O Infinito ao Redor de Marisa Monte

18/10/2008 1 Por Fernando de Oliveira


Muitos podem pensar que devem estar lendo outra pessoa. Afinal, estaria eu elogiando tanta coisa de música popular brasileira de verdade? Bem, a resposta é SIM!

Marisa Monte é uma dessas paixões que vieram para ficar e, com sorte, nunca sairá do meu coração. Antes de assistir ao primeiro show (dos três que vi) da sua última turnê, recebi um aviso de uma amiga: ‘O show é lindo, mas o bloco da dor-de-cotovelo dá vontade de chorar ou de se jogar do segundo andar do Vivo Rio‘. Não acreditei, mas, por segurança, preferi ficar em uma mesa no térreo, onde uma queda não faria grandes estragos.

Como havia escrito no post anterior, a pré-estréia do documentário Infinito ao Meu Redor aconteceu no Cine Leblon, para uma platéia que misturava jornalistas, gente de gravadora, da produção do filme e até leitores de jornal que ganharam convites em uma promoção. Eclético.

Fiz uma crítica mais profissional no Mistura Interativa, mas deixo aqui algo mais emocional quando digo: ‘O FILME É MUITO BOM E MERECE SER COMPRADO (NÃO PIRATEADO)‘.

Abaixo um clipe de uma das mais belas canções dos dois CDs (Infinito Particular e Universo ao Meu Redor) que eram o combustível de um dos mais prazerosos espetáculos musicais do ano passado e que também fazia parte do bloco da dor-de-cotovelo. E, para quem não viu nenhum show e não quer esperar até 6 de novembro para comprar o produto original, a apresentação de Marisa e banda no Programa do Jô, cantando Infinito Particular.

E a minha crítica do novo filme de Kiefer ’24 horas’ Sutherland (Espelhos do Medo) pode ser lida aqui.

Infinito Particular (Programa do Jô – 8/12/2006)

Até Parece


Até parece
Que não lembra
Que não sabe
O que passou
Não faz assim!…

Não faz de conta
Que não pensa
Em outra chance
Prá nós dois
Olha prá mim…

Não me torture
Não simule
Não me cure
De você…

Deixa o amanhã dizer!
Deixa o amanhã dizer!…

http://www.youtube.com/watch?v=lxiNvRn7y9M