Rede de fish and chips lança ‘peixe de soja’

Rede de fish and chips lança ‘peixe de soja’

16/09/2020 0 Por Fernando de Oliveira

“Fakie n’ Chips”, da rede Sirène Fish & Chips, é feito à base de soja não transgênica e surge como opção para os veganos

fish and chips

O nome pode até confundir, mas não é fake news. A rede de fish and chips “Sirène Fish & Chips” lançou uma versão para os veganos: o “Fakie n’ Chips”.

A nova versão do prato mais popular do Reino Unido é feito à base de soja não transgênica, custa R$ 33 e pode ser encontrado nas lojas da rede (Balneário Camboriú, Curitiba e São Paulo).

Além do “Fakie n’ Chips”, entram no cardápio molhos, também veganos, e o Sandufish, tradicional sanduíche da rede e que ganha uma versão vegetariana.

Encontre todos os utensílios para a sua cozinha na nossa loja no Magazine Luiza

— É a nossa manobra para a galera que não curte muito carne voltar a se sentir em casa no Sirène — comenta o sócio fundador da rede Sirène, Alexandre Lopes.

Sandufish

Fish and Chips: um prato popular

Quem já esteve na Inglaterra sabe que o fish and chips é um dos pratos mais populares da ilha. Tanto pelo seu poder nutritivo quanto pelo preço mais que acessível.

As “Chip Shops”, como são chamadas as lojas que vendem o prato, estão se modernizando, sem deixar a tradição de lado.

Se os peixes e as batatas fritas não vêm mais embrulhadas em papel jornal, os estranhos horários de funcionamento continuam os mesmos. Normalmente elas abrem por volta das 11h30 e fecham em algum momento entre 14h e 17h. Claro que há exceções, o problema é encontrá-las.

De qualquer forma, ir até qualquer país do Reino Unido e não experimentar um fish and chips deveria ser punido com a morte. E, se você não vai viajar até lá, aproveite as opções que encontramos por aqui.

Com lojas no Paraná, São Paulo, Santa Catarina e Minas Gerais, a Sirène Fish & Chips também tem planos para abrir filiais em outros estados como o Rio de Janeiro. O problema são as restrições que foram impostas pela pandemia. Tomara que acabem logo e com uma solução para essa terrível doença.

fish and chips

A origem do “Fakie”

Nos esportes de prancha, a palavra “fakie” significa andar para trás com a cauda ou “rabeta” voltada à direção da viagem. Comumente usada em conjunto com o nome de uma manobra, como “fakie ollie” ou “fakie to fakie 900”, o termo dá a entender que a manobra foi realizada de forma correta, porém com sentido contrário. As manobras realizadas de fakie geralmente recebem uma maior pontuação nos campeonatos por conta do grau de dificuldade elevado. No universo do skate, a palavra dá sentido ao que não é normal, que não é usual ou que é incomum, ou seja, algo autêntico. Além disso, a palavra “fake”, de grafia similar, significa “falso” em inglês e, atualmente, é usada para denominar contas ou perfis usados na internet para ocultar a identidade real de um usuário.