Um resumo da 8a edição do Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

09/06/2010 0 Por Fernando de Oliveira

A edição de 2010 foi uma das melhores da história do festival. Como sempre, aqui vai um resumo do que rolou nos palcos da cidade. Como sempre, é a opinião de uma pessoa e sempre há a possibilidade (saudável) de opiniões divergentes.

Vamos ao resumo.

O melhor show: Bem, vários seriam os candidatos, mas não há como não escolher T.M. Stevens. O cara detonou em todos os sentidos. Um dos grandes shows da minha vida.

Sem comparação: Ron Carter. A apresentação do veterano baixista é daqueles momentos que não podem ser comparados com os outros shows. T.M impressionou mais, mas Carter esbanjou uma elegância que explica sua reputação.

A frase do festival: “O jazz é um estilo pouco apreciado nos Estados Unidos”, Ron Carter.

Quem menos agradou: Difícil escolha. Todos foram bem, mas, contrariando a maioria dos coleguinhas que rasgaram elogios, achei que a apresentação de Michael Landau pecou na escolha dos números. Sobrou técnica, faltou sequência.

Gente boa: T.M. Stevens, de novo. O cara cantava o dia todo, falava com todos, tirava fotos e agradecia sempre. Uma alegria incontrolável. No último encontro, logo após ele acordar sábado, depois da performance memorável da noite anterior, ele ainda bateu um longo papo e lamentou nossa partida. “Vocês vão me abandonar?”. Gente boa demais!

Low Profile: Stanley Jordan. Sempre fazendo as refeições sozinho, comendo muitas folhas de alface e carregando um caderno de partituras. Quem não conhecia jamais imaginaria que é um artista de talento tão grande.

Low Profile II: Ron Carter, sempre educado e orando antes das refeições.

Colírio para os olhos: Taryn. Pena que seja casada e seu marido faça parte da banda!

Destaques: Os baixistas. Definitivamente este foi o ano deles.

Canção do festival: Poderia ser Eleanor Rigby (tocada três vezes por artistas diferentes). Também poderia ser Little Wing (que recebeu duas interpretações poderosas nas mãos de Armandinho e Stanley Jordan), mas acabou mesmo sendo o Shake Your Bunda, de T.M. Stevens. Até mesmo na hora de ir embora era possível ouvir pessoas comentado sobre ela.

Brasileiros: Além de Armandinho, André Christovam e Raul de Souza foram os destaques. Apresentações que mostravam o talento dos nossos músicos.

Alguém discorda?

Leia como foi cada dia do festival e confira as fotos dos shows

3/6 (Parte I)

3/6 (Parte II)

4/6

5/6