Esses Ingleses Maravilhosos e Suas Pesquisas Voadoras XX: Bacon não é mais vilão contra a saúde do coração

Essa é mais uma reportagem que também poderia entrar para a série: “Bacon é Vida”. Agora é ir até o supermercado comprar um pedacinho de uns 3kg.

Bacon faz bemUma nova pesquisa publicada no site britânico de cardiologia Open Heart (da editora British Medical Journal) faz um polêmico alerta: todas as recomendações médicas contra o consumo de gordura saturada jamais deveriam ter sido feitas. Desde o ano passado que cardiologistas, inclusive no Brasil, começam a despertar a atenção para a tese de que gorduras saturadas não são as principais causas de males cardíacos.

O artigo diz que as advertências anteriores eram baseadas em dados falhos e evidências “muito limitadas”. Segundo os primeiros alertas, os homens não poderiam consumir mais de 30g de gordura saturada por dia e as mulheres se limitariam a 20g. Mas os especialistas do Open Heart hoje renegam todos estes avisos, que começaram a ser veiculados na década de 1980.

BaconManteiga, banha de porco, bolos, tortas, leite integral, bacon, queijos e chocolates entram na nova lista de compras defendida pelo Open Heart. O que os especialistas argumentam é que os açúcares, carboidratos e comidas processadas é que contribuem mesmo para doenças do coração. Assim, recomendam evitar mesmo é arroz branco, frutose (a não ser a encontrada naturalmente nas frutas), pão francês e comidas processadas em geral.

A BMJ, editora do British Medical Journal, tem parceria com o Ministério da Saúde do Brasil desde 2012, quando lançou ferramentas digitais para auxiliar diagnósticos.

Mais sobre bacon e vida:

Mulher de 105 anos diz que o segredo para uma vida longa é bacon

Fonte: Jornal Extra 

 

Anúncios

EBC é condenada por acumulo de funções de radialistas

Não me admira que essa empresa tenha problemas de gestão, mesmo entre seus próprios jornalistas. Uma pena mais esse exemplo de má administração e mau profissionalismo. Nem o PT segurou essa derrota.

empresa-brasileira-de-comunicação
Por acumulo de funções aos profissionais radialistas, a 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF/TO) decidiu que a Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) deverá ser condenada a indenizar seus funcionários. A punição está avaliada em R$ 100 mil por dano moral coletivo por desrespeito à legislação trabalhista. As informações são do Conjur.

“No caso em tela, além de se impor ao empregado o exercício cumulativo de atividades laborais, há de forma transversa a supressão de cargos que poderiam ser destinados a outros concursados”, avaliou o relator, desembargador Dorival Borges de Souza Neto. Ele afirmou que não tem como negar a “lesividade do ato ilícito perpetrado”.

A situação foi investigada após o Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal (MPT-DF) ajuizar a ação civil pública. O objetivo é inibir a prática de exercício acumulado nas empresas. Segundo o MPT, o radialista, pela Lei 6.615/1978, “não será permitido, por força de um só contrato de trabalho, o exercício para diferentes setores”.

O Conjur informa que a ação já tinha sido considerada procedente pelo juízo de primeiro grau. Neste processo, ficou decidido que a empresa deixaria de manter funcionários com acumulo de funções sob pena de R$ 5mil por empregado caso a situação continuasse irregular. O ministério, entretanto, pediu para que a EBC fosse condenada por dano moral. O valor da multa que a empresa deve pagar será revertido para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Fonte: Comunique-se

Google mostrará resultados do Twitter nas buscas novamente

Essas briguinhas de gigantes são entediantes, não?

twitter-microblogO Twitter estará nos resultados das buscas do Google novamente, depois de quatro anos sem aparecer nas páginas do maior sistema de search do mundo. Segundo a Bloomberg, ambas as empresas teriam chegado a um acordo para que os tweets apareçam no buscador do Google em tempo real. Isso deverá acontecer ainda no primeiro semestre deste ano. O Twitter não se manifestou sobre o eventual acordo.

A parceria daria ao Google o acesso aos dados do Twitter de novo, o que os rivais Yahoo e Bing, da Microsoft, já têm. Twitter e Google já foram parceiros em acordo parecido em 2009, mas essa parceria não foi renovada em 2011. Pelos termos do novo acordo, as postagens do Twitter ficarão visíveis nos resultados de pesquisa do Google imediatamente após serem publicadas.

