Como e porque conservar um (bom) vinho – Parte III

Conheça os fatores mais importantes na hora de guardar o seu vinho. Saiba a temperatura ideal e outros aspectos importantes

Faz tempo que devo a última parte da série (meses, na verdade). Mas agora acaba essa espera. Depois de falarmos sobre quais vinhos devem e podem ser guardados e as razões para essas escolhas, chegou a hora de explicar como fazê-lo.

Fatores essenciais

Hoje já não é tão caro ter uma adega climatizada em casa. São várias as marcas e tamanhos. E os preços são bastante acessíveis.

Porém, mesmo quem não tem um desses aparelhos pode fazer um bom trabalho, desde que observe alguns fatores essenciais:

  • luz
  • temperatura
  • vibração
  • ventilação
  • umidade
  • posição

Vamos explicar cada um deles na sequência.

Luz

Os vinhos são criaturas noturnas. Quanto mais escuro o local de armazenamento, melhor para a sua saúde.

Algumas horas de sol diretamente na garrafa já podem ser suficientes para arruinar a qualidade do vinho.

Portanto, se for em alguma loja e vir garrafas expostas diretamente ao sol, NÃO COMPRE!

Em casa, escolha um local seguro.

Clique na imagem e veja essa sugestão de adega

Temperatura

Esta é uma das principais razões para a compra de uma adega climatizada, principalmente em cidades com temperaturas infernais como o Rio de Janeiro.

Porém, não ache que quanto mais frio melhor. Não é assim que a banda toca. Cada vinho tem sua temperatura ideal e, mesmo falando genericamente, há regras para seguir.

O ideal é colocar os vinhos em um ambiente entre os 12ºC e os 14ºC. Por quê?

Se a temperatura estiver muito baixa (abaixo dos 0ºC), o vinho pode congelar e perder toda a sua potência e frescor. Já entre 0ºC e 10ºC, o envelhecimento pode ser lento demais. O que também não favorece a maioria dos rótulos, embora uma temperatura até 9ºC seja admissível, principalmente para espumantes e vinhos brancos.

Também há opções de adegas não climatizadas

As temperaturas acima dos 15ºC proporcionam uma aceleração no envelhecimento, o que é menos indicado ainda que guardá-los em temperatura um pouco mais baixa. E, para finalizar, não deixe que a variação de temperatura ultrapasse os 5ºC. Inverno ou verão, tente manter seus vinhos em uma temperatura constante.

Dica importante: Nunca guarde seus vinhos na cozinha. Ela é o lugar da casa que mais sofre variações de temperatura, por conta da utilização de fornos e de geladeiras e freezers.

Vibração

Outra boa razão para ter uma adega de boa qualidade. Vinhos são criaturas (na maioria das vezes) tranquilas e não gostam de agitação. Portanto, caso vá guardar na geladeira, evite colocá-los na porta do refrigerador, que é o local mais movimentado das geladeiras.

Mesmo com uma adega, certifique-se de que ela está firme e não trepide — esse é um fator muito importante na hora de escolher uma adega.

Você pode escolher a adega que mais lhe agrada

Outra coisa: evite colocar garrafas de vinho perto de aparelhos que causem trepidação (máquinas de café, por exemplo). Fuja dos restaurantes que fazem isso (ou pelo menos não peça seus vinhos).

Ventilação

Já disse que vinhos são criaturas noturnas (não gostam de luz) e que precisam de uma temperatura constante e específica. Além disso, é importante saber que detestam lugares abafados.

Uma boa ventilação é muito importante para que se mantenham saudáveis. Também evite colocar perto deles qualquer produto químico que exale um odor muito forte.

As rolhas são de cortiça, lembra?

Umidade

Esse é um dos grandes desafios em um país com locais e temperaturas tão distintas quanto o Brasil.

O ideal para um vinho é que a umidade fique entre 60% e 75%. Porém, isso pode ser bastante complicado em cidades secas como Brasília ou úmidas como o Rio de Janeiro.

Existem opções baratas para guardar seus vinhos

Acima disso, existe o risco de formação de bolores, que podem danificar os rótulos e as rolhas.

A umidade excessiva pode ser combatida espalhando areia no chão, pondo sal de cozinha num recipiente (se for um espaço pequeno) ou utilizando um desumidificador.

Mas também se devem evitar valores muito baixos, pois as rolhas podem secar, favorecendo assim uma certa evaporação do vinho.

Posição

Como já citei em alguns textos anteriores, os vinhos (seja lá qual for o tipo e material da rolha) devem sempre estar na posição horizontal. Isso faz com que a rolha fique em contato com o líquido, não resseque e diminua a quantidade de oxigênio que entra na garrafa, que prejudica o vinho.

Isso significa que você também deve fugir das lojas e supermercados que guardam seus vinhos na posição vertical Se também estiverem em contato com a luz do sol, saia correndo do lugar!

Para finalizar esta série, uma outra dica: fique de olho no calendário. Anote as datas de compra e as safras de seus vinhos. Eles podem envelhecer, mas também podem passar do tempo, perder as qualidades ou até mesmo morrer.

Há dicas para manter um vinho depois de aberto, mas isso é assunto para outro post. Ou série.

Como e porque conservar um (bom) vinho – Parte I

Como e porque conservar um (bom) vinho – Parte II

Mais posts sobre vinho

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.