Dica gastronômica para o feriado em Friburgo

30/04/2009 0 Por Fernando de Oliveira

Oca Maloca, Ana Maria Braga e Bar da Amendoeira

Peço licença para dar pitacos na seara dos companheiros Pedro Landim e Janir Júnior, responsáveis pelos blogs Boca no Mundo e Rio de Chinelo, respectivamente. Mas antes, preciso esclarecer aos meus fieis leitores que não, não sou amigo da dona. Não, não comi de graça. Não, não trabalho como assessor de imprensa do lugar, o que torna o relato bem mais interessante.

Aproveitando que teremos mais um feriadão, conto a história de como conheci um dos melhores restaurantes de Friburgo, o Oca Maloca. Após uma ‘pesquisa exploratória’, onde fondues, carneiros e outras iguarias da serra foram provadas, resolvemos experimentar um restaurante alemão, para continuar no clima frio e calórico das montanhas.

Ao chegar na pequena rua Deolinda Thurler, no bairro do Cônego, foi preciso uma manobra para poder estacionar o carro. Neste momento a patroa falou: ‘Pára que eu vi uma foto da Ana Maria Braga’! Impressionante como as mulheres parecem ter um radar para essas coisas. Bem, apesar da minha descrença e de um esboço de protesto, acabamos indo dar uma olhada no (por fora) simples restaurante.

Resultado: acabamos indo lá por dois dias seguidos, experimentando os pastéis (de camarão e camarão com catupiry), com aquela massa caseira e em porções mais que justas, uma lingüiça a metro recheada com queijo que ainda dá água na boca e um macarrão com molho de quatro queijos e camarões simplesmente imperdível. Ainda teve um bacalhau que não me atrevo a tentar explicar sua receita (lascas em molho branco com batatas, azeitonas e cebola, para os curiosos).

‘Começamos há 8 anos com cinco mesas pequenas, um fogão de duas bocas e uma geladeira usada. Em abril de 2005 fui convidada do programa da Ana Maria Braga’, diz a proprietária Jane Valente, explicando a origem da foto que motivou a nossa visita.

A excelência da cozinha segue no serviço. Se foi possível encontrar o vinho selecionado na carta (coisa quase impossível na maioria dos outros restaurantes que fomos na cidade), o serviço ultrapassou em muito as expectativas. Utilizando um sistema onde todos os garçons servem os clientes, não aconteceu aquela demora em esperar ser servido. Grande e simpática sacada.

Até mesmo o nome dos pratos segue o clima descontraído do lugar (que tem um ambiente separado para fondue, evitando fumaça no salão principal), com nomes engraçados, como a Feijoada surda e manca – sem pés ou orelhas de porco.

No fim das contas, nunca fomos ao tal restaurante alemão, mas descobrimos uma pérola da serra que não distribui muitos flyers nos hotéis da cidade. Uma boa pedida para quem for até Friburgo.

Oca Maloca
Rua Deolinda Thurler, 145 – Cônego
Tel: (22) 2519-3137
www.ocamaloca.com.br

xxxxxxxxxxxxxx

Não posso deixar de comentar a trágica morte de Cézar Rezende, dono do Bar da Amendoeira, em Maria da Graça, assassinado dentro do estabelecimento, no último dia 24. Depois da morte de Juca Ribeiro, dono do Bar do Serafime da disputa pela Tasca do Edgar, na Rua Alice, em Laranjeiras, fica o receio de que bons pés-sujos percam suas identidades e sejam engolidos pelas grandes redes de franquias.

O Bar da Amendoeira (ou Bar Lisbela) era freqüentador de todos os guias de melhores bares do Rio e um dos locais preferidos de todos que iam fazer matérias por lá (que o digam Débora Thomé e o saudoso André Az, que uma vez pautei para irem lá e nunca mais me deixaram em paz para repetir a dose). Tomara que o lugar continue funcionando com o mesmo capricho e cuidado com que Seu Cézar tinha.

Uma perda para todos que gostam da boa gastronomia popular.

Viva o eterno aipim com carne-seca do Amendoeira.