Presente de Dia dos Namorados custa, em média, R$ 64,29

12/06/2012 0 Por Fernando de Oliveira

Quem deixou para comprar o presente de Dia dos Namorados na última hora, não deve ter vida fácil. Segundo sondagem da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), quase metade dos paulistanos (40,8%) que irão presentear seu companheiro(a) deixaram para comprar o presente na véspera do dia 12. Ainda segundo a sondagem, 74,8% dos paulistanos têm namorado(a), esposo(a) ou estão envolvidos em outro tipo de relação, um aumento de cinco pontos porcentuais (p.p.) em relação ao ano anterior, e destes, 77,1% pretendem presentear o companheiro(a).

O valor médio de cada presente deve ser de R$ 64,29, mas 66,9% dos paulistanos afirmam gastaram/vão gastar mais de R$ 70 com o presente de seu companheiro(a). Os calçados, roupas e acessórios serão os bens mais procurados pelos casais, sendo tanto o presente que mais querem ganhar quanto o que pretendem dar. A sondagem da FecomercioSP aponta que 37,1% dos paulistanos pretende presentear o(a) companheiro(a) com peças de vestuário, calçado ou acessórios e 34,7% esperam ganhar uma dessas peças.

Os perfumes e cosméticos, almejados por 9,4% dos paulistanos, são o segundo item mais desejado. A boa notícia para quem tem esse desejo, é que esses produtos também ficaram com o segundo lugar na lista dos mais procurados para presentear, sendo a preferencia de 11,8% dos paulistanos. Relógios e óculos, joias e bijuterias e telefones celulares, são desejados por 3,8%, 3,4% e 3,3% dos paulistanos, respectivamente.

Apesar do romantismo da data, a sondagem mostra que, para a maior parte dos casais, a lógica e as dívidas vem na frente. A maior parte dos paulistanos (71,2%) afirmam que se tivessem que escolher entre quitar uma dívida e comprar um presente, ficariam com a primeira opção. Além disso, 25,6% dos paulistanos afirmam que não presentearão o(a) companheiro(a) por estarem sem condições financeiras ou endividados.

A sondagem da FecomercioSP também mostra que os lojistas esperam um movimento 3,35% superior ao de 2011, sendo que os comerciantes de bens duráveis esperam faturar 1,21% a mais do que no ano anterior, e os de bens semiduráveis, 4,02%.

Para atingir esse resultado, 21,74% das lojas estão investindo em ações publicitárias e 30,69% delas estão realizando algum tipo de promoção, sendo que o mais comum é o desconto especial, praticado por 64,52% das lojas. Sorteios e distribuições de brindes é a estratégia adotada por 16,13% das lojas. Já as ofertas especiais (oportunidades relâmpago, produto do dia etc.) e o parcelamento sem juros das compras são oferecidos por 9,68% das lojas cada.

Os lojistas esperam que 57,22% das compras sejam pagas por meio do cartão de crédito. 35,19% dos pagamentos devem ser feitas à vista, em dinheiro, cheque ou cartão de débito. Os cheques pré-datados devem ser a opção adotada por 4,48% dos consumidores e outros 3,1% devem recorrer a financeiras e carnês para comprar o presente de seus namorados. A sondagem aponta, ainda, que 10,89% das lojas na capital paulista devem contratar funcionários temporários para auxiliar nas vendas do período.

Fonte: Agência IN