos níveis de depressão de cada uma.

Mas, durante oito meses, algumas pessoas em um grupo escolhido de forma aleatória receberam aconselhamento sobre como aumentar o nível de atividade física. Os conselhos foram dados em 13 ocasiões separadas. Cada um dos pacientes deveria escolher que tipo de atividade queria fazer e o quanto deveriam praticar.

Esta abordagem deu bons resultados, estimulando os pacientes a praticar mais exercícios durante um tempo, algo que pode levar a mais benefícios à saúde. Mas, no final de um ano, os pesquisadores não encontraram nenhuma redução extra dos sintomas de depressão no grupo mais ativo.

“Muitos pacientes que sofrem de depressão preferem não tomar os remédios antidepressivos tradicionais, preferindo formas de terapia alternativas, que não são baseadas no uso de remédios”, disse John Campbell, do Colégio de Medicina e Odontologia Peninsula, que também participou da pesquisa.

“Exercícios e atividades físicas parecem prometer um tratamento como este, mas esta pesquisa mostrou que o exercício não parece ser eficaz no tratamento da depressão”, disse. No entanto, de acordo com Campbell, os médicos geralmente encontram pacientes com outros problemas de saúde e, para estes, o estímulo para a prática do exercício pode gerar benefícios.

“A mensagem deste estudo não é que o exercício não seja bom para você, mas que o exercício é realmente bom para você, mas não é bom para tratar pessoas com depressão grave”, acrescentou. “O prazer que todos nós temos a partir de exercícios de intensidade moderada é certamente reconhecido, mas não se sustenta e não é apropriado para tratar pessoas com depressão”, disse.

Fonte: BBC Brasil

Veja mais pesquisas inglesas

Tartarugas se recusam a compartilhar gaiola após 115 anos

Faz algum tempo eu escrevi sobre uma pesquisa que dizia que o Parceiro se torna irritante com o tempo. Agora, dois companheiros de longa data brigam na Austrália, parecendo comprovar o teor científico do estudo.

Depois de viverem 115 anos juntas, duas tartarugas gigantes do zoológico Klagenfurt, na Áustria, estão se recusando a compartilhar a gaiola, segundo informações publicadas pelo The Huffington Post, citando o jornal Austrian Times. Ao jornal o diretor do zoológico, Helga Happ, teria afirmado que o macho, Poldi, e a fêmea, Bibi, não estão suportando mais se ver.

Segundo a publicação, o zoológico percebeu que havia algo errado quando Bibi começou o morder pedaços do casco de Poldi. Como os ataques continuaram o macho foi transferido para outra gaiola. O zoológico teria, inclusive, contratado especialistas em aconselhamento de casais animais para tentar juntar o casal, mas os esforços ainda não deram resultado.

Segundo a publicação, as tartarugas são os únicos membros do reino animal conhecidos por se “divorciar”.

Fonte: Terra

 

Esses Ingleses Maravilhosos e suas Pesquisas Voadoras XIV – Hoje é o melhor dia da semana para fazer sexo

Essa notícia foi publicada no início do ano pelo jornal Extra e é mais uma pesquisa voadora inglesa. Não sei se devemos levar muito a sério, mas como hoje é quinta-feira…..

Quinta-feira é o melhor dia da semana para fazer sexo. Na segunda, o ideal é ouvir boa música para desestressar. Mas se o objetivo é encontrar um amor, dê preferência às quartas-feiras. As dicas fazem parte da conclusão de uma pesquisa da Universidade de Londres. O estudo elencou as melhores atividades para cada dia da semana, de acordo com o comportamento do cérebro.

– Nós vivemos uma expectativa de produção. Segunda, por exemplo, é comum que as pessoas fiquem ansiosas. Essa ansiedade dispara a produção de hormônios como a adrenalina e a serotonina, que têm impacto no nosso comportamento – explicou o psicólogo e mestre em Cognição e Linguagem pela UENF, João Oliveira.

