Rolling Stones leva nº3

13/09/2009 0 Por Fernando de Oliveira

A Universal lança o último pacote de quatro CDs remasterizados dos Rolling Stones. Um tanto ofuscados pelos Beatles e pela própria qualidade (irregular) dos lançamentos. Dirty Work (1986), Steel Wheels (1991), Voodoo Lounge (1994) e Bridges to Babylon (1997) são uma prova de que a banda se transformou em uma grande fazedora de shows (sempre em clima greatest hits live).

Foi nessa época que Keith e Mick passaram por uma época de turbulência no relacionamento entre os Glimmer Twins, o que pode explicar não só a má qualidade de muitas faixas como o fato de uma da canção de trabalho de Dirty Work ser uma regravação do clássico soul Harlem Shuffle.

Stones parte 3Steel Wheels foi da fase onde um rompimento entre Mick e Keith parecia iminente. Apesar da série de singles lançados e da grande turnê, há pouco para se lembrar desde disco.

Voodoo Lounge também seria outro disco menor da banda e sem grande importância se não fosse o primeiro lançado após a saída do baixista Bill Wyman. A saída de Wyman, que acabava com uma das cozinhas mais competentes do rock, parece ter feito com que a banda tivesse a obrigação de que continuaria em frente. Solução: mais uma grande turnê.

O último lançamento do pacote, Bridges to Babylon, trouxe Don Was na produção para tentar levar o grupo para o topo do Olimpo do rock (a esta altura já ocupado pelo U2). Não deu.

Pode ser que alguns destes álbuns tenham um significado especial para os fãs brasileiros (que lembram das passagens do grupo por essas bandas), mas, deixando de lado o excelente trabalho técnico feito nas remasterizações, há muito pouco para ser guardado, comparando com os discos lançados nos pacotes anteriores. Mas, como disse, vale para quem quer lembrar dos shows da banda no Brasil. O som está realmente sensacional.