Adeus, John Barry – O criador das trilhas de James Bond

O músico e arranjador John Barry, responsável por várias trilhas sonoras de filmes famosos, como A História de Elza, Entre Dois Amores, Dança Com Lobos e Perdidos na Noite, morreu neste domingo ( 30 de janeiro de 2011), aos 77 anos, após sofrer um ataque cardíaco. Apesar da longa carreira, Barry será sempre lembrado por ser o criador do imortal tema dos filmes de James Bond, o 007.

Aqui fica a singela homenagem a um dos grandes talentos da música do século XX.

Quer saber mais sobre a vida de John Barry? Clique aqui.

Anúncios

O passado nos define

O que aconteceu no passado foi doloroso e tem muito a ver com o que somos hoje William Glasser

O passado nos define. Essa é outra frase repetida frequentemente por pessoas em todo o mundo. Pode remeter a uma morte, uma infância infeliz (ou feliz), uma necessidade de ser autossuficiente ou mesmo uma vida comum, sem grandes responsabilidades ou obrigações para com as vontades alheias.

Sempre que ouço uma frase assim fico pensando em quanto de álcool foi preciso para cunhá-la. Quanto de arrependimento estava por trás dela.

Com o tempo nos tornamos mais duros, inflexíveis e pouco receptivos a atalhos que não sejam os nossos. Não importa o quanto nos escondamos debaixo de um sorriso ou de um logo de cores vivas. Admitir erros é sempre um transtorno e, para não repetir os do passado, muitas vezes nos privamos de cometer erros novos.

Se você olha para trás e fica feliz com o que fez, parabéns. Espero que não esteja enganando a si mesmo.

Leia também: Ninguém muda o suficiente

Paul McCartney busca receitas veggie

Paul McCartney lançou, em seu site oficial, um concurso para escolher a melhor receita original sem carne. O melhor prato será escolhido por votação popular e por especialistas e fará parte da linha Linda McCartney Foods. O concurso é válido apenas para residentes no Reino Unido.

Veja o anúncio do concurso, feito pelo próprio Paul.

Sony Entertainment Television exibe seriados na web

O canal Sony abriu no seu portal os primeiros episódios da atual temporada de suas séries do horário nobre, numa iniciativa denominada “Primetime all the time” – ou horário nobre toda hora. Assim, 9 episódios da última temporada de Grey’s Anatomy, Desperate Housewives (8 episódios), Cougar Town, Private Practice, além das novas séries No Ordinary Family e Call Me Fitz, poderão ser assistidas na internet, com o mesmo formato da TV, ou seja, com legendas.

A partir de fevereiro, começam no canal de TV por assinatura as novas temporadas de cada seriado. A iniciativa tem a ver com a nova gestão do canal no Brasil. Desde o final de 2010, Alberto Niccoli Jr. é vice-presidente sênior e gerente geral da Sony Pictures Television no Brasil.

As informações são do Meio & Mensagem

SporTV não terá Pan de Guadalajara

Com o fim das tratativas da Globosat com a Record, que não chegaram a um acordo sobre o repasse dos direitos do Pan de Guadalajara para o SporTV, o que se aventa é que a emissora aberta jogou muito para o alto os valores, porque pretende repetir a estratégia adotada com os Jogos de Inverno de Vancouver. Ou seja: exibir apenas algumas provas principais do Pan pela Rede Record, deixando as demais transmissões ocuparem a grade da Record News.

O canal de notícias tem sinal aberto apenas onde a Record tem concessão de um segundo canal, como ocorre em São Paulo, por exemplo, onde a Record News é transmitida em UHF. Em outras praças, o canal entra em operadoras de TV por assinatura.

Band Sports e ESPN Brasil também se interessaram pelos direitos, mas o alto valor – superior a R$ 15 milhões – e o pouco prazo para venda de pacotes de patrocínio inviabilizaram as negociações.

