Yahoo! anuncia demissão de 2.000 trabalhadores

06/04/2012 0 Por Fernando de Oliveira

O Yahoo! anunciou nesta quarta-feira que está demitindo 2 mil trabalhadores, sinalizando uma grande mudança na companhia e confirmando os rumores ventilados há semanas no mercado de tecnologia.

O número representa 14% da equipe global da empresa.

“As ações de hoje são um passo importante em direção a um novo e ousado Yahoo!. Menor, mais ágil, mais rentável e mais bem equipado para atender às inovações que nossos clientes e a indústria demandam. Estamos intensificando nossos esforços em nossos negócios principais e redirecionando recursos para nossas prioridades mais urgentes. Infelizmente, para alcançar nossos objetivos precisamos tomar a difícil decisão de eliminar posições”, afirmou em comunicado Scott Thompson, que assumiu o posto de executivo-chefe da companhia no início do ano.

“Nosso objetivo é voltar à nossa meta principal, ou seja, é colocar nossos usuários e anunciantes em primeiro lugar, e estamos nos mexendo agressivamente para conseguir isso”, acrescentou.

O Yahoo! informou que iria iniciar nesta quarta-feira o processo de informar os funcionários sobre as mudanças. Com a iniciativa, a companhia estima uma economia anual de US$ 375 milhões após a conclusão dos desligamentos. A partir das demissões, a empresa projeta uma despesa antes de impostos na faixa de US$ 125 milhões a US$ 145 milhões. Grande parte desse valor será registrada nos resultados de seu segundo trimestre fiscal.

No quarto trimestre de 2011, o Yahoo! apurou uma queda de 3% em sua receita, para US$ 1,17 bilhão. O lucro no período foi de US$ 296 milhões, recuo de 5%. No desempenho consolidado de 2011, a receita também teve uma retração de 5%, para US$ 4,38 bilhões.

Além da menor receita do Yahoo!, os cortes ocorrem em meio à concorrência de sites como Google e Facebook. A companhia também trava uma briga com o gestor de fundo de hedge Daniel Loeb.

Loeb, à frente da Three Points, quer indicar quatro novos diretores para o conselho do Yahoo!. O fundo, que tem 5,8% de participação na empresa, é o maior acionista da companhia.

Fonte: Folha