Gondoleiros de Veneza dizem que turistas estão ‘pesando muito’

Gondoleiros de Veneza dizem que turistas estão ‘pesando muito’

04/08/2020 1 Por Fernando de Oliveira

Associação dos gondoleiros de Veneza decide diminuir a quantidade de passageiros em cada embarcação por conta do peso e da segurança

Veneza é um dos destinos mais desejados (e visitados) do mundo. Fazer um passeio de gôndola, seja diurno ou seja durante a noite, é uma das atividades mais românticas do planeta.

Agora, a Associação dos Gondoleiros de Veneza decidiu reduzir a quantidade de passageiros em cada barco. Porém, ao contrário do que muitos podem imaginar, a mudança não acontece por conta da COVID-19, mas sim por conta do peso dos turistas nas gôndolas.

Cuidado, gordinhos, vocês podem afundar os barcos

A decisão pode parecer estranha, mas tem algumas explicações lógicas. Uma delas — a oficial — é a de que os turistas aumentaram de peso nos últimos dez anos e que esse aumento de peso prejudica a segurança das embarcações — que ficam mais difíceis de controlar e podem até afundar.

Porém, dizem vários especialistas e políticos italianos, a decisão tem por objetivo “fugir” das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, que exigem um distanciamento social que poderia inviabilizar os passeios de gôndola.

Gondoleiros em Veneza

Gondoleiros fazem redução insignificante

A redução implementada tem todas as características de um conveniente engodo. A Associação dos Gondoleiros decidiu que as gôndolas que têm capacidade para até seis passageiros só poderão levar…cinco!

Mais interessante é a redução nas embarcações maiores. Elas passam de 14 passageiros para uma lotação máxima de 12!

Como podemos notar, as pessoas continuarão bastante perto uma das outras, desrespeitando a distância mínima (1,82 m) imposta pelo Governo por conta da COVID-19.

BannerROTEIROS-1

Aproveite esta e muitas outras dicas de viagem com os nossos roteiros personalizados. Entre em contato e encomende o seu — basta clicar no banner!

É bom ressaltar que Veneza vive quase que praticamente do turismo. Em 2019, foram mais de 30 milhões de visitantes na cidade, que possui apenas 53 mil moradores. Portanto, reduzir drasticamente o número de passageiros nas gôndolas iria impactar de maneira severa a quantidade de dinheiro entrando na economia da cidade.

Outra decisão controversa foi dar aos filhos dos gondoleiros o direito de se tornarem gondoleiros sem que precisem fazer os testes “obrigatórios” de história e do idioma italiano.

Realmente as coisas estão mudando no mundo. Dias estranhos.