Em outra esfera de negociações, o Comitê Olímpico Internacional acabou de liberar de forma gratuita os direitos da Olimpíada de Londres 2012 para a rede estatal de Cuba. Pelos mesmos, a Record desembolsou nada menos que US$ 60 milhões pela exclusividade para o Brasil em todas as mídias.

As informações são do Meio & Mensagem

Canadense é a 1ª Pós-Graduada em Beatles

Ex-finalista do concurso de Miss Canadá, Mary-Lu Zahalan-Kennedy foi uma das primeiras 12 estudantes a matricular-se no curso da Universidade Hope de Liverpool sobre os Fab Four quando começou, em 2009, e foi a primeira a se formar, disse a universidade nesta quarta-feira (26).

“Sinto orgulho”, disse Mary-Lu. “O curso foi desafiador, interessante e me fez perceber o impacto que os Beatles tiveram e ainda têm hoje sobre todos os aspectos da vida.”

O lançamento do mestrado sobre Beatles, Música Popular e Sociedade foi o primeiro no mundo. Mary-Lu foi a primeira pessoa a receber seu diploma pessoalmente da universidade. O curso analisa o som e composição dos Beatles e como Liverpool ajudou a moldar a música deles. O mestrado analisa o significado da música deles e como ela definiu identidades, cultura e sociedade.

Mike Brocken, fundador e líder do mestrado sobre os Beatles na Universidade Hope Liverpool, disse que o mestrado faz da primeira pós-graduada membro de um grupo seleto de especialistas em música popular. “Mary-Lu ingressou num grupo internacionalmente reconhecido de especialistas em Estudos de Música Popular que podem oferecer novidades na disciplina da musicologia.”

As informações são da Reuters

Elton John, Rihanna, Katy Perry e Claudia Leitte na 1ª noite do Rock in Rio

Foi divulgado nesta quarta-feira (26) que Elton John será uma das atrações da noite de abertura da edição 2011 do Rock in Rio. Depois dos shows em 1995 e 2009, Sir Elton volta ao Rio para mais um show histórico. Histórico por fazer parte do festival que é símbolo da cidade e por ser o seu maior público na América Latina. Infelizmente, para assistir Elton, também seremos obrigados a aturar Rihanna, Katy Perry e Claudia Leitte.

O show acontece no dia 23 de setembro de 2011.

Confira os shows internacionais no Rio e no Brasil.

Sindicato pede fim de sobrevoos em áreas de conflito

A sorte foi a grande e única aliada de uma equipe da TV Globo que cobria operação policial no Morro da Mineira, no Catumbi, a bordo de um helicóptero da empresa. O aparelho, que não era blindado, foi atingido por três tiros e teve que fazer pouso de emergência no Aeroporto de Jacarepaguá. Na aeronave estavam a repórter Karina Borges, o operador de sistemas Roberto Mello Reis e o piloto Antônio Ramos. Uma equipe da TV Record também estava de helicóptero e um repórter cinematográfico filmou o pouso forçado do aparelho da TV Globo.

Depois das famosas imagens, feitas pela TV Globo, dos traficantes fugindo do Complexo da Penha para o do Alemão, em novembro último, os cuidados com as equipes de jornalistas que sobrevoam favelas precisam ser redobrados. A partir daquelas imagens, os helicópteros utilizados pela imprensa certamente passaram a ser visados pelos bandidos. O ideal é que os sobrevôos de comunidades em conflito sejam suspensos, antes que aconteça uma tragédia. É uma questão de bom senso.

O Sindicato manifesta extrema preocupação com o acontecimento, mais um envolvendo a segurança dos jornalistas que trabalham em coberturas nas áreas de risco. O tema é recorrente em todas as rodadas de negociação salarial realizadas entre o Sindicato dos Jornalistas e os representantes das entidades patronais. Diante da gravidade deste episódio, o Sindicato pediu ao gerente de relações sindicais da TV Globo, Edmundo Lopes, um encontro urgente da comissão fretaria dos sindicatos patronais das empresas de comunicação e o dos Jornalistas para, mais uma vez, cobrar providências.