A dica para o dia da volta ao trabalho, então, é relaxar. Já na terça-feira, dizem os especialistas, o lado esquerdo do cérebro está mais ativo, o que nos ajuda na resolução de problemas.

Na quarta-feira – bem no meio da semana – há um maior equilíbrio hormonal, o que nos deixaria mais aberto a proposta: no amor ou no emprego. Na quinta, porém, é a paixão quem fala mais alto: é neste dia que uma substância chamada cortisol alcança seu pico no organismo, aumentando a produção dos hormônios sexuais.

– Nada disso, porém é definitivo ou universal. O cérebro funciona se adaptando às diferentes culturas e rotinas. Para uma que trabalha em escalas, por exemplo, essa lógica é outra – disse Oliveira.

O esquema de comportamento também pode ser modificado através de sessões de terapia, de um comportamento focado e da adoção de hábitos saudáveis.

– Comer muito na segunda deixa a pessoa ainda mais ansiosa. Se adotarmos hábitos saudáveis, podemos nos programar para reagir diferente ao passar da semana. Não somos escravos dessa condição social – concluiu.

CALENDÁRIO DA FELICIDADE

SEGUNDA-FEIRA

A volta ao trabalho deixa qualquer um à flor da pele. Por isso, segunda é o melhor dia para desestressar. Encontre um tempo para relaxar. No primeiro dia da semana até a chance de infarto é 20% mais alta.

TERÇA-FEIRA

O lado esquerdo de nosso cérebro domina o pensamento no início da semana, sendo mais útil para a rotina de trabalho. Por isso, aproveite para resolver as pendências da semana anterior.

QUARTA-FEIRA

Melhor dia para encontrar um amor e para pedir um aumento: as pessoas são mais receptivas neste dia da semana.

QUINTA-FEIRA

O cortisol, além de ser a substância liberada durante os picos de stress, também estimula os hormônios sexuais, como a testosterona. E é na quinta-feira ele atinge o seu ápice de produção. Melhor dia para fazer sexo.

SEXTA-FEIRA

Melhor dia para deixar de fumar. Tentando parar de fumar na sexta-feira, você enfrenta melhor as tentações do fim de semana, quando a vontade é mais forte.

SÁBADO

Melhor dia para ter um bebê. Os sábados são melhores se você quiser que seu filho seja um vencedor mostra uma pesquisa do Office for National Statistics.

DOMINGO

Melhor dia para comer fora. Preparar o almoço em casa no domingo pode ser muito estressante, apontam os pesquisadores.

Fonte: Jornal Extra

Melody Gardot e o jazz-globalizado

Novo disco tem toques brasileiros

The Absence (Universal), terceiro disco da cantora norte-americana Melody Gardot, surpreende pelo tom pop-globalizado criado por Melody e o produtor brasileiro Heitor Pereira. Desde os primeiros acordes de Mira, faixa de abertura do CD, fica clara a influência brasileira, com um balanço-bossa à la Joyce. Essa influência vai em direção oposta ao das baladas que povoavam grande parte dos dois CDs anteriores de Gardot.

Aos 27 anos, a cantora mostra que seu estilo tem um espectro bastante amplo e que as sempre presentes comparações com Norah Jones não são justas. As duas são artistas diferentes o suficiente para não merecerem esse tipo de colocação. Sua versatilidade, comprovada em suas seguras interpretações em vários idiomas, incluindo o português, além do francês e do inglês, garantem ao álbum bom trânsito em vários mercados.

Com o lançamento de The Absence, Melody Gardot escreve um novo, belo e diferente capítulo em sua carreira. Desde a capa – sensualmente bonita – até o seu conteúdo que mistura ritmos como tango, calypso e, claro, jazz, o disco esbanja classe.

Além da produção de Heitor Pereira, o brasileirismo está representado pela presença do percussionista Paulinho Da Costa que, entre outros, tocou nos discos da fase áurea de Michael Jackson.

