Lionel Richie – HSBC Arena – 29/08/10

31/08/2010 1 Por Fernando de Oliveira

Lionel Richie – uma noite nem tão longa no Rio

Show na Arena HSBC é sempre complicado. Trânsito, distância e aquela confusão básica na hora de tentar entrar no estacionamento (amplo) do local. Estando em Niterói tudo piora. Tem a Ponte e mais distância. Sendo assim, resolvi sair com 1h30 de antecedência, para o show de Lionel Richie, marcado para as 20h30. Inacreditavelmente, não houve trânsito, confusão na chegada e até mesmo encontrar o local do credenciamento foi fácil.

Cerca de 40 minutos antes do horário previsto para o início do show eram muitos os lugares vazios, mas isso já está se tornando um hábito na Arena. As pessoas nunca confiam que os artistas vão cumprir o horário. Gente chegando e fica o pensamento de quando mais artistas brasileiros poderão usar o espaço – que é ótimo – sem precisar cobrar os preços abusivos dos shows internacionais.

Mas o importante é que o bom público que foi até a Arena HBC,  na noite de domingo  saiu satisfeito, mas com um gostinho de quero mais. Richie, que entrou no palco após um atraso de mais de 40 minutos, apresentou seus maiores sucessos, distribuiu toalhas, sorrisos e beijos em econômicas 1h25.

Enquanto esperava pela aparição do artista, o público dos locais mais baratos – que custavam exorbitantes R$ 220 (havia ingressos de até R$ 750 – chegaram a ensaiar algumas vaias, que logo se transformaram em palmas e entusiasmo. Lá estavam os verdadeiros fãs do ex-vocalista e saxofonista dos Comodores e hitmaker de mão cheia. Era de lá que saiam os coros mais altos mesmo nas poucas  canções menos conhecidas.

O espetáculo, totalmente cronometrado e que pareceu não ter muito espaço para improvisação, seguiu exatamente o mesmo roteiro do dia anterior em São Paulo. As mesmas canções, figurino (camisa e calça pretas) e demonstrações de carinho pelo público e pela cidade. Também pareciam bem ensaiadas as idas dos componentes da banda para a frente do palco, dividir as luzes com Lionel, durante seus solos instrumentais.

Antes de disparar seu primeiro sucesso (All Around the World), uma versão remix dance de Hello (totalmente dispensável) deu a deixa de que a festa iria começar. Alternando baladas e hits dançantes, Richie deu ao público aquilo que ele esperava, numa rara combinação de repertório que funcionou perfeitamente. Logo no início da apresentação ele disparou:

– Esta noite vamos relembrar minha carreira. Comodores, anos 70, 80 e tudo o que vocês esperam.

Ele não mentiu, embora tenha tocado alguns sucessos em versões mais curtas que o normal, casos de Endless Love e My Love, o que ajuda a explicar a curta duração de sua apresentação, que literalmente não durou toda a noite e conseguiu deixar boas canções (como Truly) de fora do setlist.

Lionel Richie esbanjou carisma, bom humor, um inglês falado bem devagar e explicadinho – perfeito para plateias onde o inglês não é a língua mãe – e uma voz que, se em alguns momentos não alcançou as notas mais graves ou as mais agudas, mostrou-se limpa, afinada e com o timbre característico de sempre, embora alguns backing vocals gravados ficassem fora de lugar (melhor seria ter pelo menos uma cantora acompanhando a banda).

Banda, aliás, irretocável. Ben Mauro (guitarra), Bennie Edwards (baixo), Chuckii Brooker (teclados), André Delano (sax e teclados) e Oscar Seaton (bateria), reproduziram com fidelidade o som dos discos de Richie.  Ficou difícil escolher o ponto alto da noite. Three Times a Lady? O coro com a platéia feminina em Endless Love? Easy? Difícil de escolher.

No fim do show duas surpresas: a inclusão de We Are the World – hino composto com Michael Jackson para o Live Aid e as crianças da Etiópia – e uma despedida onde repetiu duas vezes a enigmática frase: “See you next year” (Vejo vocês ano que vem).

Será que a primeira passagem pelo Brasil já rendeu um caso de amor com o cantor? Tomara!

Uma versão editada deste texto foi publicado no Portal R7

Canções:

All Around The World
Penny Lover
Medley: Easy / My Love
Ballerina Girl
Running With The Night
Still
Oh No
Stuck On You
You Are
Three Times a Lady
Dancing On The Ceiling
Sail On
Say You, Say Me
Commodore Medley – Fancy Dancer / Lady You Bring Me Up

Endless Love
Brick House
Hello
All Night Long
We Are The World

Momentos do show

Fotos: Jo Nunes / Fernando de Oliveira / Ag.News

Confira os shows que ainda vão passar pelo Rio de Janeiro