Central do Brasil – local seguro para não pegar dengue

21/04/2011 0 Por Fernando de Oliveira

Todos os dias é a mesma guerra: eu e uma lata de spray contra uma esquadrilha de mosquitos, que parece munida de máscara contra gás. O resultado é sempre o mesmo: eles vencem. Em tempos nos quais a dengue é uma ameaça real e letal, ser atacado por mosquitos causa preocupação.

Qual não foi a minha surpresa ao saber que a Veja Rio visitou alguns pontos do Rio para saber como estavam as condições no que diz respeito ao mosquito transmissor. O local mais seguro? A Central do Brasil.

1 – Jardim de Allah

A reportagem encontrou copos e pratos com restos de comida no local. Há bueiros com água parada e lixeiras, condições ideais para o aparecimento de insetos.

FOCO: Sim
LARVA: Não
MOSQUITO: Não

2 – Jardim Botânico

Em razão do acúmulo de areia, o ponto fraco é a água parada nos córregos que cortam o parque. Nas áreas com sombra, as larvas desfrutam espaço ideal para o seu desenvolvimento.

FOCO: Sim
LARVA: Não
MOSQUITO: Não

3 – Lagoa Rodrigo de Freitas

Local do roteiro mais sujeito a riscos. A água parada no interior dos pedalinhos e diversos tonéis abandonados facilitam o aparecimento do Aedes aegypti. Na região foram achadas larvas e até exemplares do mosquito.

FOCO: Sim
LARVA: Sim
MOSQUITO: Sim

4 – Praça Nossa Senhora da Paz

Em seu entorno, identificamos diversas vasilhas com água para animais. Nas lixeiras há detritos obstruindo os buracos que ficam na parte inferior, feitos para evitar a retenção de líquidos. Daí para a proliferação dos insetos, é um passo.

FOCO: Sim
LARVA: Não
MOSQUITO: Não

5 – Parque Lage

O que mais preocupa é o tipo de lixeira, semelhante às que ficam espalhadas pelas ruas da cidade. Fechada, ela favorece o acúmulo de água.

FOCO: Sim
LARVA: Não
MOSQUITO: Não

6 – Praia José Bonifácio, Ilha de Paquetá

Outra área de enorme risco. Entre as estátuas dos golfinhos existe uma fonte desativada com a presença de larvas do mosquito. Fica próximo à área de locação dos pedalinhos, onde há grande circulação de pessoas.

FOCO: Sim
LARVA: Sim
MOSQUITO: Não

7 – Campo de Santana

Nos bancos do parque, há potes de comida e garrafas vazias para alimentar animais. Com a chuva, eles se tornam criadouros para o mosquito. “Esse hábito tem de acabar”, alerta Migowski.

FOCO: Sim
LARVA: Não
MOSQUITO: Não

8 – Central do Brasil

Aparentemente não há riscos. No entorno, existem algumas poças perto das árvores, mas devido à incidência de sol o mosquito não poderá depositar seus ovos por ali.

FOCO: Não
LARVA: Não
MOSQUITO: Não

9 – Estação Leopoldina (Centro)

Parte do espaço funciona como um depósito de carros. Observamos alguns veículos em péssimo estado de conservação, com grande potencial de procriação para o mosquito.

FOCO: Sim
LARVA: Não
MOSQUITO: Não

10 – Vila Olímpica da Gamboa

Sobressai no complexo uma locomotiva enferrujada com copos, garrafas e embalagens plásticas em seu interior, propícios ao desenvolvimento de larvas.

FOCO: Sim
LARVA: Não
MOSQUITO: Não