Uma versão editada deste texto foi publicado no jornal O Fluminense


Parabéns para Brian Wilson

O gênio da surf music e das melodias intrincadas, o louco depressivo, Brian Wilson é – ao lado de Paul McCartney, outro aniversariante da semana – um dos maiores gênios da música pop de todos os tempos.

Parabéns e muito obrigado.

 

Esses Ingleses Maravilhosos e suas Pesquisas Voadoras XVII – Comportamento “depravado” de pinguins é divulgado após um século

Observações sobre a estranha vida sexual dos pinguins no Polo Sul feitas por um cientista britânico há um século foram divulgadas pela primeira vez, após terem passado décadas escondidas por terem sido consideradas “chocantes demais”.

O médico e biólogo George Murray Levick, que observou o comportamento dos animais, era um membro da famosa expedição do capitão Robert Falcon Scott ao Polo Sul, entre 1910 e 1913. Os detalhes das observações feitas por Levick, incluindo “coerção sexual”, necrofilia e comportamento homossexual, foram considerados “depravados” e retirados dos relatos oficiais da expedição.

Segundo o Museu de História Natural de Londres, que manteve os documentos originais e decidiu divulgá-los, muitos dos comportamentos supostamente “depravados” observados por Levick já foram posteriormente explicados cientificamente por pesquisadores.

Levick era o médico oficial da malsucedida expedição Terra Nova, comandada pelo capitão Scott, que partiu para o Polo Sul em 1910. Ele era um pioneiro no estudo dos pinguins e foi a primeira pessoa a acompanhar in loco um período de acasalamento completo de pinguins em uma colônia em Cabo Adare, na Antártida.

Ele registrou muitos detalhes das vidas dos pinguins-de-adélia, mas algumas das atividades dos animais foram consideradas fortes demais pela sensibilidade da época. Levick ficou chocado com o que descreveu como “atos sexuais depravados” de machos “arruaceiros” que copulavam com fêmeas mortas.

Ele ficou tão perturbado com o que viu que registrou as atividades “pervertidas” em seu caderno de anotações em grego, e não em inglês, para limitar o acesso aos registros.

Cópias restritas

Ao retornar à Grã-Bretanha, Levick tentou publicar um artigo intitulado “A história natural do pinguim-de-adélia”, mas segundo Douglas Russell, curador do setor de ovos e ninhos do Museu de História Natural, o relato foi considerado forte demais para a época.

“Ele submeteu essa descrição gráfica extraordinária do comportamento sexual dos pinguins-de-adélia, que o mundo acadêmico daquela época considerou um pouco difícil demais para ser publicado”, diz Russell. A seção do comportamento sexual não foi incluída no artigo oficial, mas o curador de zoologia do museu, Sidney Harmer, decidiu circular apenas cem cópias das descrições gráficas para um seleto grupo de cientistas.

Segundo Russell, a comunidade acadêmica da época simplesmente não tinha o conhecimento científico para explicar os relatos do que Levick considerou necrofilia. “O que acontece lá não é de maneira nenhuma análogo à necrofilia em um contexto humano”, afirma Russell. “É só uma reação sexual dos machos ao ver as fêmeas em determinada posição”, diz.

“Eles não conseguem distinguir entre fêmeas vivas que estão esperando o acasalamento na colônia e pinguins mortos no ano anterior que estão na mesma posição”, explica.

Descoberta acidental

Apenas duas das cem cópias originais dos relatos de Levick sobreviveram ao tempo. Russell e seus colegas do museu publicaram agora uma reinterpretação das observações de Levick para a revista especializada Polar Record. Russell diz ter descoberto uma das cópias por acidente.

“Estava olhando o arquivo sobre George Murray Levick quando mexi em alguns papéis e encontrei embaixo esse artigo extraordinário intitulado “Os hábitos sexuais do pinguim-de-adélia”, com um “Não para publicação” em corpo tipográfico grande. “Ele está cheio de relatos de coerção sexual, abuso sexual e físico de filhotes, sexo sem fins de procriação e finaliza com o relato do que ele ele considera comportamento homossexual. É fascinante”, diz.