Segurança é item de importância fundamental em nossa profissão. Não se pode colocar o furo jornalístico acima da vida de uma pessoa no exercício de sua profissão. O Sindicato sempre teve postura rigorosa nas críticas aos veículos de comunicação que negligenciam com a segurança dos seus empregados e os expõem a riscos desnecessários. As normas de segurança devem ser observadas com extremo zelo pela TV Globo e por todos os veículos de comunicação. É questão de princípio.

No caso específico do ataque ao helicóptero da emissora, é inconcebível que uma empresa tão rica como a Globo não disponha de recursos para adquirir uma aeronave equipada com blindagem adequada, normalmente usada pela polícia nesse tipo de ação. Nem parece a mesma empresa cujos donos têm por hábito andar de jatinhos pela cidade e pelo país afora.

O que não faltam são casos que mostrem às empresas a necessidade de não negligenciar na proteção aos seus funcionários. Além do assassinato de Tim Lopes, tivemos o seqüestro e tortura da equipe de reportagem do jornal O Dia, na Favela do Batan, em Realengo, e o episódio em que uma repórter da TV Bandeirantes foi atingida por um tiro no peito em Botafogo, perto do Morro Dona Marta. Definitivamente, as empresas precisam ser mais cuidadosas e zelosas quanto à segurança dos seus profissionais.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro

A arte de avaliar

Saber avaliar é uma das coisas mais difíceis da vida. Em quase 100% das vezes, avaliar imputa em ter conhecimento sobre o assunto a ser julgado. Algumas vezes, fatores pessoais e emocionais podem deturpar a avaliação. Porém, na maioria das vezes é o total desconhecimento que produz opiniões desqualificadas sobre as questões estudadas.

Infelizmente, muitas características que permitem uma avaliação de qualidade – experiência, imparcialidade, versatilidade, entre outras – estão cada vez mais em baixa na cotação dos que delegam funções. Cada vez mais toupeiras ficam responsáveis por avaliar coisas para as quais ainda precisariam anos de estudo para, quem sabe, poderem ter algum senso crítico minimamente aceitável. Nem é tão culpa dessas pessoas – que muitas vezes não levantariam, caso caíssem de quatro – de terem esse poder. Isso é responsabilidade de outros seres que também não poderiam escolher tomates na feira, ainda mais pessoas.

Não sei de onde saiu essa ideia de que quem não sabe fazer sabe mandar. Só sei que é mais uma das imbecilidades do mercado atual. Afinal, incompetentes são os que avaliam os incompetentes como competentes <– frase ruim, né?

(a.va.li.ar)

v.

1. Fazer análise de (algo), pesando suas vantagens e desvantagens; AQUILATAR: [td. : A comissão avaliou as medidas adotadas.]

2. Estimar, calcular. [td. : Não avaliamos que a tarefa tomaria tanto tempo.]

3. Atribuir valor ou preço a; COMPUTAR; ORÇAR [td. : O leiloeiro avaliou o quadro (em alguns mulhões).]

4. Examinar conhecimento adquirido por (para conferir peso ou nota). [td. : A professora vai avaliar a turma.]

5. Reconhecer a grandeza, a intensidade, a força de. [td. : Avalio a preocupação de uma mãe com seus filhos.]

6. Fig. Calcular o valor de; prezar. [td. : Não era capaz de avaliar os filhos que tinha.]

7. Reputar(-se), ter(-se) em conta (de). [tdp. : Avalia -se um artista completo: Avaliava a irmã por aliada.]

8. Formar juízo ou ideia; AJUIZAR; JULGAR [tr. + de : avaliar das razões, dos méritos.]

Folha de São Paulo perde liderança em circulação

Meia Hora teve queda de 15%, segundo o IVC.

Tá feia a coisa.

