O Brasil merece o mesmo tratamento da Etiópia

24/08/2008 0 Por Fernando de Oliveira

No dia 13 de julho de 1985 – que se transformou no dia mundial do rock – foi realizado, na Inglaterra e nos Estados Unidos (com alguns poucos artistas também se apresentando na Austrália, Japão e Rússia), o mega concerto Live Aid.

Durante a maratona musical (16 horas) reuniu um elenco dos sonhos da música internacional. Elvis Costello, Sting, Phil Collins, Dire Straits, U2, Queen, The Who, Paul McCartney, Eric Clapton, Beach Boys, Madonna (então uma estrela de brilho menor), Mick Jagger e Led Zeppelin foram alguns dos que subiram em algum dos palcos (Phil Collims tocou em Londres, pegou um Concorde e tocou também nos Estados Unidos).

Os concertos confirmaram o Queen como um grupo que sabia comandar as grandes platéias e mostrou que o U2 tinha chegado para ficar.

Bandeira do Brasil em todos os concertos

Coincidência ou não, uma bandeira do Brasil aparece no lado direito do palco (olhando de frente), o que se tornaria uma tradição nos grandes concertos na Inglaterra. Olhem no momento que Bono começa a cantar Ruby Tuesday, no meio de Bad  (no vídeo abaixo).

Todo esse esforço foi para ajudar a população da Etiópia, que morria de fome com a seca e a pobreza do país. Os concertos foram assistidos por cerca de 1,5 bilhão de espectadores (no Brasil não tivemos transmissão ao vivo) e foram angariados aproximadamente 283,6 milhões de dólares.

Você deve estar perguntando onde o Brasil entra nesse papo. Bem, 23 anos depois, os dirigentes do esporte do Brasil acham que fomos bem e que seremos uma potência Olímpica, enquanto o dinheiro enviado para a Etiópia parece ter sido bem utilizado: o país conseguiu quatro medalhas de ouro, uma de prata e duas de bronze, ficando NA FRENTE DO BRASIL NAS OLIMPÍADAS!!!

Será que a gente não merece uma ajudinha internacional com música de graça?

PS: E não fiz piadinhas com a vara perdida!

Aproveitem para ouvir a playlist atualizada!

play-musicasdavida-playlist

Anúncios