O documento e as anotações originais de próprio punho de Levick estão agora em exibição no Museu de História Natural pela primeira vez. Para Russell, as anotações mostram um homem que teve dificuldades em entender o que os pinguins realmente são. “Ele estava completamente chocado. De certa maneira, ele caiu na mesma armadilha que um monte de gente que via os pinguins como pássaros bípedes ou como pessoas pequenas. Eles não são isso. São pássaros e devem ser interpretados como tal”, afirma.

Fonte: BBC Brasil

Veja mais pesquisas inglesas

Pesquisa: Leite materno humano bloqueia transmissão do HIV a ratos

Um experimento realizado na Universidade da Carolina do Norte mostrou que, em ratos “humanizados”, o leite materno humano impede a transmissão oral do vírus HIV, informa nesta quinta-feira a revista Public Library of Science Pathogens.

“Primeiro, entre os ratos reconstituídos para se tornassem suscetíveis a doenças humanas como a Aids e que foram expostos ao vírus HIV, 100% foram infectados”, disse o autor principal do estudo, J. Víctor García, graduado em 1979 pelo Instituto Tecnológico e de Estudos Superiores de Monterrey, México.

Já quando os cientistas administraram HIV misturado com leite materno humano saudável, 100% ficaram livres da infecção, destacou o pesquisador. As estatísticas indicam que mais de 15% das novas infecções com o vírus HIV ocorrem em bebês e, sem tratamento, apenas 65% deles sobrevive mais de um ano, enquanto menos da metade chega aos dois anos de vida.

O artigo indica que, embora se atribua ao aleitamento um número significativo dessas infecções, a maioria dos bebês amamentados pelas mães soropositivas não tem a infecção, apesar da exposição prolongada e repetida.

Em seguida, a equipe de García, que trabalhou com mais de 50 ratos, administrou em alguns deles o leite de mães saudáveis misturado com HIV, e a outros apenas o HIV, em ambos os casos por via oral. “Os ratos sensíveis à infecção e que receberam só o vírus adoeceram. Já os que receberam o vírus com leite materno não adoeceram”.

Para resolver a questão sobre se o aleitamento transmite o vírus ou protege contra ele, os cientistas da Escola de Medicina da UNC recorreram a um modelo de rato “humanizado” em laboratório.

“Os ratos são, por essência, resistentes à maioria das doenças que afetam os humanos”, ressaltou García. “Para usá-los neste tipo de estudos, é preciso torná-los parcialmente humanos”. “Estes ratos são trabalhados um por um, introduzindo-lhes células-tronco da medula óssea humana às seis semanas de idade”, acrescentou o pesquisador. “As células humanas vão a todos os órgãos e áreas similares dos humanos como boca, esôfago, pulmões, intestino, fígado e sistemas reprodutivos que se enchem de células humanas”. O HIV infecta somente os chimpanzés e os humanos, mas só deixa os humanos doentes. Com a reconfiguração de células humanas, os ratos tornam-se suscetíveis à infecção com o HIV.

“A próxima etapa do estudo é determinar se o leite de mães infectadas tem o mesmo efeito”, anunciou o cientista. Mas, segundo ele, o que já foi estabelecido pela primeira parte do estudo dá novas pistas sobre o isolamento de produtos naturais que poderiam ser usados para combater o vírus.

Fonte: EFE

Google compra Quickoffice

Após anuncia a aquisição do Meebo, o buscador compra o editor de documentos em smartphones

O Google anunciou no dia 4 a compra do Meebo. Agora o buscador comunica a aquisição do QuickOffice, conhecido pelo pacote de editor de documentos, planilhas e apresentações para smartphones e tablets. O Google divulgou um comunicado em seu blog oficial, assim como uma carta aberta escrita pelo cofundador e CEO do QuickOffice – Alan Masarek. Em ambos os sites há pontos no texto que se referem ao Google Apps, que pode receber um grande update com a entrada do programa para o Google. Ainda não foi declarado o valor da transação.

Fonte: ProXXima