A volta da parceria pode ter várias razões. Segundo a Bloomberg, não há receitas publicitárias negócio a partir desse acordo, mas o Google pagará pela receita de “licenciamento de dados”. O Twitter, que tem esse tipo de receita, faturou US$ 41 milhões no ano passado com isso. Outro motivo é que, com os tweets promovidos que aparecerão em aplicativos de terceiros e sites – como Flipboard e Yahoo Japan -, o Google fará questão de puxar e rentabilizar os visitantes para o seu serviço, que não registram, atualmente, os usuários do Twitter. Ao aparecer mais frequentemente na página de resultados de busca do Google, esses tweets promovidos podem aumentar significativamente a receita.

Fonte: ProXXIma

Trilogia de Matías Molina pretende contar história dos jornais brasileiros

Ainda não li nenhum trecho, mas desde já recomendo.

molina-livroO jornalista Matías Molina colocará no mercado três livros sobre a história dos jornais brasileiros. O tema das obras é resultado de décadas de pesquisa. Com o trabalho, o autor pretende abarcar toda a história da imprensa no país, desde suas primeiras manifestações no Brasil colônia até os dias atuais. O primeiro volume da série, intitulado História dos Jornais do Brasil – Da Era Colonial à Regência (1500-1840), será lançado em 10 de março.

O primeiro livro chega ao mercado com 536 páginas e fala sobre a imprensa no período colonial, tempo em que o Rio de Janeiro era sede da Corte, e se estende até a época da Independência. A história de que os jornais foram palco de disputas políticas será contada.

Editado pela Companhia das Letras, o volume traz epílogo com análise dos fatores que condicionaram o desenvolvimento da imprensa no país e ajudam a explicar a baixa penetração dos jornais na sociedade brasileira. A segunda obra vai falar sobre os jornais do Rio de Janeiro até o início do século XXI. O terceiro livro conta a história dos impressos de São Paulo no mesmo período.

Molina tem em seu currículo passagens pela Editora Abril, onde foi editor-chefe do grupo de revistas técnicas e lançou a revista Exame, pela Folha, como editor de Economia, e pela Gazeta Mercantil. No mercado editorial, é autor do livro Os melhores jornais do mundo.

Fonte: Comunique-se

Brasil perde título de país mais mortífero do Ocidente para trabalho da imprensa

Alguns insistem em culpar a polícia e as empresas jornalísticas, enquanto os, cada vez mais presentes, pseudos-manifestantes-criminosos são esquecidos. O Brasil é perigoso par os jornalistas por conta de criminosos e da falta de preparo dos nossos Homens da Lei, além, claro, da loucura normal dos profissionais.

A notícia:

Imprensa e violênciaO Brasil ficou na 99ª posição no ranking de liberdade de imprensa divulgado pela organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), com a análise das condições de trabalho para a imprensa em 180 países. A colocação representa um ganho de 12 posições em relação à 111ª posição que o país ocupou no ranking de 2013.

No relatório apresentado, a RSF comenta que o Brasil perdeu o título de país mais mortífero do Ocidente para jornalistas, assumido atualmente pelo México, que ocupa a 148ª posição no ranking geral de liberdade de imprensa. No ano passado, dois jornalistas foram assassinados no Brasil por motivos diretamente relacionados ao seu trabalho, enquanto três foram mortos no território mexicano.

A organização afirma que o Brasil “tornou-se um pioneiro na proteção dos direitos civis online. por meio da adoção do Marco Civil da Internet’. A Repórteres sem Fronteiras ressalta que “a segurança dos jornalistas e a concentração da propriedade da mídia nas mãos de poucos, no entanto, continuam sendo os principais problemas”.

O relatório também lembra que muitos atos de violência contra jornalistas foram cometidos durante a onda de protestos que tomou as ruas do país. “Um relatório da Secretaria de Direitos Humanos em março de 2014 sobre a violência contra jornalistas enfatizou a participação das autoridades locais e condenou o papel da impunidade na sua repetição constante.”

Na América do Sul, o país mais bem localizado no ranking da liberdade de imprensa é o Uruguai, na 23ª posição. Depois, antes do Brasil, aparecem Suriname (29ª), Chile (43ª), Argentina (57ª), Guiana (62ª), Peru (92ª) e Bolívia (94ª). Depois aparecem Equador (108ª), Paraguai (109ª), Colômbia (128ª) e Venezuela (137ª).

De acordo com a RSF, 69 jornalistas foram assassinados em todo o mundo em 2014, dez a menos do que em 2013. Em 2015, apenas em janeiro, 13 jornalistas foram mortos em crimes ligados diretamente a suas atividades profissionais: oito na França, funcionários do periódico Charlie Hebdo, e cinco no Sudão do Sul.

Fonte: Comunique-se

Ilações inúteis, reflexões sobre o nada e coisas mais sérias

%d blogueiros gostam disto: