Nicole Assustadora II

19/12/2008 1 Por Fernando de Oliveira

wpec5Continuo flutuando, às vezes, sem acreditar muito no que aconteceu. Tento encontrar respostas. Quero falar, mas não tenho voz. Acho que o silêncio pode ser a solução. Mas vejo que você nem sabe o que fez. Você talvez sinta mas não sabe. Nenhuma palavra irá sair da minha boca mas aqui escrevo, aqui conto cada mágoa. Aqui descrevo a grande decepção que você me causou. E o mais curioso é que não falo de sentimentos de uma mulher por um homem. Falo da decepção entre pessoas, entre amigos. Antes de ser eu, eu era uma amiga, era uma companheira, era alguém que fazia você sorrir. E agora o que eu sou? Agora eu sou Nicole. Uma Nicole sem Gaston, seu companheiro encontrado no meio da desesperança, após a tragédia. Sou a Nicole que se sacrifica em nome do amor. Aquela que sofre para não ver sofrer. Só que não quero sofrer em silêncio. Mas não tenho escolha. Abri as portas da minha mente (aquela que tudo controla), da minha alma (aquela que você não acredita mais existir) e do meu coração (aquele que só bombeia sangue). Três chaves em uma só. Todas entregues a você. Sabe que por alguns instantes cheguei a acreditar que a culpada era eu. Depois vi que a minha culpa era ter visto em você o que tem de melhor. Só que esse melhor não era o principal e conheci seu lado pior. Seu lado fraco, frio e cruel. Ouvi da boca do diabo, do falso, do traidor, coisas que só você poderia me dizer. Mas você não disse porque não eram seus tais pensamentos, eram dele. Um fracassado incapaz de ver alguém feliz. Um frustrado que precisa de uma escada do lado pra se sentir bem, pra se sentir forte e vitorioso. E a cada movimento seu em busca do crescimento, lá está ele te enterrando em dúvidas, falando nas entrelinhas das pseudo-verdades que ele mesmo criou acerca de suas vidas. Vocês não são almas irmãs, não são irmãos, não são sequer amigos. Vocês são vampiros que dependem da energia dos outros para se sentirem bem. A diferença entre os dois é que ele suga energia por prazer e você por necessidade. Lamentei muito por tudo que eu ouvi desse animal, desse imbecil, desse escroto. Mas lamentei muito mais o que eu ouvi de você. Ou o que não ouvi. Aquele dia esperava ouvir sua voz. Mas uma voz me dizendo frases felizes, esperançosas e otimistas. Você tinha passado horas felizes com o seu amor perfeito, sua herdeira. Mas a felicidade te incomoda. A melancolia te seduz. Você abandonou Deus porque não queria uma bengala. E o que você acha que esse sad_womana quem você chama de irmão é na sua vida? Ele é uma cadeira de rodas que te guia para onde quer. Já você é pra ele uma marionete. Você se lembra do que ele contou aquela noite? Da época em que ele não tinha dinheiro e de quantas mulheres ele perdeu por causa disso? De como elas não seguraram a onda dele? Pois é… como ele poderia aceitar que a sua marionete tivesse uma vida feliz? A vida que ele não teve, com as chances que nunca lhe deram. Ele é alguém que jamais entenderia ou aceitaria a felicidade de Gaston e Nicole. Jamais entenderia a felicidade de ninguém.