O Meia Hora é o título popular do grupo O Dia

Ainda faltam alguns poucos dados relativos a dezembro para que o Instituto Verificador de Circulação (IVC) feche o seu balanço com o desempenho dos jornais brasileiros em 2010. Apesar disso, o resultado final deve ficar próximo de uma leve alta de 1,5% na circulação total, considerando os títulos auditados em 2010 e na maior parte de 2009.

Nos números já finalizados, a principal novidade é a perda de liderança da Folha de S. Paulo, que era o jornal de maior circulação no país desde 1986. Embora já tivesse perdido a liderança em alguns meses, em 2010 isto ocorreu pela primeira vez no consolidado de um ano. O topo do ranking do ano passado foi do Super Notícia, título popular de Belo Horizonte. Enquanto a Folha manteve estabilidade, na casa dos 294 mil exemplares por edição, o Super Notícia cresceu 2%, atingindo média de 295 mil.

Entre os dez títulos líderes, a maior alta foi de O Estado de S. Paulo, que avançou 11%, chegando a 236 mil exemplares por edição. As maiores quedas foram do Lance, que encolheu 24%, ficando próximo de 95 mil, e do carioca Meia Hora, que viu sua circulação diminuir 15%, atingindo 158 mil exemplares por edição.

Os 10 jornais de maior circulação no Brasil em 2010 e suas respectivas médias por edição foram:

1º Super Notícia: 295.701

2º Folha de S. Paulo: 294.498

3º O Globo: 262.435

4º Extra: 238.236

5º O Estado de S. Paulo: 236.369

6º Zero Hora: 184.663

7º Meia Hora: 157.654

8º Correio do Povo: 157.409

9º Diário Gaúcho: 150.744

10º Lance: 94.683

Informações do Meio & Mensagem

Shows internacionais em 2011

Esse post é só para lembrar que agora são duas listas: a dos shows no Rio e a dos shows no Brasil.

Caso tenham algo para ser acrescido, mandem uma mensagem.

Come Back Paul

Depois que Paul McCartney fez um vídeo agradecendo aos fãs do Brasil e da Argentina pela acolhida na sua turnê por esses países, foi a vez de um grupo de fãs brasileiros fazer um vídeo pedindo a volta de Macca.

Por estar jogado na madrugada – com essa mania boba de trabalhar e produzir – e tendo que dormir durante o dia, só vi esse vídeo agora. Gostaria muito de ter participado da empreitada! Até o Brian Ray (guitarrista da banda de Sir Paul) foi lá deixar um comentário dizendo que gostou muito.

Só nos resta torcer para que dê resultado e o vejamos novamente em 2011.

De volta ao normal

Parece que a vida vai voltando ao normal no Rio, depois das chuvas que devastaram a Região Serrana. Nesta segunda-feira (24 de janeiro de 2011), já tivemos tiros na sede da Prefeitura, prisões, acidentes de trânsito e a continuação do calor infernal que vem se repetindo na cidade por quase uma semana.

Não sei se alguém além dos que não trabalham curtem essa temperatura digna do Saara, mas sei que aceito doações de’ freezers’, ar condicionados, sacos de gelo e afins.

Amanhã o Centro me aguarda. Que dilícia!

Boca Livre – 21/01/2011 – Teatro Rival

Quase um ano após a última apresentação do grupo no Teatro Rival, no Centro do Rio, o Boca Livre voltou ao palco para apresentar uma versão híbrida do show que prepara com canções do compositor panamenho Ruben Blades, que já recebeu seis prêmios Grammy..

O show, ainda com uma estrutura muito semelhante ao que gerou o CD e DVD ao vivo do grupo, continua desfilando em seu setlist grandes sucessos do grupo e versões para algumas canções bastante conhecidas do público, agora também com um pequeno espaço solo para que cada um dos integrantes possa apresentar uma de suas composições. Destaque para Maurício maestro e sua versão de Mistérios.

