Adultos não precisam de conversa de adulto

11/10/2008 1 Por Fernando de Oliveira

Não sei o que é ser adulto. Talvez não precise ou queira saber. Nada no mundo adulto é tão fascinante quanto parece quando somos crianças e nada do mundo infanto-juvenil é tão bobo quanto parece quando passamos desta fase.

Ser adulto pode ser assumir responsabilidades ou aprender a fugir delas com maestria. Pode ser se preocupar em não ferir sentimentos, mas também é saber como falar na hora certa sobre os assuntos mais dolorosos. É fazer planos que podem ser mudados por uma chuva forte ou uma cerveja num fim de tarde.

Ser adulto pode ser viver um romance na faculdade, anos depois, em outro lugar, com outra pessoa, só para ter o gostinho, como pode ser viver dentro da sua concha. Pode ser tagarelar bobagens com colegas, filosofar sério entre desconhecidos ou fazer confidências entre amigos. Não sei.

A única coisa que sei é que: Adultos não precisam de conversa de adultos. O silêncio pode explicar tudo, assim como o olhar pode dissuadir. Falar o que é preciso, é preciso. Conversa de adulto não é para quem quer conversar, é para quem quer impôr ou brigar.

Para que deixar a vida mais chata e complicada do que já é?

Este texto foi foi criado editando um documento de 1993 e outro escrito em novembro de 2007.