Uma historinha sobre Paralamas e jornalismo

Como disse no post anterior, ver e ouvir Herbert e os Paralamas é um prazer e deixa uma sensação de alívio por saber que nem sempre os bons morrem cedo.

Em fevereiro de 2001, no dia do acidente com o ultraleve que quase nos tira o rapaz de óculos do convívio mortal, trabalhava no site de um grande jornal e nunca esqueço do que vi ao chegar na redação. Entrava após 20h e, como o acidente havia sido mais cedo, já havia no site uma boa cobertura sobre o fato e até mesmo uma lista de músicas dos Paralamas para relembrar e celebrar o talento do cantor e compositor. A figura que trabalhava antes de mim (que deve ter o recorde de histórias desse tipo) escolheu as músicas e colocou entre elas MEU ERRO. Ora, seria humor negro ou falta de noção?

Garanto, foi sem maldade. Era o modus operante de quem, hoje, ensina para alguns jovens o que é jornalismo online

Ai, meu Deus! Como gerenciar esses professores?

Anúncios

Paralamas do Sucesso, Palco MPB e….Beatles!!

A música é uma benção. Projetos como o Palco MPB, promovido pela rádio MPB FM e que reúne todas as semanas um grande nome da música brasileira com um público formado por pessoas que não precisaram pagar ingresso (senhas são distribuídas gratuitamente durante o dia). Os encontros são sempre realizados em casas aconchegantes (atualmente acontece no Teatro Rival) e podem ser conferidos todas as terças e domingos na rádio e a qualquer momento na Internet.

paralamas6

Durante os último dois anos e meio venho sendo uma presença assídua nesses encontros. Já foram Zé Renato, Frejat, Lô Borges, Flávio Venturini, João Penca e Seus Miquinhos Amestrados, Jair Rodrigues e muitos outros, sempre ciceroneados pelo fantástico Fernando Mansur.

paralamas5Na última segunda-feira (11/5) a festa foi por conta dos Paralamas do Sucesso, que divulgam seu mais recente trabalho, Brasil Afora . Ver Herbert Vianna tocando e cantando é sempre um prazer e uma imensa alegria, por tudo que ele passou após o acidente de 2001, que quase o matou. Claro que ficaram seqüelas, houve alguma perda, mas ele estar lá sobre o palco é muito bom de se ver.

Como é a filosofia do programa, o artista convidado prepara um set de cerca de 1h, dando prioridade ao material novo e mesclando alguns sucessos. A tarefa parece sempre mais complicada quando quem toca tem tantos sucessos quanto os Paralamas.

paralamas2Herbert, Bi Ribeiro, João Barone e mais João Fera (teclado), Monnteiro Jr. (saxofone) e Bidu Cordeiro (trombone) fizeram uma apresentação cheia de emoção e, surpreendentemente, com mais repetições (por motivos técnicos e musicais) que a maioria dos convidados.

Se as canções do novo disco foram bem recebidas, os sucessos levaram o público a loucura. Alagados, Meu Erro, Vital e Sua Moto e Óculos fizeram todo mundo cantar e  a incomum proximidade entre público e uma banda do porte dos Paralamas tornou tudo muito mais especial.

paralamas4Para coroar o terceiro show seguido com citações aos Beatles (por que será que se gosta tanto desses caras?) Herbert emendou o riff de Day Tripper na parte final de Alagados (veja o vídeo abaixo).

Que bom que a música ainda surpreende (Bajofondo), promove grandes festas (Cachorro Grande e Oasis) e emociona muito, como no caso dos Paralamas. Que bom que há público para todos os estilos e gostos.

Vamos ao Skank e ao Heaven & Hell.