A surpresa da noite foi a versão de I Need You – dos Beatles -, dedicada a Lizzie Bravo, amiga do grupo, minha amiga e que ostenta a honra de ter sido a única brasileira a gravar com os Fab Four.

O Boca Livre é daqueles grupo que, não importa o momento ou o trabalho que estejam desenvolvendo, garantem a produção de música de qualidade.

Vida longa ao grupo.

Cataclismo

Continuando a série sobre a tragédia na Região Serrana, mais uma palavra muito usada nesses dias de luto.

Cataclismo

A origem deste termo está na palavra grega KATAKLYSMÓS, substantivo derivado do verbo KATAKLÍZEN, que significa inundar, fazer desaparecer por inundação. Todavia, o sentido dessa palavra se estendeu e também tem sido muito empregada para denotar qualquer tipo de alteração geológica muito brusca, significando, assim, hecatombe,catástrofe,flagelo. O termo cataclismo, portanto, não poderia ser mais preciso para designar o que se passou na semana passada na região serrana da cidade do Rio de Janeiro.

Definição:

(ca.ta.clis.mo, ca.ta.clis.ma)

sm.

1. Geol. Alteração geológica muito brusca e de grande extensão: Terremotos são cataclismos comuns no Japão.

2. Fig. Grande desastre ou tragédia; CALAMIDADE

3. Inundação, enchente de grandes proporções

4. Fig. Convulsão social

5. Fig. Mudança radical na vida de alguém ou de um grupo

[F.: Do gr. kataklysmós, do v.gr. kataklyzein ‘inundar’.]

Veja também: Calamidade

Porto-alegrenses não esquecem de Paul McCartney

Os porto-alegrenses não conseguem mesmo esquecer o show de Paul McCartney na cidade, no dia 7 de novembro de 2010. Agora, mais de dois meses depois do evento, o principal jornal do estado (Zero Hora) publica um artigo sobre o impacto dos shows do ex-beatle nas redes sociais brasileiras. Os números impressionam e merecem uma olhada – leia a matéria completa aqui.

Agora é torcer para uma volta de Sir Paul ao Brasil e, com certeza, a Porto Alegre, onde fez o melhor dos três shows em solo brasileiro – minha opinião.

Leia também: Paul in POA – Soundcheck 7/11/2010

Cervejarias esperam vender 10% mais no verão de 2011

Com a terça-feira de carnaval marcada para o dia 8 de março, os varejistas consideram que o verão deste ano terá mais de cem dias. Para as cervejarias, isso é sinal de ótimo resultado de vendas, com números bem acima dos comparados aos atingidos no começo de 2010, quando a prosperidade prós-crise derrubou estatísticas e jogou pra cima índices de consumo.

“Esperamos que o mercado possa manter o crescimento de quase 12% alcançado na estação do ano passado”, comenta Renata Zveibel, gerente de comunicação externa da Heineken Brasil. Dados da Nielsen apontam que bebidas alcóolicas e não-alcóolicas foram os produtos que mais cresceram em 2010. “O consumo continua bastante aquecido. Esperamos alcançar um crescimento ainda maior do que o verificado em 2010”, reforça Douglas Costa, gerente de marketing e relações com o mercado do Grupo Petrópolis. “Temos um cenário promissor e sem grandes rupturas. Devemos destinar maior parte dos nossos investimentos nesse verão alongado”, afirma Luiz Cláudio Taya, diretor de marketing do Grupo Schincariol.

A preocupação, com isso, deixou de ser a exposição em mídia e passou para a produção. “Geralmente temos 90 dias de verão. Esse ano, esse número cresceu 20%. A temporada terá mais de cem dias. A preocupação das empresas, agora, é que não falte produto”, comenta Adalberto Viviani, diretor-presidente da Concept e especialista no mercado de bebidas.

Segundo Viviani, o ponto de venda será fundamental na briga entre as marcas. “A grande estratégia, agora, é consolidar a expansão, colocar produtos em condições de consumo, aumentar a visitação e ter cuidado extra no PDV”, explica. A executiva da Heineken reforça essa preocupação. “Nosso foco não é necessariamente investir mais por conta do verão. Teremos uma forte ativação no ponto de venda. E estamos focados em atender a demanda do mercado”, ressalta Renata.

