Benito di Paula – CD e DVD, a crítica

30/10/2009 3 Por Fernando de Oliveira

Benito di Paula Ao Vivo - CDJá contei como foi a gravação do CD e DVD de Benito di Paula. Hoje, faço (finalmente) a crítica dos dois. Espero que gostem e comentem.

Benito está de volta. O mestre do Sambão Joia chega ao mercado em CD e DVD gravados ao vivo no Vivo Rio, no dia 17 de julho deste ano. Benito di Paula ao Vivo acaba sendo uma experiência interessante de ver e ouvir. Vamos começar pelo CD.

Logo na faixa de abertura (Bandeira do Samba) é possível ouvir a emoção de Benito. Com alguns acordes digamos…dissonantes de seu piano e uma voz que pode parecer um tanto insegura, o sambeiro dá início ao seu desfile de sucessos e algumas canções inéditas.

O repertório é certeiro e a voz do cantor continua em forma (os escorregões foram mesmo em decorrência da emoção do momento). Do Jeito que a Vida Quer, Osso Duro de Roer, Maria Baiana Maria, Charlie Brown e Retalhos de Cetim, são canções que estão na vida afetiva de qualquer um com mais de 40 anos, seja ele roqueiro ou punk. E todas elas recebem coros entusiasmados da plateia, e bem capturados pela mixagem do disco.

É sempre bom ouvir boa música, mas quem tiver que optar por apenas um dos formatos lançados deste Ao Vivo, escolha o DVD, onde os deslizes ficam muito mais simpáticos.

Sambeiro, Pianeiro, Brasileiro

Benito di Paula Ao Vivo - DVDEm um dos extras do DVD Benito dispara: “Não sou sambista, sou sambeiro. Não sou pianista, sou pianeiro. Mas, acima de tudo, sou brasileiro!”. Essa afirmação, que é comprovada na inspiração para cada uma das canções apresentadas e nos leva a refletir sobre a qualidade da atual música popula brasileira.

O DVD é muito bem filmado, embora, em alguns momentos, abuse dos closes nos músicos da banda de Benito. Mas o lustre está lá, com bom destaque no palco e até mesmo os momentos nos quais o cantor se enrolou com os fones de ouvido do retorno foram preservados.

Infelizmente, é possível notar alguns momentos onde os vocais foram refeitos em estúdio. Isso acontece principalmente nas duas faixas que contam com as participações especiais de seu irmão e seu filho (Ah! Como Eu Amei e Beleza que é Você Mulher). Alguns outros (poucos) momentos do próprio Benito foram regravados. Mesmo assim, é possível ouvir algumas imperfeições, que deixam o show muito mais charmoso, até mesmo porque passam toda a visível emoção do sambeiro.

No fim das contas, é muito bom poder rever (e ouvir) uma figura tão simpática, única e talentosa quanto Benito di Paula. E, pela quantidade de acessos e comentários sobre a gravação do CD/DVD, ainda há muito espaço e público para novos trabalhos do artista.

Nota: 8,5