Tears for Fears faz apresentação ‘quente’ no Rio – 8/10/11

09/10/2011 0 Por Fernando de Oliveira

Show recheado de sucessos e com alguns problemas na refrigeração e no som subiu a temperatura da plateia que lotou o Citibank Hall e dançou sem parar

Nem os problemas de som que prejudicaram as primeiras músicas apresentadas pela banda conseguiram esfriar a plateia que lotou o Citibank Hall para assistir os ingleses Roland Orzabal, Curt Smith  & Cia, também conhecidos como Tears for Fears. Era certo que a temperatura já estava quente mesmo antes da banda subir ao palco (problemas no ar condicionado da casa?), o que fez Smith comentar que eles estavam ali para tentar tornar a noite ainda ‘mais quente‘. Conseguiram.

Com um público dividido entre quarentões e muitos jovens/adolescentes, Orzabal (mais) e Smith (menos) mostraram boa forma vocal e uma fórmula infalível para agradar: enfileirar um hit após o outro. Sem fugir um segundo do roteiro já apresentado em Porto Alegre e São Paulo, a dupla tocou as mesmas 18 canções de maneira super competente. Até mesmo a versão de Billie Jean (de Michael Jackson) ficou com a cara pop do grupo.

Veja vídeos da apresentação

A única diferença para as apresentações anteriores foram os problemas de som que acompanharam as três primeiras canções, fazendo com que o show ficasse alguns minutos parado para que tudo fosse resolvido. “Shit Happens”, disse Orzabal, que ainda arriscou umas palavras em português, além dos óbvios “Obrigado”.

Em pouco mais de 1h30 o Tears for Fears – que planeja um novo disco de estúdio – deixou todos os que foram até a casa de shows na Barra da Tijuca muito mais suados do que o normal. Não havia jeito de não dançar ao som de canções como Everybody Wants to Rule the World, Sowing the Seeds of Love e Shout.

Há quem considere a música do Tears for Fears rasteira, pop no pior significado da palavra, mas a verdade é que poucas semanas depois de várias atrações questionáveis no Rock in Rio e da besteira pop chamada Justin Bieber, ficou claro que esses ingleses, mesmo longe das paradas faz muito tempo, ainda tem seu valor.

Quem não foi achando que se tratava de mais uma excursão caça-níqueis de uma banda sem expressão, perdeu um show decente, competente e com boa música.

Fotos: AgNews