O Grupo Petrópolis, que produz a cerveja Itaipava, sofreu bastante com as chuvas que assolaram a região serrana do Rio de Janeiro na semana retrasada. A tragédia paralisou suas linhas e funcionários ficaram presos na fábrica de Teresópolis por 30 horas. Mesmo assim, Costa acredita que não terá problemas de abastecimento, uma vez que suas outras três fábricas (uma delas em Petrópolis) estão preparadas para absorver o que não será produzido na matriz. Ele ainda conta que as apostas do Grupo estão no grande portfólio de produtos. “Nossos lançamentos recentes incluíram formatos diferenciados na linha pilsen, como a garrafa de 250 ml e a lata de 310 ml, mais fina”.

Informações são do Meio & Mensagem

Calamidade

O tema ainda resiste – e deve resistir por muito tempo. Não será fácil esquecer o que aconteceu com várias cidades da Região Serrana do Rio neste janeiro de 2011. E não é para esquecer mesmo.

As cidades de Teresólopolis e Nova Friburgo vivem, neste início de 2011, estado de calamidade pública. Calamidade é sinônimo de catástrofe: algum acontecimento que gera destruição e mortes.

Definição:

(ca.la.mi.da.de)

sf.

1. Ocorrência de, ou acontecimento que gera destruição, perdas e mortes (como guerras, furacões, vulcões, tsunamis etc.); CATÁSTROFE

2. Grande infelicidade ou desgraça; INFORTÚNIO

3. Fam. Fig. Fato, coisa ou pessoa desastrada, desacertada, infeliz: Estava num dia ruim, tudo o que fez foi uma calamidade.: Esse jogador é uma verdadeira calamidade.

[F.: Do lat.calamitas, atis.]

Rod Stewart & Stevie Nicks dividem o palco em turnê inédita

Depois de lançar o 5º volume da sua série de CDs com clássicos da música norte-americana, Rod Stewart junta-se a Stevie Nicks – a bela voz do Fletwood Mac – para uma turnê onde vão tocar rock’n’roll. A Heart and Soul Tour, em princípio, vai ficar restrita aos Estados Unidos e Canadá, mas, nunca se sabe.

A turnê inicia em 20 de março no Bank Atlantic Center em Ft. Lauderdale, ingressos começam a ser vendidos em 21 de Janeiro. Já estão confirmados shows em Nova Iorque, Toronto, Los Angeles, Filadélfia, Chicago, Detroit, Tampa, Montreal, entre outros. Os fãs podem saber sobre o show e assistir a entrevista e apresentação exclusivas aqui.

Abaixo, um pedaço do release oficial da turê.

A turnê vai mostrar ambos artistas apresentando todos os sets de rock & roll de seus catálogos de sucessos acompanhados por uma incrível banda e produção. ”Ainda não começamos os ensaios mas o que posso dizer é que, com Stevie a bordo nossos públicos terão noites de puro rock&roll. Eu já estou pensando sobre as minhas canções antigas favoritas para trazer de volta, eu acho que vamos começar a pensar sobre que músicas podem ser diversão garantida e bem encaixada para um dueto ou para os dois”, diz Rod Stewart. Em uma carreira que se estende por cinco décadas, com uma venda estimada de 250 milhões de álbuns e singles, Rod Stewart um “Rock and Roll of Famer” e indisputavelmente um dos artistas de maior sucesso de todos os tempos. Ele terminou 2010 no topo das paradas de turnê e álbum – destacado pelos shows esgotados no The Colosseum de Las Vegas e 33 datas no verão europeu que incluíram 4 datas no London O2 Arena esgotados. Ao longo de sua fértil carreira, ele recebeu 16 indicações ao Grammy incluindo a recente “Best Traditional Pop Vocal Álbum” e vendas de mais de 1 milhão de cópias em todo mundo por seu álbum de 2010 Fly Me To The Moon.. The Great American Songbook, Volume V.

A rainha do Rock & Roll Stevie Nicks vai lançar seu novo Cd In Your Dreams no dia 3 de maio. O novo álbum, o primeiro material novo em dez anos, foi co-produzido pelos criadores do Eurythmics Dave Stewart e Glen Ballard. O novo álbum está disponível par os faz em pré-venda no stevienicks.warnerreprise.com. Os fãs que comprarem antecipado vão receber um download do primeiro single Secret Love. O lançamento oficial do single será dia 3 de fevereiro. Nick é uma multi vencedora do Grammy, multi platina, indicada ao Rock & Roll Hall of Fame e membro do Fleetwood Mac.

Depois da Modern Sound, livraria DaConde anuncia seu fechamento

Parece que a internet finalmente vai matando as lojas físicas. Depois do fim das lojas de discos – a última sendo a Modern Sound, templo sagrado e um dos últimos bastiões da categoria – a livraria DaConde, no Leblon, anuncia que encerrará suas atividades no dia 31 de janeiro de 2011.

Em comunicado a direção diz que “até que seja definido um novo local de funcionamento, as vendas continuarão a ser feitas apenas pelo site http://www.dacondevirtual.com.br.”. Será que reabrirão em outro local? Tomara.

A loja, situada na Conde de Bernadote, na galeria dos teatros e da Academia da Cachaça, era parada obrigatória para quem gostava de curtir um livro ou tomar um café antes da programação etílico-cultural. Sempre havia algo que chamava a atenção e acaba indo para a casa com você – pelo menos comigo.

Para quem ainda quiser curtir a livraria DaConde na Rua Conde de Bernadotte 26, loja 125, com seu lounge wi-fi ou seu café, até o final deste mês haverá uma queima de estoque com descontos de 10% a 50% em livros, CDs e DVDs.

 

Agora que Amy se foi…

Amy Winehouse escolheu o Brasil para tentar retomar a carreira, abalada por álcool, drogas, próteses de silicone e péssimas escolhas amorosas. A inglesinha, ótima cantora e baranga de marca maior, fez 5 shows no país, sempre de curta duração e sempre dividindo opiniões.

Por estar jogado em um horário pouco hospitaleiro, fui impedido de assistir aos shows realizados no Rio. Uma pena, pois gosto da moça. Sendo assim, me baseei em relatos de amigos para tentar entender o que se passou com o público que foi até a Arena HSBC ouvir a música de Amy.

O primeiro show no Rio parece ter sido o mais tenso. A artista estava visivelmente alcoolizada, esqueceu partes das letras das canções e ficou no palco por pouco menos de 40 minutos. O resto do tempo foi segurado por sua banda.

Alguns relatos pintaram um quasro de que se não fosse assim, não seria Amy. Outros eram reclamações indignadas pela curta duração do show.

– Ela tem vinte e poucos anos e faz um show de menos de 1 hora. O Paul McCartney tem 68 e toca por 2h45. Quem ela pensa que é? – vociferou um amigo com ótimo senso crítico para música.

O segundo show foi um pouco mais longo (pouco) e comportado. Infelizmente, continuou dividindo opiniões.

É triste ver uma pessoa se autodestruir. É péssimo ver um grande talento ser jogado no ralo. Espero que Amy consiga sair da lista das celebridades que podem nos deixar a qualquer momento. Torço para que volte a ser a cantora segura e cheia de suíngue de sua estreia. Que seu novo disco saia mesmo em 2011 e que seus shows voltem a entreter, sem qualquer espaço para opiniões divergentes.

Fãs, amigos, fieis leitores (eu sei que vocês existem) e pessoas que foram aos shows. Deixem suas opiniões. Todas serão lidas e publicadas, desde que não haja xingamentos.

Fotos: AgNews